Pesquisadores criam robôs que provocam e tiram humanos do sério

De acordo com estudo desenvolvido pela Universidade Carnegie Mellon, as pessoas reagem negativamente aos insultos de um robô, mesmo sabendo que foi programado para tal.

O robô utilizado foi o Pepper, da empresa Softbank. Este invento é utilizado em museus e aeroportos, na interação com humanos.

O experimento, composto de um jogo, do qual participaram 40 jogadores, durante 35 rodadas. Os humanos que participaram sabiam antecipadamente que o robô era pré-programado com frases, mesmo assim durante o jogo, alguns jogadores sucumbiram ao trash talk (à prática de falar e provocar adversários como forma de desestabilizá-los emocionalmente) aplicado pelos robôs, ouvindo frases tais como “eu sou obrigado a dizer que você é um péssimo jogador” ou “ao longo da partida, seu jogo ficou confuso”.

Quem ouvia as provocações não pontuava tão bem nem mostrava tanta evolução no jogo em comparação com quem ouvia frases de encorajamento.

Através do estudo comprovou-se que humanos respondem às questões transmitidas pelos robôs, o que poderia influenciar nos tratamentos de saúde mental, na utilização de robôs como acompanhantes ou na aprendizagem. Com o aumento da sofisticação dos dispositivos domésticos inteligentes, com assistentes de voz semelhantes aos humanos, podem ampliar os impactos nos seres humanos que utilizam estes produtos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *