Huawei diz que pressão dos EUA pode atrasar em vários anos implantação de 5G no Brasil

Recentemente, a Reuters informou que um executivo da Huawei advertiu que se o Brasil sucumbisse à pressão imposta pelos Estados Unidos e abandonasse a Huawei, poderia causar um desenvolvimento lento da rede de telecomunicações 5G. Portanto, se isto acontecer, segundo a Huawei, será adiado por vários anos e o custo será mais elevado.

A administração Trump intensificou esforços para restringir a introdução da tecnologia 5G na maior economia da América Latina. O embaixador americano Todd Chapman chegou mesmo a insinuar que Washington está disposto a fornecer fundos para o Brasil comprar equipamento a outros fornecedores.

O Presidente brasileiro Jair Bolsonaro disse no mês passado que o destacamento de 5G deve cumprir os requisitos de soberania nacional, informação e segurança de dados. Há muito que Bolsonaro tem sido céptico em relação à China. Mas agora, tomou uma posição menos brutal contra este país desde que tomou posse em 2019. Mas ele continua a ser um aliado próximo de Trump.

Marcelo Motta, diretor da segurança e soluções de rede da Huawei, disse numa entrevista mais tarde na segunda-feira que restringir a participação da Huawei “apenas atrasará a implantação da 5G no Brasil e, em última análise, terá impacto nos preços das operadoras, fornecedores de serviços de Internet regionais e clientes”.

Nos últimos 22 anos, a posição da Huawei no mercado brasileiro tem continuado a aumentar. E os operadores brasileiros têm utilizado extensivamente o equipamento da Huawei na sua infra-estrutura de redes de telecomunicações.

Marcelo Motta afirmou: “Em locais onde houve restrições à Huawei, vimos os preços subirem duas a cinco vezes, tornando muitas vezes o negócio inviável para os operadores”.

Ele assinalou que o Brasil já enfrenta o desafio de expandir a infra-estrutura existente. A substituição de fornecedores exigirá que os operadores substituam o equipamento já instalado, em vez de simplesmente atualizarem o equipamento existente.

‘Fazer essa mudança seria como agitar um ninho de vespas’,’ disse o executivo da Huawei. Ele enfatizou que a acusação dos Estados Unidos de que o equipamento Huawei é vulnerável à escuta por parte da China é infundada.

Huawei realizou com sucesso uma cooperação de teste 5G com todos os principais operadores brasileiros. Estes incluem a Telefonica Brasil SA, TIM Participacoes SA, Claro e Oi SA da America Movil. E tem estado a ajudá-los a modernizar as suas infra-estruturas antes do leilão do espectro 5G Remodelar.

“Temos uma solução preparada para utilizar principalmente software para trazer 5G ao Brasil (nas frequências existentes)”. Marcelo Motta disse: ‘Assim que o governo trouxer as novas frequências, podemos utilizar também pequenas extensões de hardware’.

Entre 2009 e 2019, a Huawei investiu aproximadamente US$ 4 bilhões a nível mundial no desenvolvimento da tecnologia 5G. A empresa planeja produzir este novo produto de tecnologia numa das suas duas bases de produção no Brasil.

Marcelo Motta disse que durante o surto houve menos voos. Isto provocou um aumento dos custos de transporte aéreo. Assim, alguns dos custos operacionais da empresa aumentaram. No entanto, ele pensa que o problema “não é grave”.

O bloqueio provocado pela nova epidemia de coronavírus também aumentou a procura de produtos e serviços Huawei. Isto está principalmente relacionado com o facto de o tráfego da rede brasileira ter aumentado em cerca de 50%.

Via: GizChina

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *