Negócios

Dados sao os novos tijolos como a Housi uma startup do mercado imobiliario se tornou a maior incorporadora virtual do Pais sem ter um unico ativo


Dados são os novos tijolos: como a Housi, uma startup do mercado imobiliário, se tornou a maior incorporadora virtual do País sem ter um único ativo


Com apenas cinco anos de existência, a empresa já levou o conceito de moradia inteligente para mais de 125 cidades em todos os Estados e Capitais


Se alguém desejar alugar um apartamento pela Housi, não vai precisar buscar um fiador, reunir uma série de documentos, reservar um tempo para visitar imóveis ou assinar um contrato com uma imobiliária, isso porque a proptech, pioneira em trazer o smart living ao mercado imobiliário nacional, permite que os locatários reservem, pelo tempo que quiserem, os apartamentos distribuídos por todas as capitais brasileiras, usando um aplicativo.


E não é só dispensando a burocracia, que a Housi facilita a vida de quem se hospeda em um dos mais de 200 mil apartamentos que carregam o conceito da Empresa. Foi pensando em promover praticidade, conveniência e otimização de tempo, que a startup desenvolveu um ecossistema próprio, que transforma prédios analógicos em digitais, possibilitando a implantação da moradia inteligente em qualquer condomínio do território nacional independente da idade do prédio.


A plataforma oferece serviços de limpeza, mobilidade, lavanderia,alimentação, prestação de contas, entre outras atividades que são oferecidas por mais de 150 marcas parceiras integradas em um único aplicativo, além de gestão completa do aluguel das unidades, controle financeiro, check-in, check-out, manutenção e segurança jurídica da operação, para investidor do empreendimento.


E mesmo popularizando uma nova forma de morar, baseada em tecnologia, a Housi não é dona das unidades distribuídas pelos mais de 700 prédios existentes em mais de 125 cidades – além de todas as capitais — do País.


Foi assim que a Housi conseguiu registrar um faturamento de R$300 milhões só no ano passado. “Hoje a presença geográfica nacional se associa com diversos incorporadores, e é um modelo que pode crescer muito e ser facilmente implementado em outros países”, afirma o CEO da proptech, Ale Lafer.


Após o crescimento expressivo no ano passado, em 2024 a Housi prevê mais de 140 lançamentos em todo o Brasil, dando continuidade às parcerias estratégicas com construtoras e incorporadoras regionais e um VGV de R$10 bilhões, superior ao número estimado pelas maiores construtoras do Brasil.


Neste ano a Housi começou a implementar serviços e soluções digitais em prédios prontos e este já se tornou o principal meio de expansão da Companhia. “Hoje o meu grande propósito de vida, é baseado em reinventar a moradia no território nacional e trazer um impacto positivo para a sociedade em grandes proporções. Acredito que é possível gerar economia de tempo e dinheiro por meio da tecnologia e é a isso que eu me dedico”, enfatiza o CEO.


Smart living expandindo fronteiras


Além de continuar a firmar parcerias com as incorporadoras nacionais, expandir o conceito para o mercado imobiliário internacional faz parte dos planos da proptech para os próximos anos. Por causa do idioma em comum Portugal será o primeiro país estrangeiro a receber a Housi, e logo depois, a startup pretende levar o modelo de negócios para o México e Estados Unidos. “No Brasil, já temos parceiros que operam em outros países da América Latina, América do Norte e Europa, então não nos faltam convites para levar nosso conceito e atuação lá fora”, conclui Lafer.


Sobre a Housi


Lançada em 2019, a Housi é uma proptech que vem transformando a experiência de moradia por meio do conceito Smart living. Com o uso de tecnologia de ponta para criar residências inteligentes e conectadas a serviços e comodidades, a Housi tem como objetivo otimizar e desburocratizar a vida dos moradores por meio da integração de soluções digitais e automatizadas, oferecendo liberdade e economia de tempo.