Marketing Digital

Rede PubliCarga, especializada em publicidade em totens carregadores de celular chega ao mercado de franquias

Rede PubliCarga, especializada em publicidade em totens carregadores de celular, chega ao mercado de franquias

Holding BEABA dos Negócios investe em mais uma mídia office no setor da publicidade

Foto: Divulgação PubliCarga

Após nove anos com a consolidada Holding BEABA dos Negócios e o grande sucesso da Marketing Bag, franquia especializada em publicidade em sacos de pães, os empresários André Jácomo e Aline Jácomo têm uma nova aposta no mercado de franquias. Decidiram inovar investindo em publicidade indoor com totens carregadores de celular, ampliando as opções de mídia estratégica.

A BEABA tem se tornado uma agência de publicidade cada vez mais influente. Ao expandir por meio de franquias, a empresa se destaca pela transferência de conhecimento, na qual é o DNA do negócio. André percebeu uma lacuna no mercado de mídias alternativas e decidiu criar a PubliCarga , uma nova marca que promete retorno financeiro rápido.

O negócio nasceu da percepção da dificuldade de carregar a bateria do celular quando estamos fora de casa, especialmente quando esquecemos o carregador. Os totens possuem várias gavetas com cabos de três tipos, compatíveis com todos os aparelhos. Nesse momento, publicidades são exibidas, ajudando a marca exposta alcançar um público ainda maior.

Diferente dos concorrentes, a PubliCarga não é fabricante de totens, mas sim uma agência de marketing estratégico que encontrou no franchising um método de expansão. Segundo Jácomo, o modelo de negócio é bem estruturado e essa é a grande chave para o sucesso. “Temos métodos e processos bem definidos para que o franqueado alcance excelentes resultados, focando apenas nas vendas”.

O franqueado tem acesso a diversas ferramentas online para inserção de anúncios nos totens, suporte para redes sociais, desenvolvimento de vídeos publicitários, análise de geomarketing para implantação dos totens e um sistema próprio para gestão e solicitação de artes. Além disso, a universidade corporativa batizada como BeabaFlix, oferece cursos que ajudam o empreendedor em todas as etapas.

Raio -X

Investimento inicial (incluindo taxa da franquia, treinamento e totem): R$ 15.990,00.

Capital de giro necessário: R$ 2.000,00.

Faturamento médio mensal por unidade: R$ 8.514,00.

Lucro líquido mensal por unidade: (86%) em valor R$ 7.138,00.

Royalties: R$ 365,00 fixo + R$ 15,00 por vídeo.

Prazo de retorno do investimento: até 6 meses.

Prazo do contrato: 3 anos.

Grupo Holding BEABA dos Negócios

A BEABA dos negócios é uma holding de franquias e agência de publicidade estratégica. A holding conta com duas marcas próprias de franquias. A primeira é Marketing Bag é uma das principais franquias da holding, líder em publicidade em saquinhos de pão. Sua estratégia inovadora inclui materiais promocionais nas embalagens de pão, oferecendo às empresas uma maneira eficaz e acessível de atingir seu público-alvo. Também possui a PubliCarga, especializada em publicidade indoor por meio de totens carregadores de celular, proporcionando uma solução moderna e conveniente para atrair e engajar consumidores em ambientes internos. Além disso, a BEABA oferece um método exclusivo para ajudar empresários a franquear as suas empresas e crescerem por franquias.

Responsabilidade social em tempos de crise um desafio para a comunicacao corporativa


Responsabilidade social em tempos de crise: um desafio para a comunicação corporativa






*Por Cris Moraes



Uma das atribuições da área de relações públicas é cuidar da imagem das organizações e de sua identidade corporativa. Cabe a nós, profissionais da área, ajudar as empresas e entidades a desenvolverem suas imagens e transmitirem para o público as mensagens desejadas. Em momentos de dor e crise, é compreensível o desejo de divulgar as ações realizadas, passando a imagem de uma organização engajada em causas sociais e disposta a ajudar os mais necessitados, estimulando outras empresas a seguirem o mesmo caminho. No entanto, as coisas não são tão simples assim.


O primeiro ponto que devemos considerar é se as ações voltadas para o social e o ambiental fazem realmente parte da realidade e do DNA da companhia. Ela realiza ações desse tipo de maneira contínua? Se sim, há quanto tempo? Ou é apenas uma iniciativa pontual, como a doação de alimentos neste momento de emergência? O objetivo aqui não é levantar suspeitas ou considerar ações ocasionais como oportunistas, mas realmente avaliar se a organização carrega a consciência social como parte de sua rotina e funcionamento. Isso porque a divulgação de ações apenas neste momento pode trazer um efeito oposto ao desejado. Em vez de transmitir a imagem de uma companhia solidária, pode fazer com que o público se questione sobre a autenticidade da ação e gerar a pergunta: “Por que não fazia isso antes?”.


Antes de decidir se um assunto deverá ser divulgado ou não para os veículos de comunicação, devemos ser cautelosos para entender como essa informação será percebida pelo público. Com a frequente utilização das redes sociais, as pessoas se aproximaram significativamente das marcas e passaram a acompanhar suas ações diariamente. Portanto, é crucial que toda e qualquer iniciativa seja apresentada com transparência e coerência, reforçando a autenticidade e o compromisso da organização, evitando assim qualquer percepção negativa por parte do público.




Compete à área de comunicação social, particularmente à institucional, por meio das relações públicas, desenvolver atividades específicas à consecução dos objetivos de marketing social. E se for agir, ou seja, doar, envolver equipe ou promover uma ação, aja rápido. Assim como em uma crise da empresa, em uma crise social, quanto antes a ajuda chegar, melhor e mais envolvido na causa a marca ou empresa mostrará que está. Pare tudo e definida com todos os tomadores de decisão o que pode ser feito, como parar uma produção de um produto para fazer outro, por exemplo. Como uma grande marca fez. Ou desloque equipe para ajudar, equipamento, alimentação, logística. Sempre é possível ajudar e doar.




*Cris Moraes é jornalista gaúcha, especialista em Comunicação Corporativa e professora de comunicação. Com mais de 20 anos de experiência em Assessoria de Imprensa e Reputação, criou a própria agência há 11 anos e também criou um curso prático na área com base em seu método Cris Moraes PR e host do podcast POD Ser Pauta.


Hisense realiza maior lancamento da marca no Brasil hoje no Teatro B32


Hisense realiza maior lançamento da marca no Brasil, hoje, no Teatro B32


Evento contará com as presenças do DJ e produtor musical Ronald e da apresentadora Renata Fan


CADASTRO DE JORNALISTAS É OBRIGATÓRIO PARA GARANTIR PRESENÇA NO EVENTO




São Paulo, 28 de Maio de 2024 –

A Hisense, marca global de televisores, eletrodomésticos e equipamentos de ar condicionado, receberá hoje convidados de grandes redes varejistas parceiros para apresentar os produtos de seu portfólio, como itens ainda inéditos no mercado brasileiro. O evento acontecerá no Teatro B32, localizado na região da Avenida Faria Lima, na capital paulista, a partir das 18h.


Em seu evento de hoje, a Hisense vai permitir aos convidados conferir em primeira mão telas de TV cobiçadas pelos consumidores, produtos que possibilitam interligar eletrodomésticos e TVs à rotina de uma casa, além de funcionalidades inovadoras de itens da ‘cozinha inteligente’, como geladeiras, lava-louças e de modelos de ar-condicionado.


Para agitar a noite, a Hisense contará com a presença do DJ e produtor musical Ronald, um apaixonado por eletrônica e que já soma mais de 500 mil reproduções nas principais plataformas de streaming. No final de 2023, ele lançou o primeiro DVD da carreira, gravado em Ibiza, na Espanha. O evento também terá a jornalista Renata Fan no comando da cerimônia.



Agenda


Lançamento da Hisense no Brasil


Data: 28 de maio de 2024


Horário: 18:00


Local: Teatro B32






Virgílio Amaral –
virgilio.amaral@dccomunicacao.com




Erika Borges –
erika.borges@dccomunicacao.com



Os 12 sabores de Cup Noodles viram tema da nova campanha de NISSIN

cup noodles nissin

Os 12 sabores de Cup Noodles® viram tema da nova campanha de NISSIN


Com participação especial da influenciadora Jessy Robot, o filme, que tem estreia prevista para maio, segue a temática divertida e descontraída da marca


São Paulo, maio de 2024


– A
NISSIN FOODS DO BRASIL lança mais uma campanha e, desta vez, o produto foco é um dos grandes queridinhos da marca: Cup Noodles


Com estreia marcada para este mês , nas principais mídias sociais da marca, o filme conta com a presença da influenciadora Jéssica Marcondes, mais conhecida como Jessy Robot e traz o Food Truck da marca como plano de fundo.


O objetivo da produção é fortalecer os 12 sabores irresistíveis da marca: Feijoada, Bolonhesa, Carne defumada, Cheddar, Costela com molho de churrasco, Curry, Legumes com azeite, Frutos do mar, Teriyaki, Galinha caipira, Galinha caipira picante e Yakissoba.


No filme, Jessy Robot faz uma performance de sua dança “robótica” para seguir o ritmo da música. Mas, durante uma das cenas, uma “explosão” de Cup Noodles

surpreende a influenciadora e mostra, de forma inusitada, o quanto os sabores da linha são únicos e explosivos.


Quem também promete brilhar nessa campanha é o Food Truck da NISSIN, que roda o Brasil em diversos eventos e ações da marca para gerar experimentação e aproximar a marca Cup Noodles
dos mais diversos públicos.


“Estamos entusiasmados em lançar essa nova campanha que vem fortalecer ainda mais nossa posição no mercado, além de estreitar o relacionamento com nossos consumidores e conquistar novos paladares. A participação especial da influenciadora Jessy Robot, com certeza, promete deixar tudo mais dinâmico, surpreendente e divertido”, comenta Ana Fossati, gerente de Marketing da NISSIN FOODS DO BRASIL.


“Há uma variedade surpreendente de sabores para Cup Noodles. Para expressar essa versatilidade fizemos uma parceria com a popular dançarina Jessy Robot. Só que desta vez, quem se surpreende com a situação inusitada é a Jessy”, comenta Kojiro Tanoue, diretor executivo de criação da Dentsu Creative.


FICHA TÉCNICA – CUP ROBOT


Anunciante: Nissin Foods do Brasil Ltda.


Campanha: CUP ROBOT


Agência: Dentsu Creative


Chief Creative Officer: Ricardo Dolla


Diretor Executivo de Criação: Kojiro Tanoue


Direção de Arte: Júlia Lopez


Redação: Kojiro Tanoue


Conteúdo: Viviane Frohlich, Mariana Rudzinski e Guilherme Fernandes


Produção: Juliana D’Antino, Indaiara Pelizario e Marcela Veroneze


BI: Silvia Visani, Bruno Honório, Camille Grilo, Naiky Rigatos e Diogo Cruz


Negócios: Bruno Panico, Reo Sakamoto, Marcella Sousa, Jennifer Areco


Mídia: Viviana Maurman, Lucas Callile, Andreza Harkensee, Leandro Lourenço e Thiago Bronel


Aprovado por: Kosuke Hara, Yoshimi Miura, Ana Fossati, Tatiana Curi, Mariana Soares, Andressa Martins e Brenda Silva


Produtora de imagem


: Fantástica Filmes



Direção de Cena


: Caja Guedes e Marlon Klug


Direção de Fotografia


: Ale Elaiuy



Direção de Arte


:


Rô Melink


Assistente de Direção


: Felipe Claudino e Vinicius Camala



Produção Executiva


: Herminio Vinholi Jr



Gerência de Projetos


: Ana Maria Sequinel



Coordenação e Direção de Produção


: Marina Rossignoli



Supervisão de Produção


: Karine Barros


Produção


: Kayane Cabral


Efeitos Práticos de Set:


Miniart


Coreografia


: Zeca Jhones e Jessy Robot


Elenco


: Jessy Robot


Produção de Figurino:


Ana Cardoso


Assistente de Produção:


Marcela Kozinski


Motion control:


Drive Motion Control


Operação:


André Camargo de Souza e Samuel Baptista Mariani


Coordenação Geral de Pós-produção:


Maguilla e Renata Peterlini



Pós-produção:


Bogotá


Direção de Pós-produção:


Caja Guedes, Denise Azzi


Coordenação de Pós-produção:


Jéssica Marques


Montagem:


Caja Guedes


Previz:


Tiago Bahia


3D Tracking, simulação e animação


: José Guilherme Novaes Delgado


Modelagem, Look e Render:


O Agente Laranja


Compositing:


Kassia Oliveira, Thailiny Cruz, Vanessa Perotoni


Cleaning:


Kassia Oliveira, Thailiny Cruz, Vanessa Perotoni


Color:


Guilherme Delamuta (Onda Finalização)


Produtora de audio:


LIQUO AUDIO


Direção Musical:


Felipe Engel


Produção:


Thiago Lucas e Vicente Dias Jacomini


Finalização:


Thiago Lucas e Vicente Dias Jacomini


Coordenação:


Andre Tartuce


A NISSIN FOODS DO BRASIL


é uma empresa do Grupo NISSIN FOODS e se consolidou no País como líder no segmento de macarrão instantâneo. Atualmente, fabrica 60 produtos para consumidores diretos no Brasil e 18 produtos para exportação. Com fábricas em Ibiúna (São Paulo) e Glória do Goitá (Pernambuco), investe sempre em boas práticas para satisfazer as necessidades de seus consumidores e melhorar continuamente seus produtos e serviços.

Beelieve Group celebra tres anos e se destaca por democratizar o marketing digital para pequenas e medias empresas


Beelieve Group celebra três anos e se destaca por democratizar o marketing digital para pequenas e médias empresas


Fundada em 2021, a Beelieve celebra a inovação e crescimento no marketing digital enquanto planeja expansão e novas conquistas


A Beelieve Group, fundada em 2021 pelo empresário Marcus Calixto e pelo sócio-fundador Thomas Berks, nasceu com o objetivo de democratizar o marketing digital. Desde sua criação, a Beelieve têm permitido que pequenas e médias empresas tenham acesso a uma agência digital completa por meio da Beelieve Digital.


Além disso, a empresa oferece oportunidades para que parceiros comerciais vendam e se estabeleçam em suas regiões através das franquias comerciais e promove a inserção de novos talentos no marketing digital com o projeto Profissionais do Futuro, da UNIBEE. Nos últimos três anos, a Beelieve enfrentou diversos desafios, incluindo a necessidade de se adaptar continuamente às rápidas mudanças tecnológicas e comportamentais do mercado de marketing digital.



“O mercado é altamente dinâmico, e precisamos ajustar constantemente nossas estratégias e serviços para atender às novas demandas e tendências”



, comenta Marcus Calixto. O rápido crescimento da empresa também trouxe desafios de gestão, como a necessidade de escalar operações, contratar e treinar novos colaboradores, expandir infraestrutura e garantir a qualidade dos serviços em meio a um aumento significativo da demanda. Além disso, a concorrência acirrada no setor exigiu que a Beelieve encontrasse maneiras de se diferenciar e oferecer valor único aos seus clientes.


Apesar dos desafios, a Beelieve Group alcançou metas significativas, como a expansão para novos mercados, o aumento do número de franquias comerciais, crescimento constante do faturamento e da base de clientes, e o lançamento de novos projetos. A inovação tem sido uma marca registrada da Beelieve no setor de marketing digital. A empresa utiliza inteligência artificial para otimizar campanhas de marketing, personalizar mensagens para públicos-alvo específicos e prever tendências de mercado, além de automatizar processos para garantir maior eficiência operacional.





“A personalização de campanhas e a adoção de tecnologias emergentes, como realidade aumentada, realidade virtual, chatbots e assistentes de voz, são algumas das formas como oferecemos experiências inovadoras e envolventes aos nossos clientes”



, destaca Calixto. Além disso, a Beelieve investe constantemente em pesquisa e desenvolvimento para acompanhar as tendências do mercado e desenvolver novas soluções e serviços que atendam às necessidades dos clientes.


Os planos futuros da Beelieve Group incluem a expansão nacional para atingir 90 franquias até o fim de 2024, o lançamento de novos produtos e serviços, a consolidação da marca como referência no setor de marketing digital e para novos mercados. A empresa também pretende fortalecer parcerias estratégicas e continuar inovando para atender às crescentes demandas dos clientes.


Até agora, a Beelieve já atendeu centenas de clientes, incluindo um caso de sucesso exemplar de uma empresa de comércio eletrônico que, com a ajuda da Beelieve, conseguiu aumentar significativamente suas vendas online através de campanhas de mídia digital altamente segmentadas e estratégias de otimização de conversão.



“Esse caso demonstra o impacto positivo que temos na transformação digital de nossos clientes e no alcance de seus objetivos de negócios”



, conclui o executivo.



Sobre a Beelieve Group






A Beelieve Group traz um ecossistema, composto por três verticais, com o propósito de democratizar o marketing digital. Pequenas e médias empresas passam a ter uma agência digital completa por meio do


Beelieve Digital


; parceiros comerciais


aumentam suas vendas e se estabelecem em suas regiões de atuação pelo


Beelieve Partners


e novos talentos ingressam no marketing digital através da


UniBEE,


com o projeto



Profissionais do Futuro



.








O Grupo foi fundado pelo empresário Marcus Kuntze Calixto, empreendedor com mais de 15 anos de experiência, 13 anos só no setor de Marketing Digital trazendo seu conhecimento na raiz da formatação de franquias, escala de vendas, expansão nacional e planejamento estratégico, e pelo Co-founder Thomas Berkes, que possui  ampla carreira no mercado financeiro, com atuação no Brasil e América Latina como investidor, membro de conselhos administrativos e cargos de alta gestão.








Essa junção trouxe grandes executivos e investidores para colocar em prática um dos projetos mais audaciosos no Marketing Digital, a Beelieve Group. O objetivo é promover empreendedorismo, educação, empregabilidade e resultados digitais em todo o Brasil.








Beelieve








Home









https://www.linkedin.com/company/beelieve-group/









https://www.youtube.com/@BeelieveGroup




10a edicao da ForMobile trara a presenca de 550 marcas expositoras


10ª edição da ForMóbile trará a presença de 550 marcas expositoras


Cerca de 15% estarão presentes na feira pela primeira vez

Considerada a maior feira do setor e principal evento da indústria de móveis e madeira da América Latina, a

ForMóbile

acontece entre os dias

02 e 05 de julho

, no São Paulo Expo. Com

550 marcas expositoras

e expectativa de receber

50 mil profissionais


do segmento

, a ForMóbile apresenta algumas marcas confirmadas para a 10ª edição.

Ponto de encontro essencial para marceneiros, indústrias, fornecedores e revendedores nacionais e internacionais, além de arquitetos e designers, a ForMóbile é o ambiente propício para oportunidades de negócios, permitindo que os participantes explorem as últimas novidades e tendências do mercado.

Ocupando cinco pavilhões do São Paulo Expo, com mais de 55 mil metros quadrados de área de exposição, a feira apresenta um crescimento de 10% em relação a edição anterior. “

E


m 2024, 15% dos expositores participarão pela primeira vez e a feira tem como característica que as empresas e marcas renovem sua participação em todas as edições, já que somos o principal evento do setor. Um dos grandes diferenciais da ForMóbile é o grande número de lançamentos, tanto de expositores que estão indo pela primeira vez, como dos já frequentes, sempre trazendo o que existe de mais atual no segmento

”, explica Tatiano Segalin, business manager da ForMóbile.

A 10ª edição da feira, que comemora os 20 anos da ForMóbile, trará 550 marcas expositoras em todos os setores da cadeia moveleira: máquinas e equipamentos, matérias-primas e insumos, ferragens, acessórios e componentes, serviços e soluções em tecnologias para a indústria moveleira, tecidos, espumas e componentes para colchões e estofados.



Entre os destaques, podemos citar a participação das empresas de painéis que estarão presentes em quase sua totalidade, como Berneck, Duratex, Greenplac, Guararapes, Sudati, Floraplac, Eucatex e Placas do Brasil. O segmento de tecidos, que teve um aumento significativo no número de marcas expositoras, além do setor de máquinas, que trará novidades incríveis lançadas durante a realização da feira e grandes marcas consolidadas e tradicionais no evento, como Homag, Giben, SCM, Biesse, Maksiwa, Nanxing, Razi, Inmes, Holz-her, Cefla entre outras

”, comenta Segalin.

Com expectativa de receber mais de 50 mil profissionais do setor, a ForMóbile promete quatro dias intensos de muito conteúdo qualificado, networking e negócios. “

Será a maior edição da ForMóbile dos últimos tempos, com um número expressivo de marcas participantes e visitação qualificada marcando a celebração dessa 10ª edição. Com o fim da pandemia estimamos um aumento significativo da visitação internacional, que busca na ForMóbile referências na cadeia produtiva moveleira

”, finaliza.

Faça seu credenciamento gratuitamente em

https://tinyurl.com/credenciamentoformobile


Sobre a ForMóbile

A ForMóbile se tornou uma plataforma de negócios completa para toda a indústria de móveis e madeira, nacional e internacionalmente, gerando negócios, relacionamentos e entregando conteúdo de qualidade em todos os ambientes: digital e físico, de forma sinérgica. Atualmente, possui um banco de dados qualificado, com mais de 100 mil contatos de profissionais do setor e diversos canais, como plataforma digital, site, redes sociais e uma ferramenta de conteúdo e negócios exclusiva, com a qual é possível promover marcas, lançar produtos, gerar leads e realizar ações personalizadas para obter um melhor retorno sobre investimentos, com mais foco e assertividade.

Para saber mais, acesse

www.formobile.com.br


Sobre a Informa Markets

A Informa Markets conecta pessoas e mercados por meio de soluções digitais, conteúdo especializado, feiras de negócios, eventos híbridos e inteligência de mercado, construindo uma jornada de relacionamento e negócios entre empresas e mercados 365 dias por ano. Presente em mais de 30 países, atua na América Latina há 27 anos, com escritórios no Brasil e no México, entregando anualmente mais de 30 eventos híbridos, 70 eventos digitais, portais de notícia e plataformas digitais de conexão e negócios.

Para saber mais, acesse

www.informamarkets.com.br


Oobj anuncia novo posicionamento de marca


Oobj anuncia novo posicionamento de marca


Com clientes como Outback, Coca Cola e McDonald’s, empresa é referência no Brasil em inteligência fiscal e transforma burocracia em inovação, gerando novas oportunidades de negócio



São Paulo, maio de 2024 —


A



Oobj



, referência no Brasil em inteligência fiscal, anuncia novo posicionamento de marca. Protagonizado por uma nova identidade visual e tom de voz, o rebranding comunica e fortalece o propósito inovador da empresa de transformar grandes volumes de informações fiscais e recorrentes atualizações legislativas em inteligência para apoiar as tomadas de decisões estratégicas de sua carteira de clientes.


“A gestão inteligente de documentos fiscais é o principal valor compartilhado pela nossa empresa. Na prática, esse movimento reflete o nosso propósito e capacidade operacional de transformar obrigatoriedades em oportunidades de inovação e crescimento. Acreditamos que uma identidade de marca sólida e coerente com nosso momento ajudará a nos conectar com os clientes como uma solução estratégica e impulsionará ainda mais nossa expansão”, avalia Hugo Ramos, CEO da Oobj.


A nova logomarca da Oobj possui tipografia em caixa baixa, com curvas e grafismo expandido, além de setas e um botão on-off para representar a ligação da empresa com os clientes e a multiplicidade de suas soluções. “Esses elementos evidenciam que se trata de uma empresa de tecnologia, para aproximá-la do nosso principal público, que é a comunidade tecnológica. O que é importante para reafirmar o nosso propósito no  mercado”, explica Danubia Borges, Gerente de Marketing da Oobj.


A executiva também destaca os elementos disruptivos da nova marca. “Ao mesmo tempo, a combinação das cores roxo, verde, azul marinho e cinza se opõem à paleta de cores comumente associada a este mercado, que geralmente opta por tons neutros. Com isso, deixamos a nova marca da Oobj mais humanizada e inovadora, refletindo o propósito de descomplicar as rotinas fiscais dos clientes”, esclarece. A fachada da sede da empresa, localizada em Goiás, ganhou um mural artístico assinado pelo artista plástico local Selon, projetando o ‘fazer diferente’ para fora da empresa, assim como se propõem as soluções da marca.



Franco crescimento



A Oobj faturou R$18 milhões em 2023 e projeta R$24 milhões para este ano. A empresa


emite cerca de 300 milhões de documentos fiscais eletrônicos por mês, com alta performance, segurança e compliance. Isso equivale a mais de 1 milhão


de NFs por hora e 580 documentos por segundo.


É o caso da Coca-Cola, que emite cerca de 15 mil NFSe (Nota Fiscal de Serviço eletrônica) por dia pela plataforma Oobj, para cerca de 32 mil clientes, distribuídos em 29 mil pontos de venda diretos e 1.600 pontos de venda indiretos em mais de 230 cidades brasileiras.


“Eles  enfrentavam o desafio de otimizar a emissão de suas notas com seus processos cotidianos. Consequentemente, isso afetava as vendas da empresa. Com a Oobj, a Coca-Cola conseguiu reduzir o tempo com autorização de DF-e, agilizar a entrega da mercadoria para os clientes, entregar um processo transparente na comunicação com a Secretaria da Fazenda e favorecer financeiramente a operação com a redução de horas extras e trabalhos manuais”, explica Hugo.



Com atuação em todo o território nacional, a empresa do Grupo E-Sales, sediada em São Paulo, Goiânia e Porto Alegre, comercializa um Software como Serviço (SaaS) para a emissão, o recebimento, o armazenamento e a análise de DF-e. Atualmente, a Oobj mantém cerca de 25 mil CNPJs ativos em sua base e possui clientes de variados segmentos, entre eles


Coca-Cola, McDonald’s, Telefônica e Outback.


“Temos muita história acumulada em mais de 15 anos de atividade. A decisão pelo rebranding considerou tanto o momento de expansão, apoiado na modernização do sistema tributário brasileiro, quanto em como transmitir toda nossa experiência, sem deixar de evidenciar que a inovação faz parte do nosso DNA”, comemora o empresário.



Sobre a Oobj



A



Oobj



é uma empresa brasileira que fornece inteligência de dados para o compliance dos documentos fiscais eletrônicos (DF-e) no mercado tributário. Com cobertura de todo o território nacional, a provedora comercializa


um Software como Serviço (Saas) para a emissão, o recebimento, o armazenamento e a análise de DF-e


(NFe, NFCe, SAT, MDFe, NF3e, CTe, NFSe e NFCom)


. Atualmente, a empresa emite cerca de 300 milhões de DF-e por mês, o que equivale a mais de 1 milhão


de NFs por hora e 580 documentos por segundo. A Oobj


mantém cerca de 25 mil CNPJs ativos em sua base e possui clientes de variados segmentos, entre eles


Coca-Cola, McDonald’s, Telefônica, Samsung, O Boticário e Outback.



A Oobj é pioneira no desenvolvimento de soluções para o Sistema Público de Escrituração Digital (SPED),


especialmente para Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) e Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e).


A empresa foi


criada em 2005 para o desenvolvimento do sistema receptor de NF-e da Secretaria da Fazenda de Goiás, cedido às SEFAZ de todos os estados brasileiros, tornando-se o sistema receptor oficial em diversos deles e referência nacional de soluções para Nota Fiscal Eletrônica.





Rodrigo Cabral



EDB Comunicação



rodrigo.cabral@edbcomunicacao.com.br




11 93013 3967


Eduardo Cosomano



EDB Comunicação



eduardo@edbcomunicacao.com.br


11 97272 5400


O que storytelling tem a ver com felicidade influencia e sucesso


James McSill mostra como contar histórias que emocionam e influenciam


Especialista em storytelling revela em novo livro o passo a passo para criar narrativas que viabilizam o sucesso nos negócios e na vida

Com mais de 40 anos dedicados à arte de contar histórias, o escritor, palestrante e empresário

James McSill

sabe como construir narrativas poderosas que emocionam, convencem e propiciam grandes conquistas. Agora, ele compartilha toda essa bagagem no livro

5 Lições de Storytelling: felicidade,


i


nfluência e


s


ucesso

, publicação da

DVS Editora

.

Por meio de conteúdo teórico e prático, o autor anglo-brasileiro decifra os códigos da literatura para revelar como aplicá-los no dia a dia em prol de realizações pessoais e profissionais. Aproveitando-se da destreza como romancista, McSill entrelaça seus ensinamentos com pequenos contos ao longo dos capítulos, ilustrando cada lição de forma tão didática quanto envolvente.

Formado em Letras, Administração Empresarial e Roteiro para Cinema, além de autor de mais de 25 obras de ficção e não-ficção, o especialista levou seus workshops, treinamentos e palestras à América do Norte, América Latina e Europa. Sua missão sempre foi possibilitar a capacitação de escritores para publicação e a sensibilização de empresas, líderes e organizações quanto aos benefícios do storytelling como instrumento de trabalho e transformação.

O novo título complementa a coleção “5 lições de storytelling”, que conta com os volumes “Fatos, ficção e fantasia”, “O best-seller” e “Negociação, persuasão e vendas”. Dessa vez

,

porém, McSill transfere a arquitetura de boas narrativas do papel para a realidade, oferecendo ferramentas para decodificar os elementos que as compõem e produzir histórias mais impactantes, que por si gerem felicidade e ajudem a ganhar autoridade por meio da influência.


Em cada


história


que nos inspira ao sucesso, há um tecido intricado de signos que criam universos tão vastos quanto a imaginação humana pode alcançar. As imagens criadas nos ensinam a decifrar esses universos, a entender como uma palavra ou um som podem evocar emoções profundas, mudar percepções e, em última instância, transformar vidas.


(


5 Lições de Storytelling: Felicidade,


i


nfluência e


s


ucesso


, p. 129)

Ao explorar os elementos fundamentais do storytelling, James McSill convida os leitores a mergulharem em uma jornada de autoconhecimento e transformação emocional. O objetivo é mostrar como criar escritos que alcancem não só metas externas, como uma melhor posição social ou emprego, mas também trabalhem as próprias narrativas internas, abrindo caminho para a cura emocional e o crescimento pessoal.


5 Lições de Storytelling: felicidade, influência e sucesso

reúne insights valiosos que vão desde a criação de relatos de origem que inspiram e motivam até a compreensão da estrutura textual que gera emoções positivas naqueles que as leem. Um conteúdo que explora ainda os benefícios da redação para persuadir e motivar o público a adotar novas perspectivas, mudar comportamentos e tomar decisões significativas em suas trajetórias.


Ficha técnica


Título:

5 Lições de Storytelling: Felicidade, influência e sucesso


Autor:

James McSill


Editora:

DVS Editora


ISBN

: 9786556951225


Páginas

: 240


Preço

: R$ 79,00


Onde encontrar

:

Amazon

,

Livraria da Vila

,

Leitura


Sobre o autor


James McSill

é um dos consultores de histórias (Story Consultant) mais bem-sucedidos do mundo e mais relevantes da atualidade, autor e conferencista, atua nas áreas empresarial, editorial e entretenimento. É anglo-brasileiro, trilíngue e linguista por formação, tem mais de trinta e oito anos de experiência. Fundador e diretor-executivo do McSill Story Studio (Reino Unido, Portugal, Brasil, Japão e EUA) e do McSill Story/ Transmédia Studio (Escócia), sempre foi pioneiro na indústria do livro e na consultoria de histórias, hoje estendendo-se a TV, Cinema, Teatro e parques temáticos.


Redes sociais do autor


Sobre a DVS Editora

Fundada em 2001, a DVS Editora se consolidou como referência no mercado editorial ligado à carreira, inovação e negócios, oferecendo conteúdo diferenciado sobre orientação pessoal e profissional. Ao longo dos anos, lançou dois novos selos: Abajour Books, literatura para o público adulto; e Catatau Livros Infantis, voltada ao público mirim. A editora segue com o objetivo de publicar e promover conteúdo criativo e inovador em busca do crescimento pessoal e profissional.


Redes sociais da editora



Para mais informações, entre em contato:



WhatsApp – (11) 99875-3676


Misael Freitas |
misael@lcagencia.com.br


Ana Paula Gonçalves |
anapaula@lcagencia.com.br


Luiza M. Pereira |
luiza@lcagencia.com.br


Fernanda Gomes assume como Head de Marketing da Zig The Global Funtech


Fernanda Gomes assume como Head de Marketing da Zig, The Global Funtech


São Paulo, 27 de maio de 2024 –

A Zig, líder em soluções para o mercado de entretenimento ao vivo, anuncia a chegada de Fernanda Gomes como Head de Marketing. Formada em Comunicação Social e pós graduada em Marketing, pela Fundação Armando Álvares Penteado, e com passagens pela TV Globo, ESPN, Ajinomoto e Unilever, a profissional chega para consolidar as estratégias globais da funtech, que continua sua expansão pelo mundo.

Para Fernanda, a indústria do entretenimento é fundamental na vida de todos. “

Estou super empolgada em fazer parte deste time inovador que vem transformando a experiência de consumo de muitas pessoas ao redor do mundo

”, afirmou Fernanda.


Sobre a Zig

É a primeira funtech com posicionamento para atuação global no mercado de entretenimento ao vivo. Com diferentes soluções de tecnologia, da venda de ingressos a pagamento cashless e ferramentas de gestão, a Zig traz aumento de vendas e eficiência operacional para eventos, arenas, restaurantes, bares e casas noturnas em 8 países.

Entre seus principais cases estão: Fórmula 1 GP do Brasil, Rock In Rio Brasil, Lollapalooza, João Rock, UFC, Olimpíadas 2016, Oktoberfest Blumenau, Rodeio de Jaguariúna, Ultra Brasil e México e parte das operações do Rock in Rio Lisboa, área VIP do Tomorrowland na Bélgica, além de bares e casas de shows como Espaço das Américas, Layback, Bar dos Arcos, Bar Brahma, Villa Country, Fazenda Churrascada e outros.


Bruno Athayde

brunoatos@gmail.com

(11) 98953-1486


Especialista da dicas de negociacao eficaz para vendedores


Especialista dá dicas de negociação eficaz para vendedores


A boa comunicação é a chave para o sucesso no fechamento das vendas

Definido como um processo, entre duas ou mais pessoas, que tem como intuito chegar a um acordo em que todas as partes fiquem satisfeitas, o ato de negociar é praticado desde os primórdios da humanidade e é tido por muitos como “uma arte”. Apesar do conceito remeter a transações comerciais, negociar faz parte do dia a dia do ser humano, o tempo todo, seja nos relacionamentos com familiares e amigos, seja no convívio com colegas de trabalho e vizinhos.

Em se tratando de vendas, a negociação é uma etapa importante e demanda do vendedor não somente habilidades específicas, mas também preparo prévio e um certo planejamento. Nesse contexto, a boa comunicação se faz necessária e exige que as partes entendam o que ouvem e se façam entender. Segundo a especialista em varejo, Flavia Mardegan, muitas vendas são perdidas nesta fase, causando frustrações aos envolvidos.

“A comunicação é um fator importante no processo de negociação, mas as pessoas não se dão conta disso”, afirma Flavia. Em seus cursos e palestras que ministra para grandes empresas de varejo, não é raro identificar o quanto os profissionais de vendas ainda precisam aperfeiçoar a sua capacidade de compreender e ser compreendido. Com mais de 28 anos de experiência na área, Flavia dá algumas dicas para que a negociação, através de uma comunicação fluida, leve ao fechamento de vendas.

Primeiramente, segundo a especialista, é importante que o vendedor faça perguntas – e ouça as repostas com atenção – durante todo o processo de vendas. Através delas ele poderá saber o que motivou o cliente a ir até a sua loja, se ele já passou em algum concorrente, o que ele deseja resolver com aquela compra e quanto está disposto a investir.

Um outro ponto que precisa de atenção é se tudo sobre o produto ou serviço foi comunicado ao cliente. Quanto mais o cliente ache que algo ficou subentendido, maiores são as chances de conflitos na hora da negociação. Alguns vendedores têm receio de informar algo que acreditam não ser de agrado do cliente e, para não perderem a venda, acabam omitindo informações importantes.

Por fim, Flavia orienta que os pontos de conflito sejam identificados. “Quando o vendedor se prepara para detalhes que possam surgir no fechamento da venda, ele vai mais seguro para a negociação. Caso o cliente queira um desconto a mais do que já foi acertado, por exemplo, ele já tem em mente qual solução será possível”, conclui.

*Flavia Mardegan é especialista em vendas, atendimento ao cliente, negociação, reestruturação empresarial e planejamento estratégico comercial, bem como em treinamento e desenvolvimento de competências e habilidades de equipes comerciais e técnicas com mais de 28 anos de atuação e de 22.000 pessoas impactadas com seu trabalho.



Desintoxicacao digital como o marketing pode evitar esse desgaste nos clientes


Desintoxicação digital: como o marketing pode evitar esse desgaste nos clientes?


Por Renan Cardarello

Em um tempo em que a maioria das pessoas está ficando estressada por conta da exigência de que suas empresas estejam online sempre que possível, seja para caso de emergência ou não, essas notificações constantes que recebemos a todo o momento em nossos celulares acabam fazendo com que muitas pessoas tenham um burnout e resolvam fazer uma um detox digital, evitando ao máximo seu tempo de exposição a telas durante seu dia a dia. Nesse cenário, existem algumas atitudes que o profissional ou empresas de marketing podem tomar caso notem que o nicho que certas companhias têm como clientes está começando a fazer essa limpeza mental.

Uma das possibilidades abertas para todos os profissionais de marketing digital é a aposta em anúncios que são de alta qualidade, deixando de ser aquele “mais do mesmo” que simplesmente faz uma promoção temporária para clientes e tenta trabalhar com base no gatilho de urgência ou escassez. Na prática, esses anúncios se referem às mensagens ou estratégias principalmente, e não ao visual. Por exemplo, algumas marcas que estão sendo afetadas por esse burnout por parte dos clientes podem começar a elaborar planos que envolvam a chamada para experiências em locais físicos.

E isso nos leva a outro ponto: o retorno das mídias offline como um ponto forte de contato com certos grupos de pessoas. No caso de haver uma constatação de que os usuários estão ficando menos ativos nas redes, as marcas podem voltar a apostar em formatos de anúncios que estão expostos no ambiente do dia a dia, dos quais, por mais que tentem, as pessoas dificilmente vão ignorar. Mas é claro, isso assumindo que os anúncios tenham sido planejados de modo a conversar especificamente com essa persona.

O terceiro ponto que precisa ser destacado seria a utilização da personalização nos anúncios para o nicho ou grupos específicos, que pode reforçar ainda mais o interesse dos alvos que foram definidos como possíveis clientes. Assim, somado à ideia de publicidades bem elaboradas, a personalização de públicos se apresenta como um dos possíveis contornos para lidar com essas pessoas que já estão fartas de pop-ups, mensagens, e-mails de spam e tudo mais que constitui a web e a atual conjuntura do marketing digital agressivo, que a todo momento busca a atenção do cliente, muitas vezes ignorando que algo que foi planejado para ser benéfico para a marca pode acabar se tornando uma experiência negativa para o usuário.

A união dessas três ideias relacionadas aos modos de tentar contornar indivíduos que estão na situação de cansaço com a web e tudo que está ligado a ela é essencial de ser atentada pelas empresas. Afinal, caso sejam muito insistentes na relação com o cliente, isso pode “queimar sua fita”, causando uma sensação de irritação no indivíduo por conta da constante exposição ao seu produto ou marca. Para lidar com esse tipo de persona que expõe sinais de estresse e cansaço quanto à web, simplesmente devemos ter a cautela de não tentarmos uma conversa unilateral que a pessoa não quer.


Renan Cardarello

é CEO da iOBEE, Assessoria de Marketing Digital e Tecnologia.

Sobre a

iOBEE

:


https://iobee.com.br/

Atuando de forma abrangente com serviços de Google Ads & Meta Ads, SEO, Redes Sociais, Inbound Marketing e mais, a iOBEE é uma assessoria de marketing digital e tecnologia, com serviços que atendem todas as áreas que são vitais para alavancar o faturamento das empresas.


Agencia Casa9 lanca treinamento de Comunicacao Inclusiva voltado a empresas


Agência Casa9 lança treinamento de Comunicação Inclusiva voltado a empresas


Com o objetivo de promover a diversidade e a inclusão no ambiente corporativo, a Casa9 Agência de Comunicação lança “Para todas as pessoas: Guia de Comunicação Inclusiva”, um treinamento para capacitar profissionais a se comunicar de forma mais respeitosa, criando um ambiente de trabalho seguro e acolhedor para os grupos minorizados.


Segundo um levantamento da consultoria Deloitte, 76% das empresas consultadas possuem hoje práticas ou áreas dedicadas à gestão da igualdade, diversidade e inclusão. “Existe uma demanda crescente por culturas organizacionais mais inclusivas. Mas percebemos, trabalhando há quase uma década com comunicação corporativa, que ainda há muita dificuldade na hora de se comunicar com um time quando ele é diverso. Por isso a ideia do treinamento”, explica Roberta Saviano, sócia da agência.


Ministrado pela jornalista Letícia Vidica, o guia trará conscientização sobre o que é diversidade e inclusão, desenvolvimento de habilidades de escuta ativa e empatia, e ajustes na linguagem para torná-la mais inclusiva. Isso além de um conteúdo sobre como promover uma comunicação respeitosa e não discriminatória, como aprimorar habilidades de liderança inclusiva e como fomentar uma cultura de trabalho que valorize as diferenças.


“O mundo está em constante transformação e a comunicação precisa acompanhar o ritmo.


Através deste guia, esperamos capacitar os participantes


a se comunicarem de forma eficaz e respeitosa em uma sociedade diversa, promovendo uma



“Para todas as pessoas: Guia de Comunicação Inclusiva” é indicado a empresas de todos os tamanhos e segmentos, e será oferecido tanto no formato presencial como online. Ele conta com duas versões: a completa inclui 10 horas de duração e fala de diversos grupos minorizados (Negros, LGBTI+, Mulheres, PCDs, Pessoas Idosas, Indígenas), enquanto a personalizada, com 6 horas, aborda um grupo minorizado específico que a empresa queira se aprofundar.


Mais informações no



site



.


Sobre a Casa9 Agência de Comunicação


Fundada em 2015, a Casa9 é uma agência boutique que tem como objetivo conectar pessoas, empresas e negócios à mídia, influenciadores e stakeholders. A agência tem uma equipe de estrategistas que promove uma comunicação inteligente e com propósito para fortalecer marcas e dar visibilidade a projetos de impacto na sociedade. Sob a direção de Carolina Capozzi e Roberta Saviano, ambas com longa experiência em redação, a equipe é formada por profissionais que veem na comunicação uma ferramenta fundamental para criar conexões e transformar negócios.


A Casa9 é ganhadora de dois prêmios Jatobá PR, o mais importante da comunicação corporativa do país, e já foi eleita uma das TOP 5 Agências de Comunicação da região Sudeste, em 2023.


A Relevancia da Comunicacao na Era da IA


A Relevância da Comunicação na Era da IA


8º Seminário Abracom/MG acontece no dia 11 de junho e tem vagas limitadas


Belo Horizonte, maio de 2024 –

A Inteligência Artificial evolui na contramão das incertezas e questionamentos sobre os impactos de um poder imensurável. Inicialmente vista como uma ameaça, hoje se consolida potencializando resultados. O horizonte de infinitas possibilidades que a IA descortina para a comunicação é o ponto focal do

8º Seminário Abracom/MG

, que propõe uma verdadeira imersão no equilíbrio entre automação e interatividade. O encontro com especialistas da área está marcado para o dia 11 de junho, terça-feira, das 13h30 às 19h, no Hotmart – Avenida Assis Chateubriand, 499, Floresta.

Em um caminho sem volta, a Inteligência Artificial avança com celeridade, derrubando paradigmas e se instaurando como mola propulsora do potencial criativo humano. Como aliada tecnológica, ganha os holofotes na cena da comunicação, remodelando formatos de compreensão, percepção e interpretação. Mas, para onde esse domínio de prompts sem limites tangíveis pode levar? Quais as ferramentas são necessárias para essa jornada rumo à urgência de conhecimento e informação? Quais os cenários desenhados para a comunicação diante dessa desafiadora e disruptiva presença?

Chegou a hora de refletir sobre esses e outros relevantes núcleos de interseção entre a comunicação e a Inteligência Artificial, mantendo o olhar atento sobre a aplicabilidade de uma ferramenta em constante atualização, que amplia e populariza o acesso democrático à informação. “A Semiótica Comunicacional da Inteligência Artificial Generativa e suas Consequências” abre o

8º Seminário Abracom/MG –


A Relevância da Comunicação na Era da IA,

com a palestra da pesquisadora do CNPq, Lúcia Santaella. Na sequência, o CTO da plataforma Dialog, João Gino, irá abordar a “IA na Prática”, e o Chief Artificial Intelligence Officer da Exame, Miguel Fernandes, irá apresentar as perspectivas sobre “O Futuro da Inteligência”.


Saiba mais sobre os palestrantes


MIGUEL FERNANDES

é Chief Artificial Intelligence Officer da Exame – Expertises, Tecnologia e Inovação. Fundador da Witseed e Inventos Digitais, possui 20 anos de experiência no setor. É conselheiro e investidor de startups de IA nos EUA, Índia, Portugal e Israel. Atualmente, coordena os maiores cursos de IA para negócios no Brasil pela Exame.


LUCIA SANTAELLA

é pesquisadora 1 A do CNPq, professora titular na pós-graduação em Comunicação e Semiótica e em Tecnologias da Inteligência e Design Digital (PUCSP). Doutora em Teoria Literária pela PUCSP e Livre-docente em Ciências da Comunicação pela USP. Fez doze estágios de pós-doutorado no exterior e foi professora e pesquisadora convidada em várias universidades europeias e latino-americanas. Já levou à defesa 285 mestres e doutores. Publicou 56 livros e organizou 33, além da publicação de quase 500 artigos no Brasil e no exterior. Recebeu os prêmios Jabuti (2002, 2009, 2011, 2014), o prêmio Sergio Motta (2005) e o prêmio Luiz Beltrão (2010).


JOÃO GINO

é CTO da Dialog, plataforma líder em comunicação interna e engajamento de colaboradores no Brasil. As principais linhas de pesquisa que desenvolve são relacionadas a redes de distribuição digital, inteligência artificial, smart media brands e comércio eletrônico. Nos últimos 20 anos, o especialista vem realizando projetos para diversas empresas públicas e privadas como Brastemp, Bradesco, Gol, Petrobras, Toyota, IBM, AES Eletropaulo, Sony, Pfizer e Enel Energia. João Gino é professor de diversos cursos de pós-graduação em entidades como FGV e IBMEC, além de atuar ministrando treinamentos nas áreas de business intelligence, e-commerce, marketing digital, governança de tecnologia da informação e gerência de tecnologias.


Sobre a Abracom


Serviço



8º Seminário Abracom/MG –



A Relevância da Comunicação na Era da IA



Data:


11 de junho, terça-feira



Hora:


das 13h30 às 19h



Local:


Hotmart – Avenida Assis Chateubriand, 499, Floresta.


Inscrições:

Seminario Abracom Minas


Associados (equipes das agências): R$ 120,00

Não associados: R$ 170,00

Estudantes: R$ 60,00



Assessoria de Imprensa

Nivia Carvalho

(31) 99724.0032 | (31) 99769.7451


4 Tendencias para seguir ainda este ano no marketing de influencia e creator economy


4 Tendências para seguir ainda este ano no marketing de influência e creator economy


Entenda como as marcas estão utilizando influenciadores e creators, a fim de aprofundar o relacionamento com seus consumidores


São Paulo, maio de 2024


– O mundo do marketing de influência e de creator economy está em contínua evolução, impulsionado pela junção entre tecnologia, cultura e as constantes mudanças no comportamento do consumidor. A internet e os influenciadores transformaram a maneira como as próprias marcas são construídas, por isso, é fundamental compreender as tendências que moldam o futuro dessas indústrias dinâmicas.


De acordo com uma pesquisa realizada no início do ano, pela Influencer Marketing Hub, mais de 85% das empresas entrevistadas dedicam um orçamento ao marketing de influência. No entanto, é fundamental estar atento às mudanças nas estratégias. As marcas estão repensando como se envolver com os consumidores, usando influenciadores e creators de maneiras mais confiáveis e aprofundando os relacionamentos, indo além da previsibilidade dos posts patrocinados.


De olho nesse movimento, Livia Carvalho, Head de Estratégia Digital da Road



,



agência referência em marketing digital, destaca


4 tendências no marketing de influência e creator economy, confira:


1 – Autenticidade:


o público está cético em relação à publicidade tradicional e busca conexões reais com as marcas. Por isso, a autenticidade é uma moeda de alto valor. As pessoas sabem que os criadores de conteúdo têm a liberdade de compartilhar opiniões honestas e transparentes, sem a pressão de vender um produto específico. Então, quando um criador fala sobre um produto ou serviço que ele realmente gosta e usa, os seguidores confiam nele, porque sabem que é baseada em experiências reais. Mais uma prova de que o público busca por transparência e veracidade, de acordo com estudo da Mind Miners, 47% dos entrevistados afirma que o que poderia melhorar nas publis dos influenciadores é eles provarem/testarem os produtos durante a publicidade.


2 – Estratégias multicanal:


os influenciadores e criadores estão expandindo sua presença em diversas plataformas, aproveitando as características únicas de cada uma para ter mais opções de monetização e alcançar públicos mais amplos e engajados.


No último ano, uma variedade de plataformas lançou mais de 10 maneiras distintas para monetização, teste de conteúdo e ampliação de alcance.


Os criadores estarão onde podem alcançar melhor seu público e serem monetizados, portanto, nenhuma plataforma está segura.


3 – Conteúdo em áudio:


o formato de podcast está crescendo rapidamente, com ouvintes chegando a 500 milhões em 2024, e, consequentemente, podcasts de influenciadores estão se tornando mais populares. Criadores de conteúdo veem o podcast como uma ferramenta que pode ajudá-los a se conectar mais com as pessoas, o que cria uma grande chance para as marcas. Ao fazer parcerias com podcasters, as marcas podem se conectar com um público ativo e dedicado, criando laços fortes com os ouvintes.








4 – Cocriação:


as marcas querem compreender melhor e se conectar com suas comunidades. O processo colaborativo com influenciadores e creators não apenas enriquece a identidade da marca, mas também proporciona insights valiosos que podem direcionar tomada de decisões e fortalecer o relacionamento com o público-alvo.


Recentemente, a marca de moda Pacsun lançou o “Pacsun Collective”, grupo de criadores de conteúdo, fotógrafos, estilistas e outros artistas selecionados para “co-criar o futuro da marca”, desde campanhas até peças. A Claire’s, outra marca focada em jovens, lançou também um coletivo criativo semelhante: o The Collab, uma plataforma de influenciadores para a Geração Z e Alfa que, segundo a marca, guiará sua estratégia criativa. Eles planejam consultar o coletivo sobre futuras campanhas, criando vitrines de lojas, eventos e conteúdo para as redes sociais. Já no Brasil, o creator Gabriel Sá ilustrou e dirigiu pelo segundo ano consecutivo a campanha de aniversário do Magalu.


Como observado, muitas marcas estão explorando parcerias genuinamente colaborativas com macro criadores. Em fevereiro, a Beleza na Web, e-commerce de beleza do Grupo Boticário, criou sua própria linha própria de maquiagem em colaboração com a influenciadora Nah Cardoso. O canal, já consolidado na categoria de cabelos, lançou a marca como uma estratégia para se diferenciar da concorrência. A linha já nasceu grande em awareness e força de marca, reforçando a credibilidade e autoridade que parcerias mais profundas com influenciadores trazem. Esse sucesso é resultado de um trabalho em conjunto desenvolvido desde 2022.








“A influência


não está mais vinculada ao número de seguidores, mas sim à capacidade de construir e manter uma comunidade engajada,”


reforça a especialista.


Uma pesquisa da BazaarVoice revelou que 72% dos consumidores não ligam para quantos seguidores um influenciador tem. Além disso, na lista  de motivos para dar unfollow, a “falta de engajamento com os seguidores” está nos principais.








O abandono de velhos conceitos vem aliado à busca por


narrativas genuínas e parcerias transparentes. Os influenciadores que mantêm a sua autenticidade enquanto divulgam mensagens das marcas têm maior probabilidade de promover a confiança e o envolvimento com os seus seguidores.


Sobre a Road





Fundada em 2017 no Rio de Janeiro, a Road, agência referência em estratégia digital, pertence ao grupo V3A e conta com mais de 100 clientes ativos com relevância nacional e internacional. A empresa possui plataformas de inteligência e banco de dados próprio para otimizar as estratégias dos clientes.



NR7 Full Cycle Agency


road@nr7.ag


ESPM recebe Festival Mundial de Publicidade de Gramado em formato excepcional para 2024


ESPM recebe Festival Mundial de Publicidade de Gramado, em formato excepcional para 2024


Em função da catástrofe climática no Rio Grande do Sul, o evento estende sua programação até o final do ano e realiza oficinas no campus da ESPM São Paulo


Um dos maiores eventos do setor publicitário no mundo, o Festival Mundial de Publicidade de Gramado, anuncia um novo formato para a realização da sua 24ª edição. O evento, que seria realizado em Gramado, de 22 a 24 de maio, terá agora uma parte da programação on-line e outra presencial, em São Paulo, no campus da ESPM, escola referência em Marketing e Inovação voltada para negócios.


“Após uma avaliação cuidadosa e reflexão diante dos desafios impostos pelas recentes tragédias no Rio Grande do Sul, chegamos à conclusão que não seria possível realizar o evento nos moldes tradicionais neste ano. No entanto, estamos comprometidos em manter nossa missão de transformar ideias em impactos reais, adaptando nossas atividades para continuar apoiando a comunidade e as vítimas das enchentes. Neste sentido, o festival adotará um formato inovador, diluindo as experiências que teríamos nos três dias em encontros ao longo do ano”, diz Andressa Martins, CEO do Festival.


Dentre as iniciativas previstas, no próximo dia 22 de maio será realizado um encontro dos speakers para produção de conteúdos sobre “Comunicação em Tempos de Crise”, que serão utilizados também para arrecadação de fundos para as vítimas das enchentes. Os materiais serão disponibilizados em tempo real nos Reels do festival. Participam dessa programação nomes como Gabi Lopes, atriz, produtora e criadora de conteúdo; Florence Scappini, vice-presidente de Vendas na OLX; Pipo Calazans, CEO da DM9; Leonardo Moura, fundador da Branded Content Brazil; Adriana Alves, diretora de Members Borders da FIESP; entre outros.


No dia seguinte, 23, serão realizadas na ESPM São Paulo três


oficinas presenciais e uma Mostra de Promo da Globo.  As oficinas serão destinadas para estudantes da ESPM. A Mostra Globo será aberta ao público com vagas limitadas e por ordem de inscrição pelo formulário online.


O Prêmio Galo de Gramado, celebração que homenageia a excelência na indústria criativa e que tradicionalmente é realizado no último dia do evento, em 2024 será entregue em uma cerimônia especial no final do ano, com local e data a serem definidos. As inscrições permanecerão abertas e os participantes poderão submeter seus cases por meio do site



https://galodegramado.com.br/



.


A organização do evento informou também que os ingressos já adquiridos valerão para a edição de 2025, com direito a um acompanhante gratuito. Para aqueles que desejam solicitar reembolso, foi disponibilizado um contato pelo e-mail


contato@festivalgramado.com.br



,


com prazo até 30 dias a partir de 22 de maio.


Confira programação inicial:


22 de maio


Local: transmissão pelo Instagram: @festpublicidade


Horário: 12h às 19h


Programação:


  1. ESG e as mudanças Climáticas


Palestra: Andrea Mendonça – Founder Lab.Real


  1. Comunicação como Estratégia de Impacto


Painel: Carola Videira – Empreendedora Social na Turma do Jiló; Adriana Alves – Member Borders Director – FIESP


  1. Novas tecnologias a favor de impactos reais


Palestra: Mauro Cavalletti – Fundador e Diretor Criativo na Bitnik


  1. Transformar Ideias em Impactos Reais


Painel: Pipo Calazans – CEO na DM9; Florence Scappini – VP de Vendas na OLX


  1. Ações de marca: propósito e solidariedade


Palestra: Leonardo Moura – Fundador da Branded Content Brazil


  1. Como conter danos e recuperar os negócios


Painel:  Carol Paiffer – CEO Atom;


  1. Como usar a influência para criar redes de apoio


Palestra: Gabi Lopes – Atriz / Produtora / Criadora de Conteúdo


*Outros nomes serão confirmados ainda nos próximos dias.


Sobre o Festival


O Festival Mundial de Publicidade de Gramado é um evento que reúne os principais nomes e tendências do mercado publicitário. Desde 1976, promove seminários, palestras, exposições e workshops sobre temas da publicidade e propaganda, sendo o terceiro maior evento do mundo na área em número de participantes, e o maior da América Latina.


Seu objetivo é estimular a criatividade, a inovação e a transformação na comunicação, conectando profissionais, estudantes, agências, marcas, influenciadores e produtores de conteúdo. A cada edição, um tema relevante para o cenário atual e futuro da publicidade é abordado, trazendo especialistas renomados e cases de sucesso. Para mais informações acesse



www.festivalgramado.com.br



/


contato@festivalgramado.com.br



.


Sobre a ESPM


A ESPM é uma escola de negócios inovadora, referência brasileira no ensino superior nas áreas de Comunicação, Marketing, Consumo, Administração, Economia Criativa e Tecnologia. Seus 12 600 alunos dos cursos de graduação e de pós-graduação e mais de 1 100 funcionários estão distribuídos em cinco campi – dois em São Paulo, um no Rio de Janeiro, um em Porto Alegre e um em Florianópolis. O lifelong learning, aprendizagem ao longo da vida profissional, o ensino de excelência e o foco no mercado são as bases da ESPM.



@azpressbrasil


Aline Zanchi


aline@azpress.com.br



/ (51)98141-2005


Bernardo Biavaschi


bernardo@azpress.com.br



/ (21) 99479-1617


NovaPR – ESPM


Adriana Tornero |


adriana.tornero@novapr.com.br



| 11 98712-3851


Flávia Nakamura | flavia.nakamura@novapr.com.br | 21 9 9831-9834


Joana Tchian | joana.tchian@novapr.com.br | 24 9 9964-9023


William Lara | william.lara@novapr.com.br | 11 9 4973-8477


Como a mídia DOOH está substituindo os outdoors estáticos na capital paulista

pandemic, billboard, be safe

Como a mídia DOOH está substituindo os outdoors estáticos na capital paulista

Em São Paulo, os painéis de LED viraram até atração turística

As cidades mais modernas do mundo utilizam painéis de LED em suas ruas e avenidas, o que torna os ambientes mais iluminados, modernos e até mesmo os transforma em pontos turísticos.

Na movimentada capital paulista, os painéis de LED são uma atração à parte. Ao percorrer as movimentadas ruas da cidade, é impossível não notar a presença marcante desses luminosos, que se espalham pela paisagem urbana, oferecendo uma exibição moderna e dinâmica que certamente chama a atenção. Além disso, eles ocupam o lugar dos antigos outdoors estáticos, que costumavam poluir visualmente as ruas, proporcionando agora uma experiência visual mais agradável e contemporânea.

“Os outdoors estáticos foram barrados na capital paulista pela Lei Cidade Limpa, que pretende transformar São Paulo, reduzindo a poluição visual e abrindo espaço para a adoção dos modernos outdoors digitais”, lembra Danniel Xavier, CEO da LED Expert, startup especializada no segmento de painéis de LED em alta resolução.

Danniel Xavier

O especialista recorda que essa mudança não só trouxe uma nova estética para o ambiente urbano, mas também abriu portas para formas mais dinâmicas e interativas de publicidade ao ar livre. Os DOOH (Digital Out of Home) não apenas captam a atenção das pessoas de maneira eficaz, mas também permitem que as marcas se comuniquem de maneira criativa e impactante, conectando-se melhor com o público-alvo em um mundo cada vez mais digitalizado.   

“A DOOH alcança as pessoas em locais de grande circulação e visibilidade, onde o público está ativo e receptivo a mensagens publicitárias, como ruas, avenidas, praças, parques e até estabelecimentos comerciais, como shoppings e lojas. Dessa forma, empresas aproveitam para promover seus produtos, novidades e serviços, já que a tecnologia oferece uma abordagem visual limpa, dinâmica, moderna, conectada e rentável”, explica.

O CEO da LED Expert explica de cada um desses benefícios:

Rentabilidade

Em geral, o custo-benefício das mídias OOH é bastante vantajoso, mesmo para pequenas empresas. Segundo dados da revista Forbes, o retorno para cada dólar investido em mídia Out of Home gira em torno de US$5,97 em receita. E as vantagens desse tipo de publicidade vão muito além de um atraente ROI (Retorno Sobre Investimento).

A mídia externa é a terceira forma de publicidade que recebe mais investimento no Brasil. De acordo com um relatório da Research and Markets, o segmento de digital out of home é previsto para movimentar aproximadamente US$ 54,83 bilhões em todo o mundo até 2030.

Além disso, enquanto as peças estáticas limitam a divulgação a uma única campanha, a tecnologia permite a veiculação de várias simultaneamente, resultando em mais oportunidades de receita e uma maior flexibilidade na comunicação com o público-alvo.

“No outdoor estático, de papel, é possível anunciar um cliente por mês ou a cada quinze dias. Já com um telão outdoor de LED, é possível anunciar muitos clientes de uma vez só, podendo faturar até 50 vezes mais. Isso proporciona um retorno muito superior ao investimento, comparado, por exemplo, a quem investe no setor imobiliário, por exemplo”, explica Danniel Xavier, CEO da LED Expert.

Dinâmico

O estudo Insider OOH chegou a conslusão de que os brasileiros mais são impactados por esse tipo de mídia, revelando que 93% dos entrevistados indicaram que os anúncios de mídia exterior em formato digital chamam mais a atenção do que os de mídia tradicional.

Outro insight da pesquisa mostra que 81% das pessoas admitem que gostam de ver anúncios de mídia exterior/OOH em formatos digitais.

“Ao substituir um Outdoor Estático (OOH) pelo painel digital Outdoor (DOOH) na comunicação visual, o negócio tende a obter mais resultados”, afirma Danniel Xavier.

Moderno

As peças estáticas contam apenas com cores e formatos para chamar a atenção dos clientes, enquanto os painéis de LED oferecem brilho, movimento e cores vibrantes, tornando praticamente impossível passarem despercebidos. Esse impacto visual é fundamental para atrair a atenção do público e garantir que a mensagem seja vista e lembrada.

Limpo e Durável

Enquanto os outdoors estáticos demandam tempo e dinheiro para a produção de lonas e instalação, os painéis de LED oferecem uma solução mais prática e rápida, sem a necessidade de reimpressões.

Além disso, enquanto os outdoors estáticos costumam utilizar vinil, que é mais suscetível a danos causados por fatores externos como vento forte, chuva intensa e desgaste natural, resultando em uma vida útil mais curta e custos adicionais de manutenção e substituição, os painéis de LED são projetados para resistir a condições climáticas adversas e são à prova d’água. Isso os torna altamente duráveis e confiáveis em ambientes externos sujeitos a intempéries, poluição e outros elementos ambientais, contribuindo para a preservação do meio ambiente.

Conectado

Os painéis digitais se destacam como ferramentas versáteis pela sua capacidade de adaptação e funcionalidades avançadas. O CEO da LED Expert explica que os painéis digitais são equipados com controladoras que permitem acesso remoto, seja via Wi-Fi ou pen drive. Essa funcionalidade possibilita enviar vídeos à distância, ajustar a intensidade da tela, programar o desligamento automático e definir os horários de ligar e desligar o aparelho conforme necessário.

Mais informações

.

Como as redes sociais se tornaram um novo canal de vendas

woman, face, social media

Como as redes sociais se tornaram um novo canal de vendas

Com uma experiência atraente, as redes vão além do entretenimento e podem ser um espaço importante para conquistar clientes e vender, no chamado social commerce

Oferecendo uma experiência diferenciada, com imersão e uma jornada mais simples, o social commerce vem crescendo no Brasil. Abraçado por consumidores e empresas, é uma excelente forma de comercializar uma grande variedade de produtos, muitas vezes com o apoio de influenciadores. Como as redes sociais são um dos espaços preferidos para encontrar ideias e sugestões de presentes, além de lançamentos e dicas de utilização, elas se tornam cada vez mais um grande espaço de vendas.

Para entender este cenário, o Brasil tem hoje 150 milhões de usuários de redes sociais, o que representa mais de 70% da população. De acordo com previsões do Brazil Social Commerce Market, o social commerce deve crescer a uma taxa média de quase 40% ao ano entre 2022 e 2028 com um faturamento anual de quase US$ 16 bilhões. O Brasil está cada vez mais se aproximando da China, que foi precursora do social commerce. Segundo dados da Insider Intelligence e eMarketer, 51,3% dos consumidores que compram no online no país devem adotar as compras nas redes em 2024. Na China, o percentual é de 56,2%.

Andrea Rios, especialista em vendas e marketing, fundadora da Orcas e professora convidada no MBA da Fundação Getúlio Vargas, explica que o consumidor brasileiro tem curiosidade em experimentar novidades em termos de tecnologia. “Redes sociais como Facebook, Instagram e, principalmente, o TikTok, atraem os mais jovens com uma linguagem atraente e direta para esse público. Elas também são canais de vendas”.

A especialista dá dicas para aproveitar o potencial do social commerce:

1 – Invista no live commerce

Um exemplo de estratégia para os mais jovens nas redes é o chamado live commerce, que é realizado por meio de lives e vídeos ao vivo. “Esta modalidade de compra oferece muitas vantagens para as empresas. Ele acelera a conversão do consumidor porque as vendas ao vivo são muito envolventes e divertidas. Para quem busca lançamentos e sugestões, é o ideal”, explica a especialista.

2 – Ofereça cupons e explore o senso de urgência

Para incentivar as compras, é comum oferecer descontos e fazer ofertas. Vale a pena explorar o senso de urgência, com cupons únicos e descontos oferecidos naquele momento. Em datas importantes para o varejo, como Dia dos Namorados, Natal e Black Friday, estas são estratégias ideais.

3 – Invista em influenciadores e na experimentação de produtos

As redes sociais são muito procuradas para conhecer produtos. Por isso, a dica é investir em influenciadores. Ter pessoas dando ideias de presentes e testando itens é uma boa ideia. “É uma estratégia interessante para atrair clientes em potencial para experimentar produtos, sobretudo entre as gerações mais jovens. Por isso, vale a pena investir em influenciadores para demonstrar produtos, fazer tutoriais combinando diferentes itens, incentivando a compra de mais de um produto, por exemplo”, explica Andrea. Ela ressalta que não é necessário investir nas grandes estrelas das redes, já que as ações com micro e nanos influenciadores muitas vezes são mais efetivas.

4 – Aposte na tecnologia

As tecnologias de realidade aumentada e inteligência artificial são grandes aliadas do social commerce. Investir nestas novidades ajuda a permitir a experimentação virtual de produtos, fornecer recomendações personalizadas e aprimorar a experiência oferecida. Este tipo de tecnologia pode ajudar em outros aspectos, inclusive em vendas B2B. “O live commerce, por exemplo, pode servir de apoio para marcas que vendem por meio de consultoras, como é o caso da Natura e da Mary Kay”, afirma Andrea Rios.

5 – Tenha uma estratégia bem definida

Para investir no social commerce, a especialista indica que as marcas façam uma estratégia cuidadosa, levando em consideração uma série de fatores, como analisar a melhor plataforma para fazer uma live, formas de mensurar os resultados e verificar a audiência. É fundamental investir em marketing e divulgação do que está sendo feito. “É importante apostar em newsletters, notificações, contagem regressiva e uma série de outras estratégias”, explica.

As soluções de social commerce se desenvolveram muito e hoje existem plataformas que permitem um relacionamento direto com o cliente, seja por comunicação via chat ou humanizada com vídeo ao vivo. “Com a aceleração das tecnologias de IA generativa, em breve o relacionamento poderá ser feito com a ajuda de chats inteligentes, caso seja essa a preferência do cliente. O fato é que essa modalidade de compra deve crescer cada vez mais e fazer parte da rotina das empresas e consumidores”, conclui.

Professor-influenciador: com internet, profissional conquista remuneração e qualidade de vida melhores

ai generated, woman, interaction

Professor-influenciador: com internet, profissional conquista remuneração e qualidade de vida melhores

No digital, se reconectam à essência do ensino, com mais dignidade; no Dia da Educação, conheça 4 perfis que levam conhecimento sem fronteiras e veja dicas para alcançar sucesso

O baixo piso salarial do professor brasileiro é uma discussão que atravessa gerações. Com o último reajuste do Ministério da Educação (MEC), o valor aumentou para R$ 4.580,57, um crescimento de 3,62% em relação a 2023. Em um país em que o salário-mínimo ideal é de R$ 6,5 mil, segundo pesquisa do Dieese, é preciso procurar alternativas para complementar a renda e viver melhor. Nessa busca, muitos professores encontram na internet oportunidades que são raras na vida real. E acabam trocando a sala de aula física pelas redes sociais e outras plataformas digitais. 

Apesar dos desafios de deixar a CLT para trás e apostar no trabalho autônomo, há professores que transformam a audiência em alunos e seguem atuando na área, com mais liberdade e conforto. Com milhares de seguidores, professores conquistam independência e, em alguns casos, até criam suas próprias escolas. Confira! 

1. Paulo Jubilut (Biologia)

Um dos percursores em transformar o YouTube em sala de aula, Jubilut começou na internet em 2011 após ser demitido de uma escola. Com o aumento das visualizações, decidiu oficialmente investir em seu trabalho como “edutuber”, e em 2013 abriu a escola on-line Biologia Total, que hoje se tornou o Aprova Total, plataforma que ajudou mais de 11 mil alunos na aprovação no Sisu e outros vestibulares nos últimos dois anos. Em 2022, a edtech recebeu um investimento do empresário bilionário Flávio Augusto da Silva, fundador da Wise Up. 

Com mais de 3 milhões de inscritos só no YouTube e mais de 800 mil seguidores no Instagram, Jubilut segue compartilhando em suas redes sociais conteúdos de utilidade pública. Recentemente ele lançou o JubilutCast no Spotify. Em suas publicações, aborda principalmente o universo da biologia para quem deseja se manter atualizado sobre meio ambiente e está se preparando para ingressar no ensino superior. 

 2. Bruna Martiolli (Literatura)

Com apenas 27 anos, Bruna compartilha o amor pela literatura com seus mais de 700 mil seguidores distribuídos no TikTok, YouTube e Instagram. A professora ensina táticas para aderir ao hábito da leitura e, principalmente, como formular pensamentos críticos sobre o conteúdo. 

Bruna também mostra os bastidores de suas aulas, do planejamento à criação dos materiais. Além de trabalhar para instituições de ensino remotamente, também organiza aulas e workshops on-line para seus seguidores-alunos participarem. Apenas no curso de Introdução aos Estudos Literários ela acumula mais de 500 estudantes. 

 3. Noslen (Português)

Professor de Língua Portuguesa com mais de 19 anos de experiência em docência, Noslen é o criador do maior canal no YouTube de ensino dessa disciplina, com mais de 4 milhões de inscritos. 

Além dos conteúdos que buscam facilitar o aprendizado de regras gramaticais e ortográficas, Noslen desenvolveu o Clube do Noslen. A plataforma ensina português voltado para o Enem e concursos. Nos últimos 5 anos, mais de 30 mil alunos foram impactados. 

 4. Debora Aladim (História)

Debora viralizou na internet ao criar um método inédito para fazer uma redação. Começou a gravar vídeos em 2013 para ajudar os colegas de sala com as provas e se tornou um das principais youtubers de educação do Brasil. Atualmente a professora de História acumula mais de 5 milhões de seguidores na internet. 

Reconhecida por abordar assuntos da matéria de forma divertida, Debora se tornou muito procurada para publis, assumindo o papel de embaixadora de marcas como Samsung, Quero Educação, Energético TNT e Oi. 

Como transformar as redes sociais em sala de aula? Professor Jubilut, com mais de 5 milhões de seguidores, compartilha dicas   

A era da informação digital exige que os professores se reinventem e explorem novas formas de alcançar seus alunos. Docentes migram suas salas de aula para o espaço virtual com o intuito de encontrar uma nova fonte de renda. Jubilut começou publicando vídeos sobre biologia na internet e hoje é fundador do Aprova Total, plataforma de educação que em 2021 recebeu um aporte da Wiser, holding fundada por Flávio Augusto da Silva, um dos maiores empresários brasileiros.  

Confira as dicas valiosas de Jubilut para ajudar outros professores a terem sucesso no mundo dos influenciadores da educação. 

  1. Conheça seu público-alvo:

O ponto de partida é definir com clareza para quem você deseja ensinar. São estudantes do ensino fundamental, médio, superior ou público em geral? Essa escolha direciona todo o seu conteúdo, desde a linguagem utilizada até a seleção de temas e formatos. 

  1. Domine as plataformas digitais:

Com o público em mente, explore as redes sociais que melhor se conectam com ele. Comece com poucas plataformas para se familiarizar com seus mecanismos e expandir gradativamente seu alcance. 

  1. Seja autêntico e transparente:

Crie uma biografia clara e objetiva nos seus perfis, apresentando-se como professor e especificando o público-alvo, as disciplinas e os objetivos do seu conteúdo. Deixe sua personalidade brilhar e torne-se a sua marca registrada. 

Dica extra: O bom humor sempre foi uma das maiores ferramentas do professor Paulo Jubilut, então utilize essa poderosa ferramenta social. 

  1. Planeje-se para o sucesso:

Antes de publicar seu primeiro conteúdo, crie uma trilha inicial, definindo os temas, formatos (vídeos, textos, podcasts) e a frequência das postagens. Essa organização garante um fluxo de conteúdo consistente e de alta qualidade. 

  1. Aposte em conteúdos relevantes e envolventes:

Ofereça dicas de estudo, resumos de matérias, soluções de exercícios, curiosidades e muito mais. Utilize recursos visuais atrativos, como imagens, vídeos e animações, para prender a atenção do público. 

  1. Interaja com seus alunos:

Responda comentários, tire dúvidas, promova debates e incentive a participação ativa dos seus seguidores. Crie uma comunidade engajada onde o aprendizado seja uma experiência colaborativa. 

  1. Colabore com outros influenciadores:

Faça parcerias com outros professores influentes para ampliar seu alcance e trocar experiências. Juntos, vocês podem criar conteúdo inovadores e impactar ainda mais alunos. 

Professor-influenciador: com internet, profissional conquista remuneração e qualidade de vida melhores

No digital, se reconectam à essência do ensino, com mais dignidade; no Dia da Educação, conheça 4 perfis que levam conhecimento sem fronteiras e veja dicas para alcançar sucesso

O baixo piso salarial do professor brasileiro é uma discussão que atravessa gerações. Com o último reajuste do Ministério da Educação (MEC), o valor aumentou para R$ 4.580,57, um crescimento de 3,62% em relação a 2023. Em um país em que o salário-mínimo ideal é de R$ 6,5 mil, segundo pesquisa do Dieese, é preciso procurar alternativas para complementar a renda e viver melhor. Nessa busca, muitos professores encontram na internet oportunidades que são raras na vida real. E acabam trocando a sala de aula física pelas redes sociais e outras plataformas digitais. 

Apesar dos desafios de deixar a CLT para trás e apostar no trabalho autônomo, há professores que transformam a audiência em alunos e seguem atuando na área, com mais liberdade e conforto. Com milhares de seguidores, professores conquistam independência e, em alguns casos, até criam suas próprias escolas. Confira! 

1. Paulo Jubilut (Biologia)

Um dos percursores em transformar o YouTube em sala de aula, Jubilut começou na internet em 2011 após ser demitido de uma escola. Com o aumento das visualizações, decidiu oficialmente investir em seu trabalho como “edutuber”, e em 2013 abriu a escola on-line Biologia Total, que hoje se tornou o Aprova Total, plataforma que ajudou mais de 11 mil alunos na aprovação no Sisu e outros vestibulares nos últimos dois anos. Em 2022, a edtech recebeu um investimento do empresário bilionário Flávio Augusto da Silva, fundador da Wise Up. 

Com mais de 3 milhões de inscritos só no YouTube e mais de 800 mil seguidores no Instagram, Jubilut segue compartilhando em suas redes sociais conteúdos de utilidade pública. Recentemente ele lançou o JubilutCast no Spotify. Em suas publicações, aborda principalmente o universo da biologia para quem deseja se manter atualizado sobre meio ambiente e está se preparando para ingressar no ensino superior. 

 2. Bruna Martiolli (Literatura)

Com apenas 27 anos, Bruna compartilha o amor pela literatura com seus mais de 700 mil seguidores distribuídos no TikTok, YouTube e Instagram. A professora ensina táticas para aderir ao hábito da leitura e, principalmente, como formular pensamentos críticos sobre o conteúdo. 

Bruna também mostra os bastidores de suas aulas, do planejamento à criação dos materiais. Além de trabalhar para instituições de ensino remotamente, também organiza aulas e workshops on-line para seus seguidores-alunos participarem. Apenas no curso de Introdução aos Estudos Literários ela acumula mais de 500 estudantes. 

 3. Noslen (Português)

Professor de Língua Portuguesa com mais de 19 anos de experiência em docência, Noslen é o criador do maior canal no YouTube de ensino dessa disciplina, com mais de 4 milhões de inscritos. 

Além dos conteúdos que buscam facilitar o aprendizado de regras gramaticais e ortográficas, Noslen desenvolveu o Clube do Noslen. A plataforma ensina português voltado para o Enem e concursos. Nos últimos 5 anos, mais de 30 mil alunos foram impactados. 

 4. Debora Aladim (História)

Debora viralizou na internet ao criar um método inédito para fazer uma redação. Começou a gravar vídeos em 2013 para ajudar os colegas de sala com as provas e se tornou um das principais youtubers de educação do Brasil. Atualmente a professora de História acumula mais de 5 milhões de seguidores na internet. 

Reconhecida por abordar assuntos da matéria de forma divertida, Debora se tornou muito procurada para publis, assumindo o papel de embaixadora de marcas como Samsung, Quero Educação, Energético TNT e Oi. 

Como transformar as redes sociais em sala de aula? Professor Jubilut, com mais de 5 milhões de seguidores, compartilha dicas   

A era da informação digital exige que os professores se reinventem e explorem novas formas de alcançar seus alunos. Docentes migram suas salas de aula para o espaço virtual com o intuito de encontrar uma nova fonte de renda. Jubilut começou publicando vídeos sobre biologia na internet e hoje é fundador do Aprova Total, plataforma de educação que em 2021 recebeu um aporte da Wiser, holding fundada por Flávio Augusto da Silva, um dos maiores empresários brasileiros.  

Confira as dicas valiosas de Jubilut para ajudar outros professores a terem sucesso no mundo dos influenciadores da educação. 

  1. Conheça seu público-alvo:

O ponto de partida é definir com clareza para quem você deseja ensinar. São estudantes do ensino fundamental, médio, superior ou público em geral? Essa escolha direciona todo o seu conteúdo, desde a linguagem utilizada até a seleção de temas e formatos. 

  1. Domine as plataformas digitais:

Com o público em mente, explore as redes sociais que melhor se conectam com ele. Comece com poucas plataformas para se familiarizar com seus mecanismos e expandir gradativamente seu alcance. 

  1. Seja autêntico e transparente:

Crie uma biografia clara e objetiva nos seus perfis, apresentando-se como professor e especificando o público-alvo, as disciplinas e os objetivos do seu conteúdo. Deixe sua personalidade brilhar e torne-se a sua marca registrada. 

Dica extra: O bom humor sempre foi uma das maiores ferramentas do professor Paulo Jubilut, então utilize essa poderosa ferramenta social. 

  1. Planeje-se para o sucesso:

Antes de publicar seu primeiro conteúdo, crie uma trilha inicial, definindo os temas, formatos (vídeos, textos, podcasts) e a frequência das postagens. Essa organização garante um fluxo de conteúdo consistente e de alta qualidade. 

  1. Aposte em conteúdos relevantes e envolventes:

Ofereça dicas de estudo, resumos de matérias, soluções de exercícios, curiosidades e muito mais. Utilize recursos visuais atrativos, como imagens, vídeos e animações, para prender a atenção do público. 

  1. Interaja com seus alunos:

Responda comentários, tire dúvidas, promova debates e incentive a participação ativa dos seus seguidores. Crie uma comunidade engajada onde o aprendizado seja uma experiência colaborativa. 

  1. Colabore com outros influenciadores:

Faça parcerias com outros professores influentes para ampliar seu alcance e trocar experiências. Juntos, vocês podem criar conteúdo inovadores e impactar ainda mais alunos. 

Danone escolhe Tugarê para reposicionamento da marca Nutridrink

danone nutridrink ana maria braga

Danone escolhe Tugarê para reposicionamento da marca Nutridrink

Agência é responsável por campanha no ambiente digital, com Ana Maria Braga como embaixadora da marca

Amadurecer com vitalidade, saúde e bem-estar. Esse não é apenas o mantra de uma parcela significativa da população cada vez mais atenta aos cuidados com o corpo e mente, mas também a proposta da Tugarê HCC – agência especializada em comunicação para a área de healthcare – para a campanha de reposicionamento do Nutridrink, linha de suplementos nutricionais da Danone para a geração 50+. A ação conta com Ana Maria Braga como embaixadora da marca e protagonista das peças para a marca.

Segundo Mark de Szentmiklósy, CEO da Tugarê, Nutridrink tem como desafio ser reconhecido pela população 50+ como o suplemento alimentar que colabora para o dia a dia dessas pessoas que precisam de mais energia, disposição e força para manter a vitalidade em alta. “O posicionamento envolve estratégia para duas frentes. Em uma delas, a criação teve foco concentrado em deixar esses atributos claros na percepção do consumidor final. Já a outra comunicação foi direcionada a falar com profissionais de saúde, pois a recomendação de médicos especialistas em seus consultórios também é fundamental para os produtos da linha”, conta.

A agência desenvolveu uma comunicação digital, compreendendo ações em redes sociais e site da Danone, além de material de PDV para farmácias de grandes redes e peças voltadas à mídia out-of-home. A campanha também conta com ações de collab no perfil do Instagram da Ana Maria Braga. A campanha tem foco inicial no consumidor final, com peças mostrando os benefícios do Nutridrink: mais força e mais imunidade. A veiculação seguirá até junho de 2024.

Essa campanha marca o primeiro movimento de comunicação da Danone para o Nutridrink diretamente com os consumidores. As ações anteriores eram voltadas exclusivamente a médicos, como geriatras e nutricionistas. Estabelecer essa conexão da marca com o público 50+ demanda uma referência incontestável para mostrar que eles fazem parte de uma geração com vitalidade e energia para viver em toda sua plenitude. “Nesse sentido, trouxemos Ana Maria Braga que, além de conversar com esse universo, explora ao máximo tudo o que a vida pode oferecer. Contar com ela como embaixadora fortalece muito a construção de awareness da marca, atrelando Nutridrink à Danone”, explica o CEO.

Segundo ele, outro ponto importante é a sinergia entre a marca e sua, agora, embaixadora. Ela mesma faz parte do público 50+ e possui vitalidade para enfrentar um cotidiano bastante intenso, com gravações, rotina do trabalho, família, netos, etc.

Clique nos links para assistir aos filmes: “Receita de Vitalidade”, “Tô Cansada” e “Collab”.

Ficha técnica
Anunciante: Danone
Produto: Nutridrink
Título: Tô Cansada, Receita de Vitalidade e Collab
Agência: Tugarê
Direção de Criação: Ovídio Ferreira
Criação: Gerson Vecchi e Tânia Hubner
Atendimento: Joslaine Santos e Ana Luíza Lima Santos
Diretora de Atendimento|Contas: Neide Stoicov Bastos
RTVC: Marcelo Souza
Trilha: Mushroom
Produtor áudio: Marcos de Cunto / Locução: Graça Cunha
Produtora: Conteúdo Urbano
Direção: Dupla “UsBrô” (Conrado Vidal e Vinicius Ribeiro)
Aprovação: Odrian de Oliveira

5 Tendências de Engajamento do Cliente no Brasil

5 Tendências de Engajamento do Cliente no Brasil

Por Marcela Klein*

Todo ano, a Twilio faz uma pesquisa mundial para entender o mercado de tecnologia, engajamento do cliente e CX. E esse ano, seguindo a tendência de 2023, AI está presente nas principais estratégias de comunicação e vai, finalmente, ser o grande diferencial ao criar experiências individualizadas para o cliente final.

Além da percepção dos consumidores, a Twilio também coleta informações de profissionais em diferentes países, incluindo Brasil, México e Colômbia, em cargos de liderança nas áreas de Serviços Financeiros, Varejo, Saúde e Setor Público. Aqui, você vai encontrar alguns dos resultados dessa pesquisa com as principais tendências da America Latina, e principalmente, aprender como gerar um impacto positivo na sua organização através das plataformas de engajamento do cliente e AI.

1 – O uso de IA pode melhorar muito o engajamento do cliente.

O que parecia tendência a alguns anos atrás, e ficou mais próximo da realidade em 2023, está cada vez mais real e concreto nas estratégias de comunicação. No Brasil, expressivos 84% das empresas reportaram que já estão usando AI para personalizar conteúdos e campanhas de Marketing. Na Colômbia esse número é de 77% e México 70%, um valor mais alto do que outros países como Estados Unidos, com 65% e Espanha 62%.

E o resultado já pode ser visto. No Brasil, 40% dos profissionais entrevistados falam que o uso de AI está impactando positivamente a receita da empresa. No México, esse número é de 30% e na Colômbia 31%. Olhando para países como Estados Unidos e Índia, com empresas líderes globais, podemos ver que a América Latina está na direção certa. Cerca de 33% dos profissionais americanos entrevistados também relatam ganhos financeiros com uso de AI.

2 – A proteção dos dados do cliente é fundamental para manter a confiança.

A Inteligência Artificial também tem um impacto significativo em como as empresas estão lidando com temas de privacidade de dados, fraude, segurança digital.

Quando o assunto é gestão de risco ou fraude, o Brasil lidera o ranking de todos os países entrevistados. 78% dos entrevistados afirmam usar AI para essa finalidade, seguindo por Itália com 77%, e Hong Kong com 75%. No México esse número é de 71% e na Colômbia 66%. Comparando tal uso aos entrevistados norte-americanos, que é de 65%, vimos que os países da América Latina já estão na liderança quando o ponto é garantir manter a confiança nas suas empresas. 

Com o aumento das fraudes no mundo digital, e a necessidade de manter dados seguros, muitas empresas estão enfrentando o desafio de garantir a segurança na sua plataforma, sem necessariamente comprometer uma boa experiência para o seu cliente. No Brasil, 49% dos entrevistados afirmaram que esse tema é um atual ponto de atenção, assim como no México com 46% e Colômbia com 36%. 

A pressão dos consumidores em geral, para garantir que as empresas estejam prontas para gestionar seus dados primários, pode comprometer que algumas empresas percam seus clientes caso haja riscos de fraudes e falhas de segurança. Isso faz com que as empresas tenham que se preparar para lidar com um alto volume de dados ao mesmo tempo, mantendo a atenção em como facilitar a interação com seus clientes.

3 – Algumas marcas não querem abrir mão dos cookies de terceiros.

Sim. Todos sabemos quão importante os cookies foram e são para as estratégias de Marketing Digital e remarketing. E com a chegada do fim da era dos cookies de terceiros, muitas empresas precisam repensar como criar os mecanismos de atingir seu cliente ideal. O relatório mostra que as marcas mundialmente não estão prontas para esse novo momento.

De todos os países que fizeram parte da pesquisa, a maioria está dividida quando o assunto é a dependência de dados vindo de cookies de terceiros, em comparação com first-party data. As marcas brasileiras dizem que 48% da sua estratégia de marketing é dependente de first-party data, e 52% de dados de terceiros.

Porém, o cenário das empresas brasileiras é mais animador, já que 90% dos entrevistados consideram ter um bom conhecimento do perfil dos seus clientes, o que indica estarem mais preparados para a necessidade de uma alta personalização no engajamento com o cliente. 

4 – Os consumidores mais jovens querem melhores experiências digitais.

Sabemos que foram os mais jovens que impulsionaram o uso da tecnologia e são eles que demandam mais inovação das empresas que interagem.

Os consumidores da Geração Z (pessoas nascidas entre 1990 e 2010) e da geração Y (nascidos entre 1980 e início dos anos 90) desejam que quase 70% de suas interações com as marcas sejam digitais, em comparação com os baby boomers (nascida entre 1945 e 1964), com 59%.

E isso porque as gerações mais velhas têm menos utilização das tecnologias como parte do seu dia a dia, além de terem muitas dúvidas em relação à IA e à privacidade de dados. Sua interação com marcas no mundo digital é menor do que a de gerações mais novas. 

Para esses, a personalização é primordial. E eles não esperam nada menos do que isso das empresas. 70% dos membros entrevistados da Geração Z e Y afirmam que deixariam de comprar de uma marca se ela não oferecesse um nível de personalização desejado.

E o palco para essa personalização é onde as interações acontecem: nos canais de atendimento. WhatsApp foi e ainda é o grande precursor do atendimento digital e personalizado, que se faz presente especialmente nos países da América Latina.

De acordo com a pesquisa “Brasil: Usuários do WhatsApp 2023, por geração” da Statista, no Brasil, 41% dos usuários do WhatsApp são Millennials. Já para os usuários da geração X representam 28% e Y, 26%, enquanto nas faixas etárias mais avançadas, esse número cai para apenas 5%.

Segundo a Meta, para melhorar a experiência do cliente é preciso garantir que as mensagens de atendimento ao cliente sejam enviadas no momento certo, tenham contexto e tenham relevância para aquela audiência.

E a experiência digital dos clientes tem forte impacto nas visitas a lojas físicas e impacto nas vendas. Segundo relatório da Meta “O cliente da geração Z” 82% da Geração Z usaram recursos online para fazer pesquisas sobre uma marca antes de entrar em uma loja física. 71% dos compradores da Geração Z usam tecnologias da Meta como fonte para inspiração e descoberta de produtos.

Sendo assim, cada vez mais as marcas precisam fornecer uma boa experiência para seus clientes nos canais digitais criando um relacionamento de longo prazo e ajudando a construir uma base de consumidores leais.

5 – As marcas precisam preencher o gap da experiência do cliente

Quando o tema é entender de verdade as necessidades dos clientes, as empresas têm um grande desafio. Isso porque, com todos os avanços tecnológicos e consequentemente, culturais que vivemos, todos nós estamos constantemente mudando nossas preferências, gostos e hábitos.

No Brasil, 60% das empresas relataram que as mudanças de preferências dos seus clientes é um grande desafio para conseguir manter um nível de CX desejado pela sua audiência, comparado com a resposta das empresas Norte Americanas, de 42%.

Uma das questões mais emergentes no mundo de engajamento do cliente nos últimos anos – e principalmente no Brasil pela potência do WhatsApp como canal de mensagem – são os novos canais de atendimento. Estar atento às tendências e as demandas dos clientes nesse ponto passou a ser uma prioridade para a maioria das empresas que querem estar presentes e disponíveis onde seus clientes também estão.

Ao serem perguntados qual é a prioridade para melhorar o engajamento ao cliente em 2024, 60% das respostas dos entrevistados brasileiros disseram é adicionar canais de contato com o cliente, seja por web chat, SMS, social media ou WhatsApp. O segundo item na lista de prioridades é implementar assistentes virtuais com IA e a terceira prioridade é oferecer recomendações relevantes de produtos e ofertas.

*Marcela Klein é gerente de produtos sênior da Twilio.

Live marketing é o caminho para atrair Geração Z ao seu negócio!

Crowd Dances in Blue Painted Enclosure

Live marketing é o caminho para atrair Geração Z ao seu negócio!

*Por Bruna Alves, gerente de marketing na Alive Brand

Empresas modernas estão cada vez mais focadas em criar uma conexão com o público mais jovem. No marketing de ativação, a ideia central não busca apenas vender um produto, mas também estabelecer uma relação duradoura com seus consumidores. E quando falamos de uma geração que valoriza experiências, festas e festivais se tornam o cenário perfeito para essas ações que vem ganhando cada vez mais espaço.

Um estudo da Forrester Research revela que investimentos feitos por marcas em experiências inovadoras têm uma percepção de marca 1,6 vezes maior do que as que usam estratégias tradicionais. Além disso, a pesquisa mostra que a retenção de clientes é quase o dobro mais eficaz quando essas ações são adotadas.

Empresas que entendem essa dinâmica tendem a investir em ativações para atrair o seu público-alvo. Seja através de espaços interativos, brindes personalizados ou ações digitais que incentivam a participação nas redes sociais, o objetivo é sempre criar uma relação positiva com a marca. Diferente das gerações passadas, os jovens valorizam experiências acima de tudo. Eles buscam autenticidade, querem sentir que fazem parte de algo maior. 

O que é o marketing de ativação?

O marketing de ativação é basicamente sobre fazer as pessoas se envolverem diretamente com uma marca ou produto, criando experiências que as incentivem a agir, como participar de eventos ou experimentar produtos. É como uma forma divertida de tornar uma marca mais conhecida e fazer com que as pessoas queiram comprar seus produtos. Um exemplo disso são os estandes patrocinadores presentes em festivais como Tusca, LollaPalooza, The Town e Rock in Rio.

A estratégia se destaca por alcançar o consumidor 5.0 –  aquele que valoriza a personalização, a experiência e espera que as marcas ofereçam algo além do produto ou serviço.

Por que essa estratégia é importante para as empresas? 

A publicidade tradicional já não tem o mesmo impacto sobre o consumidor 5.0. Esse grupo procura autenticidade e marcas que demonstram entender suas necessidades. Empresas investem em live marketing para permanecerem presentes na mente de seus consumidores e potenciais clientes, evitando serem esquecidas. Elas focam em construir relações fortes com seu público através de conexões emocionais e sensoriais.

Além disso, a sustentabilidade é um ponto a ser considerado. Esse público se preocupa com o impacto de suas ações no mundo. Logo, marcas que demonstram compromisso ambiental e social se destacam. Seja através de copos reutilizáveis nos eventos ou apoio a causas maiores.

Posição estratégica e sua relação com o público-alvo 

É essencial que os eventos sejam relevantes em todos os aspectos e em todos os locais onde ocorrem. Isso significa que a experiência oferecida no bar deve ser tão enriquecedora quanto a vivenciada em outros espaços do evento. Pesquisas, como a da Bain & Company, ressaltam a importância de cultivar relacionamentos com os clientes, indicando que um aumento de 5% na retenção pode resultar em um incremento de 25% nos lucros.

Priorizar o entretenimento na experiência do consumidor: No cenário pós-pandemia, os consumidores demandam experiências de entretenimento envolventes e interativas. É fundamental que as marcas abandonem abordagens convencionais e busquem destaque pela criatividade, proporcionando experiências que de fato se conectam com o público. 

Em meio à influência das redes sociais, investir em ativações de marca é uma estratégia para gerar conteúdo autêntico. Uma experiência desse tipo é frequentemente compartilhada pelo público, ampliando o alcance da marca.

Globo Esporte e Brasilux estreiam “GE na Lata”, projeto inédito de conteúdo

globo esporte brasilux

Globo Esporte e Brasilux estreiam “GE na Lata”, projeto inédito de conteúdo

Ação de conteúdo “GE na Lata” anuncia os jogos do Brasileirão com desafio entre torcedores dos times que se enfrentam em cada rodada

O “GE na Lata” é uma cocriação inédita da EPTV com a marca de tintas Brasilux – Crédito: Divulgação

Na semana em que o Globo Esporte comemora um ano de produção local na EPTV, afiliada Globo no interior paulista e sul de Minas Gerais, e um aumento de 59% de audiência na região de São Carlos, o programa estreia o “GE na Lata”, um quadro com ação de conteúdo idealizado em parceria com a marca de tintas Brasilux. Com 24 ações programadas, o quadro acompanha o calendário do Campeonato Brasileiro, um dos principais do futebol nacional, destacando a cada rodada no programa anterior a ela. 

No “GE na Lata”, dois torcedores dos times que se enfrentarão em cada rodada do Brasileirão participam de um desafio em uma loja parceira da Brasilux: eles devem responder a um quiz de três perguntas e acertar um chute “na lata” de tinta que está em um gol. Quem fizer a maior pontuação conquista o troféu “Na Lata”. Além de ativar os jogos do campeonato, a brincadeira incentiva a interação entre os torcedores e abre espaço para os torcedores apaixonados pelo esporte representarem seu time no interior de São Paulo. O quadro será exibido nas cidades de cobertura da EPTV das regiões de Ribeirão Preto e São Carlos às terças e sextas anteriores aos principais jogos do Campeonato Brasileiro. 

Para Caio Maciel, gerente de marketing de produtos do Grupo EP, uma ação de merchandising é o “golaço” no plano de mídia das marcas. “O público busca pelo conteúdo nos programas. Com a ação, a marca se insere de forma orgânica na conversa e acaba impactando o público enquanto ele está envolvido com a reportagem. O conteúdo de qualidade, que é a essência da TV, segue sendo o principal, mas a marca também está ali, em uma cocriação entre EPTV e Brasilux”, afirma. 

O quadro é gravado em lojas parceiras da Brasilux em Ribeirão Preto (SP) e São Carlos (SP) – Crédito: Divulgação

O “GE na Lata” é o resultado de uma colaboração multifacetada que combina a expertise jornalística do Globo Esporte com o desejo da Brasilux por um produto exclusivo. Desenvolvido em uma parceria estreita, que inclui a agência Motor Propaganda, o marketing da Brasilux e a equipe de marketing da emissora, o projeto foi criado para refletir as identidades tanto da marca quanto do programa. Esta iniciativa, descrita como um esforço “a seis mãos”, exemplifica um modelo de trabalho conjunto que busca integrar e otimizar as competências de cada parte envolvida.

Mirela Jabur, gerente de marketing da Brasilux, lembra que a customização é essencial para ser autêntico na comunicação. “Você tem que levar em consideração o que o cliente quer e precisa. O ‘GE na Lata’ é um projeto adaptado especialmente para as nossas necessidades. Nosso objetivo com ele é fortalecer o relacionamento da marca entre as lojas participantes e atingir nosso consumidor, gerando engajamento e conexão emocional, a partir de uma experiência que fica na memória do participante”, diz.

“O projeto vem para solidificar um novo quadro no GE e conquistar um grande impacto e número de impressões via QR Code para o cliente, além de gerar o máximo de reconhecimento de marca para o público de esporte”, completa Caio Maciel.

A EPTV é a primeira afiliada Globo do interior a produzir localmente o programa Globo Esporte. Segundo a Kantar Ibope Media, o programa alcançou, no ano de 2023, 1,6 milhões de telespectadores por semana, representando um aumento de audiência em todas as regiões: +18% em Campinas (set 23 vs 22), +11% em Ribeirão (23 vs 22), +59% na Central (23 vs 22). Nos últimos 12 meses, de acordo com o Google Trends, os usuários que pesquisaram esportes, também pesquisaram Globo Esporte, com aumento de 750% na frequência de pesquisa em comparação com o mesmo período do ano passado.

Sobre o Grupo EP

O Grupo EP é formado por um conglomerado de empresas de comunicação fundado pela família Coutinho Nogueira em Campinas (SP) há 43 anos, com atuação nas regiões de Campinas, Ribeirão Preto, Central e Sul de Minas Gerais.

As empresas de mídia do Grupo EP incluem a EPTV, afiliada da Rede Globo, sites Globo (g1 e ge), acidade on, Tudo EP, rádios CBN, EP FM e Jovem Pan, OA Eventos, EP Painéis (Mídia OOH) e participação societária na Rede Bahia.

O conglomerado de mídia alcança mais de 12 milhões de telespectadores e representa 7,39% do consumo de todo o país (Fonte: Cobertura EPTV 2023 / IPC Maps 2023).

Redes sociais: @negocios.ep

Marketing personalizado: como utilizar em produtos especiais?

4-estrategias-de-trade-marketing-que-nao-devem-cair-no-esquecimento

Marketing personalizado: como utilizar em produtos especiais?

Renan Cardarello

Na atual conjuntura da era do marketing em que estamos (5.0), a ideia de trabalhar com itens generalistas não funciona para a maioria das empresas de E-Commerce que começam seus negócios, tendo, na maioria das vezes, que apostar em produtos de nichos para que consigam um público que as marcas “gigantescas” acabam deixando para trás. Nesse sentido, alguns tópicos são interessantes para os futuros empreendedores que têm interesse nessa área – dentre eles, a personalização no marketing.

Começando pelo marketing e sua personalização: segundo um estudo divulgado pela Adobe Experience Cloud Blog, foi indicado que 71% dos consumidores têm expectativas de que as marcas apresentem interações personalizadas nessa relação de troca de mensagens que o cliente x marca possui. O dado corrobora com outra pesquisa do Google, a qual expunha o fato de que mais da metade dos consumidores estadunidenses dizem que têm interesse em verem anúncios personalizados quando estão em um processo de compra.

Sabendo que as pessoas, hoje, valorizam bastante a customização das mensagens das marcas a serem recebidas por elas, temos outro fator que é importante ao assunto: o do NFT, ou Non Fungible Token. Sua ideia é disponibilizar artigos na web que são únicos, de forma que as pessoas que os compram se tornam donas oficiais das imagens ou arquivos, sendo as únicas a poderem utilizá-las oficialmente.

Dessa forma, o indivíduo, ao comprar um desses tokens, torna-se proprietário de uma peça única na internet. E olha… Isso causou um boom gigantesco no cenário de 2021-2022, tanto que figuras públicas como Neymar chegaram a entrar na onda e a gastar, aproximadamente, R$ 6 milhões em um NFT. Hoje, ele vale cerca de R$ 1 milhão. Vale comentar que dentro do cenário de games, alguns jogos virtuais foram construídos e lançados especificamente para lucrar a partir de estratégias voltadas para esses itens.

Outro fato da atualidade é a redução nas campanhas voltadas à massa e o crescimento do número das que visam mover o indivíduo, conversando com ele e entendendo suas dores e desejos. É claro que as veiculações em massa também possuem força, mas isso vem perdendo momentum ao longo dos anos. Em seu lugar, temos visto a afinidade pelas personalizadas crescendo.

Com isso, quero chegar à seguinte conclusão: o momento para as marcas apresentarem um marketing personalizado para produtos personalizados está chegando. Iniciativas como a Nike By You, onde os clientes podem montar seus pares de tênis com a customização de algumas cores em cada parte deles, até mesmo modificando o padrão no solado, estão destinadas ao sucesso.

É complexo, contudo, fazer um marketing preditivo anos antes das mudanças que veremos na sociedade e do modo de consumo acontecerem – mas, apesar disso, ao se basear nos dados que estão sendo exibidos por grandes grupos, a customização de produtos se tornará, minimamente, um nicho extremamente vantajoso a ser explorado por várias pequenas empresas em um futuro próximo.

Renan Cardarello é CEO da iOBEE, Assessoria de Marketing Digital e Tecnologia.

Pesquisa revela que 75% dos consumidores já compraram um produto de beleza após divulgação por um influenciador

Pesquisa revela que 75% dos consumidores já compraram um produto de beleza após divulgação por um influenciador

Brasil tem mais de 50 mil influenciadores no segmento de beleza e skin care, constata plataforma da Influency.me

São Paulo, abril de 2024 – Pesquisa realizada entre janeiro e fevereiro deste ano pela Influency.me, empresa especializada em marketing de influência, ouviu mais de 150 pessoas e destaca importância de influenciadores no segmento de beleza. Dos respondentes, 75% já adquiriram um produto de beleza após assistirem a uma publicidade feita por influenciador. 

Influenciadores de beleza são aqueles que, no nicho de cuidados pessoais, apresentam cuidados com a pele, com o corpo, cabelos, unhas e afins. No total, o País tem 744 mil influenciadores

“O segmento de beleza e skin care é um dos mais robustos dentro da influência digital, com uma grande oferta de criadores de conteúdo para todos os estilos e gostos. Considerando somente os influenciadores especializados no tema, são mais de 50 mil na plataforma Influency.me. Se considerarmos influenciadores que falam de outros assuntos e, também, beleza, o número é ainda maior”, explica Rodrigo Azevedo, CEO da Influency.me. 

Formatos de publicidade 

A maior parte dos respondentes (60%) afirma preferir conteúdos mostrando a rotina de cuidados pessoais com sua opinião sobre os produtos. Dentro desse público, formatos como “maquia e fala” e “arrume-se comigo” são os favoritos pelo público. “Ao seguir um influenciador com quem você se identifica, sua opinião sobre um novo produto pode ser o diferencial entre comprá-lo ou a procurar outro produto”, destaca Azevedo. 

Na sequência de publis preferidas pela audiência estão aquelas disfarçadas (não parecem publi), com 12% dos votos. Nesse formato, apesar de existir uma hashtag informando que o conteúdo é patrocinado, não fica claro que se trata de uma promoção de produto. Geralmente, o influenciador insere o cosmético em seu dia a dia e o utiliza com naturalidade. 

Onde procurar informação? 

Na hora de buscar informações sobre um produto de beleza, a maior parte dos respondentes (39%) afirma pesquisar nas redes sociais e site oficial da marca. As buscas por vídeos no YouTube e TikTok correspondem a 25% das pesquisas sobre o produto, e geralmente foram produzidos por influenciadores de beleza. 

“As redes sociais são fonte de informação sobre produtos de beleza de variadas formas. Influenciadores de beleza podem atuar no Instagram, YouTube, Tiktok etc. e existe público para todas as redes. Cada tipo de conteúdo é adequado para um momento de interesse do consumidor e as plataformas se complementam”, explica o CEO da Influency.me 

Você segue marcas? 

O que leva você a seguir uma marca nas redes sociais? Para a maior parte dos respondentes (42%), o principal motivo é se a marca trouxer dicas e tutoriais sobre como usar os produtos. Em segundo lugar (25%), a principal razão é se a marca tiver um posicionamento com o qual se identifique.  

Em terceiro lugar na preferência do público (21%) estão informações sobre descontos e promoções. “As estratégias nesse nicho costumam ser somadas, o que incluem ativações em mais de uma rede social, com influenciadores que conversem com diversos públicos e mais de um tipo de campanha. O influenciador pode apresentar o produto em um primeiro momento, inseri-lo em sua rotina de cuidados pessoais e, depois, oferecer desconto para quem utilizar seu cupom”, exemplifica Rodrigo Azevedo, CEO da Influency.me. 

Em busca de soluções 

Para a maior parte dos respondentes (40%), a principal razão que os leva a acompanharem publicidades até o fim são lançamentos que, ao mesmo tempo resolvem problemas, explicam como o produto funciona de forma simplificada e ensinam a utilizá-lo. De forma complementar, tutoriais e produtos que ensinem a aplicar os produtos também são muito bem recebidos pelo público. 

“O universo da influência digital é amplo e, no segmento de beleza, esse cenário é ainda mais diversificado. Influenciadores que dialogam com seu público transmitem credibilidade, pois a audiência se sente inserida em seu dia a dia. Ou seja, se o influenciador utiliza determinado produto e sua pele se mantém visivelmente saudável, é sinal de que posso comprá-lo, também”, conclui o CEO. 

Grupo brasileiro lidera envios de SMS no Brasil com cerca de 6 bilhões por ano

sms-ele-ainda-e-um-canal-estrategico

Grupo brasileiro lidera envios de SMS no Brasil com cerca de 6 bilhões por ano

Além de encabeçar as mensagens curtas, o Grupo Ótima Digital também é responsável por 10 bilhões de ligações telefônicas roteadas no País. 

O Grupo Ótima Digital (GO Digital), um dos maiores distribuidores de mensageria do Brasil, superou, em 2023, a marca de 5,7 bilhões de envios de SMS (Short Message Service). Com isso, em apenas 12 meses alcançou a liderança no serviço. Além das mensagens curtas, foi responsável por 10 bilhões de ligações roteadas no Brasil. Especializada em infraestrutura e gestão de telecomunicações para os setores público e privado, tem operações em países da América do Sul, Europa e África, é homologada pela ANATEL (Agência Nacional de Telecomunicações) e broker oficial das operadoras para SMS e RCS, além de business partner do Google e Meta.

A companhia faz parte da concorrida indústria de Plataformas de Comunicação como Serviço, as CPaaS (em inglês, Communications Platform as a Service), um mercado global que, segundo a consultoria Mordor Intelligence, deve fechar 2024 com um faturamento de US$ 16,34 bilhões e atingir US$ 61,59 bilhões até 2029. Para se destacar nesse cenário, O Grupo Ótima aposta no aperfeiçoamento e humanização da integração

“Nosso propósito é aproximar e acelerar a comunicação entre empresas e seus consumidores por meio de uma experiência intuitiva e omnichannel. E isso só é possível, pois nossas soluções, como chatbot, SMS, RCS, e-mail ou agentes virtuais, são desenvolvidas, integradas e mantidas com mão-de-obra e tecnologias totalmente proprietárias”, destaca o CEO do Grupo Ótima Digital, Thiago Oliveira Silva. Especialista em comunicações unificadas, redes digitais e lógica de programação, Silva, além de ter pilotado o acesso à tecnologia de voz por IP, nos anos 2000, teve participação direta na ampliação do mercado de comunicação no País.


Segundo o executivo, é com base no tripé tecnológico ‘telecomunicações, SaaS e Inteligência Artificial’ – algo que somente alguns players de CPaaS possuem – que os produtos e soluções do Grupo Ótima Digital chegam a mais de 300 empresas em todo Brasil e também no mercado internacional, com um forte diferencial frente à concorrência. “Em nosso mercado, são poucos que conseguem oferecer as três camadas de serviço que possuímos e essa é uma vantagem competitiva significativa, pois assegura elevados níveis de operação, fundamentados em segurança, infraestrutura e conformidade regulatória”, destaca Silva.

Aceleração – A trajetória do Grupo Ótima teve início em 2001 quando o negócio era dedicado à revenda de serviços VoIP. Quatro anos depois, já havia desenvolvido e implantado seu primeiro provedor de voz sobre IP com plataforma exclusiva. Não demorou para que a expansão e cobertura de ligações para a América Latina e Europa fosse uma realidade. Mas foi entre 2010 e 2015 a grande virada.

Nesse curto espaço de tempo, a Ótima lançou a plataforma O2Cloud para call centers e operadoras IP nacionais, conquistou as outorgas SCM e STFC da ANATEL e, em 2015, a vertical de inteligência artificial foi acelerada pela Universidade de Berkeley (EUA), o que possibilitou o desenvolvimento de diversos produtos que tem como base o algoritmo proprietário para a geração de microsserviços, utilizados na criação e aprimoramento de personas digitais de voz e texto, como agentes virtuais e chatbots.

Nos últimos anos, o Grupo apresentou a nova versão da plataforma 360º para comunicação omnichannel, foi reconhecido broker oficial das operadoras para SMS e RCS e, mais recentemente, anunciou sua nova marca e posicionamento, integrando todas as suas verticais. “Nós nos preparamos no passado para hoje trazermos essa abordagem inovadora que nos coloca no patamar de referência em soluções de comunicação. Temos uma infraestrutura robusta e integrada, que conta com SMS, RCS, WhatsApp, e-mail, Webchat e assistentes virtuais, todos baseados em IA”, explica o CEO.

Expansão – Com sede em São Paulo (SP) e filiais estrategicamente localizadas em Ituverava (SP), Bauru (SP), Florianópolis (SC) e Curitiba (PR), a empresa planeja expandir suas operações e estabelecer uma sede física também no México, até 2025, dando vasão os negócios que já mantém com a América Latina. “Estamos mapeando oportunidades para estar ainda mais próximos dos clientes e continuar contribuindo com soluções cada vez mais inovadoras”, finaliza.

Mais de 10% da população brasileira é da Geração Z, e mercado aposta nesse público

young people, group, friends

Mais de 10% da população brasileira é da Geração Z, e mercado aposta nesse público

Consumo consciente, busca por experiências e engajamento em redes sociais compõem características desses nativos digitais; no Brasil, passa de 21,1 milhões o número de habitantes na faixa etária de 15 a 29 anos

De acordo com o último censo do IBGE, a população brasileira entre 15 e 29 anos passa de 21,1 milhões. É nessa faixa etária que está a Geração Z, composta por pessoas que nasceram entre os anos de 1997 e 2010. Ela corresponde, portanto, a mais de 10% dos 203 milhões de habitantes do país. São adolescentes e jovens, em regra, iniciando-se ou já iniciados no consumo. São estudantes, universitários, recém-formados, ou em busca de colocação na carreira e de experiências outras.

Não à toa, o mercado aposta nesse público. O Relatório de Economia Bancária, do Banco Central, mostra que em uma década cresceu em 50% o número de contas bancárias abertas por jovens entre 15 e 24 anos. Os bancos digitais, que emergiram nesse período, aproveitaram essa expansão, afinal a Geração Z é constituída de nativos digitais, portanto, ambientada às tecnologias da informação e comunicação.

Em artigo em que avalia o comportamento da Geração Z, o Sebrae classifica esse público como “mais atento financeiramente”. Também, muito preocupado com o consumo sustentável. “É uma geração que entende e sabe que precisa lidar com problemas climáticos”, informa o texto. “Isso faz com que sejam consumidores mais exigentes. Eles não querem apenas um produto, mas uma experiência e querem sentir que o valor pago é justo e valeu a pena.”

A instituição também destaca o engajamento da Geração Z em redes sociais digitais. Tanto que esse público dispensa buscadores convencionais (como Google) para realizarem suas pesquisas nas próprias redes – TikTok e Instagram são as mais utilizadas para isso. “Cerca de 40% da Geração Z optam pelo TikTok ou Instagram na hora de fazer uma pesquisa por produto ou estabelecimento”, afirma o material.

Nesse sentido, empresas que lançam mão da tecnologia, mas principalmente concatenadas que os anseios da Geração Z, tendem a melhor se relacionar com esse público. Isso quando elas próprias, essas empresas, não são criadas por integrantes de tal geração.

É o caso, por exemplo, da Cheers, uma universitech – plataforma que conecta universitários – fundada em Curitiba, e que hoje atende atléticas e outras entidades estudantis de cursos superiores de instituições de todo o país. Criada em 2018, já ultrapassou a marca de 1 milhão de universitários impactados.

A startup nasceu para, fornecendo soluções tecnológicas, auxiliar as entidades estudantis na organização e gestão dos eventos que promovem para seu público. Vendas de ingressos, controle das finanças e, principalmente, conexão com os universitários estão entre as funcionalidades proporcionadas. Eventos, como festas e atividades técnicas, competições esportivas e até a preparação e treinamento dos atletas e equipes têm gestão auxiliada pela plataforma e aplicativo.

A empresa tem a meta de triplicar de 1 milhão para 3 milhões o número de universitários impactados. Factível? Para o CEO da Cheers, Gabriel Russo, absolutamente possível. Além de se preocupar em conhecer e conectar a Geração Z, oferecendo o que mais esse público busca (experiências, consumo responsável, entre outros atributos), a plataforma aposta na expansão do número de universitários do país. Segundo o mais recente Censo do Ensino Superior no Brasil (2023 ano base 2022), são mais de 22,7 milhões de vagas em graduação disponíveis em quase 2,6 mil instituições.

Gabriel Russo

A esse público potencial, a Cheers tem se preocupado em desenvolver soluções que auxiliem o cotidiano do universitário. Fornecer informações sobre os cursos, as instituições e a rotina da vida universitária; promover a conexão entre os estudantes e restaurantes, bares e baladas; e facilitar acesso a serviços e lazer para estudantes que se instalam em nova cidade para estudar estão entre as funcionalidades que a universitech busca oferecer a seu público.

“Queremos fazer parte do universitário em toda sua jornada, nessa fase da vida que é ímpar. A maior parte dos universitários de hoje é de nativos digitais, letrados e ambientados na cultura digital, mas preocupados com o planeta em que vivem e que desejam produtos e serviços que signifiquem experiência”, avalia o CEO da Cheers.

MAIS INFORMAÇÕES

Censo do IBGE/faixa etária: https://educa.ibge.gov.br/jovens/conheca-o-brasil/populacao/18318-piramide-etaria.html.

Textos do Sebrae:

https://sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/artigos/como-e-o-comportamento-do-consumidor-da-geracao-z,6fd256cd6b362810VgnVCM100000d701210aRCRD
https://sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/artigos/por-que-a-geracao-z-pesquisa-mais-no-tiktok-do-que-google,09bb6e1caecb6810VgnVCM1000001b00320aRCRD.

Sobre a Cheers: https://cheers.com.br/.

IA na publicidade: quais os pros e contras?

IA na publicidade: quais os pros e contras?

CEO da 270B no Brasil, Alessandra Bottini destaca implementação da tecnologia como um divisor de águas para o setor, mas também aponta desafios

O advento da inteligência artificial está remodelando diversos setores das atividades humanas. Uma das mais afetadas pelo avanço da tecnologia é a indústria da publicidade. Oferecendo cada vez mais oportunidades para as marcas e agências, a ferramenta promete uma nova era em que as campanhas serão amplamente mais eficazes e personalizadas aos interesses do público. Até por isso, de acordo com um estudo da Accenture, 80% dos CMOs pretendem ampliar os investimentos em IA em 2024. 

Diante dessa evidente transformação da área, Alessandra Bottini, CEO da 270B no Brasil, agência full service com expertise em soluções criativas e inovadoras, alerta que o processo não está isento de obstáculos. De acordo com a especialista, apesar dos benefícios atrelados ao uso da ferramenta, é fundamental que os profissionais estejam cientes dos desafios e armadilhas potenciais associados ao seu uso, para garantir que seja implementada de forma ética e responsável.

“A aplicação da IA no setor não é mais uma questão de se, mas uma questão de quando. Por mais que ela ainda não seja obrigatória, já é uma tecnologia que ajuda e é quase indispensável. Entretanto, é preciso ter consciência e entender rapidamente onde estão os seus pontos fortes e de atenção”, reflete. 

Para entender melhor esse cenário, a CEO elenca os prós e contras do uso da IA na publicidade:

Pontos positivos:

  • Segmentação de público-alvo

A Inteligência Artificial permite uma segmentação de audiência altamente precisa, o que significa que os anúncios podem ser direcionados para os consumidores certos, no momento adequado, ampliando significativamente a eficácia das campanhas. 

  • Personalização

Indo pelo mesmo caminho, a tecnologia permite ainda criar anúncios altamente personalizados, adaptados às preferências individuais de cada usuário. “Isso possibilita que a marca melhore o engajamento e as taxas de conversão de suas ações”, afirma a CEO da 270B. 

  • Otimização em tempo real

Os algoritmos altamente complexos processados pela IA abrem caminho para que as campanhas sejam ajustadas em tempo real, avaliando métricas para maximizar o retorno sobre o investimento, como lances, orçamentos e segmentação. 

  • Eficiência operacional 

A automação de processos proporcionada pela IA é o benefício mais evidente. Por meio deste recurso, os profissionais do setor reduzem o tempo e os recursos necessários não só para o gerenciamento das campanhas, mas até mesmo no momento de concepção dos projetos.  

Apesar da possibilidade de gerar insights criativos contribuir nessa etapa criativa, a especialista alerta que a máquina ainda está longe de estar preparada para substituir o humano. “Ainda existem elementos essencialmente humanos, como contexto e sensibilidade cultural, empatia, conexão emocional e até mesmo intuição, que fazem grande diferença na entrega criativa das agências e não são substituídas por IA”, opina.

Pontos de atenção

  • Privacidade e segurança

Por envolver constantemente o uso de dados pessoais no momento de validação de estratégias, o uso da tecnologia precisa estar acompanhado de uma enorme cautela quanto à privacidade e segurança das informações. “As marcas e agências precisam assegurar que estejam em conformidade com regulamentações locais e que estão tomando as medidas necessárias para proteger os dados dos usuários”, detalha Alessandra.

  • Viés algorítmico

Por mais elaborados e desenvolvidos que sejam, algoritmos de IA podem ser influenciados pelo viés humano, resultando em decisões injustas ou discriminatórias. Esse é um perigo de alto risco, tendo em vista que pode prejudicar a reputação da marca e causar danos profundos à confiança da marca com os clientes.

  • Perda de autenticidade 

Se por um lado a ferramenta contribui com a personalização do trabalho, é preciso ressaltar que a segmentação ao extremo gera o risco de perda da autenticidade e conexão emocional com o público-alvo. “É fundamental equilibrar o uso das soluções com uma abordagem genuína e transparente, evitando assim que as ações pareçam intrusivas ou manipuladoras”, complementa. 

Diretrizes para uma implementação ética

Para navegar por esses desafios, Alessandra recomenda ainda uma série de práticas obrigatórias e responsáveis por parte dos profissionais. Dentro os pontos destacados, a transparência no uso da IA e a adoção de algoritmos éticos e imparciais são vistos como fundamentais para a construção de materiais de confiança. “As empresas devem também assegurar a conformidade com regulamentações de privacidade, como a LGPD, no caso Brasil, além de investir na qualidade e representatividade dos dados para treinar as suas soluções de forma verdadeiramente abrangente”, conclui.

Alessandra Bottini CEO da 270B no Brasil

Criar conteúdo de valor é a receita para o sucesso no Youtube

Criar conteúdo de valor é a receita para o sucesso no Youtube

De acordo com João Adolfo de Souza, especialista em estratégias para maximizar os resultados na plataforma, entender o público-alvo e contar com produções de qualidade são passos cruciais nessa jornada

O YouTube se consolidou como uma das principais plataformas de conteúdo digital do mundo, oferecendo diversidade para todos os tipos de públicos. No entanto, com mais de 2 bilhões de usuários logados mensalmente, a competição para captar a atenção do espectador nunca foi tão acirrada. 

Diante deste cenário, a criação de conteúdos de valor e com alta qualidade surge não apenas como um diferencial, mas como uma necessidade para aqueles que desejam se destacar e construir uma audiência fiel na plataforma.

Entendendo o público-alvo

De acordo com João Adolfo de Souza, CEO e fundador da João Financeira e especialista em estratégias para maximizar ganhos no Youtube, a chave para criar conteúdo de valor começa com um profundo entendimento do público-alvo. “Saber quem são os espectadores, o que buscam, seus interesses, problemas e como preferem consumir conteúdo são aspectos fundamentais para desenvolver vídeos que ressoem entre eles”, revela. 

Ferramentas analíticas do YouTube podem ser de grande ajuda nesse sentido, oferecendo informações valiosas sobre a demografia do público, o tempo de visualização, as taxas de cliques em thumbnails e muito mais.

Seja por meio da educação, entretenimento ou oferecendo soluções para problemas específicos, o conteúdo deve ser projetado para atender às necessidades e desejos dos espectadores. “Histórias envolventes, tutoriais detalhados, análises profundas e entretenimento de qualidade são exemplos de conteúdos que podem gerar valor significativo para o público”, pontua.

Qualidade de produção como um diferencial 

João acredita que a qualidade da produção tem um impacto direto na percepção do conteúdo pelo público. Vídeos bem produzidos, com boa iluminação, áudio claro e edição profissional, têm maior probabilidade de reter a atenção dos espectadores e criar uma impressão positiva. “Investir em equipamentos de qualidade e aprimorar as habilidades de produção e edição são etapas cruciais para elevar o conteúdo. Além disso, originalidade e criatividade na apresentação dos vídeos são essenciais para cativar o público”, relata.

A consistência é outro pilar fundamental na construção de uma audiência fiel no YouTube. Estabelecer e manter um cronograma de postagens não só ajuda a manter o público engajado, mas também sinaliza ao algoritmo da plataforma que o canal é uma fonte confiável de conteúdo, potencialmente aumentando seu alcance. “A criação de uma programação que equilibre a qualidade e a frequência de postagem é vital para manter a audiência interessada e engajada a longo prazo”, alerta.

Para o especialista, criar conteúdo de valor no YouTube é uma jornada que exige dedicação, criatividade e uma compreensão profunda do público-alvo. “Entendendo esses aspectos, os criadores de conteúdo podem construir uma sólida base de fãs e alcançar o sucesso em uma plataforma tão competitiva quanto o YouTube”, finaliza.

Soluções open source são econômicas, flexíveis e estratégicas para o marketing das pequenas e médias empresas

Soluções open source são econômicas, flexíveis e estratégicas para o marketing das pequenas e médias empresas

Por Daniel R. Bastreghi*

O Marketing é uma área sempre pulsante que, por natureza, precisa estar continuamente inovando em suas formas de conquistar o público e fazer uma empresa crescer. Para os profissionais da área, é vital estar em contato com novas tecnologias que possam trazer vantagens competitivas para as organizações. Uma delas é o open source, abordagem de desenvolvimento colaborativo que é flexível e acessível para a experimentação, sendo uma opção especialmente interessante para as pequenas e médias companhias.

De acordo com um levantamento encomendado pela Cloudera e conduzido pela Coleman Parkes Research divulgado no fim do ano passado, 80% das empresas planejam continuar investindo em tecnologias open source nos próximos três anos. Esse tipo de solução tem como principal valor a colaboração e permite que desenvolvedores possam estudar, usar, modificar e distribuir códigos de maneira flexível para que projetos sejam criados e aprimorados rapidamente; as comunidades trabalham em conjunto e têm a chance de construir algo maior do que conseguiriam por conta própria.

Para as pequenas e médias empresas, o open source representa a oportunidade de inovar a partir de uma base tecnológica, de colaborar com o ecossistema e assim ocupar as lacunas deixadas pelas organizações maiores. Isso requer predisposição, mas as iniciativas open source permitem que, com um pouco de atenção e conhecimento, as empresas usufruam de recursos avançados. De maneira geral, as comunidades de desenvolvedores dão um grande exemplo em termos de colaboração e organização e as equipes de marketing podem aprender muito com elas.

Isso porque, no marketing ou em qualquer área, experimentar é caro, exige tempo, recursos e criatividade, além de demandar cuidados adicionais com integração ao legado e privacidade de dados. Isso nem sempre está ao alcance das pequenas empresas ou até das maiores, então soluções colaborativas entre múltiplas organizações acabam se fortalecendo. A área de software está repleta de bons exemplos. Entre as mais famosas, está o WordPress, uma consagrada solução de código aberto para gerenciamento de conteúdo que possui uma comunidade bastante ativa e um enorme repositório de plugins e temas.

Outra solução interessante é o Mautic, uma ferramenta de inbound e automação de marketing muito versátil e completa; o Chatwoot também foi criado a partir de iniciativas de código aberto e favorece o atendimento omnichannel com diversas opções de integração às redes sociais, chat ao vivo e suporte via e-mail que facilitam o atendimento ao cliente; o Cal.com favorece o agendamento de reuniões comerciais; e as soluções de CRM EspoCRM e o X2CRM também são notáveis. A composição destas e outras soluções formam uma estrutura de martech muito funcional e acessível.

Soluções de código aberto são excelentes opções para iniciar e validar inovações. Conforme amadurecem, pode-se cogitar a ampliação ou troca para outras soluções. Porém, este não é o fim para as soluções de código fonte aberto. Afinal, elas podem ser facilmente customizadas e complementadas com plugins e outras integrações.

Contudo, o marketing é essencialmente uma competição. Isso significa que a colaboração massiva e aberta em algum momento se torna incompatível com a atividade de marketing. A partir de um determinado ponto, as equipes precisam reservar para si alguns recursos, estratégias ou insights para que, por definição, conquistem vantagens competitivas. No entanto, até que este momento chegue, qualquer empresa tem muito a ganhar se explorar o potencial das inúmeras soluções de código aberto existentes para marketing e vendas.

Google e Trakto fazem parceria no Brasil para escalar campanhas de marketing com o uso de inteligência artificial

Google e Trakto fazem parceria no Brasil para escalar campanhas de marketing com o uso de inteligência artificial


Plataforma auxilia empresas a desenvolver peças publicitárias em escala e aproveitar o máximo potencial das campanhas do Google
 

São Paulo, 04 de abril de 2024 – O Google anunciou nesta quinta-feira, 4, uma nova parceria com a Trakto – startup de design 100% brasileira – para oferecer uma forma mais simples e rápida de criar peças publicitárias com a ajuda da inteligência artificial (IA) generativa e aproveitar todo o potencial das plataformas de publicidade do Google. A plataforma permite criar e, em segundos, multiplicar os criativos usados em anúncios digitais, tornando o processo criativo mais escalável e efetivo.
 

Intitulada Trakto܂Studio, a nova solução utiliza soluções de IA generativa do Google Cloud, a plataforma Vertex AI, que permite acesso aos modelos de linguagem mais avançados e capazes, como o Gemini. para interpretar a identidade visual de cada marca e, assim, permitir a criação de peças estáticas e vídeos de forma automática e escalável para cada cliente. A nova plataforma está sendo disponibilizada aos poucos para anunciantes do Google, de diferentes segmentos e portes em toda a América Latina. Até o momento, dezenas de empresas já estão utilizando a solução e, nos próximos meses, ela será disponibilizada a um grupo maior gradativamente.
 


A plataforma ajuda anunciantes brasileiros a aprimorarem suas campanhas de publicidade, em especial as do tipo PerformanceMax, que usam a IA para orquestrar campanhas em todas as plataformas do Google, incluindo YouTube, Display, Busca, Discover, Gmail e Google Maps. Para entregar os melhores resultados, as campanhas feitas usando PMax precisam ser alimentadas com múltiplos criativos para que a IA possa apresentar o anúncio certo para o consumidor certo no contexto mais adequado.


“As empresas brasileiras estão entre as que avançam mais rápido no uso de IA em campanhas de marketing em todo o mundo”, afirma Gustavo Souza, diretor-geral de produtos de publicidade e soluções para clientes do Google Brasil. “Com a parceria com a Trakto, estamos oferecendo aos nossos clientes escalar a produção de peças publicitárias de forma ágil e versátil para explorar ao máximo nossas plataformas de publicidade, maximizando resultados de negócio com a ajuda da IA generativa.”


Como funciona
 

Em geral, ao rodar uma campanha publicitária, o anunciante depende da criação e ajuste das peças publicitárias para cada formato de anúncio. Dependendo da quantidade de campanhas digitais rodando ao mesmo tempo e do número de produtos, o anunciante precisa gastar tempo e dinheiro até ter todas as opções à mão. Com a nova plataforma da Trakto, o processo é automatizado e os anunciantes podem investir mais tempo no desenvolvimento da estratégia da campanha do que para executá-la, com mais criatividade e eficiência.
 

A nova plataforma Trakto܂Studio permite que, com apenas um clique e em cerca de 10 segundos, uma planilha com mil produtos seja transformada em anúncios personalizáveis de acordo com os objetivos de cada cliente – tanto para anúncios estáticos quanto para vídeos. Além disso, a plataforma conta com a integração com o Google Ads e o Google Merchant Center, possibilitando que as peças geradas sejam direcionadas diretamente para a biblioteca de recursos de cada anunciante e sejam utilizadas para desenvolver anúncios de produtos específicos.
 

“Unimos forças com a Trakto justamente para sanar uma das principais dores do mercado de publicidade. Segundo nossos dados internos do Google, 98% dos grandes anunciantes no Brasil ainda não usam múltiplos formatos em suas campanhas, ou seja, não estão aproveitando todo o alcance que a publicidade tem a oferecer”, afirma Newton Neto, diretor de parcerias do Google para a América Latina. “Com essa parceria, esperamos tornar a vida de profissionais de criação mais fácil e permitir que eles gastem mais tempo com o que importa: usar sua criatividade a favor dos negócios.”
 

“Essa parceria com o Google, que é referência em tecnologia, é fundamental para que possamos continuar transformando a maneira como empresas e empreendedores criam campanhas de marketing de forma inovadora”, diz Paulo Tenório, fundador e CEO da Trakto. “Já temos ótimos resultados de empresas que estão usando a solução em campanhas complexas com milhares de variações, garantindo excelência criativa alinhada com objetivos e estratégias de negócios.”
 

Parceria de longa data
 

Fundada há 10 anos em Alagoas, Maceió, e com muita inteligência artificial em seu DNA, a Trakto vem transformando a maneira como empresas e empreendedores criam materiais de campanhas de marketing com uma automação inovadora.

Participante da primeira turma do programa de residência do Google for Startups, em 2016, a Trakto também foi escolhida pelo Black Founders Fund, fundo de investimento para startups fundadas e/ou lideradas por pessoas negras, em 2021, com o objetivo de ampliar a diversidade racial no ecossistema de startups e alavancar negócios com alto potencial de crescimento. Atualmente, o portfólio da Trakto conta com quase 1 milhão de usuários localizados no Brasil, México, Colômbia, Argentina, Uruguai e Peru.

 

Alguns clientes que já usaram a solução da Trakto
 

Nos primeiros meses de 2024 a Electrolux tinha o desafio de captar e maximizar os resultados gerados em torno do patrocínio da marca no programa Big Brother Brasil 24 e durante o Mês do Consumidor.

Para isso, além de uma estratégia de mídia focada em geração de demanda e captação da intenção do consumidor em diferentes momentos, a Trakto܂Studio foi a ferramenta utilizada para criar as peças publicitárias, garantindo a excelência criativa, além de diferentes dimensões e call-to-actions (CTA), que possibilitaram a entrega das campanhas em todos os inventários disponíveis, maximizando os resultados obtidos.
 

Como resultado, desde a estreia do BBB 24 até a semana seguinte ao Dia do Consumidor (15 de março), as campanhas da Electrolux que estão utilizando as peças criados com a IA da Trakto܂Studio já são responsáveis por 70% da receita e 66% das vendas vindas das campanhas Google, além de apresentarem um ticket médio e taxa de cliques (CTR) 16% e 5% maiores, em comparação com a média geral.
 

Já a MadeiraMadeira, que conta com uma vasta gama de produtos em estoque, já se beneficia da IA do Google para minimizar a complexidade de suas estratégias de marketing. No entanto, mesmo com uma abordagem totalmente automatizada para distribuição de mídia, a empresa ainda precisava operar centenas de campanhas – e quando se trata de gerar várias imagens para milhares de peças, a complexidade era grande.

Ao utilizar a plataforma da Trakto, a Madeira Madeira criou uma abordagem muito mais rápida para gerar milhares de ativos de imagem que estavam em conformidade com o seu guia de marca, com variedade e cobertura em todos os formatos do Performance Max em apenas alguns segundos, combinando apenas algumas variáveis, como texto e imagens de produtos.
 

Em cinco campanhas em que testaram seus novos ativos, a empresa observou um aumento significativo nas impressões e no volume de cliques, melhorando sua taxa de cliques em 1 ponto percentual e o custo por clique em 26%, resultando em um aumento de 16% no retorno sobre o investimento publicitário. Como resultado, eles têm incorporado novas imagens com facilidade em várias outras campanhas, multiplicando sua conexão com os clientes em todo o ecossistema do Google Ads.

Stratlab completa dez anos de mercado com mais de R$ 150 milhões em negócios realizados

Stratlab completa dez anos de mercado com mais de R 150 milhões em negócios realizados

Empresa já atendeu mais de 300 clientes de seis países, somando 8.500 horas de planejamento e mais de 1,5 milhão de posts produzidos

São Paulo, 28 de março de 2024 – Foram grandes os avanços do marketing digital nos últimos dez anos. O período contabiliza evoluções importantes nos conceitos e instrumentos voltados para potencializar vendas utilizando a internet como meio de divulgação. Essa década também marca o nascimento e o desenvolvimento da Stratlab, empresa que integra equipes multidisciplinares e ferramentas avançadas para o crescimento dos negócios no ambiente digital.
 

É em sua adaptação constante a novas demandas e modelos de atuação que a Stratlab completa dez anos de mercado caracterizando-se como uma martech. O termo é amplo para definir a junção entre marketing e tecnologia, mas a empresa se vale dele para aplicar estratégias altamente focadas e bem dirigidas, centradas nas necessidades de cada um de seus clientes.
 

E já foram muitos em sua trajetória decenal: mais de 300 em projetos realizados em seis países, somando mais de 8.500 horas de planejamento. Os resultados de tanto trabalho são evidenciados pelos números – mais de R$ 150 milhões em negócios realizados e 1,5 milhão de posts produzidos.

Sócios Stratlab – Fernanda Nascimento e Cristóvão Wanderley


 A Stratlab desenvolve ações direcionadas a mercados B2B que englobam várias fases das jornadas digitais. Entre os focos de atuação da empresa, encontram-se etapas como:

  • Estratégia e gestão da experiência do cliente: avaliação e alinhamento da estratégia e gestão mensal do marketing, trabalhando a marca junto com microinfluenciadores;
  • Reputação e influência: gerenciamento de redes sociais, websites e perfis executivos/de tought leader, com criação de vídeos e podcasts;
  • Metodologia para vendas complexas: aquisição e conversão de vendas via LinkedIn, treinamento de times de vendas e marketing, eventos de relacionamento e prospecção;
  • Performance: SEO, ADS e mensuração de resultados.

“Os resultados obtidos por uma martech dependem muito dos objetivos que se quer atingir, e defini-los também faz parte do escopo do trabalho”, afirma Fernanda Nascimento, sócia-fundadora da Stratlab, estrategista digital e CEO da Stratlab. “Os projetos precisam estar muito bem amarrados e ser calcados em parâmetros mensuráveis.”

A quantidade desse tipo de startup passou por um boom no mercado brasileiro sobretudo durante a pandemia – só em 2021, o número de martechs atuantes no país saltou de 727 em fevereiro para 1.013 em dezembro do mesmo ano, segundo pesquisa da Distrito.
  Nesse cenário de proliferação, a Stratlab se diferencia pela métrica precisa dos dados com a elaboração de relatórios a cada etapa da jornada B2B, viabilizando avaliações ágeis e identificando rapidamente as necessidades de possíveis reorientações. “É um marketing focado em resultados comprovados”, frisa Fernanda Nascimento.

O poder dos vídeos na era digital

O poder dos vídeos na era digital

Por Elaine Costa, CEO e fundadora da MKPE

Nos últimos anos, o marketing digital tem passado por uma transformação significativa. Com a explosão das redes sociais e o aumento do consumo de conteúdo online, as empresas têm buscado constantemente maneiras de se destacar em meio a um mar de informações. Nesse cenário, os vídeos têm se mostrado uma ferramenta poderosa para atrair a atenção do público e construir autoridade.

De acordo com um estudo da Wyzowl, 85% dos consumidores preferem assistir a vídeos do que ler textos, e 70% deles assistem a vídeos de marca no YouTube. Além disso, 64% dos consumidores são mais propensos a comprar um produto após assistir a um vídeo sobre ele. Esses números evidenciam a importância dos vídeos como uma forma eficaz de engajar e influenciar os consumidores.

No entanto, a mera produção de vídeos não é suficiente para garantir o sucesso. A qualidade do conteúdo e a percepção de autoridade transmitida são fatores cruciais para conquistar a confiança do público. Nesse sentido, surge um debate interessante: qual é o impacto de vídeos bem produzidos em comparação com vídeos caseiros na percepção de autoridade?

Um estudo da HubSpot revelou que vídeos aumentam a taxa de conversão em 80% e que landing pages com vídeos têm 80% mais chances de conversão. Além disso, vídeos em emails aumentam a taxa de cliques em 200%. Esses números demonstram que a inclusão de vídeos em estratégias de marketing é uma prática eficaz para impulsionar resultados. No entanto, é importante ressaltar que a qualidade do vídeo pode influenciar a percepção de autoridade da marca.

Em um mundo onde qualquer pessoa pode pegar um smartphone e gravar um vídeo, a produção de conteúdo caseiro se tornou uma opção acessível para empresas de todos os tamanhos. No entanto, é preciso considerar que a qualidade técnica e a estética de um vídeo podem afetar a forma como a marca é percebida pelo público. Vídeos bem produzidos, com uma boa iluminação, edição profissional e uma narrativa envolvente, transmitem uma imagem de profissionalismo e comprometimento, o que pode reforçar a autoridade da marca.

Por outro lado, vídeos caseiros podem transmitir uma sensação de autenticidade e proximidade, o que pode ser benéfico para marcas que buscam estabelecer uma conexão emocional com o público. Essa abordagem pode ser particularmente eficaz em setores como o de influenciadores digitais, onde a autenticidade é valorizada. No entanto, é importante ressaltar que a qualidade do conteúdo e a habilidade do produtor em transmitir a mensagem de forma clara e cativante ainda são fatores determinantes para o sucesso do vídeo.

Em última análise, a escolha entre vídeos bem produzidos e vídeos caseiros depende do contexto e dos objetivos da marca. Em alguns casos, investir em produções de alta qualidade pode ser a melhor estratégia para transmitir uma imagem de profissionalismo e autoridade. Em outros casos, vídeos caseiros podem ser uma opção viável para criar uma conexão emocional com o público. O importante é entender o perfil do público-alvo, os objetivos da marca e adaptar a estratégia de vídeo de acordo.

O impacto dos vídeos na percepção de autoridade é inegável. Segundo um estudo da Social Media Examiner, 87% dos profissionais de marketing usam vídeos em suas estratégias, e 76% deles dizem que o vídeo é o tipo de conteúdo com melhor ROI. Além disso, 63% dos profissionais de marketing afirmam que o vídeo é o tipo de conteúdo mais eficaz para gerar leads. Esses números reforçam a importância de investir em vídeos como parte de uma estratégia de marketing digital eficaz.

Em um mundo cada vez mais visual e digital, os vídeos se tornaram uma ferramenta essencial para as marcas se destacarem e construírem autoridade. No entanto, é fundamental entender que a qualidade do conteúdo e a forma como ele é produzido podem influenciar a percepção do público. Seja investindo em vídeos bem produzidos ou explorando a autenticidade dos vídeos caseiros, o importante é criar conteúdo relevante, envolvente e que ressoe com a audiência. Afinal, no mundo dos vídeos, a qualidade e a mensagem são os verdadeiros protagonistas.

BBB24: no último mês, programa gerou 16 milhões de comentários nas redes sociais, indica relatório da STILINGUE by Blip

BBB24: no último mês, programa gerou 16 milhões de comentários nas redes sociais, indica relatório da STILINGUE by Blip

Os dias 2 e 5 de março foram de pico de interações e mensagens, com mais de 1 milhão de conversas sobre o programa, reflexo das movimentações do jogo, formações de paredão e saída de Wanessa Camargo

A STILINGUE by Blip, plataforma multicanal voltada para criar melhores experiências digitais entre marcas e consumidores, através do social listening e do potencial da inteligência artificial, monitora as conversas e repercussões sobre o reality BBB nas redes sociais desde 2022. Este ano a empresa continua mapeando os principais assuntos do programa e acaba de compartilhar o relatório ‘BBB/insights’, referente aos dias 8 de fevereiro a 7 de março do BBB24. 

Um dos destaques do estudo foi que o programa gerou 16 milhões de menções em canais digitais. Os dias 2 e 5 de março foram de pico, ultrapassaram mais de 1 milhão de conversas em cada dia de jogo. De acordo com o levantamento, os números são resultado das movimentações do jogo, como formações de paredão, eliminações e a desclassificação de Wanessa Camargo. Em relação ao impacto das conversas sobre os participantes, Davi e Fernanda foram os brothers mais citados, com 5,4 milhões e 1,6 milhão de menções, respectivamente. Wanessa (1,4MM), Isabelle (1,3MM) e Yasmin (1,3MM) apareceram na sequência. 

Já no ranking TOP 5 de marcas anunciantes que mais se destacaram, a Seara disparou na frente com 95.849 comentários e em segundo lugar apareceu a Chevrolet com 71.571 menções à marca. Depois, iFood com 28.340 citações, Pantene com 21.725 menções e CIF com 21.602 conversas relativas à empresa. A líder Seara garantiu novamente o primeiro lugar na lista, como também no relatório anterior. Ela promoveu duas ações que geraram grande repercussão: uma ação pontual no jardim no dia 20 de fevereiro e na Prova do Líder dia 07 de março. Mas, o que mais alavancou o seu buzz foram ações sob a temática do reality, porém fora da casa, nas redes sociais. 

A Chevrolet patrocinou a prova do anjo, divulgando e entregando o Equinox ao vencedor da disputa, Michel. A marca também fez ações de Marketing de Influência nas redes para bombar ainda mais. O app de delivery iFood esteve presente em quatro ocasiões no período. Uma festa, uma prova do anjo e duas ações – considerando ainda que uma dessas foi em parceria com o Méqui. A Pantene proporcionou um hair spa para os brothers no dia 27 de fevereiro e a Cif promoveu a festa mais comentada da edição até agora, com a presença de Xande de Pilares e Joelma. 

De modo geral, as mulheres continuam sendo o público que mais comenta a respeito do programa (58% do total) e o Davi se mantém na liderança de menções, como apontado no relatório anterior. “Nosso mapeamento tem como objetivo principal munir as marcas e empresas de informações relevantes sobre a performance das marcas dentro do universo BBB, trazendo isso com exemplos práticos das ações de marketing que impactam o público, além de mostrar a relevância do programa para a economia como um todo. Essa atenção e olhar estratégico para a relevância do Big Brother Brasil precisa estar em um plano de comunicação das empresas”, Thiago Gonçalves, Diretor de Marketing Cloud da Blip.    

Provas 

Todas as disputas seguem sendo patrocinadas no reality. As provas mais citadas foram pela liderança e ambas sob o modelo de resistência. Na patrocinada pelo Meli, os brothers precisaram de concentração e agilidade para fazer entregas, remetendo à patrocinadora. No dia 22 de fevereiro, a marca Ton foi a patrocinadora e  os confinados ficaram pendurados em duplas, em uma plataforma inclinada, vestidos de celular e cartão – remetendo à solução tap on phone, nomeada pela marca como Tapton.

Por outro lado, Chevrolet e Delícia chamaram a atenção, atingindo as maiores volumetrias do período em citações diretas à anunciante em situação de prova. A marca de margarinas também utilizou do marketing de conteúdo e influência para alavancar ainda mais o seu buzz no dia da inserção no BBB.

A STILINGUE by Blip também apresentou os dados da semana de 7 a 13 de março, onde a anunciante líder em comentários também foi a Seara, com 47.729 citações durante o período. Depois apareceram Stone com 14.099 menções, Chevrolet com 11.959 comentários, McDonald’s com 8.604 conversas relativas à marca e Delícia com 5.381 citações.  

O painel de pesquisa contempla primordialmente conversas sobre o programa – termos como BBB, BBB 24, Big Brother Brasil e outros nesse sentido compõem a nossa principal busca. Além disso, para o acompanhamento das marcas que patrocinam o programa, também é contemplado hashtags nesse formato: #MarcaNoBBB. Ou seja, #MercadoLivreNoBBB, #StoneNoBBB e #SearaNoBBB são alguns exemplos.

No entanto, como regra de social listening, a configuração dessa pesquisa é constantemente revisada e aprimorada, principalmente no que tange a atuação das anunciantes, acompanhando os movimentos do mercado. Vale ressaltar que hashtags mais específicas de campanhas das patrocinadoras são contempladas apenas quando citadas em conjunto com termos relacionados ao BBB.

Para conferir esses e outros destaques, confira na íntegra o BBB Insights da Stilingue by Blip em https://bit.ly/imprensa-bbb

Empresa de CRM promove semana de palestras gratuitas sobre marketing B2B

Empresa de CRM promove semana de palestras gratuitas sobre marketing B2B

Entre os dias 18 a 21 de março, evento online organizado pela Ploomes trará especialistas para apresentar conceitos e estratégias com foco na atração e retenção de grandes clientes

Com a missão de desvendar o Marketing B2B na prática, a Ploomes, maior empresa com foco em CRM da América Latina, abriu as inscrições para a 5ª edição da Semana de Marketing B2B. Organizado em parceria com a Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (ABIMAQ), o evento acontece entre os dias 18 e 21 de março, de forma gratuita e online. 

A programação promete descomplicar o marketing feito para empresas por meio do compartilhamento de experiências reais, estratégias de sucesso e insights de especialistas renomados que se utilizam do conceito para atrair grandes clientes. Dentre as práticas destacadas estão SEO, anúncios pagos, redes sociais, participação em feiras e eventos, analytics e automações. 

De acordo com Henrique Lubk, Head de Marketing da Ploomes, o objetivo do encontro é apresentar, de forma teórica e prática, como as táticas e processos da área podem ser melhor aproveitados no contexto atual do mercado.

“A Semana de Marketing oferece uma chance única de desvendar estratégias que fazem a diferença no B2B”, afirma o profissional, que será um dos palestrantes da atração. “Nosso foco é proporcionar uma visão 360° do conceito, combinando teoria com prática ao compartilhar histórias de sucesso”, detalha.

Segundo a pesquisa “Status do Marketing B2B” de 2024, divulgada pela Intelligenzia, o cenário é promissor para o setor. O levantamento aponta que mais de 61,5% das corporações focadas em soluções e produtos B2B planejam ampliar os seus esforços no segmento, e pelo menos 14% delas preveem um investimento superior a 25% no orçamento.

A programação do encontro contará com a participação de profissionais renomados, incluindo Fabrício Toledo (cofundador da Leadster), Carolina Simões (especialista em estratégia de conteúdo da Rock Content), Paulo Krieser (CEO da Econodata), entre outros, que compartilharão suas experiências, desafios e sucessos.

Além da participação do Head de Marketing, a equipe da Ploomes estará representada por Vittor Amaral (líder de pré-vendas), e Tayrane Corrêa (head de conteúdo). Para se inscrever e ficar por dentro dos principais segredos para uma estratégia de marketing B2B assertiva, basta acessar o link.

O que faz um especialista em canais de vendas indiretas? Profissão com bons salários e ofertas no mercado

O que faz um especialista em canais de vendas indiretas? Profissão com bons salários e ofertas no mercado

Profissional acumula duas importantes missões para o sucesso da parceria: desenvolver e gerenciar os canais indiretos e vender juntamente com os canais

A etapa de vendas é fundamental para um fabricante (vendor), pois é ela que fornece os recursos financeiros necessários para que a empresa se mantenha e se desenvolva. Há duas maneiras de uma companhia vender seus produtos: de forma direta, por meio de sua própria equipe de funcionários; e/ou de forma indireta, através de um parceiro que prestará o serviço. Se a segunda opção for a escolhida, o fabricante estará exposto a um ambiente de negócios muito mais complexo, onde precisará lidar com empresas independentes sem nenhum vínculo de subordinação ou dependência, que ficarão responsáveis, por múltiplas tarefas, entre as quais: prospectar, projetar, vender, instalar e dar suporte técnico para que os produtos dos vendors alcancem o público-alvo.

Sendo assim, afirma o engenheiro eletrônico, gerente de canais de vendas indiretas e autor do livro “A culpa não é do canal – 30 grandes erros que cometemos na gestão de vendas indiretas – e como evitá-los”, Denys Vojnovskis, trabalhar com canais indiretos exige a execução de diversas tarefas simultaneamente e por equipes diferentes. Para tanto, afirma Vojnovskis, é de grande importância a figura do gerente de canais de vendas indiretas, a fim de organizar todo o processo envolvendo o vendor e seus parceiros, tornando mais fácil a relação entre eles. “Costumo chamar o gerente de canais de ‘o grande maestro das vendas indiretas’ já que esse profissional tem a dura missão de fazer com que todas essas atividades sejam realizadas de maneira coordenada e eficiente”, comenta.

O engenheiro afirma que, de modo geral, em grande parte das empresas de tecnologia (ramo de atividade para o qual Vojnovskis  dedicou toda a sua carreira), o gerente de canais de vendas indiretas acumula duas missões. A primeira delas é desenvolver e gerenciar os canais indiretos. De acordo com o gerente de canais, esta missão diz respeito a uma função estruturante e há nela uma preocupação com o médio/longo prazo da parceria. “Para o pleno desenvolvimento dessa missão é preciso um ‘olhar de dono” do negócio, pois o foco não está concentrado no ganho imediato, mas em preparar o ecossistema de canais para consolidar sua posição de maneira perene”, destaca

Entre as principais atribuições relacionadas à missão de desenvolver e gerenciais canais de vendas indiretas estão:

  • Recrutar novos canais;
  • cuidar dos temas relacionados ao contrato de parceria;
  • zelar pelas regras do programa de canais;
  • ser o responsável por todos os temas referentes ao onboarding dos novos canais;
  • trabalhar em conjunto com a área de marketing do fabricante e do canal em temas de comunicação, campanhas e eventos conjuntos;
  • prevenir o conflito de canais e atuar rapidamente nas vezes em que não for possível evitá-lo;
  • criar e gerenciar um bom programa de incentivos para os partners;
  • cuidar para que o Partner Portal esteja sempre atualizado e seja fácil de acessar;
  • gerenciar a distribuição de leads aos parceiros.

A segunda missão é vender com os canais. Segundo Vojnovskis, esta missão caracteriza-se por um olhar predominantemente executivo, no qual a preocupação do gerente volta-se para o cumprimento das metas de curto prazo. “Diferentemente da missão um, cujo objetivo primordial é cuidar das vendas de amanhã (futuras), a missão dois tem como finalidade cuidar das vendas de hoje (presentes)”, diz.

Sendo assim, destaca o engenheiro, as principais atribuições relacionadas à missão de vender juntamente com os canais são:

  • Prospectar novos clientes;
  • gerenciar/participar com os parceiros das reuniões e apresentações para os prospects e clientes;
  • gerenciar o pipeline e o forecast de vendas dos canais;
  • definir a estratégia de preços de cada projeto, respeitando as regras do programa de canais;
  • fazer interface com as áreas internas do fabricante e do canal para a elaboração do projeto a ser apresentado ao prospect/cliente;
  • gerenciar/participar do processo de resposta de RFPs (request for proposals) com o canal e as áreas internas do vendor.

Conforme Vojnovskis, essas missões são tão importantes que deveriam ser executadas por profissionais distintos: um channel manager (desenvolvimento e gestão de canais) e um channel account manager (vendas). As décadas de experiência na função mostraram ao engenheiro que um profissional que se divide entre a atividade de desenvolvimento dos canais e da venda propriamente dita, acaba, inconscientemente, priorizando a segunda missão em detrimento da primeira.

O autor do livro “A culpa não é do canal” explica que isso acontece por duas razões principais: em primeiro lugar porque os profissionais costumam ser muito mais cobrados pelos seus resultados como vendedores do que pelo que entregam como desenvolvedores  e gestores de canais; em segundo lugar, porque, cientes de que a direção da empresa dá muito mais valor às vendas, os profissionais colocam mais foco em fechar negócios do que em preparar seus parceiros para estarem aptos a vender mais no médio e longo prazo.

Tal dinâmica, destaca Vojnovskis, acaba sendo bastante prejudicial ao fabricante que vê novas parcerias – que, em um primeiro momento pareciam bastante promissoras – se desgastando e até se desfazendo em razão do descuido por parte do gerente de canais.

Transmissão de lives em outdoors é possível?

Transmissão de lives em outdoors é possível?

Tendência em transmitir conteúdo digital e ao vivo em locais públicos chega ao Brasil

Telão na Choperia Almanaque, em Nova Lima, MG

Imagine caminhar pelas ruas e de repente deparar-se com uma transmissão ao vivo, um pronunciamento ou até mesmo uma ‘live’, tudo sendo exibido em um outdoor. E, em vários lugares, ao mesmo tempo? E em diferentes lugares do mundo?

Essa experiência não é tão comum no Brasil, mas trata-se de uma tendência que veio para ficar, capaz de impulsionar a visibilidade de marcas, influenciadores e até negócios.

Isso porque o formato ao vivo se tornou a preferência de 80% da população mundial para consumir conteúdos desde o início da pandemia, conforme indicado por um estudo da Livestream em parceria com a New York Magazine. Unir esse formato ao fato de que a mídia “out-of-home” (a que passa em outdoors) já impacta 89% da população brasileira parece ser uma verdadeira jogada de mestre para impactar espectadores. Dados do relatório Inside OOH 2023, da Kantar, revelam, ainda, que a mídia exterior em formato digital atrai mais a atenção do que a tradicional em 93% dos casos.

Segundo Danniel Xavier, CEO da LED Expert, transmitir lives em outdoors é possível devido às tecnologias, como a dos painéis de LED, com a capacidade de conexão wireless, sendo totalmente comandado via aplicativo de celular. Basta um toque, e a transmissão ao vivo via Instagram e YouTube é feita, no painel desejado ou em vários, independentemente do local onde esteja no mundo.

As aplicações dos painéis para transmissões ao vivo são inúmeras e possibilitam pronunciamentos, lançamentos de produtos e até mesmo campanhas publicitárias que gerem interação em tempo real, como por exemplo, uma ação em que uma pessoa copia um código QR exibido na tela em determinada localidade e o troca por um desconto em um estabelecimento próximo de onde ela está.

Danniel Xavier

“Os painéis podem ser utilizados para transmissões que vão além de locais públicos, mas também em eventos privados. Como por exemplo, sendo usados na exibição de um curso em diversas localidades pelo Brasil e pelo mundo em tempo real”, explica o CEO da LED Expert.

Para Danniel, o marketing digital está vivendo um novo momento, conectando o virtual ao real pelos painéis de LED, com o objetivo de criar experiências marcantes para as pessoas. “Empresas e pessoas comuns estão mergulhando nesse universo para criar verdadeiras e duradoras memórias em seu público. Estar antenado, buscando experiências digitais que vão além do tradicional, realmente fará a diferença daqui em diante”, finaliza.

Mais dados do setor

No Brasil, a mídia out-of-home impacta 89% da população. Em cidades como Recife e Distrito Federal, a mídia OOH atinge 95%. Em Fortaleza, esse número é de 93%, enquanto em São Paulo o meio OOH atingiu 91%, e no Rio de Janeiro, ficou em 89%. 

Outra informação interessante é que 93% dos entrevistados afirmaram que os anúncios de mídia exterior em formato digital atraem mais a atenção do que os de mídia tradicional. Além disso, 81% das pessoas admitiram gostar de ver anúncios de mídia exterior (OOH) em formatos digitais. E ainda, 68% dos entrevistados contaram que já compraram ou pesquisaram algum produto ou serviço devido a anúncios vistos em mídias out-of-home. Os dados são de um estudo da Livestream em parceria com a New York Magazine.

Digitalks abre a temporada 2024 com evento sobre Ads & Digital Marketing e evento em Lisboa

Digitalks abre a temporada 2024 com evento sobre Ads & Digital Marketing e evento em Lisboa

Agenda de exposições da empresa inicia em março reunindo profissionais de diversos setores para debater sobre inovação digital e marketing no Brasil e na Europa

São Paulo, Brasil – A temporada de eventos do Digitalks 2024 está aberta. A maior plataforma de negócios do setor digital e da nova economia começa o ano com dois eventos: o Digitalks Ads e Digital Marketing, no dia 06 de março, no Cubo Itaú, em São Paulo, e o Digitalks Lisboa, nos dias 20 e 21 de março. Nomes como Carolina Riotto, diretora de Marketing da Divisão de Alimentos da Unilever; Guta Tolmasquim, CEO do Purple Metrics; Juliana Randmer, gerente de Marketing  Sr da Piraquê; Inês Besugo, responsável de Marketing da Hussel – Jerónimo Martins; Mónica Sousa, Country Marketing Manager do IKEA; e Pedro Martinho, Digital Marketing Experts Lead da Nestlé são alguns dos nomes que marcarão presença nos eventos.

“Para nós, é imprescindível estarmos alinhados com as necessidades e dores do mercado. Acreditamos que a promoção de eventos nestas dimensões, além de ajudar no networking de profissionais e empresas, impulsiona o crescimento e a educação do setor”, afirma Flavio Horta, CEO do Digitalks.

Há dois anos, o Digitalks consolidou um palco que se tornou o favorito de muitos participantes: o Ads & Digital Marketing. Este espaço tornou-se um ponto de encontro obrigatório para aqueles que buscam absorver todo o conhecimento compartilhado por executivos e líderes do setor. Em função disso, para marcar o início da temporada de eventos deste ano, o assunto recebeu um destaque especial e se transformou no “Digitalks Ads & Digital Marketing”. Evento que visa oferecer ao público uma oportunidade única para aprofundar seus conhecimentos sobre inovações, estratégias e tendências no universo da publicidade e do marketing digital. 

Carolina Riotto, da Unilever, Juliana Randmer, da Piraquê, Guta Tolmasquim, do Purple Metrics, e Leonardo Bagarolo, criador de conteúdo, são alguns dos nomes confirmados para palestrar no dia. Você pode conferir a lista completa clicando aqui

Menos de 15 dias depois, o Digitalks desembarca em Portugal para a sexta edição do Digitalks Lisboa. Evento que acontecerá nos dias 20 e 21 de março e contará com mais de 500 executivos e profissionais presentes, 15 expositores, 60 palestrantes e 30 apresentações. Executivos como Ana Alves, do Women In Tech, Pedro Martinho, da Nestlé, Margarida Silva, da FNAC, e Mónica Sousa, do IKEA, abordarão temas atuais e relevantes como desenvolvimento do mercado digital, geração de negócios e transformação empresarial na nova economia. 

“Em um mundo onde a tecnologia e o digital moldam cada vez mais os rumos dos negócios, poder realizar um evento na Europa é uma ótima oportunidade para o desenvolvimento profissional, networking e atualizações. Reunimos grandes nomes do mercado para compartilhar tendências, insights do mercado digital e suas vivências, pois assim conseguimos mostrar de forma prática para o nosso público o que tem acontecido nesse universo e pode acontecer nos próximos meses” explica o empresário, que complementou dizendo, “Neste ambiente dinâmico e em constante evolução, é essencial que os profissionais estejam sempre um passo à frente, familiarizados com as mais recentes inovações, estratégias e melhores práticas” complementa Horta.

Retomada para outras regiões do Brasil e Digitalks Expo 2024

Neste ano, o Digitalks reinicia sua jornada pelos estados brasileiros trazendo consigo novos eventos e encontros imperdíveis. Em abril, desembarca em Florianópolis. E em junho, na região Nordeste. “A retomada da presença nacional não apenas fortalece a marca, mas serve como incentivo para executivos de todo o país participarem e compartilharem suas experiências e um aquecimento para o grande evento do ano, o Digitalks Expo 24”, finaliza Horta.

Já no segundo semestre, nos dias 21 e 22 de agosto, no São Paulo Expo, acontece o principal evento de negócios do universo digital, o Digitalks Expo. Com a expectativa de receber 10 mil pessoas, a presença de 160 expositores e 17 auditórios com mais de 460 palestrantes, a conferência promove uma experiência que faz os participantes mergulharem no universo digital mostrando as tendências do mercado, insights de C-Levels de multinacionais e networking qualificado para quem quer gerar negócios. Para mais informações sobre a participação e as atrações do evento, acesse o site.

AI SQUAD: A primeira plataforma de marketing de influência por IA

AI SQUAD: A primeira plataforma de marketing de influência por IA

Custos mais competitivos, aumento na escala de produção audiovisual e acesso a celebridades e influenciadores por um número cada vez maior de marcas são algumas das vantagens da plataforma que acaba de ser lançada.

São Paulo, 29 de fevereiro de 2024 – A indústria do conteúdo digital, marketing de influência e publicidade passam por grandes transformações desde a evolução recente da IA. E esse mercado está a caminho de revolucionar a forma como se produz e consome conteúdo digital endossado por famosos com o lançamento da AI Squad, a primeira plataforma a gerar conteúdo audiovisual sintético licenciado por famosos. 

A AI Squad foi criada com investimento bootstraping de Eduardo Pardell, fundador da AKA Stars, empresa há 11 anos pioneira em inovação digital e que há 4 vem desenvolvendo conteúdos com inteligência artificial. Inovação que sempre esteve no DNA do executivo. Nos anos 90, ele fundou a primeira empresa de Internet do Brasil; também foi responsável pelo desenvolvimento do 2º Internet Bank do mundo, para o Bradesco, e da primeira plataforma de e-commerce do país. 

Recém-lançada, a plataforma está sendo apresentada aos principais players do mercado, e já acertou parceria com a agência de marketing de influência Mynd, uma das maiores do Brasil, com um casting de mais de 450 nomes. Para fazer parte da AI Squad, personalidades como influenciadores, atores, modelos ou apresentadores autorizam formalmente, de maneira independente ou representados por suas agências/empresários, o desenvolvimento de seu “Humano Digital”. Com seu Humano Digital desenvolvido, qualquer marca ou agência pode contratar essa personalidade diretamente pela AI Squad, sempre com aprovação prévia da celebridade, e receber o conteúdo gerado por IA em poucos dias, ou até mesmo de um dia para o outro.   

Após criado e aprovado, o material pode ser publicado nas redes sociais dos próprios famosos, nas redes das marcas, websites, e-commerces e outros meios, tanto para fins institucionais quanto comerciais. Como prática de transparência, a plataforma adverte para o uso da hashtag #IA e menção clara ao uso de inteligência artificial pelos responsáveis finais pela veiculação, iniciando-se aqui um marco importante na discussão para regulamentação de conteúdos parcial ou totalmente gerados por IA.  

Outra grande revolução diz respeito aos investimentos nesse mercado. A AI Squad possibilita a produção de conteúdos ilimitados das personalidades, sem necessidade de novas filmagens a cada produção. Com isso, os custos se tornam mais competitivos, em média 1/4 menores do que produções convencionais, e uma escala muito maior de conteúdos podem ser produzidos, com prazos em média 10x mais rápidos. Assim, marcas de todos os portes produzem mais conteúdos, democratizando o acesso aos influenciadores e celebridades e crescendo toda a cadeia envolvida. 

Atualmente a plataforma https://aisquad.com.br/ já tem a adesão de nomes como Luisa Sonza, Preta Gil, Xamã, Pequena Lo, Mari Maria, Gleice Damasceno, Elana e Thiago Pantaleão, que, juntos, alcançam mais de 100 milhões de seguidores. Pardell estima ter 300 nomes nos próximos dois meses com a parceria com Mynd, anunciada no último dia 27 de fevereirto, e pelo menos 1.000 perfis ativos na plataforma até o final de 2024. A projeção é gerar mais de U$ 50 milhões em receitas totais a partir do segundo ano.  

A AI Squad vai reter apenas uma taxa de interveniência, repassando o maior montante aos talentos, diretamente ou por meio de suas agências ou empresários”. E completa: “quem define os preços dos cachês são as próprias personalidades, com a recomendação de cobrarem menos do que se tivessem que participar de sessões de gravações, para estimular marcas a produzirem muito mais conteúdo utilizando as vantagens da IA, incentivando o crescimento desse mercado.” 

 Para participar da AI Squad, famosos, agências, empresários e marcas se inscrevem em www.aisquad.com.br.  

Diversificação de canais: O segredo do sucesso na publicidade online

Diversificação de canais: O segredo do sucesso na publicidade online

Saiba por que as marcas estão se voltando para as notificações por push para alcançar resultados mais impactantes em um mercado competitivo e em constante evolução

No cenário dinâmico da publicidade online, os métodos convencionais como anúncios gráficos, de pesquisa e em vídeo, embora eficazes em certos aspectos, estão enfrentando limitações quanto ao alcance e engajamento, gerando aumento dos custos e uma pressão competitiva que desafia a eficácia das campanhas publicitárias convencionais. Diante desse cenário, as notificações por push emergem como uma solução promissora e com um custo acessível.

O mercado brasileiro de publicidade push está em crescimento, e a previsão é que os gastos com publicidade push chegarão a US$ 55 milhões até 2028, segundo a Statista. Essas mensagens breves possuem grande potencial de impacto e podem ser um recurso valioso para enfrentar os desafios atuais da publicidade online. “Os nossos próprios dados confirmam essa previsão, mostrando um crescimento contínuo no número de campanhas e nos resultados financeiros do tráfego web push, um aumento de 27% face ao ano anterior”, explica  Julia Larionova, Head de Marketing da PropellerAds.

A PropellerAds, plataforma de publicidade multifonte que fornece acesso a fontes de tráfego exclusivas e ferramentas de veiculação/otimização de anúncios baseadas em IA, destaca a importância de diversificar os canais de publicidade para alcançar resultados mais impactantes. As notificações por push são uma ferramenta importante, pois oferecem um alcance amplo, desempenho excepcional e opções únicas de personalização.

“Em nichos estabelecidos, a criatividade pode não ser mais o suficiente para atingir os usuários. Em vez disso, a frequência dos anúncios e a variedade de canais em que você aparece mudam o jogo”, aponta Larionova.

Os anúncios push são especialmente eficazes em setores como produtos financeiros, comércio eletrônico, aplicativos e jogos, atraindo a atenção do público para uma finalidade específica e levando-o diretamente para o produto ou serviço divulgado. Ao adotar essa ferramenta, as marcas podem não apenas controlar melhor seus orçamentos, mas também alcançar um público novo e engajado de maneira inovadora.

“A ascensão do Brasil à proeminência econômica e a crescente influência das marcas locais estão a atrair a atenção da comunidade publicitária internacional. É claro que o mercado brasileiro pode se beneficiar com uma maior variedade de formatos publicitários. Esses formatos estão atualmente sub-representados. É por isso que prestamos muita atenção às necessidades e exigências de nossos clientes brasileiros para entender melhor como nossas soluções podem fazer a diferença financeira para eles”, ressalta a Head de Marketing da PropellerAds.

Além do Marketing Digital, os pushs também são utilizados com sucesso por veículos de comunicação, tanto como parte da estratégia de distribuição de conteúdo quanto para atribuir um maior peso a um determinado assunto, de acordo com critérios jornalísticos e editoriais.

IAB Brasil lança o guia Metaverso para a publicidade digital, com insights para marcas e anunciantes

IAB Brasil lança o guia Metaverso para a publicidade digital, com insights para marcas e anunciantes

Material desenvolvido pelo Comitê de XR, Metaverso e Games do IAB Brasil explora a origem do metaverso, cases de sucesso e o potencial que representa para players do segmento

São Paulo, 27 de fevereiro de 2023 – O IAB Brasil, associação que tem como objetivo o desenvolvimento sustentável da publicidade digital no país, anuncia o lançamento do guia “Metaverso para a publicidade digital: um olhar para além do hype”, que visa auxiliar anunciantes a navegarem neste ambiente de forma mais eficaz e estratégica. Desenvolvido ao longo de 2023 pelo comitê de XR, Metaverso e Games do IAB, o guia oferece uma visão abrangente do cenário atual do metaverso, seu impacto, desafios e oportunidades dessa tecnologia na publicidade digital.  

Na era da transformação digital, o metaverso emerge como um campo de possibilidades para marcas e anunciantes, chegando a movimentar US$ 61 bilhões em 2022 e US$ 82 bilhões em 2023, segundo estimativas da Statista. Neste contexto, o material desenvolvido pelo IAB Brasil explora este ecossistema dinâmico, repleto de potenciais desconhecidos e inovações que estão moldando gradualmente a forma como os usuários se conectam com as marcas e entre si. 

“O guia é uma fotografia do mercado hoje, em um período em que as tecnologias avançam de forma rápida e convergente. Como acontece com outras tecnologias emergentes, vivemos em 2023 o pico das expectativas infladas – e agora que a espuma baixou, as pessoas que estão desenvolvendo o metaverso aberto e interoperável continuam trabalhando. Este guia é um convite para que juntos possamos criar um metaverso ético, responsável e inclusivo”, afirma Simone Kliass, presidente do Comitê de XR, Metaverso e Games do IAB Brasil e fundadora da XRBR (Associação Brasileira das Empresas e Profissionais de Realidades Estendidas). 

O material explica a origem do conceito de metaverso, sua trajetória dentro do universo digital, a linha do tempo da construção dessa tecnologia e desafios no desenvolvimento de uma nova era na internet. Além disso, o guia destaca iniciativas do metaverso no mercado publicitário, de quais formas ele já está sendo explorado e cases de sucesso, incluindo ativações de marcas em jogos, como Fortnite e Roblox. Por fim, aborda as métricas utilizadas para mensurar resultados nesse ecossistema e oportunidades para agências e anunciantes. 

“O guia ‘Metaverso para a publicidade digital’ é um recurso valioso para os profissionais de marketing que desejam compreender e explorar esta tecnologia em sua jornada evolutiva na perspectiva da publicidade. Ao destacar cases, estratégias eficazes e métricas utilizadas, estamos fornecendo as ferramentas necessárias para profissionais da área e interessados no assunto compreenderem, experimentarem e se adaptarem a um ambiente em constante transformação”, conclui Simone Kliass. 

Clique aqui para acessar o guia “Metaverso para a publicidade digital: um olhar para além do hype”. 

Novas soluções de marketing digital despontam em um cenário sem cookies de terceiros, aponta estudo

Novas soluções de marketing digital despontam em um cenário sem cookies de terceiros, aponta estudo

Relatório da RTB House aponta quais oportunidades e estratégias devem guiar o setor publicitário após o fim dos third-party cookies no Chrome

São Paulo, fevereiro de 2024 – O ano de 2024 começa com mudanças significativas para o mercado de marketing e publicidade. Em janeiro, o Google iniciou a desabilitação dos third-party cookies dentro do seu navegador, o Chrome, uma medida que inicialmente atinge 1% do tráfego de pessoas conectadas, mas que deve se estender a todos os usuários do navegador até o final do ano.  Anunciantes, publishers e agências precisarão se adaptar à nova realidade, cada um à sua forma.

Frente às mudanças em andamento, a RTB House, empresa global que fornece tecnologias de marketing digital para as principais marcas e agências do mundo, desenvolveu o estudo “Planejamento de Mídia 2024: Tendências & Oportunidades em um Mundo sem Third-Party Cookies”. No material, a martech elenca soluções e estratégias que ganham maior relevância dentro do novo cenário que se desenha para a mídia programática, mais complexo e restritivo no que diz respeito a informações individuais dos usuários e, portanto, mais desafiador para a elaboração de campanhas publicitárias personalizadas.

“Desde 2020, quando o Google anunciou o fim dos cookies de terceiros, temos contribuído ativamente para a criação de um ecossistema propício à mídia programática e que ainda mantenha a privacidade do usuário. Em testes realizados no decorrer do último ano simulando o mundo sem third-party cookies, registramos 94,5% de eficácia na recomendação de produtos”, comenta André Dylewski, diretor de Desenvolvimento de Negócios da RTB House para a América Latina. 

Segundo o estudo, dentre as soluções que ganham maior tração no novo cenário, destacam-se:

  • Algoritmos de deep learning e IA generativa, por serem mais precisos e assertivos em tomadas de decisão e por terem maior capacidade de interpretar e correlacionar dados, mesmo em um ambiente mais restrito e complexo no que diz respeito à disponibilidade de dados – sendo 50% mais eficiente para a mídia programática;
  • Maior compreensão sobre a jornada do usuário, o que demanda maiores esforços em ferramentas de atribuição e que permitam compreender o lifetime value de cada usuário – indo além do seu potencial de retorno, mas essencialmente identificando a sua posição dentro do funil de vendas e onde potenciais consumidores estão “escapando”;
  • Foco redobrado em abordagens full funnel que permitam acompanhar a evolução do usuário dentro do funil de vendas, possibilitando a entrega de anúncios direcionados para cada etapa e perfil de usuário: awareness, consideração (engajamento e/ou reativação de usuários dormentes) e conversão.   

“Em média, um usuário necessita de quatro interações com a sua marca antes de realizar uma primeira compra, sendo que campanhas tradicionais de retargeting tendem a cobrir até 20% da base de potenciais compradores. Ou seja, é preciso investir em um mix completo que não somente lhe permita chegar a novos usuários, mas que também que lhe forneça mais insumos sobre as diferentes audiências interagindo com a sua marca”, explica Dylewski.

E-commerce se fortalece na América Latina

Enquanto o volume de compras pela internet no mundo retraiu 6% no segundo trimestre de 2023 em comparação ao mesmo período do ano anterior, na América Latina o total de compras realizadas cresceu 5%, segundo dados da Salesforce compilados no estudo. A mesma diferença é notada quando avaliado o tráfego de usuários em plataformas de e-commerce: crescimento de 19% na América Latina frente um crescimento tímido de 3% no restante do mundo.

Segundo análise da RTB House, os números apontam para uma nova fase do e-commerce na América Latina, com mais consumidores tendo acesso às plataformas online de compra e optando pelo modelo online, o que consequentemente tem forçado a entrada de novos players no modelo de negócio.

Para mais informações, acesse o estudo completo realizado pela RTB House.

Como a inteligência artificial está revolucionando a maneira como as marcas se comunicam com seu público-alvo

inteligencia-artificial-termos

Como a inteligência artificial está revolucionando a maneira como as marcas se comunicam com seu público-alvo

Especialista destaca IA como um impulsionador chave para estratégias de marketing mais eficientes e inovadoras, redefinindo assim o panorama do marketing digital

São Paulo, fevereiro de 2024 – A evolução da Inteligência Artificial (IA) está remodelando o cenário do marketing digital, oferecendo às empresas ferramentas inovadoras para aprimorar a eficácia e a eficiência de suas campanhas online. A IA se estabelece como um parceiro estratégico no setor, possibilitando avanços anteriormente vistos apenas na ficção científica.

Pablo Lemos, diretor do NeoDash, uma plataforma de governança de dados dotada de Inteligência Artificial, e CTO da NeoPerformance, agência líder em marketing digital, destaca a importância crescente da IA no campo do marketing digital: “A IA deixou de ser apenas uma promessa futurista para se tornar uma realidade indispensável no marketing. Estamos testemunhando uma mudança de paradigma, onde as estratégias de marketing são cada vez mais impulsionadas por dados e análises preditivas proporcionadas pela IA”, afirma Lemos.
 

Pesquisas recentes, como o Panorama do Marketing da RD Station, reforçam essa tendência, com 73% dos profissionais de marketing identificando a IA como a principal tendência do setor. Plataformas que integram IA de última geração estão transformando tarefas repetitivas, como a geração de relatórios e o monitoramento de KPIs, em processos automatizados e eficientes.
 

“O verdadeiro poder da IA no marketing digital reside na sua capacidade de transformar grandes volumes de dados em insights acionáveis, liberando os profissionais de marketing para se concentrarem em estratégias criativas e desenvolvimento de conteúdo”, acrescenta Lemos.
 

Um dos casos de sucesso da agência NeoPerformance é do segmento de dark kitchens, ou seja, de cozinhas direcionadas para o mercado de delivery, ilustra o impacto da IA no marketing digital. A implementação de estratégias de IA resultou em uma redução significativa no custo por venda e um aumento no volume total de vendas. Especificamente, em comparação com os seis meses anteriores, houve uma redução de 28% no custo por venda final e um aumento de 17% no volume total de vendas, demonstrando a capacidade da IA em otimizar funis de venda complexos. Para mais detalhes sobre este reconhecimento, visite NeoPerformance’s Triumph at Meta 2024 DataCamp.

Além do NeoDash, outras plataformas também estão auxiliando na gestão de dados e métricas no marketing digital:

HubSpot: Esta plataforma se concentra em Marketing e Vendas, incorporando automações para o topo de funil, campanhas e Landing Pages (LPs). Sua integração com o Gmail para automação de e-mails, análise de leads e personalização de conteúdo e relatórios, embora não seja exclusivamente focada em IA, utiliza tecnologias importantes para essas operações.

Creatopy: Uma ferramenta inovadora destinada a otimizar o tempo no desenvolvimento de peças criativas em publicidade e design. “Com a capacidade de produzir múltiplas variações de um design com apenas alguns cliques, a Creatopy tem sido uma adição valiosa na NeoPerformance, economizando horas de trabalho manual”, compartilha Lemos.

Google AI: Oferece uma ampla gama de soluções de IA, incluindo análise de dados, aprendizado de máquina e processamento de linguagem natural. Ferramentas como Google Analytics e Google Ads utilizam a IA do Google para otimizar campanhas publicitárias e entender o comportamento do usuário. “Estamos apenas arranhando a superfície do que é possível com a IA no marketing digital”, conclui Pablo Lemos. “À medida que essas tecnologias evoluem, esperamos ver estratégias cada vez mais personalizadas e eficientes, mudando fundamentalmente a forma como as marcas se comunicam com seus públicos”.

PaGol realiza campanha para conversão de milhas de até R$ 6,5 mil reais

PaGol realiza campanha para conversão de milhas de até R 6,5 mil reais

O cliente poderá receber dinheiro para usar com passagem aérea, hotéis e até em compras no shopping Smiles

São Paulo, janeiro de 2024 – A PaGol, a primeira conta digital com serviços e produtos para quem ama viajar, lança mais uma campanha exclusiva para todos os seus clientes: Receba até R$ 6.500,00 ao trocar suas milhas por dinheiro e pode utilizá-lo como preferir. Oferta válida até o dia 31 de janeiro, às 23h59.

Na compra de milhas, o cliente Turbo Milhas, programa de fidelidade PaGoL, receberá a cada mil milhas o valor de R$ 13,00 e o não assinante receberá R$ 12,00. Toda a conversão de milhas é feita diretamente no aplicativo da PaGol, sendo depositado na conta PaGol em até 72 horas após a confirmação da transação.  

Essa é uma oportunidade que a PaGol está oferecendo para evitar a perda de milhas, que estão prestes a expirar. Caso o dinheiro fique parado na conta PaGol, ao pagar um boleto, ou utilizar o cartão de débito, o cliente volta a receber milhas. Para ter acesso a melhor condição desta oferta é necessário que o cliente já seja assinante Turbo Milhas antes de efetuar a conversão.

Cada cliente possui o limite de conversão em milhas de até 500 mil diárias e 1 milhão de milhas por mês por CPF do interessado ou Conta Família (modalidade Smiles em que é viável juntar milhas de até seis pessoas em uma única conta). Além disso, clientes PaGol podem realizar até cinco conversões de milhas por dia.

Ainda está no ar a superpromoção de aniversário da PaGol: os clientes ativos cadastrados no link, concorrem a 100 mil milhas por mês até abril de 2024. (A validade das milhas respeita o prazo de expiração da Smiles).

Para mais informações, confira o regulamento aqui.

Sete tendências para definir a publicidade em 2024

Sete tendências para definir a publicidade em 2024

Executivos da LiveRamp dividem abaixo suas expectativas para 2024 para o mercado da publicidade e marketing, tendo como base a experiência e a visão de quem atua em diversas regiões no mundo.

  1. O conjunto de habilidades e KPIs do profissional de marketing se transforma com a inteligência artificial.

Kimberly Bloomston, Chief Product Officer: “A inteligência artificial, com os grandes modelos de linguagem e IA generativa,  incorpora-se ao mercado adtech, transformando resultados e trazendo maior eficiência nas diretrizes comerciais. Em resultado, as estruturas e as funções organizacionais exigirão um conjunto maior de competências, com perspicácia técnica e experiência em dados, incluindo operação, análise e ciência de dados. As equipes que ainda não investiram em cientistas de dados terão que criar essas funções, seja contratando consultores externos, seja buscando as melhores ferramentas para tornar isso mais fácil. Será uma evolução acelerada do perfil do profissional de marketing, reduzindo a necessidade de funções dedicadas a processos, as quais passam a contar com a tecnologia e a IA para acelerar a eficiência das operações publicitárias, da redação, do design visual e muitas outras atividades. Desse modo, o pensamento crítico, os conceitos de design e a influência se tornarão competências altamente desejáveis para complementar o que a IA pode oferecer.”

  1. Saem os sinais de terceiros, e os profissionais de marketing passam a adotar as identidades autenticadas e duráveis.

Travis Clinger, Chief Connectivity & Ecosystem Officer: “A descontinuação de 1% dos cookies de terceiros no Chrome é um marco significativo para a despedida desse modelo de operação. Com a eliminação de 100% dos cookies de terceiros em apenas alguns meses, marcas, publishers e seus parceiros levarão a cabo a solidificação de seus planos para uma internet sem cookies. Independentemente dos cronogramas do navegador e de outras incertezas macro, 2024 verá os estágios finais da migração do uso dos sinais de terceiros para o uso de identidade autenticada. Até o final do ano, todos os profissionais de marketing experientes terão determinado que os benefícios dos poucos sinais de terceiros restantes são largamente compensados pelos ganhos imediatos da identidade pós-sinal — que permite que eles construam de forma sustentável, indo além dos sinais de terceiros, para enfrentar outros desafios.”

  1. Cresce a confiança dos anunciantes na nuvem, com novos acordos para padronização e transparência da mídia.

Vihan Sharma, Chief Revenue Officer: “A perda de sinal está levando os anunciantes a reescrever os fluxos de trabalho que usam há décadas. Essa mudança massiva fará com que as empresas considerem cada vez mais os data warehouses em nuvem como o único lugar para construir gráficos de identidade próprios e fluxos de trabalho de audiência e medição. À medida que os modelos de mídia se espalham por mais setores verticais da indústria, a padronização nas definições de audiência e a medição baseada em resultados também se tornarão uma necessidade. Os gastos com publicidade em commerce media aumentarão em 2024, levando os anunciantes e as agências a exigirem mais transparência dos parceiros, a fim de otimizar os gastos com mídia em um cenário fragmentado.

A indústria passou os últimos dois anos reforçando a adoção de data clean rooms (DCRs) de terceiros, baseadas na nuvem, para construir parcerias mais estratégicas. Conforme a colaboração de dados se torna ainda mais popular, os anunciantes utilizarão as clean rooms como mais um argumento para exigir maior transparência. Os publishers que adotarem a colaboração e fornecerem às marcas acesso a conjuntos de dados novos e exclusivos para segmentação e medição serão aqueles que receberão mais investimento em publicidade no futuro.”

  1. A colaboração de dados fortalecerá a retail media de maneiras novas e poderosas.

Lori Johnshoy, Head of Global Retail and CPG Strategy: “A próxima geração das redes de mídia de varejo (do inglês RMNs, retail media networks) se concentrará em fornecer aos anunciantes produtos e serviços que permitam comandar uma fatia maior dos orçamentos publicitários. Não é novidade que a medição será o tema mais quente em 2024, com ênfase em fornecer aos anunciantes ferramentas de autoatendimento que permitam flexibilidade para construir públicos, ativar campanhas e controlar regras de medição para comparar o desempenho entre as plataformas.

Comprovar o desempenho será fundamental para que as RMNs impulsionem o crescimento incremental. É por isso que veremos mais varejistas e CPGs acelerando o uso de data clean rooms para compartilhar e colaborar com segurança. Em 2024, também podemos esperar que novas áreas de foco, como monetização na loja e mídia de funil completo, cresçam em popularidade. Considerando que o comportamento dos compradores continua a mudar, será fundamental fornecer aos anunciantes flexibilidade e personalização por segmento e vincular esses públicos ao local onde o consumo de mídia está acontecendo ao longo do funil. As RMNs estão posicionadas de forma única para atingir indivíduos em todos os canais de mídia e aproveitar seus ativos diferenciados e próprios para influenciar a conversão.”

  1. Os órgãos reguladores mudarão o foco para a inteligência artificial, exigindo uma consideração cuidadosa por parte dos anunciantes.

Amy Lee Stewart, VP, General Counsel and Global Chief Data Ethics Officer: “O governo dos EUA está tomando medidas em direção a uma governança federal abrangente em inteligência artificial, enquanto os governos locais continuam desafiados a desenvolver suas próprias leis de IA. Isso colocou a IA em uma fase de ’Velho Oeste‘ no início de 2024. Mais organizações adotarão a IA generativa neste ano, seja por meio de desenvolvimento interno de software ou de fornecedores terceirizados, mas, nos próximos 12 meses, uma onda significativa de regulamentações de IA pode tornar as práticas atuais instáveis e não conformes. Será fundamental que os anunciantes antecipem suficientemente as regulamentações futuras ou correm o risco de deixar incerto o futuro dos programas existentes. Profissionais de marketing e anunciantes com visão de futuro construirão seus programas de IA com uma abordagem de privacidade desde o design. Alguns inovadores tomarão mesmo a iniciativa de estabelecer o primeiro conjunto de padrões de IA centrados na privacidade da indústria. Aqueles com esta mentalidade voltada para o futuro emergirão como líderes no uso ético de dados e como inovadores que desbloquearão todas as capacidades da IA.”

  1. As tecnologias federadas ajudarão a extrair mais valor dos dados enquanto eles permanecem inalterados – e protegidos.

Erin Boelkens, VP of Product, Identity and Connectivity: “À medida que as tecnologias que melhoram a privacidade e os DCRs se tornam mais populares, a adoção da federação de dados aumentará em 2024, conforme os anunciantes expandirem o uso da nuvem. As tecnologias federadas permitem que as marcas processem os dados onde eles estão, possibilitando que os parceiros colaborem em seus ambientes preferidos e, ao mesmo tempo, minimizem a movimentação de dados. Essa capacidade sem dúvida levará a velocidades de processamento mais rápidas e a custos reduzidos de armazenamento e computação, mas também fortalecerá parcerias estratégicas, maximizará o ROI de marketing e, o mais importante, adicionará mais proteção aos dados do consumidor. Isso permitirá que os profissionais de marketing e os anunciantes compreendam e interajam melhor com os consumidores, ao mesmo tempo que melhoram a capacidade dos dados de gerar valor para o negócio. As empresas que atendem os consumidores podem conhecê-los melhor e interagir com eles por meio da colaboração estratégica com parceiros que também buscam construir melhores relacionamentos e resultados para – e com – seus clientes.”

  1. A CTV apostará tudo em ferramentas de colaboração de dados, como data clean rooms e retail media, para transformar a medição. 

Tara Franceschini, Head of Industry Strategy, Media & Entertainment: “O uso da colaboração de dados na TV conectada crescerá exponencialmente neste ano, à medida que o consumo de CTV continua a aumentar. Os DCRs, que são cada vez mais utilizadas em acordos de comunicação social, serão provavelmente uma parte importante dos Upfronts de 2024, especialmente aqueles negociados por agências e marcas que sabem que os dados estarão no centro de todos os grandes negócios neste ano. A união das redes CTV e das operações de retail media também se tornará mais evidente e impactante, considerando que cada setor procura escalar e melhorar o desempenho. A adesão desses varejistas também representa uma oportunidade de trazer a tão desejada transparência e impacto mensurável aos anunciantes. O acesso a dados de exposição, que anteriormente estavam isolados e inacessíveis entre parceiros de mídia, permitirá que os anunciantes entendam de forma mais holística os canais e incluam recursos de medição mais aprimorados para múltiplas telas. A colaboração de dados será usada para conectar dados em todas as formas de TV, CTV, redes sociais e publicidade digital, capacitando os anunciantes a compreender melhor o desempenho da mídia, fortalecer parcerias e impulsionar um crescimento significativo”.

Thing or Two destaca o fim dos cookies de terceiros e novas estratégias para o Marketing Digital

Thing or Two destaca o fim dos cookies de terceiros e novas estratégias para o Marketing Digital

Segundo a consultoria global, o Privacy Sandbox do Google representa uma nova e dinâmica era na publicidade digital

Janeiro de 2024 – O mercado de marketing digital terá de se adaptar a uma nova realidade a partir deste ano, após o anúncio do Google de iniciar a desativação dos cookies de terceiros em seu navegador, o Chrome. Por outro lado, assim como outras grandes mudanças, esse fato pode se transformar em uma janela de oportunidade para as empresas e profissionais que souberem se adaptar.

Os cookies são arquivos criados por sites para coletar informações sobre a navegação do usuário na internet. Por meio deles, por exemplo, você pode receber anúncios de montadoras em sites e aplicativos após pesquisar sobre “carros” na internet. Com a desativação desse recurso, empresas e profissionais terão de buscar novos elementos para elaborar campanhas de marketing, que cada vez mais demandam personalização.

Para se preparar para essa mudança, o Google criou o Privacy Sandbox, um conjunto de soluções de rastreamento de dados digitais sem o uso de cookies de terceiros. Ele surge como uma força transformadora na paisagem da publicidade digital, respondendo ao desafio iminente da depreciação dos cookies de terceiros.

Segundo Jordi Martinez, Diretor Executivo da Thing or Two, uma consultoria global de tecnologia móvel comprometida em proporcionar crescimento significativo para marcas e seus especialistas, essa iniciativa se destaca como um testemunho do compromisso do Google em fomentar um ambiente web mais privado e seguro, garantindo a viabilidade contínua da publicidade online.

“O Privacy Sandbox do Google surge como uma força transformadora na paisagem da publicidade digital. Com um objetivo compartilhado entre as plataformas Chrome e Android, o Privacy Sandbox visa redefinir tecnologias de rastreamento e medição sem comprometer a privacidade do usuário.”

Um “retorno às origens”

Uma preocupação expressa por empresas e profissionais do Brasil é que o mercado ainda está se preparando para operar com a assistência de cookies. Martinez reconhece essas preocupações, mas sugere que um “retorno às origens” do marketing pode auxiliar nessa tarefa.

“Uma solução valiosa é a ênfase no direcionamento contextual, um retorno aos fundamentos do marketing. Adaptar nossas criações para se alinhar com o contexto ou conteúdo da plataforma pode fornecer uma alternativa prática ao direcionamento de usuários, garantindo que nossas mensagens ressoem dentro de ambientes específicos.”

Considerando o novo cenário à frente, os especialistas da Thing or Two sugerem três direções principais que os anunciantes podem tomar:

1 Direcionamento Contextual:
Na ausência de cookies de terceiros, o direcionamento contextual ganha destaque. Os anunciantes se voltam para entender o contexto de aplicativos ou sites, enfatizando os fundamentos do marketing. Alinhar as criações com contextos específicos garante relevância e ressonância com o público, fomentando um engajamento eficaz.

2 Aprimoramento de Dados Proprietários:
A depreciação dos cookies de terceiros eleva a importância dos dados proprietários. Líderes da indústria como Amazon e Walmart demonstram o poder de alavancar dados transacionais para publicidade direcionada. Os anunciantes devem investir e fortalecer fontes de dados proprietários, obtendo insights mais profundos sobre seu público sem depender exclusivamente de mecanismos de rastreamento externos.

3 Foco Criativo em um Ambiente Centrado na Privacidade:
À medida que a indústria adota modelos centrados na privacidade, elementos criativos desempenham um papel fundamental. Os anunciantes intensificam seu foco em criar criações atraentes e contextualmente relevantes. Entender o contexto e as preferências do público se torna primordial, com testes A/B e otimização criativa garantindo a eficácia da campanha na ausência de dados de usuário granulares.

Na verdade, a iniciativa do Google e a transição para o Privacy Sandbox não são apenas uma adaptação necessária, mas uma porta de entrada para uma era de publicidade digital mais inteligente e respeitosa à privacidade.

“Anunciantes devem navegar estrategicamente por essas mudanças, aproveitando ferramentas inovadoras para garantir publicidade personalizada, mas que respeite a privacidade, em um cenário em constante evolução. A resposta da indústria a esses desafios moldará o futuro da publicidade direcionada, enfatizando a privacidade, contexto e criatividade”, destacou Martinez.

Quatro dicas para vender mais usando a PNL

vendas aumentar

Quatro dicas para vender mais usando a PNL

A Programação Neurolinguística pode ser altamente eficaz e até determinante para o sucesso de uma negociação. Por isso, a treinadora e palestrante Mari Possidonio, especialista em comunicação e Programação Neurolinguística, listou quatro dicas práticas para usar durante a negociação e fechar vendas com mais facilidade:

  • Considere um dos perfis de cliente: Consumidor visual (aquele que gosta mais de entender as informações de um produto por meio de imagens), consumidor sinestésico (é aquele cliente que toca bastante no produto antes de decidir pela compra) ou um Consumidor auditivo (prefere ouvir explicações sobre determinado produto antes de compra-lo). Sabendo identificar que tipo de consumidor o seu cliente é, fica mais fácil compreender suas reais necessidades e se comunicar com ele.
  • Evite palavras que gerem dúvida: Utilizar palavras como “Não”, “Mas” e “Talvez” podem atrapalhar sua venda. Estas são palavras relacionadas à incerteza, insegurança, negatividade, o que faz com que opte por esperar mais ou não realizar a compra naquele momento. Para o sucesso da venda, prefira palavras positivas, que ressaltem as qualidades e benefícios do produto ou serviço.
  • Atente-se à linguagem corporal do cliente e utilize o rapport: A linguagem corporal do cliente pode contribuir muito mais para o fechamento de uma venda, do que as próprias palavras. Para saber se ele está atento e/ou interessado à sua fala, você pode espelhar movimentos ou a postura dele e vice-versa. Se a correspondência ocorrer, considere recíproco.
  • Associe produtos ou serviços a sentimentos: O cliente vai lembrar da experiência que aquele produto pode proporcionar a ele. Foque no propósito que o produto ou serviço tem. De que forma vai ajudar o cliente? Qual é o diferencial?

*Mari Possidonio é Treinadora e Palestrante, especialista em Comunicação e Programação Neurolinguística

7 dicas de branding e erros que você deve evitar

7 dicas de branding e erros que você deve evitar

Por Gabi Gonçalo, Head of Growth na Mega Comunicação e Beto Harger, CEO da Mega Comunicação

Você já parou para pensar que, no mundo do marketing, até os gigantes tropeçam? Nesses 16 anos acompanhando o universo de comunicação das grandes empresas, vimos de tudo um pouco. E sabe o que mais chamou a nossa atenção? A frequência com que até os mais experientes cometem erros básicos na execução da sua estratégia de branding.

São as falhas mais óbvias que impedem a maioria das empresas de alcançar melhores resultados. Mas será que elas são tão óbvias assim? Confira a seguir os 6 erros mais comuns que você deve evitar:

  1. Achar que marca é só logo e slogan

Ah, se fosse tão simples! Marca é muito além do que se vê, é sobre o que o público sente. É a história contada nos detalhes, na essência, na experiência que proporciona. Portanto, um processo de criação de branding é algo complexo, sim e de alto valor agregado. Pense que é a partir dessa estratégia que sua empresa será percebida e isso terá, pelo menos, 90% de impacto na decisão de compra. 

Sem um bom Branding, não existe nenhuma outra estratégia de Marketing que fará milagre. Por isso, projetos que entregam, por exemplo, uma marca, fontes, cartela de cores e quem sabe até arquétipo, não são projetos de branding. 

Ao definir com a sua marca vai ser, pense também em como ela ressoa com sua audiência. Por exemplo, ao invés de focar apenas no visual, crie uma narrativa em torno de seu produto. Como ela seria se fosse uma pessoa? Não sabe a resposta? Pergunte para o seu cliente.

  1. A falta de consistência

O que faz a Coca-Cola ser reconhecida no mundo todo, mesmo que escrita em mandarim? Claro que são vários fatores, mas o fato de ter uma consistência em seu posicionamento e manter uma estratégia em cadências que se conversam faz toda a diferença. 

O que estamos querendo dizer é que muitos dos planejamentos de branding se perdem no caminho e deixam de ser colocados em prática. Dentre os motivos identificados temos esses principais:

  • Estratégia de Branding não orienta como colocá-la em prática 
  • Planejamento desalinhado com todas as lideranças da empresa
  • Mudança da estratégia de Branding para copiar a concorrência
  • Falta de organização e disciplina para seguir o planejado

Tenha consistência nas ações da sua marca. Parar ou mudar o tempo todo não é opção para quem deseja se destacar no mercado.

  1. Ignorar o papo do cliente

Ao iniciar a estratégia de branding sabemos da importância da coleta de dados. Muitas vezes esses dados não são coletados, ou seja, a estratégia é criada em cima do conhecimento e achismos de um profissional. Por outro lado, outros entendem a importância e conversam com o cliente para ter determinados direcionamentos. Isso pode ser um bom passo, mas de forma ideal, é preciso ouvir pelo menos os líderes das áreas da sua empresa que estão em contato direto com o público alvo e que carregam dados qualitativos de extrema importância. 

Portanto, ouvir o cliente não é somente sobre estar atento ao que uma persona diz, é sobre mergulhar na própria empresa, o cliente tem vários pontos de contatos que enriquecem demais a estratégia. 

  1. Não conhecer seu público

Esse ponto tem relação direta com o item anterior. O que fazemos para conhecer nosso público-alvo? Estudos de mercado, pesquisas e conversas quantitativas com clientes e potenciais clientes também são super necessárias. 

Mas, além disso, se sabemos que como os outros nos veem é diferente de como nós nos vemos, e também diferente de como realmente somos, o que fazer? Ignorar o cliente? Do contrário, colher informações de diferentes perspectivas para poder cruzar os dados coletados e encontrar gaps de imagem, necessidades e desejos do público-alvo. Qual o problema disso? Dá trabalho. Sim, por isso muitas empresas, até mesmo as grandes que têm times de marketing enormes preferem contratar especialistas para realizar esse trabalho. 

E aí, você conhece o seu público como ele se vê ou você o conhece como ele realmente é? 

  1. Ser mais um na multidão

Poucas empresas sabem o que diferencia elas do mercado. Geralmente é algo que elas enxergam, mas não o que o cliente vê no momento de compra. Por isso, acabam focando em diferenciais que não são valorizados e acabam não obtendo o crescimento desejado. 

Para encontrar seus diferenciais voltamos ao ponto 2 e 3, ouvir o cliente e obter vários pontos de contato para coleta de informações. Se não tiver diferencial é preciso criá-lo, seja criando uma estratégia com o time de produtos… Ah! Atendimento de qualidade não é um diferencial! Entende-se como diferencial aquilo que nenhum outro concorrente pode oferecer. 

Num mar de marcas, ser só mais uma é dar tchau para o destaque. A chave? Diferenciação. O que faz a sua marca ser a única na prateleira? Descubra isso e você descobre o tesouro.

  1. Marca estagnada

Uma vez feito um processo de branding, quando fará sentido atualizar? Para responder a essa pergunta é só você ver quantas vezes a marca Itaú mudou a sua marca e posicionamento. Muitas! Nem sempre são mudanças drásticas, mas até mesmo as pequenas mudanças são importantes para que a sua empresa não seja engolida pelo concorrente. 

Marca não é estátua, é árvore, sempre crescendo, se adaptando. Ficar parado no tempo é convite para o esquecimento. Evolua, inove, se reinvente. Mantenha a essência, mas não o formato.

  1. Não medir resultados

Medir o impacto da sua marca é crucial. Isso pode ser feito observando a redução do custo de aquisição de leads, o aumento nas buscas pela marca, e maior engajamento nas redes sociais. Além disso, monitore o Net Promoter Score (NPS) para entender a lealdade do cliente. Outro indicador importante é a análise de sentimento em menções da marca online, que pode revelar percepções positivas ou negativas. Por fim, acompanhe o crescimento das vendas e a participação de mercado como indicadores de sucesso do branding.

Cada erro evitado é um passo mais perto do sucesso. Lembre-se, branding não é um destino; é uma jornada contínua. Esteja sempre atento, adaptando-se, crescendo. O futuro do seu branding começa agora. Está pronto para essa aventura?

Desafios e oportunidades: tendências de marketing digital para 2024

Desafios e oportunidades: tendências de marketing digital para 2024

Por Fernanda Momm, sócia da Presse Comunicação, jornalista e especialista em Marketing Digital

Quando falamos em tendências de marketing digital para 2024 o uso da inteligência artificial generativa certamente aparece no topo da lista. Para se ter uma ideia da dimensão deste tema, segundo dados da Hootsuite, o  interesse é tão grande que, de 2022 a 2023, os tópicos relacionados a aprendizado sobre IA aumentaram 550%, de acordo com uma análise realizada com mais de 15.500 artigos de notícias e blogs. E os profissionais de marketing social certamente mergulharam de cabeça nessa onda. 

Porém, é preciso ficar atento ao uso da IA porque a questão da confiança ainda é uma grande sombra que ronda sobre o uso dessas ferramentas. O público está mais atento às notícias falsas e a ideia de uma máquina que junta palavras ou mistura imagens para serem compartilhadas on-line deixa algumas pessoas desconfortáveis.  Segundo um estudo  do Pew Research Center, 45% dos adultos norte-americanos estão igualmente preocupados e animados com isso, enquanto 37% estão mais preocupados do que animados, e apenas 18% estão mais animados do que preocupados. Ou seja, a maioria dos consumidores estão menos propensos a se envolver e confiar em um conteúdo se souberem que ele foi criado por um aplicativo de IA.

Estar presente nas redes sociais é essencial para posicionar qualquer negócio. É o lugar onde as pessoas estão e as marcas precisam ser encontradas sem que o público precise sair dessas plataformas. Empresas invisíveis nas redes sociais correm o risco de serem esquecidas. Mas, com a sobrecarga de informações, destacar-se pode ser desafiador. É crucial ter uma estratégia clara para se conectar de forma eficaz com o seu público. Pensando nisso e nas novidades anunciadas pelas plataformas de redes sociais, trago para reflexão cinco tendências de marketing digital para 2024.

1 – Uso da inteligência artificial sem perder a autenticidade. É certo que a IA se tornará onipresente nas redes sociais e os profissionais de marketing social devem usar uma ferramenta que facilite suas vidas. Podemos usar a IA como parceira de brainstorming, mas sem perder o foco na experiência que o conteúdo quer criar para o cliente. O olhar humano é quem vai criar estratégias e definir se o conteúdo gerado reforça a marca e se funciona para o público em questão. 

2 – Presença multiplataforma. Quando seu público está em toda parte, marcar presença onde ele estiver é uma tarefa difícil. O usuário médio de mídia social acessa cerca de sete plataformas por mês. Se manter uma presença em apenas uma rede social já é difícil, quanto mais em várias. Esse é um grande desafio para as organizações. Além disso, é importante adaptar o conteúdo para cada rede, uma vez que canais diferentes têm públicos diferentes. Os usuários também têm motivos diferentes para estar em cada plataforma – o Facebook para se conectar com amigos e familiares, o TikTok para se divertir, Instagram para explorar interesses e Twitter/X para receber notícias e atualizações de eventos, por exemplo. 

3 – Possibilidade de remoção de curtidas. O Instagram pode remover definitivamente o recurso de curtidas em postagens. A justificativa dada é que a contagem de curtidas pode influenciar negativamente a saúde mental, uma vez que muitas pessoas associam o valor social à validação por meio dessas interações. Contudo, essa iniciativa tem sido objeto de controvérsias, com críticos argumentando que o Instagram busca essa alteração para aumentar seus ganhos com anúncios, onde existe acesso a métricas sobre o valor investido.

4 – Conteúdo em vídeo. Ele continuará a se destacar nas redes sociais, com formatos como vídeos curtos, transmissões ao vivo e reels/tiktoks. A criação de vídeos atraentes e autênticos será fundamental. O marketing de vídeo evoluiu e se tornou um dos aspectos mais importantes a serem considerados em sua estratégia de marketing de conteúdo. O vídeo é preferido por 80% das pessoas em relação ao texto escrito e já está sendo usado por 87% das empresas como uma ferramenta de marketing. O Instagram já está testando várias formas de ferramentas de edição de imagens. A aposta é  que logo será possível criar imagens colaborativas com IA, nas quais os amigos possam contribuir, criando novos tipos de edições.

5 – O LinkedIn vai despriorizar o conteúdo pessoal e ganhar mais atenção da Geração Z. O LinkedIn já implementou algumas mudanças no algoritmo que priorizam o profissionalismo, incluindo uma que se concentra em conhecimento e aconselhamento. Segundo o próprio LinkedIn, seus usuários consideram o conteúdo mais valioso quando ele está enraizado no conhecimento, especialmente se foi publicado por alguém que eles conhecem. Ou seja, vai ser preciso se esforçar ainda mais para construir uma rede pessoal e seus seguidores para se tornar relevante no LinkedIn em 2024. Mais uma tendência importante a ser observada no LinkedIn em 2024: A geração Z ganhará uma parcela maior da base de usuários. Eles são o grupo demográfico de crescimento mais rápido e já estão ultrapassando os mais velhos quando se trata de adicionar conexões na plataforma.

À medida que nos aproximamos de 2024, as tendências de marketing digital delineiam um cenário dinâmico e desafiador. O uso crescente da inteligência artificial generativa destaca-se como uma ferramenta poderosa, mas a confiança do público permanece uma preocupação crítica. A autenticidade continua sendo a chave, especialmente ao incorporar IA como uma aliada estratégica. Além disso, a necessidade de uma presença multiplataforma é inegável, considerando a dispersão do público nas redes sociais. A possível remoção de curtidas no Instagram, a ascensão contínua do conteúdo em vídeo e as mudanças no LinkedIn indicam uma constante evolução no cenário digital. Os profissionais de marketing enfrentam o desafio de adaptar suas estratégias para conquistar a confiança do público, proporcionando experiências relevantes e autênticas em meio a um ambiente digital em constante transformação.

Experiência do usuário: como fidelizar clientes?

Experiência do usuário: como fidelizar clientes?

*Por Vinicius Pessin, CEO da logtech Eu Entrego

A cada data sazonal, as empresas se empenham não apenas em concluir vendas, mas também em buscar maneiras de conquistar os clientes, visando à fidelização. Nesse contexto, a experiência do usuário se torna a palavra-chave. Quando um cliente realiza sua primeira compra e recebe um produto de qualidade dentro do prazo estipulado, é mais provável que retorne.

Inicialmente, a empresa deve adotar a perspectiva do cliente, uma vez que todos nós desempenhamos o papel de consumidores. Quando realizamos uma compra, naturalmente aguardamos que a entrega seja eficiente.

Para melhor atender o cliente, é fundamental ouvir suas necessidades. Buscar feedbacks dos consumidores ao longo do ano permite à empresa aprimorar constantemente a experiência do usuário, que desempenha papel fundamental na construção da lealdade. Dessa forma, a companhia estará bem preparada para suprir as demandas sazonais, garantindo um serviço de alta qualidade e demonstrando o compromisso em proporcionar a melhor jornada de compra.

No entanto, é preciso lembrar que a relação com o consumidor não se encerra nesse momento. Enviar mensagens de agradecimento e solicitar informações sobre a experiência não apenas contribui para a melhoria dos serviços, como também demonstra o apreço da empresa pela opinião dos clientes. Por isso, após a temporada de compras, é fundamental continuar proporcionando soluções eficientes, o que inclui atender problemas de forma eficaz, oferecer suporte de qualidade e manter a transparência nas políticas de devolução e garantia.

As compras realizadas nessas datas geram oportunidades valiosas para estabelecer vínculos sólidos. A compreensão das necessidades, a manutenção de uma comunicação eficaz e um atendimento consistente são elementos essenciais para construir relações duradouras.

*Vinicius Pessin é CEO da Logtech Eu Entrego,startupde entregas colaborativas – e-mail: euentrego@nbpress.com.br.

Habilidades de vendas: como traçar estratégias para o sucesso dos negócios em 2024 

Habilidades de vendas: como traçar estratégias para o sucesso dos negócios em 2024 

Especialista dá dicas de como desenvolver habilidades fundamentais para vender mais e conquistar mais clientes

Desenvolver competências em vendas é essencial para ampliar os resultados e impulsionar a lucratividade do seu negócio. Para atingir esse objetivo, é fundamental cultivar a empatia com os clientes, aprimorar habilidades de comunicação, construir narrativas envolventes, praticar a escuta ativa e compreender as necessidades dos consumidores, pontos fundamentais para alcançar resultados eficazes na empresa. Independentemente do porte do negócio, desde pequenas empresas até grandes corporações, é indispensável contar com uma equipe habilidosa, capaz de atrair clientes e conduzir negociações com eficácia.

Segundo a coach, palestrante e diretora da Febracis Paraná, Daniella Kirsten, para potencializar os resultados, é importante estabelecer uma infraestrutura interna sólida, permitindo a delegação de tarefas e a atribuição de responsabilidades à equipe. “Vender é uma arte, uma habilidade a ser refinada e que, quando é aprimorada continuamente, passa a não apenas alavancar vendas, como também a construir relacionamentos sólidos com os clientes. Nesse contexto, promover o desenvolvimento das habilidades de vendas pessoais e entre os colaboradores do time comercial, torna-se algo essencial para elevar o patamar de crescimento desejado para os negócios”, explica.

Porém antes de mergulhar no universo das vendas, Daniella explica que é essencial compreender a importância de conhecer profundamente o produto ou serviço que você oferece. “O sucesso nas vendas está intrinsecamente ligado ao entendimento minucioso dos recursos, benefícios e aplicações do que está sendo ofertado. Essa compreensão não apenas aumenta a confiança do vendedor, mas também permite uma comunicação mais eficaz, destacando os aspectos que verdadeiramente ressoam com os potenciais compradores. Assim, a base sólida de conhecimento cria alicerces para uma abordagem de vendas eficiente e orientada para resultados” conta a coach.

Dicas para desenvolver habilidades de vendas

Aprimore a arte de ouvir

Um vendedor de alta performance destaca-se pela habilidade de compreender as necessidades do cliente, e essa capacidade começa com a arte de ouvir. Esse profissional não recorre a discursos pré-fabricados, mas sim se aprofunda para entender as dores e problemas do cliente. A argumentação é construída com base nessa compreensão, evidenciando como o produto ou serviço pode resolver essas questões específicas.

Tenha uma comunicação eficiente

Além de ouvir, um bom vendedor deve comunicar-se com clareza e objetividade. Transmitir ideias de forma envolvente, conduzindo o cliente ao longo da jornada de compra com argumentos que destacam o valor do que está sendo oferecido. Vale ressaltar que a comunicação vai além das palavras, incluindo vestimenta, postura e gestos, sendo crucial em todos os canais, inclusive os digitais.

Desenvolva a habilidade de rapport

A habilidade de estabelecer rapport, uma conexão empática entre duas pessoas, é distintiva em vendedores de alta performance. Esses profissionais, atentos à linguagem corporal e adeptos à escuta atenta, criam sintonia com os clientes. Essa sintonia facilita o processo de venda, aproximando o vendedor das necessidades do cliente.

Tenha uma gestão eficiente do tempo

Num cenário onde a falta de tempo é uma queixa comum, bons vendedores destacam-se pela habilidade de gerenciar eficientemente o tempo. Evitando a procrastinação, esses profissionais conseguem atender todas as demandas, equilibrando tarefas, desenvolvimento pessoal e momentos de lazer.

Tenha a adaptabilidade como um diferencial

O mercado e o comportamento dos clientes estão em constante evolução, demandando adaptabilidade. Vendedores de alta performance destacam-se por se adaptar a novas situações e resolver problemas inesperados. Diante de mudanças durante uma interação com o cliente, ajustam seu comportamento para garantir resultados positivos.

Coloque a inteligência emocional em ação

A inteligência emocional é fundamental para controlar comportamentos diante de emoções. Vendedores eficientes identificam seus próprios sentimentos, evitando interferências negativas no trabalho. Além disso, conseguem perceber as emoções alheias, agindo de acordo para manter um ambiente propício às negociações.

Tenha agilidade na resolução de problemas

A habilidade de resolver problemas rapidamente é essencial para um vendedor de sucesso. Enfrentando desafios inesperados durante negociações, esses profissionais identificam soluções ágeis, superando obstáculos e mantendo o processo em movimento.

Foque no engajamento e em motivações constantes

A motivação e o engajamento contínuo são características fundamentais em um vendedor eficaz. Profissionais de alta performance mantêm-se motivados, promovendo esse estado de automotivação, independente de eventos externos, garantindo resultados consistentes.