Google mede poluição nas cidades com ferramenta

O Google afirma que sua nova ferramenta online fornecerá para algumas cidades, gratuitamente, informações sobre emissões de transporte, qualidade do ar e potencial solar no telhado.

A ferramenta, chamda Explorador de Idéias Ambientais (EIE), após um beta-teste iniciado no ano passado em cinco cidades piloto (EUA, Canadá, Argentina e Austrália), foi lançada hoje na Europa.

Desenvolvido como uma das iniciativas de sustentabilidade da empresa, permite que os usuários naveguem em cidades selecionadas para descobrir sobre sua pegada de carbono atual. Já está disponível em Dublin, Birmingham e na grande Manchester.

A ferramenta foi projetada inicialmente para planejadores da cidade (embora qualquer pessoa possa experimentar). A idéia é que, informados apenas uma vez com segurança, poderão começar a tomar medidas eficazes.

Uma pesquisa veloz por Dublin, por exemplo, revelará que o Google estima que as emissões de construção e transporte representem, respectivamente, 2,13 e 1,31 milhão de toneladas de CO2e por ano; e que esta cidade possui um potencial solar na cobertura que pode reduzir 206.000 toneladas de CO2e por ano.

O Google consegue prever o clima para os próximos 20 anos, através de projeções de temperatura e precipitação.

Rebecca Moore, diretora do Google Earth, falou: “Em Dublin, os governantes das cidades já testam a ferramenta e estão usando informações da EIE para informar programas de transporte inteligentes com o objetivo de aumentar o uso de modos de viagem mais limpos e reduzir emissões”.

Através de dados de localização do Google Maps, o EIE pode detectar o tamanho de um edifício, se é escritório ou casa e adicioná-lo às redes locais para fazer uma estimativa de consumo de energia. Igualmente, ele pode efetuar análise de tráfego, modos de viagem e as distâncias realizadas. Com base no mix de veículos e no tipo de combustível, estabelecer dados para as emissões do transporte.

Pode inclusive efetuar análise de imagens de satélite para determinar quais tipos de telhados são adequados para a energia solar. E uma observação no site informa que ele está trabalhando para avalição poderia produzir dados úteis para o setor de resíduos.

A líder da cidade inteligente da Câmara de Dublin, Jamie Cudden, disse: “Fornecer um fluxo de dados mais dinâmico é essencial para influenciar as discussões e políticas sobre o clima”. “Esta versão está definindo a linha de base, mas o que será ainda mais interessante é quando começarmos a poder comparar os dados ano após ano”.

O Google também anunciou que vai disponibilizar os dados locais de qualidade do ar, iniciando com Copenhague. Esta iniciativa faz parte do Projeto Air View em andamento, que equipa os veículos do Google Street View com instrumentos científicos para verificar a qualidade do ar ao nível da rua.

O Project Air View iniciou no ano passado com uma parceria com a cidade de Copenhague, os dados que a partir de agora foram disponibilizados ao público, inicialmente foram compartilhados apenas com a Câmara Municipal e cientistas.

Havia apenas três estações fixas monitorando a qualidade do ar em Copenhague, e que continuam a serem utilizadas – em parte para verificação de que os dados coletados pelo Google sejam coerentes.

O consultor sênior do Laboratório de Soluções da cidade de Copenhague, Rasmus Reeh falou: “Ter uma estação de monitoramento móvel indica que agora possuimos dados de todas as esquinas e ruas da cidade. Podemos ter identificação de pontos de acesso que não podíamos visualizar antes, e podemos medir coisas como carbono preto e partículas ultrafinas”.

Com essa tipologia detalhada da qualidade do ar urbano, é mais fácilmente identificável e contém as fontes de poluição, disse ele, e protegendo os cidadãos expostos a zonas perigosas que não haviam sido identificadas antes.

O Google está nomeando seus novos conjuntos de dados focados no clima (EIE Labs), compõem parte dos esforços da empresa para dar impulso a iniciativas sustentáveis ​​- e comandar este jogo, na proporção que as empresas de tecnologia competem cada vez mais para serem vistas como as mais verdes de todas.

A Microsoft anunciou a meta de atingir 60% de consumo de energia renovável em seus data centers até 2020, a Apple afirmou que agora é movida a 100% de energia renovável em todo o mundo. Já a HP prometeu tornar todas as páginas impressas neutras em carbono, e por fim a Dell já excedeu sua meta de 2020 de usar 50 milhões de libras de materiais reciclados em seus produtos.

“Todas as empresas globais têm programas de responsabilidade social, por isso é uma boa jogada do Google”. “É um assunto quente”, disse Cudden.

link da ferramenta: https://insights.sustainability.google

Via: Google

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *