Agência de Inteligência Americana tem 180 dias para divulgar tudo que sabe sobre OVNI’s

Quando o Presidente Donald Trump assinou a lei de US 2,3 trilhões de ajuda ao coronavírus e de financiamento governamental em Dezembro, começou a contagem decrescente de 180 dias para as agências de inteligência dos EUA dizerem ao Congresso o que sabem sobre OVNIs.

Não, a sério.

O diretor dos serviços secretos nacionais e o secretário da defesa têm agora um pouco menos de seis meses para fornecer aos comitês dos serviços secretos e dos serviços armados do Congresso um relatório não classificado sobre “fenômenos aéreos não identificados”.

É uma estipulação que foi incluída na seção “comentários do comitê” da Lei de Autorização dos Serviços de Informação para o Ano Fiscal de 2021, que estava contida na lei das despesas maciças.

Esse relatório deve conter análises detalhadas dos dados e informações sobre OVNI recolhidos pelo Gabinete de Inteligência Naval, a Força Tarefa de Fenômenos Aéreos Não Identificados e o FBI, de acordo com a diretiva da comissão de inteligência do Senado.

Deve também descrever em pormenor “um processo interagências para assegurar a recolha atempada de dados e a análise centralizada de todos os fenómenos aéreos não identificados que informam o Governo Federal” e designar um funcionário responsável por esse processo.

Finalmente, o relatório deveria identificar quaisquer potenciais ameaças à segurança nacional colocadas pelos OVNIs e avaliar se algum dos adversários da nação poderia estar por detrás de tal actividade, disse o comité.

Relatórios recém-divulgados de incidentes detalham encontros de OVNIs com a Marinha dos Estados Unidos

O relatório apresentado deve ser não classificado, disse a comissão, embora possa conter um anexo classificado.

Um porta-voz do Gabinete do Director dos Serviços Secretos Nacionais confirmou a notícia para o website de verificação de factos Snopes.
O Congresso está há muito interessado nos OVNIs.

O Pentágono lançou três pequenos vídeos em Abril do ano passado mostrando “fenómenos aéreos não identificados” – clips que a Marinha dos EUA tinha anteriormente confirmado serem reais.

Os vídeos, um de 2004 e os outros dois de 2015, mostram o que parecem ser objetos voadores não identificados que se movem rapidamente enquanto são gravados por câmaras de infravermelhos. Dois dos vídeos contêm membros de serviço que reagem com espanto sobre a rapidez com que os objectos se movem. Uma voz especula que poderia ser um drone.

Ainda não está claro quais são os objetos, e não há consenso sobre a sua origem. Alguns acreditam que podem ser drones potencialmente operados por adversários terrestres que procuram reunir inteligência, em vez dos extraterrestres que normalmente equiparamos a OVNIs.

Em Agosto, o Pentágono anunciou que estava a formar uma força-tarefa para investigar.

Membros do Congresso e funcionários do Pentágono estão há muito preocupados com o aparecimento das aeronaves não identificadas que sobrevoaram as bases militares dos EUA. O Comité de Informações do Senado votou em Junho passado para que a comunidade do Pentágono e dos serviços secretos fornecesse uma análise pública dos encontros.

Mas não é a primeira vez que o Pentágono se debruça sobre os encontros aéreos com objectos desconhecidos. O Pentágono estudou anteriormente gravações de tais incidentes como parte de um programa classificado desde então lançado a mando do antigo Senador Harry Reid.

Esse programa foi lançado em 2007 e terminou em 2012, de acordo com o Pentágono, porque avaliaram que havia prioridades mais elevadas que necessitavam de financiamento.

O antigo chefe do programa Luis Elizondo disse à CNN em 2017 que acredita pessoalmente que “há provas muito convincentes de que podemos não estar sozinhos”.

Via: CNN