Internet

Junho Violeta: 85% dos idosos já estão online, inclusão digital é importante para segurança e socialização

Junho Violeta: 85% dos idosos já estão online; inclusão digital é importante para segurança e socialização

Especialista mostra a importância da capacitação da terceira idade no uso de tecnologias

O envelhecimento da população brasileira é uma realidade inegável. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o número de idosos no Brasil tem crescido substancialmente, e estima-se que até 2030 o país terá mais idosos do que crianças e adolescentes. Em junho, mês dedicado ao idoso e à conscientização sobre a violência contra essa parcela da população, torna-se ainda mais relevante discutir a inclusão digital e o envelhecimento ativo como ferramentas para combater o isolamento social e promover a qualidade de vida dos idosos.

De acordo com os dados do Censo Demográfico 2022, realizado pelo IBGE, o Brasil possui mais de 32 milhões de pessoas com 60 anos ou mais, o que representa 15,6% da população total do país. Esse número mostra um aumento significativo em relação a 2010, quando a população idosa era de 20,5 milhões (10,8% dos brasileiros). A população idosa do Brasil está crescendo a um ritmo acelerado: em 12 anos, o número de pessoas com 65 anos ou mais aumentou 57,4%.

A inclusão digital vem tentando acompanhar esse ritmo. Segundo pesquisa da TI Inside, realizada em setembro de 2022, 85% dos idosos brasileiros acessam a internet todos ou quase todos os dias da semana. Esse número demonstra um alto nível de conectividade entre esse grupo populacional.

A inclusão digital dos idosos é um passo fundamental para assegurar que essa população se mantenha ativa e conectada. A capacitação no uso de tecnologias não apenas proporciona acesso à informação e serviços, mas também facilita a comunicação com familiares e amigos, contribuindo para a redução do isolamento social. “A tecnologia pode ser um importante aliado na promoção do envelhecimento ativo, permitindo que os idosos se mantenham socialmente integrados e mentalmente estimulados”, afirma Danilo Suassuna , doutor em psicologia e diretor do Instituto Suassuna .

Programas de capacitação digital têm sido implementados em diversas regiões do Brasil, com foco na alfabetização tecnológica de idosos. Esses programas, geralmente oferecidos por ONGs, instituições de ensino e governos locais, buscam ensinar desde o uso básico de smartphones e computadores até a navegação segura na internet. Além disso, muitos desses programas incluem aulas sobre redes sociais, proporcionando aos idosos as habilidades necessárias para manter contato com amigos e familiares de forma virtual.

O professor Suassuna destaca a importância dessas iniciativas. “A inclusão digital dos idosos é uma questão de cidadania. Quando capacitamos os idosos no uso das tecnologias, estamos promovendo sua autonomia e autoestima, além de contribuir para sua inserção na sociedade contemporânea, que é fortemente digital”.

A promoção do envelhecimento ativo vai além da inclusão digital. Ela envolve a criação de ambientes que incentivem a participação dos idosos em atividades físicas, culturais e sociais. O envolvimento em atividades comunitárias, por exemplo, tem mostrado ser eficaz na melhoria da saúde mental e física dos idosos. “A participação em atividades sociais e culturais é crucial para o bem-estar dos idosos. Essas atividades ajudam a manter a mente ativa, promovem o senso de pertencimento e combatem o isolamento social”, explica Suassuna.

Além disso, a capacitação digital pode contribuir para a proteção dos idosos contra golpes e fraudes, que infelizmente são comuns no ambiente online. “A educação digital deve incluir orientações sobre segurança online, para que os idosos saibam identificar possíveis riscos e se protegerem adequadamente”, enfatiza Suassuna.

Por fim, o especialista lembra que boa parte dessa educação tecnológica pode acontecer de forma autodidata ou gratuita, por meio do auxílio de pessoas próximas. Afinal, crianças e adolescentes podem colaborar na capacitação de seus familiares idosos, contribuindo assim para uma troca intergeracional. Ferramentas como as redes sociais podem, inclusive, aproximar os membros familiares de diferentes faixas etárias.

O mês de junho é conhecido como Junho Violeta, um mês de sensibilização e prevenção contra a violência contra pessoas idosas. O objetivo é chamar a atenção para a violação dos direitos dos idosos e para a importância de denunciar e combater este problema. O dia 15 de junho é o Dia Mundial de Conscientização sobre a Violência contra a Pessoa Idosa, instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2011.

Junho coloca em pauta as questões importantes para a população idosa e serve como um lembrete da importância de promover políticas públicas e iniciativas que favoreçam a inclusão digital e o envelhecimento ativo. Investir na capacitação tecnológica dos idosos e criar oportunidades para sua participação social são passos essenciais para assegurar uma terceira idade digna, ativa e conectada.

Sobre Danilo Suassuna

Doutor em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (2008), possui graduação em Psicologia pela mesma instituição. Autor do livro “Histórias da Gestalt-Terapia – Um Estudo Historiográfico”. Professor da Pontifícia Universidade Católica de Goiás e do Curso Lato-Sensu de Especialização em Gestalt-terapia do ITGT-GO. Coordenador do NEPEG Núcleo de estudos e pesquisa em gerontologia do ITGT. É membro do Conselho Editorial da Revista da Abordagem Gestáltica. Consultor Ad-hoc da revista Psicologia na Revista PUC-Minas (2011). Para mais informações acesse o instagram: @danilosuassuna .

Sobre o Instituto Suassuna

O Instituto Suassuna realiza congressos, seminários, workshops e extensões voltadas aos profissionais da psicologia. E para isso, conta com um time de especialistas em educação. O instituto utiliza o Google for Education para transformar a maneira como os alunos e professores aprendem, trabalham e inovam juntos. A metodologia utilizada transforma o ensino em aprendizagem permitindo que os alunos evoluam no próprio ritmo, resultando em solucionadores de problemas criativos e também em colaboradores eficientes.

Tudo é pensado e entregue com o objetivo de direcionar os produtos, funcionários, programas e filantropia para um futuro em que os alunos tenham acesso à educação de qualidade que eles merecem e que com isso, possam transformar o mundo. Para mais informações, acesse o site ou através do instagram e canal no youtube .