Software

Amazon Prime Vídeo disponível para Windows 10

amazon prime-video windows 10

A aplicação dedicada da Amazon Prime Video para Windows 10 está agora diretamente na Microsoft Store, a empresa anunciou quinta-feira. Permite a transmissão de vídeos e o seu download para visualização offline. Embora sempre tenha sido possível transmitir conteúdo Prime Video através de um navegador como o Chrome, até agora não havia forma de descarregar vídeos num dispositivo Windows para visualização offline.

A Amazon tem ultimamente reforçado o seu conteúdo original de streaming para competir com rivais como Netflix e Hulu. Isto inclui programas aclamados pela crítica como Fleabag, The Marvelous Mrs. Maisel, e Homecoming. Um relatório recente descobriu que a empresa está “ativamente a perseguir” acordos de licenciamento para televisão, e no início desta semana, introduziu uma funcionalidade Watch Party nos EUA para que até 100 pessoas possam transmitir com amigos.

A aplicação Windows 10 é gratuita, mas a subscrição do Amazon Prime Video é de US$8,99 por mês. Os assinantes da Amazon Prime, que pagam US$119 por uma assinatura anual, recebem gratuitamente o Prime Video.

Um teste inicial descobriu que a aplicação Windows 10 não transmitiria uma resolução superior a HD (720p), semelhante aos limites da versão iPad da aplicação, embora seja possível transmitir a 1080p HD através de um web browser. A opção de download tem três níveis de qualidade de vídeo, Bom, Melhor, e Melhor, com cada nível a utilizar progressivamente mais armazenamento. Mas a aplicação não indica a resolução correspondente a cada camada. Um episódio de 52 minutos de “Tales from the Loop at the Best” ocupou cerca de 2,74GB de espaço.

De acordo com a empresa, a aplicação pode transmitir e descarregar até 1080p HD, “mas pode variar por conteúdo”. Nos testes, não conseguimos obter melhor do que 720p através de vários títulos, apesar de estarem listados como “4K UHD” na própria aplicação.

Via: TheVerge

Android 11 Beta já disponível para alguns usuários do Smartphone Pixel

android smartphone

O Google estava pronto para lançar a versão do Android 11 Beta este mês e a empresa também tinha agendado um evento online para o mesmo no dia 3 de Junho de 2020. Pouco depois, a empresa anunciou que o evento foi adiado, juntamente com todas as conversações do Google I/O Dev que a empresa planeja lançar.

No entanto, alguns proprietários de smartphones Pixel 4 XL informaram ter recebido a nova atualização do Android 11 Beta. O novo Android 11 Beta 1 tem o número RPB1.200504.018, mas parece não estar amplamente disponível neste momento.

A nova atualização do Beta 1 para a próxima grande versão do Android deverá vir com as APIs finais do SDK e NDK. Espera-se também que a empresa abra a publicação Play Store para aplicações destinadas ao Android 11.

A atualização traz várias novas funcionalidades, tais como uma opção para ativar controles multimédia a partir das definições rápidas, personalização de definições do menu Power, sugestões de aplicações para a doca no Pixel Launcher, novos formatos de ícones, e muito mais.

Inicialmente, a Google tinha planeado lançar a versão do Android 11 Beta no mês de Maio de 2020, mas empurrou a atualização para 1 de Junho e em vez disso lançou a versão do Android 11 Developer Preview 4 (DP4). Mas o lançamento oficial da atualização foi novamente adiado e a empresa ainda não revelou novas datas.

Via: Gizmochina

Microsoft Word assinala agora espaços duplos como erros, pondo fim a um grande debate

ms-word

A Microsoft resolveu o grande debate sobre o espaço, e ficou do lado de todos os que acreditam que um espaço após um período é correto, e não dois. O gigante do software começou a atualizar o Microsoft Word para destacar dois espaços após um período (uma paragem completa para vocês britânicos) como um erro, e para oferecer uma correção a um espaço. A Microsoft começou recentemente a testar esta alteração com a versão desktop do Word, oferecendo sugestões através das capacidades editoriais da aplicação.

Se você ainda estiver (estranhamente) do lado dos dois espaços, você poderá ignorar a sugestão. A funcionalidade Editor no Word permite aos utilizadores ignorar a sugestão uma vez, fazer a alteração para um espaço, ou desligar a sugestão do estilo de escrita. Sabemos que a Microsoft tem estado a testar a mudança de funcionalidade recentemente e que em breve será lançada para todos os utilizadores que utilizam a versão desktop do Word. O feedback à mudança tem sido esmagadoramente positivo.

“Como o cerne do grande debate do espaçamento, sabemos que esta é uma escolha estilística que pode não ser a preferência de todos os escritores, razão pela qual continuamos a testar com os utilizadores e permitimos que estas sugestões sejam facilmente aceites, ignoradas, ou completamente descartadas no Editor”, diz Kirk Gregersen, director parceiro da gestão de programas na Microsoft.

Grande parte do debate em torno de um ou dois espaços foi alimentado pelos halcyon days da máquina de escrever. As máquinas de escrever utilizaram fontes monoespaçadas para atribuir a mesma quantidade de espaçamento horizontal a cada carácter. Caracteres estreitos como “i” tinham a mesma quantidade de espaço que “m”, por isso o espaço extra após o “.” era necessário para tornar mais evidente que as frases tinham terminado. As palavras e muitas outras aplicações semelhantes tornam as fontes proporcionais, pelo que já não são necessários dois espaços.

No entanto, isso não impediu que a batalha por um ou dois espaços se prolongasse por décadas. Um estudo sobre a questão, supostamente contestada, deu a vitória aos dois espaços em 2018, mas muitos questionaram a investigação e, claramente, não foi suficiente para convencer a Microsoft. Esperam ver as novas alterações no Word serem apresentadas a todos nos próximos meses.

Via: TheVerge

Deezer desenvolve inteligência artificial que detecta letras explícitas em canções

deezer logo

A Deezer está desenvolvendo tecnologia para detectar automaticamente conteúdo explícito nas músicas.

Ele explicou que a empresa estuda esse problema porque as gravadoras geralmente não reconhecem letras censuráveis ​​ao enviar músicas.

De fato, ele disse, “grande parte” de sua biblioteca de músicas não possui etiquetas para indicar se a música contém um idioma ou tema forte. Em resposta, você está trabalhando em uma maneira de marcar automaticamente o conteúdo.

Embora a tecnologia não tenha conseguido “marcar músicas como músicas claras de maneira totalmente automatizada”, ela pode ser usada para ajudar as pessoas a identificar material potencialmente óbvio.

Nos últimos dois anos, esse problema aumentou exponencialmente, e a frequência de palavrões está aumentando nas canções pop mais populares, como Ariana Grande e Beyonce.

Além disso, serviços de streaming como o Deezer podem receber até 40.000 novas faixas por dia, o que impede os humanos de ver todas as letras.

Serviços comuns como Deezer, Apple e Amazon Music ofereçam a possibilidade de “fechar” músicas explícitas, os resultados são irregulares na melhor das hipóteses.

É por isso que Deezer investigou essa questão e o chefe de pesquisa e desenvolvimento da empresa, Manuel Moussallam, detalhou o processo de desenvolvimento desse sistema em um longo blog no início desta semana.

Ele disse que este trabalho requer um alto nível de compreensão das expectativas culturais e envolve muita subjetividade, além de considerar o público-alvo e o contexto da audiência.

Ele acrescentou que, embora seja possível compilar uma série de palavras ofensivas em um dicionário claro, muitas vezes é difícil para as máquinas entender o que um cantor ou rapper está dizendo apenas analisando a forma atual da música.

Para ajudar, a empresa usou a ferramenta Spleeter existente, que pode extrair vocais de músicas, mas Moussallam destacou que o efeito ainda não é perfeito.

Ele disse: “Não existe um sistema (achamos que ele pode alcançar uma precisão comparável à dos seres humanos”), o que mostra que essas máquinas podem ser simplesmente usadas para sinalizar conteúdo potencialmente censurável para a análise humana.

O artigo completo da Deezer será apresentado na próxima conferência internacional sobre acústica, fala e processamento de sinais na próxima semana.

Via: BBC

Zoom apresenta recursos gratuítos e novos serviços para concorrer com Google e Microsoft

videoconferencia

O zoom decolou nas últimas semanas, aumentando a dificuldade de concorrentes como Google, Microsoft e Facebook. A partir da pandemia de coronavírus, milhares de pessoas buscaram o Zoom para reuniões virtuais, festas de aniversário e aulas de ioga. Os competidores da Zoom não dezprezaram esse foco adicional, pois almejam o crescimento da empresa: de 10 milhões de usuários diários em dezembro a mais de 300 milhões em abril. Embora o Zoom agora consigharesolver problemas de segurança e privacidade, seus concorrentes estão começando a diminuir.

O Google anunciou recentemente que seu serviço de videoconferência Meet (antes conhecido como Hangouts Meet) agora é grátis para quem quiser usá-lo. Antes, para fins comerciais e educacionais, qualquer pessoa com uma conta do Google pode agora utilizar o Google Meet e oferecer suporte a reuniões de qualquer duração (pelo menos até outubro, que pode ser limitado a 60 minutos) para até 100 pessoas. Este é um passo grande, certamente projetado para compensar a popularidade do Zoom.

À medida que as pessoas se dirigem para o trabalho e as escolas remotas, a chamada do Google por reuniões também está crescendo, com mais de 100 milhões de pessoas participando de reuniões todos os dias. Isso está bem longe dos 300 milhões de usuários diários reivindicados pelo Zoom, mas o Google Meet está certamente se tornando um poderoso substituto para o Zoom.

O Google agora está organizando a maneira como o Meet funciona em resposta ao Zoom. Na semana passada, foi ofertada a opção de exibir até 16 pessoas em simultâneo, e é muito parecida à popular visualização da Galeria de Zoom. O Meet foi integrado ao Gmail. Javier Soltero, gerente geral do Google e vice-presidente do G Suite, supervisionou essa integração mais estreita do Meet e do Gmail. Soltero é co-fundador do Accompli, um programa de email para Outlook que a Microsoft adquiriu e converteu para iOS. Soltero deixou a Microsoft no final de 2018, depois de liderar o trabalho anterior da Cortana e ingressou no Google há seis meses.

Embora tenha considerado recentemente o Zoom como uma “ameaça emergente”, o sucesso do Zoom também surpreendeu a Microsoft. O Skype não pôde fazer pleno uso do mercado de videochamadas, uma vez dominado, abrindo assim a porta à concorrência. Embora o número de usuários diários usando o Skype tenha aumentado para 40 milhões (anteriormente 23 milhões), isso é insuficiente para compensar a popularidade do Zoom. Ao invés, a Microsoft agora está com foco em melhorar rapidamente seus produtos de equipe. Uma fonte familiarizada com os planos da Microsoft disse ao The Verge que a empresa já está transferindo engenheiros para criar com rapidez as funções da equipe que planeja planejar ainda este ano.

A Microsoft tem monitorado a forma como as pessoas estão a utilizar as equipes para trabalho remoto, e ultimou recentemente a implementação de funcionalidades novas, como fundos personalizados. Os fundos virtuais tornaram-se muito populares no Zoom, chegando mesmo a atingir níveis de admiração meme. A Microsoft anunciou o seu próprio aumento na utilização de equipes no mês passado, juntamente com funcionalidades novas que planeia entregar no final deste ano. Uma característica, um virtual levantar a mão para chamar a atenção, já está a começar a chegar aos utilizadores das Equipas. Tal como o Google, a Microsoft também se prepara para aumentar o número de participantes que podem ser visualizados simultaneamente nas próximas semanas. O Zoom suporta atualmente 49 pessoas na sua visualização simultânea na galeria, com a Microsoft prestes a suportar nove e o Google a 16. A Microsoft e a Google estão ambas a planear apoiar ainda mais pessoas no futuro.

Sabemos que a Microsoft planeja anunciar algumas dessas novas opções de equipe ainda este ano, mas, à medida que mais pessoas trabalham no escritório, a empresa é forçada a dar prioridade à adição de novos recursos, como a nova supressão de ruído em tempo real. Um brinquedo caseiro improvisado com crianças e animais barulhentos. A Microsoft também aprimorou o gerenciamento de reuniões no início deste mês, que é uma resposta sutil aos problemas de gerenciamento encontrados pelo Zoom, e prevê que a pandemia de coronavírus mudará para sempre a maneira como trabalhamos e aprendemos.

A Microsoft também está preparando equipes para os consumidores neste verão. Os esforços dos consumidores dessas equipes fazem parte da assinatura mais ampla do Microsoft 365, que envolve o ajuste da equipe para torná-la amigável para a equipe. Amigos ou família. A Microsoft lidera a equipe para pessoas que planejam viajar com amigos ou organizar livros.

Via: TheVerge

OpenAI introduz Jukebox, um novo modelo de IA que gera gênero de música específica com letra

jukebox musica

No entanto, não vai substituir os seres humanos nos próximos tempos.

O laboratório de investigação em inteligência artificial OpenAI estreou hoje um novo modelo generativo capaz de fazer música chamado Jukebox. É tecnologicamente impressionante, mesmo que os resultados soem como versões de canções que possam parecer familiares. De acordo com o post no blog do OpenAI, os pesquisadores optaram por trabalhar em música porque é difícil. E mesmo que não sejam exatamente o que eu chamaria de música, os resultados obtidos pelos pesquisadores foram impressionantes; há acordes, melodias e palavras (às vezes) reconhecíveis.

A forma como o OpenAI o fez também foi fascinante. Eles usaram áudio bruto para treinar o modelo – que cospe áudio bruto em troca – em vez de usarem “música simbólica”, como os pianos do leitor, porque a música simbólica não inclui vozes. Para obter os seus resultados, os investigadores começaram por utilizar redes neuronais convolucionais para codificar e comprimir áudio bruto e depois utilizaram o que chamam um transformador para gerar um novo áudio comprimido que foi depois subestimado para o transformar novamente em áudio bruto. Tenha uma tabela!

A abordagem é semelhante à forma como a OpenAI desenvolveu uma IA anterior de produção musical chamada MuseNet, mas a Jukebox vai um passo além ao gerar a sua própria letra em colaboração (a empresa usou a palavra “co-escrita”) com os investigadores da OpenAI. Ao contrário da MuseNet, que utilizava dados MIDI, estes modelos foram treinados num conjunto de dados em bruto de 1,2 milhões de músicas (600.000 em inglês) e utilizaram metadados e letras raspadas do LyricWiki. (Foram incluídos dados de artistas e géneros para melhorar a produção do modelo). Mesmo assim, à medida que os investigadores escrevem, há limitações.

“Enquanto a Jukebox representa um passo em frente na qualidade musical, coerência, duração da amostra de áudio e capacidade de condicionar o artista, gênero e letra, há uma lacuna significativa entre estas gerações e a música criada pelo homem”, eles escrevem. “Por exemplo, enquanto as canções geradas mostram coerência musical local, seguem padrões de acordes tradicionais, e podem mesmo apresentar solos impressionantes, não ouvimos estruturas musicais maiores e familiares, tais como coros que se repetem”.

Existem também outros problemas com a experiência. Como a escritora e podcaster Cherie Hu assinalou no Twitter, a Jukebox é potencialmente um desastre em matéria de direitos de autor. (Vale a pena notar que ainda esta semana, Jay-Z tentou usar greves de direitos autorais para derrubar o áudio sintetizado de si mesmo do YouTube).

Estamos a introduzir a Jukebox, uma rede neural que gera música, incluindo o canto rudimentar, como áudio bruto numa variedade de géneros e estilos artísticos. Estamos a lançar os pesos e códigos dos modelos, juntamente…

Dito tudo isto, a Jukebox é um feito bastante fascinante que ultrapassa os limites do possível. Mesmo que os músicos do OpenAI tenham mostrado a Jukebox a pensar que ela precisava de algum trabalho. Vá ouvir por si mesmo!

Via: TheVerge

A nova ferramenta do Facebook facilita a transferência de fotos e vídeos para o Google Photos

facebook telefone celular

Facebook lançou a ferramenta na Irlanda no ano passado

O Facebook lança hoje uma nova ferramenta que permite aos utilizadores dos EUA e do Canadá transferirem as suas fotos e vídeos para o Google Photos.

Saiba como forçar a app do Facebook a abrir links num browser externo

A ferramenta pode ser acedida indo para as suas definições do Facebook e depois para o separador que diz “Your Facebook Information”. Aí encontrará a opção de transferir as suas fotografias e vídeos. Terá de ligar a sua conta Google antes de poder transferir os seus ficheiros.

O FACEBOOK PLANEIA LANÇAR A FERRAMENTA PARA MAIS SERVIÇOS NO FINAL DESTE ANO.A ferramenta de transferência de fotos inicialmente lançada no início de Dezembro do ano passado como parte do Projecto de Transferência de Dados, com a promessa do Facebook de expandir a ferramenta para mais países no início de 2020. A partir de Março, a ferramenta começou a estar disponível em todo o mundo, incluindo países da África, Ásia Pacífico e América Latina. O Facebook disse que “nos próximos dois meses” os países restantes terão acesso a esta ferramenta. Assim que a ferramenta for lançada globalmente no final deste ano, o Facebook disse ao The Verge que “as pessoas também poderão transferir fotos para a Microsoft, Apple, Twitter e outras empresas que adiram ao Programa de Transferência de Dados”.

O Projecto de Transferência de Dados é uma iniciativa de partilha de dados lançada em 2018 para ajudar as pessoas a deslocarem facilmente os seus dados entre vários serviços em linha. O projecto inclui várias empresas a colaborar para moldar o “futuro da portabilidade”, incluindo os gigantes tecnológicos Apple, Facebook, Google, Microsoft e Twitter. A iniciativa está ainda na sua fase inicial, com a maior parte dos progressos a centrarem-se no back end, embora, em Junho passado, o Google tenha provocado projectos voltados para o utilizador, que poderão ser lançados em breve.

Via: TheVerge

Infinity ‘Carigami’ permite que você construa um modelo em miniatura com a impressora

modelo carro impressora 3d

Não é exatamente recomendado para ser rasgar as estradas agora, mas depois de uma longa o suficiente em casa, a febre da cabine, sem dúvida, começa a definir. Para ajudar a atenuar os efeitos de bloqueado, o Infiniti tem feito algumas folhas de papel ofício, que permite que os entusiastas de automóveis obter um pouco de criatividade.

Infiniti esta semana revelou um “Carigami” papel artesanal, que permite que os usuários imprimam um dos três projetos de controle e montar para criar um modelo tridimensional. Este 1:27 escala de resposta, provavelmente, não vai ficar até graves abusos, mas se você quiser focar e tirar a mente, e apenas sobre tudo o mais no universo, em seguida, estes modelos devem ser uma boa maneira de derreter um dia ou dois.

Enquanto origami tradicional geralmente envolve apenas dobras Carigami dependem de mais algumas ferramentas. A fim de construir um desses modelos, você terá não apenas o papel para a impressora, mas uma faca artesanal e cola. Claro, você pode obter interligados e tentar usar uma faca ou qualquer coisa, embora eu duvide que o produto final vai ser preciso. Basta imprimir o modelo da Infinity site e se familiarizar.

Três modelos estarão disponíveis como Carigami. Há um tradicional Q50 limousine sobre o show, bem como o honkin’ QX80 SUV bem como o legal ainda FX crossover Infiniti alinhamento de tempo passado. Pode não fornecer a mesma dopamina bater viagem para o seu favorito estrada, mas esta pista ainda vai estar aqui quando o tempo é direito.

Via: CNET

Coronavirus faz IBM procurar Programadores Cobol

supercomputador ibm

Criada em 1959 para resolver demandas do governo dos Estados Unidos, e largamente utilizada no segmento comercial/bancário, a Linguagem Cobol é vista hoje por muitos como ultrapassada.

Mas em diversos países, ainda é muito utilizada. Estimativas apontam que existem 220 bilhões de linhas de código em sistemas ativos no mundo hoje em dia.

A pandemia do Coronavirus está provocando uma procura de programadores Cobol.

A principal demanda é de manutenção em sistemas legados, principalmente devido ao aumento no número de acessos.

A IBM publicou um comunicado na imprensa, afirmando que devido ao COVID-19, clientes estão enfrentando circunstâncias sem precedentes.

Para tentar suprir esta lacuna, a IBM lançou um novo fórum online, visando unir programadores Cobol a empresas que desejam contratá-los.

Um outro fórum foi criado também, para que programadores experientes ensinem técnicas aos novos programadores interessados em aprender esta tecnologia.

A empresa publicou algum material no GitHub, e que futuramente este material será transformado em um curso a ser lançado na plataforma Coursera.

Via: Arstechnica

Microsoft lança Word, Excel e Powerpoint num único App Android

office mobile app

A Microsoft lançou publicamente para dispositivos Android um aplicativo unificado, que deve substituir as versões separadas de Word, Excel e Powerpoint.

A função deste app é aumentar a produtividade, fazendo que os usuários tenham os recursos do office numa única fonte.

Entre os recursos do app, usuários podem editar e criar documentos do Word, Excel e PowerPoint, digitalizar documentos e códigos QR, assinar pdfs transformar automáticamente imagens em arquivo editáveis no Word, tabelas impressas podem ser transformadas de forma automática em planilhas Excel ao serem fotografadas, a partir de seleção das imagens no telefone, o usuário pode criar facilmente apresentações Powerpoint.

A Microsoft declarou que os aplicativos independentes atuais do Word, Excel e Powerpoint continuarão funcionando normalmente. A empresa diz que o novo serviço está disponível apenas em celulares, mas em breve será lançado também para tablets.

Este novo Office pode ser baixado a partir deste link Google Play Store.

Via: Microsoft

Facebook está trabalhando em seu próprio sistema operacional

facebook telefone celular

O Facebook está desenvolvendo seu próprio sistema operacional, para reduzir a dependência futura com relação à Google e Apple.

Este novo sistema operacional tem foco em produtos futuros, como óculos de realidade aumentada.

Segundo Andres Bosworth, chefe de hardware do Facebook, “Queremos garantir que a próxima geração tenha espaço para nós e não acreditamos que podemos confiar nos concorrentes ou no mercado para garantir que esse seja o caso, então vamos fazer isso sozinhos”.

Procurando maneiras de diminuir sua dependência em relação ao Google e a Apple, tentou durante anos desenvolver seu próprio aparelho de telefone celular. Tentou também o chamado Projeto Oxigênio, para garantir que os usuários pudessem obter seus aplicativos de outro lugar, caso O Google Play Store bloqueasse seus aplicativos.

O CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, entre outros dirigentes do setor, acreditam que óculos de realidade aumentada podem substituir o telefone celular no futuro como modo de conexão dos usuários com a Internet.

Via: Facebook

Notificações para atualização do Windows 7 a partir Janeiro/2020

windows seven

Microsoft anunciou que usuários do Windows 7 irão receber notificações em tela cheia solicitando a atualização para o Windows 10 a partir de 15 de janeiro de 2020.

Como anunciado anteriormente pela Microsoft, o suporte ao Windows 7 irá se encerrar em Janeiro de 2020.

A diferença é que esta notificação será exibida em tela cheia, e permanecerá até que o usuário interaja com ela.

A mensagem da empresa é clara: quem continuar usando o Windows 7 depois de 14 de janeiro de 2020 o faz por sua conta e risco.

A Microsoft disse que a notificação em tela cheia “será apenas” exibida aos usuários do Windows 7 com as seguintes versões: Starter, Home Basic, Home Premium, Professional e Ultimate.

Via: Microsoft

Amazon lança serviço de reconhecimento de fala para área médica

medicina informatica

A Amazon está aumentando seu serviço de transcrição automático de fala médica, o ATM (Amazon Transcribe Medical). Este serviço de machine learning, irá permitir que os médicos transformem rapidamente e em tempo real suas fala e anotações clínicas em texto preciso, sem intervenção humana.

Os médicos podem falar normalmente durante o ditado. O serviço se adapta as necessidades dos usuários (sem taxas iniciais e de acordo com o uso).

O modo de funcionamento: o áudio é capturado e enviado através de um microfone para uma API de streaming. A API responde através de uma série de arquivos JSON com o texto transcrito, carimbo de data e horas e pontuação.

Além da Amazon, outras empresas estão investindo no trabalho de reconhecimento de fala no setor de saúde, tais como Google, Microsoft, Nuance e Phillips, bem como outras startups.

O ATM inicialmente está disponível nas regiões Oeste (Oregon) e leste (Virgínia do Norte) dos Estados Unidos.

Via: Amazon

Startup francesa investe US$ 4,5 milhões em app que detecta o que você come

cafe-da-manha saudavel

A startup francesa Foodvisor obteve financiamento da Agrinnovation e outros business angels, no valor de US$ 4,5 milhões, após 2 milhões de downloads de seus aplicativos.

A Foodvisor utiliza deep learning no app, que reconhece as imagens e detecta o que o usuário está prestes a comer. Estipula o peso de cada ítem e o tipo de alimento.

A utilidade do aplicativo é fornecer um relatório nutricional, contar calorias e ajudar a comer de forma mais saudável.

O app efetua o cálculo da distância entre o telefone e o prato, utilizando os dados de foco automático da câmera. Na sequência, efetua o cálculo da área de cada ítem que compõem o prato. Antes de gravar as informações, é possível editá-las.

A startup está empenhada em melhorar o app e contratou mais 15 pessoas para sua equipe. O app foi recentemente lançado nos Estados Unidos. A Foodvisor acredita que o aplicativo tem uma boa oportunidade no mercado.

Via: Foodvisor

Windows 10x, o lançamento da Microsoft para portáteis

windows 10

WalkingCat, é o cognome do novo sistema operacional Windows10x, em material online publicado pela Microsoft. Revelações que apontam como candidatos ao novo sistema operacional, dispositivos móveis, como o Surface Neo e também dispositivos de tela dupla.

Ajustes na Barra de Tarefas e no Menu Iniciar (que se chamará Iniciador), com foco maior na pesquisa local. Esta pesquisa estará integrada aos resultados vindos da web, aplicativos disponibilizados e arquivos determinados do seu dispositivo, segundo o documento. Atualização dinâmica de conteúdo com base nos arquivos, aplicativos e sites mais utilizados.

A experiência de autenticação de reconhecimento facial é aprimorada neste dispositivo. A tela é ligada, e isso conduz automaticamente a rotina de autenticação do usuário.

A Microsoft trabalha há algum tempo numa nova versão do tradicional File Explorer, nomeada “Modern File Explorer“. Será facilitado e simplificado também o acesso aos documentos armazenados na nuvem (Office 365, OneDrive, entre outros serviços).

O acesso às configurações críticas do dispositivo e foco na prioridade à exibição de configurações rápidas, tais como duração da bateria, são simplificadas por um centro de notificação (Centro de Ação) e abrangem suporte à personalização. Estão disponíveis configurações rápidas padrão, tais como, bloqueio de proteção e proteção da tela, modo avião, Bluetooth, dados de celular e o Wifi.

Em termos de MS Office, a Microsoft pode priorizar as versões Win32 tradicionais do Office e as versões da Web do PWA do Office.com para Windows 10X sobre UWP. A Microsoft tem versões UWP de seus aplicativos Office Mobile, mas foi suspenso o desenvolvimento destes no ano passado. Existe previsão de investimento nas versões web do Office no próximo ano antes que o Windows 10X seja lançado no Surface Neo para o feriado de 2020.

Via: Microsoft

Guitarras Fender lança app digital de aprendizado musical

guitarra

A Fender Musical Instrument Co. ajudará músicos a tocarem suas melodias em guitarras através de um serviço de assinatura lançado, onde serão exibidos acordes para milhões de músicas.

Fender Songs, este aplicativo utiliza tecnologia de Machine Learning, através de analise de músicas transmitidas pela Apple Music, gerando os diagramas de acordes para as músicas. a Fender utiliza auditores humanos para supervisionar o trabalho dos computadores, e através de parcerias com grandes gravadoras, permite garantir a qualidade das paradas e editores de músicas e que os artistas sejam remunerados pela autorização do uso de suas letras.

Com assinatura de US$ 4,99 por mês ou US$ 41,99 por ano, funciona rolando os acordes e as letras pela tela do telefone do jogador, enquanto a música é exibida.

A Fender lançou quatro apps nos últimos dois anos, em um esforço para ganhar novos jogadores e despertar o interesse dos já existentes.

A Fender passou quase 2 anos fechando acordos com os detentores de direitos de gravação, como Warner Music, garantindo a fidelidade de seus guias de acordes, e com a BMG, Kobalt, Warner Chappell Music, ATV Music Publishing e Sony, para ter a garantia de que os artistas serão recompensados pelo trabalho, segundo Andy Mooney, diretor executivo da Fender.

O app Fenders Songs funciona em dispositivos da Apple, por conta dos acordos existentes com a Apple Music com as gravadoras, para certificar-se que os pagamentos sejam realizados para cada stream de musica.

A expectativa da empresa é expandir para os outros serviços futuramente. No mercado atual, são 255 milhões de pessoas pagando pela transmissão, segundo Ethan Kaplan, gerente geral da Fender Digital.

A empresa espera ter receita acima de US$ 600 milhões em 2019, gastando 9% deste montante em marketing, almejando atrair novos jogadores. Através de lojas e sites, os apps atrairam uma faixa de novos consumidores que não haviam pensando antes em tocar guitarra, segundo Mooney.

Via: Fender

Excel em 1 bilhão de instalações no Android

excel

É o terceiro aplicativo da Microsoft a atingir esta marca

O Word foi o primeiro aplicativo da Microsoft a atingir 1 bilhão de instalações, seguido pelo One Drive.

É dificil precisar a data exata em que o Excel atingiu esta marca. A Google Play Store atualiza apenas os números de instalações voltados ao público em intervalos fixos, para aplicativos de 50 milhões, 100 milhões, 500 milhões e 1 bilhão.

Números de instalações que impressionam também tem outros aplicativos da Microsoft, provavelmente o próximo a atingir a marca de 1 bilhão de instalações, como o PowerPoint (500 milhões).

Atualmente a Microsoft tem mais de 70 apps para Android no Google Play Store.

Via: AndroidCentral

Inteligência Artificial ajuda restaurar antigos textos gregos

tabua grega antiga

A Inteligência Artificial está ajudando estudiosos a restaurarem textos gregos antigos em tábuas de pedra

A Machine Learning e a Inteligência Artificial hoje começam a ser utilizadas em áreas tão distintas, quanto criar fotos realistas de pessoas que não existem ou mesmo encontrar Exoplanetas.

Algumas surpreendentes aplicações: O Deepmind criou um sistema de I.A. que auxilia estudiosos a compreender e conseguir recriar antigos textos gregos, fragmentados em pedras quebradas.

Escritas há mais de 2.700 anos, estas tabuas de metal, pedra ou argila, são fontes fundamentais para a antropologia, literatura e história. Cobertas de letras, muitas vezes com o passar dos milênios, foram castigadas, além de várias com rachaduras e faltando pedaços, muitas inclusive tem ausência de símbolos.

Não é tão simples preencher as lacunas que faltam. a Epigrafia (ciência auxiliar da história que estuda a compreensão de textos antigos), envolve a intuição na compreensão destes textos e outros para conseguir adicionar o contexto faltante. O trabalho difícil e árduo de adivinhar o que foi escrito, com base no que sobreviveu.

Para auxiliar, um sistema novo que foi criado pela Deepmind, chamado de Pythia, baseado no oráculo de Delfos que traduziu a divina palavra de Apolo para o proveito dos mortais.

A equipe responsável criou uma fórmula que pudesse converter a maior coleção digital do mundo de antigas inscrições gregas em textos que um sistema de Learning Machine pudesse compreender. Na sequência, o algoritmo adivinha as sequências de letras com precisão.

escritos gregos antigos

Pythia e os estudantes de doutorado receberam textos verdadeiros com partes inseridas artificialmente. Os estudantes acertaram o texto cerca 57% das vezes, um resultado que não é ruim, sendo que restaurar textos é um processo interativo e demorado. Já Pythia acertou 30% das vezes.

Pode paracer que o sistema não é bom o suficiente para esta tarefa, mas na verdade foi criado para auxiliar os humanos, não substituí-los neste trabalho.

Num primeiro momento pode ser que as sugestões de Pythia não se mostrem corretas com frequência, mas podem auxiliar alguém que se depara com alguma dificuldade, sugerindo opções para realizar o trabalho. Diminuindo o fardo cognitivo das pessoas, ajuda no aumento da precisão e velocidade no acerto dos textos restantes ainda não restaurados.

Via: Deepmind

Google mede poluição nas cidades com ferramenta

cidades poluicao

O Google afirma que sua nova ferramenta online fornecerá para algumas cidades, gratuitamente, informações sobre emissões de transporte, qualidade do ar e potencial solar no telhado.

A ferramenta, chamda Explorador de Idéias Ambientais (EIE), após um beta-teste iniciado no ano passado em cinco cidades piloto (EUA, Canadá, Argentina e Austrália), foi lançada hoje na Europa.

Desenvolvido como uma das iniciativas de sustentabilidade da empresa, permite que os usuários naveguem em cidades selecionadas para descobrir sobre sua pegada de carbono atual. Já está disponível em Dublin, Birmingham e na grande Manchester.

A ferramenta foi projetada inicialmente para planejadores da cidade (embora qualquer pessoa possa experimentar). A idéia é que, informados apenas uma vez com segurança, poderão começar a tomar medidas eficazes.

Uma pesquisa veloz por Dublin, por exemplo, revelará que o Google estima que as emissões de construção e transporte representem, respectivamente, 2,13 e 1,31 milhão de toneladas de CO2e por ano; e que esta cidade possui um potencial solar na cobertura que pode reduzir 206.000 toneladas de CO2e por ano.

O Google consegue prever o clima para os próximos 20 anos, através de projeções de temperatura e precipitação.

Rebecca Moore, diretora do Google Earth, falou: “Em Dublin, os governantes das cidades já testam a ferramenta e estão usando informações da EIE para informar programas de transporte inteligentes com o objetivo de aumentar o uso de modos de viagem mais limpos e reduzir emissões”.

Através de dados de localização do Google Maps, o EIE pode detectar o tamanho de um edifício, se é escritório ou casa e adicioná-lo às redes locais para fazer uma estimativa de consumo de energia. Igualmente, ele pode efetuar análise de tráfego, modos de viagem e as distâncias realizadas. Com base no mix de veículos e no tipo de combustível, estabelecer dados para as emissões do transporte.

Pode inclusive efetuar análise de imagens de satélite para determinar quais tipos de telhados são adequados para a energia solar. E uma observação no site informa que ele está trabalhando para avalição poderia produzir dados úteis para o setor de resíduos.

A líder da cidade inteligente da Câmara de Dublin, Jamie Cudden, disse: “Fornecer um fluxo de dados mais dinâmico é essencial para influenciar as discussões e políticas sobre o clima”. “Esta versão está definindo a linha de base, mas o que será ainda mais interessante é quando começarmos a poder comparar os dados ano após ano”.

O Google também anunciou que vai disponibilizar os dados locais de qualidade do ar, iniciando com Copenhague. Esta iniciativa faz parte do Projeto Air View em andamento, que equipa os veículos do Google Street View com instrumentos científicos para verificar a qualidade do ar ao nível da rua.

O Project Air View iniciou no ano passado com uma parceria com a cidade de Copenhague, os dados que a partir de agora foram disponibilizados ao público, inicialmente foram compartilhados apenas com a Câmara Municipal e cientistas.

Havia apenas três estações fixas monitorando a qualidade do ar em Copenhague, e que continuam a serem utilizadas – em parte para verificação de que os dados coletados pelo Google sejam coerentes.

O consultor sênior do Laboratório de Soluções da cidade de Copenhague, Rasmus Reeh falou: “Ter uma estação de monitoramento móvel indica que agora possuimos dados de todas as esquinas e ruas da cidade. Podemos ter identificação de pontos de acesso que não podíamos visualizar antes, e podemos medir coisas como carbono preto e partículas ultrafinas”.

Com essa tipologia detalhada da qualidade do ar urbano, é mais fácilmente identificável e contém as fontes de poluição, disse ele, e protegendo os cidadãos expostos a zonas perigosas que não haviam sido identificadas antes.

O Google está nomeando seus novos conjuntos de dados focados no clima (EIE Labs), compõem parte dos esforços da empresa para dar impulso a iniciativas sustentáveis ​​- e comandar este jogo, na proporção que as empresas de tecnologia competem cada vez mais para serem vistas como as mais verdes de todas.

A Microsoft anunciou a meta de atingir 60% de consumo de energia renovável em seus data centers até 2020, a Apple afirmou que agora é movida a 100% de energia renovável em todo o mundo. Já a HP prometeu tornar todas as páginas impressas neutras em carbono, e por fim a Dell já excedeu sua meta de 2020 de usar 50 milhões de libras de materiais reciclados em seus produtos.

“Todas as empresas globais têm programas de responsabilidade social, por isso é uma boa jogada do Google”. “É um assunto quente”, disse Cudden.

link da ferramenta: https://insights.sustainability.google

Via: Google