Hardware

Disney anuncia hardware de integracao com metaverso entenda


Disney anuncia hardware de integração com metaverso, entenda


Este desenvolvimento reflete um avanço tecnológico e cultural significativo, evidenciando a relevância da gestão de telecom na nova era


A Disney acabou de revelar o desenvolvimento do



HoloTile



, um hardware totalmente sintonizado com a nossa era tecnológica, conhecida como a era do phygital. Esse termo surge da fusão entre os termos



physical



(físico) e digital, descrevendo as incursões tecnológicas que buscam integração entre o mundo físico e o digital.


Segundo o portal Cointelegraph, a Disney propõe uma experiência híbrida através do uso de um “360 treadmill”, que em outras palavras pode ser definido como um piso modular, expansível e omnidirecional e multiúso no metaverso Disney.


O departamento de



Imagineering



, que leva esse nome por aglutinar em um só termo as palavras imaginação e engenharia, foi o responsável por materializar essa fantasia que permite ao usuário caminhar em qualquer direção desejada no universo virtual. Para além do passeio no qual o usuário pode explorar paisagens deslumbrantes, este hardware irá permitir a  interação com personagens e cenários icônicos do estúdio em diversas aventuras emocionantes.


A integração entre o físico e digital não é mais apenas uma tendência, é uma realidade. Para que esses universos funcionem de maneira adequada e em sintonia é preciso uma infraestrutura robusta nos dois campos. Nesse sentido, é necessária uma boa gestão tanto em facilities quanto em telecomunicação.


Entenda com a gestão de espaços físicos é crucial para o metaverso


Esta incursão da Disney no metaverso depende do uso do HoloTile, composto por centenas de peças, em um material que lembra um tapete de plástico. Essas partes compõem um padrão geométrico que pode ser expandido conforme o desejo de mobilidade do usuário. Nesse contexto, é necessário instalações físicas propícias para acomodar os equipamentos necessários, e que também possuam segurança e acessibilidade, seguindo as leis e regras locais.


Portanto,



a gestão de facilities integrada ao planejamento e implementação da infraestrutura



, se torna essencial. Somente assim será possível garantir uma experiência completa e satisfatória para os participantes, tanto no ambiente digital quanto no físico, contribuindo para o sucesso e a sustentabilidade do metaverso.


Da infraestrutura física para o digital: a relevância de uma gestão telecom de qualidade


Em conjunto com busca de explorar oportunidades de crescimento econômico associadas ao desenvolvimento do metaverso, deve vir o investimento em gestão de telecomunicações. Pois, para além impulsionar a economia digital, é necessário tornar o metaverso mais inclusivo, ampliando as oportunidades para uma variedade de usuários.


Tendo em vista essas questões, a gestão de telecomunicações emerge, como um pilar fundamental na sustentação do metaverso. A capacidade de proporcionar conexões estáveis e seguras é essencial para criar uma experiência imersiva e livre de interrupções para os usuários.


A inserção de uma empresa no metaverso pode exigir uma intensificação da gestão telecom, pois, o metaverso apresenta muitos desafios para a infraestrutura digital, devido à sua natureza imersiva e interativa. Nesse sentido, a



Sumus



, destaca 4 maneiras de como tecnologias de realidade virtual podem impactar o setor:


  1. Alargamento de banda –


    o metaverso exige uma ampliação significativa na banda larga para ser capaz de sustentar as interações e transmissão de dados em tempo real, na alta qualidade que as experiências imersivas de realidade virtual exigem.

  2. Expansão da infraestrutura de rede


    – para suportar a demanda constante por serviços de internet de alta velocidade e redes móveis mais avançadas, as empresas de telecom terão a necessidade de aprimorar a sua infraestrutura física. Incluindo implantação de fibra óptica, investimento em redes de baixa latência e atualização para tecnologia 5G de rede móveis.

  3. Desenvolvimento de serviços especializados –


    será necessário a criação de serviços personalizados com foco em experiências de metaverso, como planos de dados ilimitados para games e soluções especializadas para empresas que operam dentro da realidade virtual.

  4. Segurança e privacidade –


    a característica imersiva do metaverso gera a necessidade de um olhar mais atencioso para a privacidade de dados por parte das empresas de gestão de telecom.


Em última análise, a criação da Disney de um hardware de integração no metaverso representa não apenas uma evolução tecnológica, mas também um marco cultural significativo da era



phygital.



O metaverso traz à luz a importância dos investimentos em gestão de telecomunicações, empresas como a



Sumus



, desempenham um papel vital na construção de um metaverso estável, seguro e acessível para todos.