Que tal encontro virtual com Monalisa de Da Vinci no Louvre?

Um tour de realidade virtual aproximará o mundo de Leonardo da Vinci dos visitantes do Louvre

O mesmo sorriso permamnente de Mona Lisa está recebendo uma indédita reforma virtual, no Museu do Louvre.

O Museu do Louvre e seus sócios na produção da realidade virtual, com visitas tridimensionais ao retrato.

Mona Lisa, o real óleo sobre madeira, foi devolvido na passada semana à Salle des États, coincidindo com a abertura na data de 24 de Outubro, numa exposição que marca o 500º aniversário da morte (1519) de Leonardo da Vinci, mestre do Renascimento italiano.

O encontro mais íntimo será através do tour de realidade virtual. Esta turnê tem como objetivo resolver o problema de multidões e distância. A realização será através de uma pequena galeria, próximo da principal exposição de Leonardo e da Mona Lisa.

Equipada com 15 estações com fones de ouvido, a galeria ofertará passeios virtuais de 7 minutos, que iniciam com a multidão de visitantes com seus telefones celulares erguidos, através de uma galeria de pinturas até o retrato de Mona Lisa.

A bordo de um planador que o próprio Leonardo projetou, os espectadores sobrevoam vales e montes irregulares, através de narrativas dos dois curadores da exposição, incluindo detalhes visuais de Mona Lisa e os arredores de Florença do Século XVI.

Esta experiência digital faz parte de um esforço permanente para ampliar o apelo do Louvre, e da própria França, interessada em promover seus tesouros artísticos.

A França pretende gastar 3 milhões de Euros com oferta de realidde virtual e passeios digitais em 2d para mostrar as obras-primas de dezenas dos principais museus de Paris, incluindo a Mona Lisa e o Louvre.

museu louvre paris frança
Musel Louvre – Paris – França

Mas a empolgação não contagiou tudo mundo. Muitos criticam o dinheiro gasto, em que se poderia adquirir arte e o museu deveria concentrar-se em redução de aglomerações, através de questões organizacionais, dizem os críticos.

Diversos outros museus (entre os quais o Musée de l’Orangerie, em Paris) já experimentam a Realidade Virtual e avançam nos resultados.

Os funcionários do Louvre dizem-se impressionados com os resultados. Jovens e pessoas de mais idade estão usando os displays. Mas não substituirá os trabalhos.

A empresa HTC Vive arts, através do seu envolvimento no Projeto Mona Lisa do Louvre, coordenou a produção de Monet, junto com um Programa de Realidade Virtual no ano passado, na Tate Modern, em Londres. Foi criado para acompanhar a exposição dedicada a Amedeo Modigliani.

Os curadores utilizaram pesquisas históricas para simular o interior do estúdio de Modigliani, no ano de 1919, em Paris, com detalhes vivos, inclusive um cigarro aceso queimando em cima da mesa e um vazamento do telhado pingando dentro de um balde.

O otimismo toma conta dos funcionários do museu de Paris, de que a experiência do Louvre mostrará o museu para um novo público, nem tanto interessado em arte, mas talvez interessado na experiência de Realidade Virtual. Os espectadores poderão fazer o download do tour em casa e que também poderá viajar no futuro como uma exposição pop-up para simpósios e salões.

Monalisa
Monalisa – Museu do Louvre

O otimismo toma conta dos funcionários do museu de Paris, de que a experiência do Louvre mostrará o museu para um novo público, nem tanto interessado em arte, mas talvez interessado na experiência de Realidade Virtual. Os espectadores poderão fazer o download do tour em casa e que também poderá viajar no futuro como uma exposição pop-up para simpósios e salões.

o Louvre está tomando medidas para minimizar as filas e vislumbrar sua virtual Mona Lisa, em preparação para a estréia de outubro.

Via: The New York Times