Ciência e Meio Ambiente

Evolucao na Saude priorizando o paciente e suas necessidades

Evolução na Saúde: priorizando o paciente e suas necessidades

Por Marcos Gaspar, District Manager da NetApp Brasil

Por anos, o conceito de centralidade do paciente tem sido focado nos provedores de saúde. Apesar de inicialmente ser mais um modismo, hoje o movimento vem ganhando força em todo o ecossistema de saúde, incluindo P&D farmacêutico e seguros. Colocar o paciente no centro do cuidado e da tomada de decisões sublinha a importância da medicina personalizada, dos resultados de tratamentos aprimorados e da experiência satisfatória do consumidor.

Centralidade do paciente: uma mudança de jogo para os provedores de saúde

Conhecer as necessidades únicas, preferências e circunstâncias dos pacientes permite uma abordagem colaborativa ao tratamento, melhorando a conformidade do paciente com protocolos de tratamento e alcançando melhores resultados.

Essa abordagem centrada no paciente e sua melhoria no envolvimento e satisfação do paciente podem ter um impacto positivo na credibilidade do provedor e ajudar a aumentar a participação de mercado.

Pacientes satisfeitos têm mais probabilidade de seguir planos de tratamento, comparecer a consultas de acompanhamento e participar ativamente de seu próprio cuidado.

Além disso, focar nas necessidades do paciente e incorporar novas tecnologias, como a medicina genômica, permite que os provedores personalizem os serviços, resultando em planos de tratamento mais eficazes e personalizados.

Um programa como esse é a Iniciativa de Saúde Comunitária MyCode do Sistema de Saúde Geisinger, que combina dados genômicos com prontuários médicos eletrônicos para impulsionar a medicina personalizada e melhorar os resultados do paciente. A iniciativa tem como objetivo identificar marcadores genéticos associados a doenças e usar essas informações para orientar medidas preventivas e decisões de tratamento.

Empresas farmacêuticas e desenvolvimento de medicamentos centrado no paciente

Historicamente, as abordagens para o desenvolvimento de medicamentos têm sido centradas na pesquisa focada na doença, mas agora há uma crescente valorização da importância de incorporar a experiência do paciente. Impulsionadas pela iniciativa de Desenvolvimento de Medicamentos Centrada no Paciente (PFDD) da Administração de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA) em 2012, as empresas farmacêuticas estão se aproximando das perspectivas e experiências dos pacientes e incorporando-as ao desenvolvimento e avaliação de medicamentos. Essa compreensão contribui para o desenvolvimento de medicamentos mais eficazes e toleráveis, e também incorpora resultados relatados pelos pacientes durante os ensaios clínicos.

Um artigo de 2022 publicado no Journal of Managed Care + Specialty Pharmacy afirma que “a não adesão à medicação nos Estados Unidos contribui para 125.000 mortes e 10% das hospitalizações anualmente”. Empresas farmacêuticas como AstraZeneca e Pfizer reconhecem que uma abordagem centrada no paciente para o desenvolvimento de medicamentos pode impulsionar a adesão aumentada aos medicamentos e, portanto, melhores resultados. Essas empresas oferecem programas de apoio ao paciente que ajudam pacientes com doenças agudas e crônicas a gerenciar suas condições. Esses programas podem fornecer aos pacientes apoio personalizado, educação e recursos, incluindo lembretes de adesão à medicação, conselhos sobre estilo de vida e acesso a profissionais de saúde para orientação e apoio.

Pagadores de seguros de saúde: Um foco na experiência do membro

Provedores e empresas farmacêuticas são acompanhados por pagadores de seguros de saúde no movimento em direção a uma mentalidade centrada no paciente. Os pagadores agora estão colocando forte ênfase na experiência do consumidor, e por um bom motivo. Uma pesquisa recente da PYMTS descobriu que quatro em cada cinco consumidores estão interessados em usar uma plataforma digital unificada para gerenciar informações sobre seus cuidados e benefícios de seguro. A mesma pesquisa descobriu que metade dos consumidores enfrentou problemas ao acessar serviços de seguro de saúde.

Criar uma porta digital de próxima geração, que permita aos membros encontrar, acessar e navegar facilmente pelos serviços, é fundamental para a retenção e o crescimento da associação.

O papel da gestão de dados na saúde centrada no paciente

A gestão eficaz de dados está no cerne da centralidade do paciente. Acesso seguro ao complexo patrimônio de dados do paciente e fluxo inteligente de informações em todo o ecossistema de saúde é crucial para oferecer medicina personalizada e cuidados coordenados.

Os dados do provedor contidos em registros eletrônicos de saúde, sistemas de imagem médica e outros sistemas de dados do paciente facilitam a tomada de decisões informadas e aprimoram a continuidade dos cuidados.

No desenvolvimento de medicamentos, os dados de pesquisa geralmente são gerenciados em silos múltiplos e discrepantes, muitas vezes em diferentes partes do mundo. O acesso eficiente a esses dados é fundamental para analisar os dados do paciente dos ensaios clínicos, pois essas informações são cruciais para entender a segurança.