Internet

WhatsApp ainda é a plataforma preferida dos brasileiros: entenda a importância da automação para empresas brasileiras

WhatsApp ainda é a plataforma preferida dos brasileiros: entenda a importância da automação para empresas brasileiras

O setor varejista desponta como líder no aproveitamento do WhatsApp como ferramenta de vendas, com 74% dos varejistas no país utilizando o aplicativo para abordar diversas etapas do processo.

Apesar da concorrência, o WhatsApp permanece como a plataforma digital mais utilizada no Brasil, com 93,4% dos brasileiros possuindo uma conta, segundo o Instituto “We Are Social”, colocando-o em primeiro lugar na preferência dos consumidores. No ranking, o YouTube ocupa o segundo lugar, com mais de 140 milhões de usuários.

O setor varejista lidera a utilização do WhatsApp, com 74%, seguido por Mercado Imobiliário (70%), Saúde e Estética (67%), e Software e Cloud (40%), conforme levantamento da RD Station com mais de 1.600 profissionais. Esses números evidenciam a relevância do WhatsApp em diversas áreas de negócios, consolidando-o como uma ferramenta essencial para comunicação e estratégias de vendas no cenário empresarial brasileiro.

Contudo, apesar da popularidade do WhatsApp no país e do aumento do uso de Inteligência Artificial, cerca de 50% ainda o utilizam de forma manual, enviando mensagens individuais ou por listas de transmissão. Esse formato demanda recursos significativos e mais tempo em estratégias que podem não gerar os resultados desejados.

Dada a ampla utilização da ferramenta pelo setor varejista, fica evidente a necessidade de investir em automação.

“A automação apresenta um potencial significativo para melhorar a eficiência e a satisfação do cliente, especialmente em áreas como vendas, atendimento ao cliente e marketing. É importante ressaltar que a automação não substitui o atendimento humano, mas contribui com tarefas repetitivas, permitindo que os agentes se concentrem em demandas mais complexas”, conta Miriã Plens, CMO do grupo IRRAH.

Para atender a um mercado cada vez mais ágil e tecnológico, o grupo IRRAH, uma startup paranaense especializada em moda e varejo, apresenta soluções inovadoras. Uma delas é o Dispara Aí, que possibilita o envio simultâneo de campanhas para múltiplos destinatários, com a opção de adicionar mais números para enviar campanhas distintas. Essa ferramenta é ideal para empresas que buscam realizar envios de WhatsApp marketing, estabelecer fluxos de automação e avaliar os resultados de suas campanhas.

A empresa também desenvolveu o Z-Api, uma API intuitiva que permite integração rápida entre empresas e o WhatsApp. Com o Z-Api, é possível concentrar esforços no que realmente importa: o seu negócio. As variadas opções de integração, como a construção de bots de atendimento e notificações por WhatsApp, otimizam processos e aprimoram a interação com os clientes.

“O uso de tecnologia para atendimento e marketing é um caminho sem volta no Brasil e no Mundo. Os benefícios passam pelo aprimoramento do atendimento e o ganho de competitividade no mercado”, finaliza Miriã. 

MAIS INFORMAÇÕES

https://www.irrah.group/

O que acontece com os dados na web depois que alguém morre?

O que acontece com os dados na web depois que alguém morre?

*Por Maria Eduarda Melo, Country Manager da NordVPN

Pensar na morte é algo que a maioria prefere evitar. Convenhamos que não é exatamente o tópico mais animador para uma conversa durante um café. No entanto, assim como planejamos o destino de bens materiais após a partida deste mundo, a fim de minimizar possíveis contratempos para quem fica, incluir nossos preciosos dados digitais nessa equação deveria ser o novo normal. Afinal, frente a uma era hiperconectada, os bits e bytes valem cada vez mais ouro.

Em 2020, por exemplo, um homem nos EUA teve que lutar contra a Apple durante meses apenas para recuperar as fotos de família da sua esposa assassinada. Facebook, Instagram, WhatsApp, e-mails, contas em bancos digitais… Esses e outros fragmentos da nossa vida on-line continuam existindo, por isso é essencial pensar sobre o que acontecerá com eles. Embora se trate de uma questão delicada, sem diretrizes legais claras, é possível colocar em prática algumas ações.

Fato é que a maioria das plataformas de mídia social permite encerrar a conta da pessoa falecida, mas se os dados realmente desaparecem ainda é uma questão em aberto. A coleta de informações geralmente é definida em acordos de termos e condições. Quando uma pessoa morre, muitas big techs continuam com a posse dos dados pessoais e podem até mesmo repassá-los a terceiros.

Por exemplo, o Google não possui mecanismos para determinar se informações específicas pertencem a uma pessoa falecida. Portanto, pode manter esses dados por um período indeterminado. Mesmo que alguém peça à organização para excluí-los, ainda poderão existir em seus servidores de backup. Isso também vale para outras plataformas de mídia social.

Também podem surgir problemas com dados comprados. Mais uma vez, o sistema jurídico não conseguiu acompanhar os avanços tecnológicos, o que cria uma zona cinzenta quando se trata de informações post mortem.

Para exemplificar esse contexto, não é fácil, por exemplo, transferir a propriedade de “bens” que não possui. Mesmo que o usuário baixe legalmente dados criados por alguém, tecnicamente não é o proprietário deles, apenas tem a licença para usá-los. Essa licença expira com a morte, então os parentes não podem mais reivindicar a posse.

Como evitar problemas

Diante de todo esse cenário, vale a pena se preparar antecipadamente. Caso contrário, grandes empresas podem manter seus dados como propriedades delas e outras pessoas importantes terão dificuldade para recuperá-los. Sendo assim, destaco sete dicas para evitar confrontos:

1-       Use o gerenciador de contas inativas do Google: esse recurso notifica alguém quando sua conta ficar inativa por um determinado período.

2-      Inclua a propriedade digital em seu testamento: além disso, nomeie um executor que garantirá que seu testamento seja cumprido.

3-      Deixe suas senhas com pessoas de confiança: assim, elas poderão encerrar contas ou recuperar dados preciosos. Mas não as escreva no testamento para que não se tornem publicamente visíveis.

4-      Antes de compartilhar, reflita: pense bem em tudo o que divide com as redes sociais e plataformas digitais.

5-      Nomeie um “contato de legado” no Facebook: dessa forma, é possível determinar quem poderá administrar a conta após sua morte.

6-      Invista em um gerenciador de criptografia: se houver dados que realmente não deseja partilhar com ninguém, criptografá-los com um gerenciador de criptografia de arquivos é a saída. Desse modo, nenhuma pessoa poderá decifrá-los sem a sua permissão.

7-      Evite manter informações confidenciais em plataformas de terceiros (redes sociais, nos serviços de nuvem do Google etc): a maioria pode monitorar e coletar seus dados.

*Maria Eduarda Melo é Country Manager da NordVPN, empresa especializada em soluções de privacidade, segurança e rede privada virtual (VPN).  

Computação em nuvem: aposta para o mercado de TI em 2024 

Computação em nuvem: aposta para o mercado de TI em 2024 

*Por Otto Pohlmann, CEO da Centric Solution  

Acompanhar as tendências de mercado permite às empresas se manterem competitivas e anteciparem possíveis mudanças que podem representar desafios ao setor. Portanto, uma vez bem-preparada, é mais difícil que certas transformações se tornem ameaças. As tendências tecnológicas ainda podem variar desde ferramentas inovadoras para facilitar o trabalho até produtos e serviços a serem oferecidos aos clientes.   

A computação em nuvem, por exemplo, possibilita que empresas e indivíduos acessem dados e aplicativos de qualquer lugar, a qualquer momento, sem a necessidade de infraestrutura local. De acordo com uma pesquisa realizada pela GlobalData e divulgada pelo Decision Report, até 2025, a computação em nuvem deve movimentar US$ 11 bilhões só na América Latina. Esse modelo de tecnologia agrega muitas vantagens. Veja algumas delas:  

Flexibilidade e redução de custos  

Ao oferecer a possibilidade de acessar recursos e aplicativos de qualquer lugar e dispositivo, a computação em nuvem favorece o trabalho remoto, aumentando a flexibilidade e a mobilidade da equipe. Além disso, as empresas podem reduzir custos dehardware e software, pois não precisam mais investir em servidores físicos e outras infraestruturas de TI.   

Segurança cibernética  

O crescimento do formato aumentou a preocupação com a segurança das informações armazenadas. Por isso, essa tecnologia traz a melhoria de backups automáticos, criptografia de ponta a ponta, autenticação de usuários e outras medidas que garantem a integridade e a confidencialidade dos dados.  

Inteligência artificial   

A IA está desempenhando papel crucial em uma variedade de aplicativos, como chatbots, análise de dados, reconhecimento de voz e imagem, entre outros, transformando significativamente as operações empresariais. Essa sinergia entre inteligência artificial e computação em nuvem é notável, visto que a flexibilidade e escalabilidade oferecidas pela nuvem são fundamentais para potencializar o poder da IA. De acordo com uma pesquisa da IDC (International Data Corporation), até 2024, empresas que adotarem inteligência artificial e automação para aprimorarem seus processos de TI poderão economizar, em média, 25% do tempo gasto em tarefas de gerenciamento e manutenção. Além disso, espera-se uma redução de 30% no tempo de resolução de problemas de suporte e melhoria expressiva de até 30% na eficiência operacional, destacando a interdependência positiva entre IA e infraestrutura em nuvem para impulsionar avanços significativos no ambiente empresarial.  

Oportunidades de carreira  

À medida que empresas migram para ambientes de computação em nuvem, impulsionam a demanda por especialistas. Profissionais qualificados têm papéis-chaves no design, na implementação e na gestão de infraestruturas em nuvem, contribuindo para inovação e transformação digital. As habilidades são valorizadas em diversos setores, abrangem arquitetos até especialistas em operações. Portanto, a busca por talentos nesse campo cria trilhas empolgantes e desafiadoras para a construção de carreiras sólidas.  

*Otto Pohlmann é CEO da CentricSolution, empresa de tecnologia que fornece soluções completas para atender aos requisitos de segurança e da LGPD, com foco em implementação, treinamento e suporte, a fim de ajudar a sustentar o desenvolvimento de negócios de todos os portes e setores – e-mail: centric@nbpress.com.br.  

SumUp lança oficialmente solução de integração de pagamentos para pequenas empresas

SumUp lança oficialmente solução de integração de pagamentos para pequenas empresas

  • O SumUp Integra conecta maquininhas e produtos de e-commerce da fintech a sistemas de gestão, pagamento e lojas virtuais dos seus clientes
  • Com a novidade, companhia amplia público-alvo e passa a atender negócios de maior porte, como franquias

São Paulo, 11 de janeiro de 2024 – A SumUp, empresa global de tecnologia e soluções financeiras, lançou oficialmente o SumUp Integra. A solução é um hub de produtos que conecta o ecossistema da fintech a sistemas de gestão, pagamento e e-commerce de outras empresas.

A fintech começou a trabalhar com a solução de integração no Brasil em abril, quando fechou uma parceria com a rede de cafeterias The Coffee. Agora, o produto, formalmente batizado como SumUp Integra, tem novos clientes, como a Digitalweb, que oferece sistemas de gestão, totens de autoatendimento e frente de caixa para restaurantes.

“No primeiro caso, atendemos diretamente às unidades da The Coffee, ao conectar maquininhas da SumUp ao seu sistema próprio de atendimento e gestão; no segundo, a Digitalweb embarca nossas soluções de pagamento em seus produtos, que por sua vez são usados por outros negócios. Esses dois clientes mostram como o SumUp Integra é amplo e pode agregar valor a negócios diferentes”, diz Ricardo Pinto, gestor de Novos Negócios da SumUp.

Para o executivo, o lançamento consolida a ampliação do público-alvo da companhia. “Após 10 anos atendendo microempreendedores e autônomos, a SumUp agora também foca em pequenas empresas. Com o SumUp Integra, podemos atender com excelência a negócios que precisam de soluções mais sofisticadas, como franquias, por exemplo.”

Clique Para Download

O SumUp Integra também oferece soluções para o mundo virtual, como gateway de pagamento, que possibilita a e-commerces receber seus pagamentos com o padrão de segurança e rapidez da SumUp; widgets, que facilitam o processamento de compras e coletam informações do método de pagamento escolhidos pelos consumidores; e APIs, que permitem que as soluções de pagamento da fintech sejam customizadas e atendem as necessidades dos empreendedores. Os produtos para e-commerce foram lançados anteriormente neste ano e passam a fazer parte do ‘guarda-chuva’ do Integra a partir de agora.

“Independentemente da solução técnica escolhida, o cliente da fintech terá um atendimento dedicado e personalizado e tecnologia de ponta para aumentar as receitas do seu negócio”, diz Pinto.

O SumUp Integra tem um processo de implantação gratuito, fácil e rápido. Os clientes pagam apenas as taxas pelo uso das soluções da fintech. “Adequamos as taxas de acordo com o tamanho e o segmento dos negócios para garantir que nossos clientes tenham acesso à melhor oferta possível”, finaliza o executivo.

Oi amplia oferta da Oi Fibra X para 88 cidades em todas as regiões do País e lança promoção por tempo limitado

Oi amplia oferta da Oi Fibra X para 88 cidades em todas as regiões do País e lança promoção por tempo limitado

Rio de Janeiro, 11 de janeiro de 2024 – A Oi está ampliando a oferta da Oi Fibra X para 88 cidades, em todas as regiões do país. Além disso, a companhia reduziu o preço de pacotes de internet com velocidades mais altas, mantendo todos os benefícios das soluções de conectividade, tanto na Oi Fibra X quanto na Oi Fibra X Premium, que ainda contam com a inclusão do serviço de streaming Globoplay.

Os dois produtos foram projetados para atender às necessidades específicas dos clientes mais exigentes, com soluções exclusivas que geram mais valor ao serviço de internet por fibra e que garantam a melhor experiência em conectividade através de uma melhoria da cobertura Wi-Fi dentro de casa.

No quarto trimestre do ano, o número de cidades com a oferta da Oi Fibra X quase dobrou, de 48 para 88 cidades, ampliando também a base de clientes atendidos com esses serviços. Já a Oi Fibra X Premium está em 22 cidades. As duas soluções ampliam a cobertura Wi-Fi da internet para mais ambientes da casa e formam uma rede inteligente (mesh) e única, garantindo ao cliente uma melhor distribuição de sinal para cada dispositivo, sem o cliente precisar mudar de senha enquanto se locomove.

“Dando continuidade à nossa estratégia de aumentar a participação da Oi Fibra no mercado nacional de internet, estamos renovando nosso portfólio, lançando nova opção de velocidade do Oi Fibra X Premium e incluindo o Globoplay”, afirmou Rogério Takayanagi, vice-presidente de Consumidor e Empresarial da Oi, lembrando que, agora, a partir de R$ 149,90 já é possível assinar uma solução com cobertura Wi-Fi ampliada e ter uma equipe cuidando da rede o tempo todo. Por mais R$ 20, já é possível escolher a solução com a melhor experiência Wi-Fi, que usa a tecnologia inovadora e exclusiva (FTTR).

Outro benefício desses produtos é o Oi Expert Care, um serviço exclusivo da Oi que proporciona ao cliente atendimento e suporte técnico diferenciados. Isso inclui o gerenciamento remoto e proativo de rede para corrigir eventuais falhas antes mesmo que ela seja percebida e assistência para configurar e usar Smart TVs, impressoras, computadores entre outros dispositivos.

Oi Fibra X

O Oi Fibra X é indicado para os clientes que desejam atender a demanda de internet da família toda e, por isso, precisam de um bom funcionamento em mais ambientes da casa. Essa solução oferece internet por fibra com 600 Mega de velocidade e cobertura com dois pontos de tecnologia Wi-Fi 5 (roteador + um ponto extra). E ainda é possível adicionar até dois pontos Wi-Fi 5. O produto custa R$ 149,90/mês e cada ponto extra custa R$ 30/mês. Além do Globoplay gratuito nos 12 primeiros meses. A oferta pode ser contratada por clientes de Manaus (AM), Fortaleza (CE), Maracanaú (CE), Brasília (DF), Vitória (ES), Anápolis (GO), Planaltina (GO), Belo Horizonte (MG), Betim (MG) Contagem (MG), Esmeraldas (MG), Ibirité (MG), Juiz De Fora (MG), Montes Claros (MG), Nova Lima (MG), Poços de Caldas (MG), Ribeirão das Neves (MG), Sabará (MG), Santa Luzia (MG), Vespasiano (MG) Campo Grande (MS), Dourados (MS), Cuiabá (MT), Rondonópolis (MT), Várzea Grande (MT), Ananindeua (PA), Belém (PA), Jaboatão dos Guararapes (PE), Olinda (PE), Paulista (PE), Recife (PE), Teresina (PI), Almirante Tamandaré (PR), Araucária (PR), Campina Grande do Sul (PR), Campo Magro (PR), Cascavel (PR), Colombo (PR), Curitiba (PR), Fazenda Rio Grande (PR), Maringá (PR), Pinhais (PR), Piraquara (PR), São José dos Pinhais (PR), Sarandi (PR), Cabo Frio (RJ), Niterói (RJ), Petrópolis (RJ), Rio De Janeiro (RJ), Volta Redonda (RJ), Natal (RN), Porto Velho (RO), Boa Vista (RR), Alvorada (RS), Cachoeirinha (RS), Canoas (RS), Caxias Do Sul (RS), Eldorado do Sul (RS), Farroupilha (RS), Flores da Cunha (RS), Gravataí (RS), Guaíba (RS), Passo Fundo (RS), Pelotas (RS), Porto Alegre (RS), Santa Maria (RS), Sapucaia do Sul (RS), Viamão (RS), Balneário Camboriú (SC), Blumenau (SC), Brusque (SC), Chapecó (SC), Criciúma (SC), Florianópolis (SC), Garopaba (SC) Guabiruba (SC), Içara (SC), Indaial (SC), Itajaí (SC), Ituporanga (SC), Joinville (SC), Lages (SC), Navegantes (SC), Palhoça (SC), Rio Do Sul (SC), São Jose (SC), Tubarão (SC) e Palmas (TO).

Oi Fibra X Premium

Já o Oi Fibra X Premium é indicado para os clientes mais exigentes, que valorizam tecnologia de ponta, possuem casa ampla e querem que ela seja super conectada com internet de mais alta performance através de cabeamento por fibra em todos os cômodos que o cliente quiser. Nesse produto, a ampliação da cobertura chega em mais ambientes da casa com a tecnologia inovadora e exclusiva da Oi, Fiber to the Room (FTTR). O FTTR distribui fibra transparente pelos diversos cômodos da casa, sem necessidade de obra e sem interferir na arquitetura ou na decoração, garantindo a melhor entrega da conexão através da fibra. Essa solução oferece internet por fibra com 1 Giga de velocidade e cobertura com dois pontos de tecnologia Wi-Fi 6 FTTR (roteador + um ponto extra). E ainda é possível adicionar até 14 pontos Wi-Fi 6 FTTR. O produto custa R$ 199,90/mês e cada ponto extra custa R$ 30/mês. E também com 700 Mega, por R$ 169,90/mês. Além do Globoplay gratuito nos 12 primeiros meses. A oferta pode ser contratada por clientes de Manaus (AM), Fortaleza (CE), Brasília (DF), Belo Horizonte (MG), Juiz De Fora (MG), Campo Grande (MS), Cuiabá (MT), Belém (PA), Recife (PE), Teresina (PI), Curitiba (PR), Maringá (PR), Rio De Janeiro (RJ), Natal (RN), Caxias Do Sul (RS), Porto Alegre (RS), Santa Maria (RS), Blumenau (SC), Florianópolis, Itajaí (SC), Joinville (SC) e Palmas (TO).

Estudo revela 5 ações que levam seu site às melhores posições online

Estudo revela 5 ações que levam seu site às melhores posições online

Semrush, plataforma de marketing digital especializada em visibilidade online, aponta os fatores que otimizam os endereços de web para SEO

São Paulo, janeiro de 2024 – Com o aumento da conectividade e digitalização, as empresas aumentam cada vez mais seus investimentos na construção de sites e no aprimoramento de suas presenças online. Isso porque a otimização de endereços na web para mecanismos de pesquisa (SEO) determina as posições em que o link aparecerá nos resultados de busca, como os do Google ou Bing. Seja qual for o tipo do negócio, uma consultoria de comunicação ou uma confeitaria, estar entre as melhores posições é uma maneira inteligente de melhorar a visibilidade online, atrair novos clientes, expandir os negócios e aumentar os lucros. Para entender como estar no topo das páginas de pesquisas, a Semrush, plataforma de marketing digital especializada em visibilidade online, divulga um estudo com os principais fatores de ranqueamento

“Precisamos entender como é o nosso comportamento para buscar informações, para escolher produtos, para engajar com conteúdos: para isso, a gente pesquisa na internet. Logo, se qualquer negócio ou projeto deseja ter mais visibilidade, além de estar online, ele também precisa estar nas melhores posições do Google para garantir que seu público o encontre”, explica Erich Casagrande, Líder de Marketing da Semrush no Brasil.

Para produzir o levantamento, a Semrush analisou mais de 16.000 palavras-chave, 300.000 URLs, considerando mais de 60 fatores, entre eles, métricas de conteúdo, backlinks, sinais de usuário, etc. Com base no estudo, Casagrande lista 5 ações que levam os sites às posições mais altas dos resultados de pesquisa. Confira:

Foque na criação de conteúdo relevante e de qualidade 

A relevância e a qualidade do conteúdo apresentaram a correlação mais forte com classificações mais altas. Em vez de dedicar tempo excessivo a práticas como a contagem de palavras-chave ou a atualização das datas do conteúdo para que ele pareça ser mais recente, a ênfase deve ser colocada na criação de conteúdo significativo e valioso que responda às necessidades dos leitores. Isso implica compreender profundamente o público-alvo, oferecer insights úteis e apresentar informações de maneira clara e envolvente.

“A qualidade do conteúdo não apenas atrai leitores, mas também contribui para uma experiência do usuário positiva, fator que os motores de busca valorizam cada vez mais. Ao criar conteúdo relevante e de alta qualidade, você não apenas aumenta suas chances de classificação maior, mas também constrói uma reputação sólida e a confiança dos internautas, elementos essenciais para o sucesso a longo prazo no ambiente online”, explica o especialista. 

Monitore o Authority Score do seu domínio 

Além de monitorar o Authority Score, métrica composta que avalia a qualidade geral de um site ou página da web, é essencial reconhecer que a construção de autoridade online vai além da otimização do conteúdo interno. O estudo da Semrush revelou correlações robustas entre PAS (Pontuação de Autoridade da Página) e DAS (Pontuação de Autoridade de Domínio) e classificações mais altas nos motores de busca. Segundo Casagrande, para efetivamente construir essa competência, é crucial cultivar uma rede de backlinks de alta qualidade provenientes de domínios considerados autoritários: “Esses links não apenas indicam aos motores de busca que seu conteúdo é confiável e valioso, mas também ampliam a exposição do seu site a uma audiência mais ampla. Os links de outros sites para seu projeto, são como referências positivas que transmitem autoridade”. 

Além disso, ao buscar backlinks, é fundamental manter uma abordagem ética e focar na relevância. Links de qualidade, obtidos organicamente e relacionados ao seu nicho, têm um impacto muito mais positivo. Portanto, ao otimizar sua estratégia de construção de autoridade, concentre-se não apenas na qualidade do conteúdo interno, mas também na construção de uma sólida presença externa por meio de uma rede de backlinks bem selecionada e alinhada aos interesses do seu público-alvo. Essa abordagem holística pode contribuir significativamente para o fortalecimento da sua autoridade online.

Demonstrar o E-E-A-T (Experiência, Especialidade, Autoridade e Confiança) em todo o site

Fale sobre os assuntos nos quais você é especialista ou tem experiência. Atente-se aos sinais de confiança nas páginas do seu site, como demonstrar claramente a autoria e mostrar por que você tem propriedade para falar sobre os tópicos que aborda. Ao avaliar a confiabilidade das informações, é crucial verificar as fontes, preferencialmente aquelas de autoridade reconhecida. 

“A transparência sobre a autoria e as qualificações, bem como a referência a fontes confiáveis, são indicativos importantes de credibilidade em qualquer contexto online. Além disso, a atualização constante do conteúdo é fundamental para garantir que as informações permaneçam precisas e relevantes ao longo do tempo”, conta Casagrande. 

Foque em melhorar suas classificações orgânicas 

O cenário dos três principais fatores de classificação, todos interconectados, pode ser comparado à analogia do “ovo e da galinha”, tornando complexa a determinação da causa e efeito. No entanto, é notável que o tráfego orgânico, tanto para a URL quanto para o domínio, apresenta uma forte correlação com classificações mais altas nos motores de busca.

“A questão de saber se esse tráfego é resultado de já estar no topo das buscas ou se contribui para alcançar esse posicionamento não pode ser afirmada com certeza, dada a natureza intrincada dessas inter-relações. No entanto, o que fica claro é que investir em melhorar as classificações é uma estratégia essencial. Os benefícios associados a esse investimento são substanciais demais para serem negligenciados”, explica. 

Ao priorizar melhorias nas classificações, você não apenas aumenta a visibilidade nos motores de busca, mas também pode gerar um ciclo virtuoso. Resultados mais elevados geralmente resultam em mais tráfego orgânico, o que, por sua vez, pode fortalecer ainda mais as posições nos resultados de pesquisa. Esse caminho positivo pode levar a um aumento constante na autoridade, colocando o site em evidência. 

Construa sua marca

Segundo o estudo da Semrush, quase 1 em cada 3 visitantes dos domínios das páginas melhores classificadas vai diretamente para esses sites, enquanto 1 em cada 4 faz isso digitando uma busca com menção à marca na Pesquisa. Esses padrões de comportamento indicam que os usuários não apenas confiam nas pesquisas orgânicas, mas também estão dispostos a acessar diretamente os portais que reconhecem e confiam. Construir uma presença online sólida, associada a uma marca bem estabelecida, pode levar a uma maior fidelidade do consumidor e, consequentemente, a uma base mais engajada. 

Além de otimizar para palavras-chave e estratégias de SEO, investir em campanhas de marketing que reforcem a identidade da marca e proporcionem uma experiência positiva ao usuário pode ser fundamental. Essas ações contribuem não apenas para rankings mais altos nos motores de busca, mas também para a construção de uma conexão mais profunda e duradoura com a audiência online.

Com a finalidade de descobrir os segredos do SEO além da experiência geradora de pesquisa e enfatizar a importância da engenharia reversa para uma estratégia de visibilidade online sólida, o estudo completo está disponível para download no site da Semrush

Mais de 36 milhões de brasileiros não possuem acesso a internet

Mais de 36 milhões de brasileiros não possuem acesso a internet

Confrontando a Desigualdade Digital: A Realidade do Ensino Híbrido em Áreas Carentes

São Paulo, dezembro de 2023. A recente aprovação do ensino híbrido em todo o Brasil pelo Ministério da Educação (MEC) em junho de 2022 marca um avanço significativo na educação. Contudo, essa progressão vem com desafios únicos, especialmente quando se considera a realidade tecnológica das comunidades vulneráveis. A pesquisa TIC Domicílios de 2022 revelou que 36 milhões de brasileiros ainda não têm acesso à internet, com a maior concentração de desconexão na região Sudeste (42%) e no Nordeste (28%). Este cenário ressalta uma desigualdade digital crítica que precisa ser abordada no contexto do ensino híbrido.

“A implementação do ensino híbrido em um país com uma disparidade tão grande de acesso à internet e recursos tecnológicos não é uma tarefa fácil. Durante a pandemia, observamos um aumento na defasagem e abandono escolar entre alunos de baixa renda devido à falta de internet e computadores. Este é um obstáculo que devemos superar para tornar a educação mais inclusiva e acessível”, reflete Matheus Toscano, Vice – Presidente da Rhyzos.

O ensino híbrido, que combina métodos presenciais e online, oferece uma oportunidade única de melhorar a qualidade da educação. No entanto, para que seja eficaz, é essencial garantir que os estudantes em comunidades vulneráveis tenham acesso aos recursos tecnológicos necessários. Isso inclui não apenas a conexão à internet, mas também a disponibilidade de dispositivos como computadores e tablets.

“É crucial desenvolver estratégias que fechem essa lacuna digital. Isso pode incluir parcerias público-privadas para fornecer equipamentos e acesso à internet, bem como programas de treinamento para professores e alunos sobre como aproveitar ao máximo o ensino híbrido”, acrescenta Toscano.

Apesar dos desafios, o ensino híbrido apresenta uma oportunidade inestimável para transformar a educação nas comunidades vulneráveis. Com o apoio e investimento adequados, essa abordagem pode ser a chave para equipar a próxima geração com as habilidades e conhecimentos necessários para prosperar na era digital.

O futuro da educação no Brasil depende da capacidade de superar essas barreiras digitais e garantir que o ensino híbrido seja uma realidade acessível e benéfica para todos, independentemente de sua localização geográfica ou situação econômica. Com esforços contínuos e colaboração entre setores, o ensino híbrido pode ser um motor poderoso para reduzir a desigualdade educacional e abrir caminhos para um futuro mais brilhante para as comunidades vulneráveis do país.

58% das empresas desconhecem API Oficial do WhatsApp, revela pesquisa da Poli, parceira do Grupo Meta

58% das empresas desconhecem API Oficial do WhatsApp, revela pesquisa da Poli, parceira do Grupo Meta

Levantamento foi feito pela brasileira Poli Digital. Estratégia torna-se certeira para garantir competitividade de mercado

A sua empresa já ouviu falar em API oficial do WhatsApp? Você sabe o que é uma API oficial? Quais as vantagens em utilizá-la? Em busca de respostas assim, a Poli Digital, plataforma de centralização e automação de canais de contato corporativos, que é parceira oficial do Grupo Meta (do WhatsApp, Instagram e Facebook), realizou uma pesquisa com parte da sua base de clientes. O levantamento representa a obtenção de dados inéditos sobre o uso dessa ferramenta.

Foram consultadas 465 empresas clientes da Poli. O portfólio inclui negócios nos setores de comércio e serviços, em diversos segmentos. Para o CEO da Poli Digital, Alberto Filho, os resultados mostram que ainda é preciso difundir conhecimento sobre a API oficial, afinal 51% das empresas entrevistadas “nunca ouviram falar” nessa terminologia e suas funcionalidades. Por outro lado, entre os que conhecem o que é uma API oficial, metade sabe indicar pelo menos uma vantagem em seu uso.

Alberto Filho

Confira os infográficos com os dados:

infográfico 1 – em formato de pizza:
API OFICIAL: JÁ OUVIU FALAR?
• 51% nunca ouviram falar em API oficial
• 49% já ouviram falar em API oficial

infográfico 2A– em formato de pizza:
API OFICIAL: SABE DIZER O QUE É?
• 58% não sabem dizer o que é
• 42% sabem dizer o que é

infográfico 2B, saindo da fatia da pizza anterior de 42%:
DOS 42% QUE SABEM DIZER O QUE É:
• Metade (50%) aponta pelo menos uma vantagem do uso de API oficial

De forma resumida, API -Application Programming Interface (Interface de Programação de Aplicação) pode ser explicado como um conjunto de padrões de uma interface de um aplicativo. Permite a criação de plataformas de maneira mais simples e prática para desenvolvedores. A partir de APIs, é possível criar softwares, aplicativos, programas e plataformas diversas. 

A utilização da API oficial do WhatsApp garante segurança e acesso a funcionalidades que APIs extraoficiais (ou piratas) não proporcionam. Aliás, sublinha o CEO da Poli, algumas práticas, como o envio de mensagens em massa, por meio de APIs não oficiais, podem levar à suspensão ou mesmo banimento da conta. O que para as empresas significa perder um canal de contato com seus consumidores. “Ou seja, pode resultar em um prejuízo imenso”, adverte Alberto Filho.

Vantagens da API Oficial do Whatsapp

  • Estabilidade de conexão: As APIs não oficiais não oferecem estabilidade, por depender de um aparelho celular, que pode descarregar, desconectar da internet ou sofrer instabilidades. Isso gera cortes na comunicação com os clientes e perda de informações. Já na API oficial, o WhatsApp fica na nuvem (cloud) do próprio Meta, proporcionando estabilidade de conexão e comunicação contínua com o cliente.
  • Automação e escalabilidade: permite que as empresas automatizem suas interações com os clientes, por meio de chatbots e respostas automáticas para fornecer suporte básico 24 horas por dia, 7 dias por semana. A automação também permite que as empresas dimensionem suas operações de atendimento ao cliente de forma eficiente.
  • Segurança e confiabilidade: oferece criptografia de ponta a ponta, o que significa que as mensagens são protegidas contra acesso não autorizado. Além disso, a API oficial é mantida e atualizada pela própria equipe do WhatsApp, garantindo sua compatibilidade contínua com o aplicativo, pelo Grupo Meta, ou por parceiros oficiais, como a Poli Digital.

O uso da API oficial assegura também observância às legislações – como a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Como parceira oficial do Meta, a Poli Digital conta com uma equipe de especialistas nas diversas funcionalidades dos aplicativos dessa bigtech. Essa equipe orienta a empresa cliente a conceber e definir estratégias de comunicação em massa mais efetivas e seguras, pontua o CEO da plataforma.

MAIS INFORMAÇÕES
• Sobre a Poli: https://poli.digital/

IA Generativa revoluciona comércio eletrônico

IA Generativa revoluciona comércio eletrônico

Pesquisa mostra que 80% dos CMOs querem aumentar investimento em IA em 2024

O uso da inteligência artificial avança a passos largos, nos mais diversos segmentos. Segundo dados da consultoria global International Data Corporation (IDC), as plataformas de IA devem crescer 38% na América Latina em 2024. Não é diferente no marketing, setor em que a IA tem auxiliado nas estratégias de inovação. Pesquisa da Accenture aponta que aproximadamente 80% dos chief marketing officers (CMOs) planejam aumentar os investimentos em inteligência artificial e dados em 2024. Esse número é 57% maior do que o registrado na mesma pesquisa, realizada no mesmo período do ano anterior. A inteligência artificial generativa deve receber a maior parte desse investimento.

Nessa pesquisa, os CMOs citaram duas áreas de negócios que devem ter prioridade na recepção desses investimentos em IA generativa: atendimento ao cliente (área em que 64% dos respondentes pretendem ampliar os investimentos) e marketing, em que 47% dos entrevistados pretendem ampliar as verbas.

Antecipando as previsões futuras, a IDK Media, a primeira Commtech do Brasil,  anuncia sua parceria estratégica com a Doris, empresa brasileira pioneira no uso de inteligência artificial generativa para aprimorar o comércio eletrônico de vestuário. Ela permite aos clientes experimentar virtualmente as roupas antes da compra, oferecendo uma precisão impressionante de mais de 98%. A colaboração tem como objetivo revolucionar a experiência de compra online e elevar os índices de conversão de vendas.

A tecnologia já é usada em  lojas online de moda masculina como Zapalla e Reserva.  Basta enviar uma foto de corpo inteiro de frente e de lado pelo aplicativo de celular, e em oito segundos, a IA gera uma imagem do cliente usando a roupa escolhida. É interessante destacar que a Doris é capaz de extrair medidas precisas do corpo, incluindo o tom de pele e partes não visíveis na foto original.

O CEO da IDK Media, Eduardo Augusto, destaca: “Estamos entusiasmados em colaborar com a marca para transformar o comércio eletrônico. Essa parceria redefine a interação entre tecnologia e moda, promovendo uma experiência de compra online mais personalizada e confiável, além de ser um marco para a IDK, porque deixa evidente o total “fit” de culturas e visão de futuro entre uma Commtech e uma marca realmente inovadora em seu território. ”

Para os varejistas que adotaram essa tecnologia, a Doris já demonstrou seu valor, aumentando o índice de conversão de vendas online de 9% para 12%. Isso reflete uma tendência crescente: segundo pesquisa realizada pelo E-commerce Brasil, em parceria com a Equals e Nuvemshop, o uso de Inteligência Artificial foi escolhido por cerca de 35,7% dos varejistas digitais como uma das ferramentas para um bom desempenho de vendas no período da Black Friday 2023. 

5 plataformas digitais para melhorar a gestão de sua empresa em 2024

5 plataformas digitais para melhorar a gestão de sua empresa em 2024

De auditoria fiscal até emissão de documentos, conheça ferramentas que descomplicam a vida dos empreendedores

Virada de ano é sinônimo de esperanças renovadas, desejos e metas, mas esses sentimentos vão além do lado pessoal e também se aplicam aos negócios. Especialmente quando falamos de pequenos e médios empreendedores, uma realidade dos dias atuais é a adoção de ferramentas digitais para auxiliar bons resultados e, consequentemente, o crescimento de suas empresas. Uma pesquisa recente do Sebrae em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostrou que 3 em cada 4 pequenas empresas utilizam a internet, os aplicativos de mensagens e as redes sociais para fazer negócios. O que ainda nem todos os gestores sabem é que para além de vender seus produtos e negociar serviços, muitas ferramentas digitais podem auxiliar na melhoria de processos internos e mitigar erros cometidos ao longo do ano.

Conheça 5 plataformas que podem tornar a gestão da sua empresa mais assertiva e até economizar tempo:

MaisMei

A plataforma voltada para os Microempreendedores Individuais (MEI) ajuda a organizar a vida de quem tem um pequeno negócio ou presta serviço a outras empresas. O objetivo é proporcionar uma solução para a desburocratização dessas empresas, facilitando a vida contábil dos empreendedores. A MaisMei reúne um time de especialistas em contabilidade e ferramentas que otimizam tarefas como abertura e baixa do CNPJ, envio da Declaração Anual obrigatória e pagamento do imposto mensal (DAS). Neste último caso, também é possível parcelar dívidas pelo próprio app. 

Além de um serviço diferenciado, a plataforma tem uma interface instintiva, ideal para quem não tem muita familiaridade com o mundo digital ou organizacional. A plataforma da MaisMei possui mais de 2 milhões de usuários e deve encerrar este ano com um faturamento de R$ 23 milhões.

Controlle

Plataforma ideal para pequenas e médias empresas ou aquelas que estão crescendo muito rapidamente, como os empreendedores digitais que querem resolver problemas de gestão e controle do caixa. Diferente da MaisMei, a Controlle tem como foco a organização interna e pode ser usada por pequenos empreendimentos a grandes empresas. 

Fluxo de caixa, contas a pagar e a receber, conciliação bancária, entre outros. Tudo isso com baixíssimo custo.

Para tanta facilidade, a plataforma já possui mais de 500 prefeituras homologadas, respeitando todas as leis municipais e com o objetivo de gerar a nota fiscal.

Otimiza Benefícios

Já a Otimiza Benefícios é uma Worktech focada em soluções para recursos humanos (RH) como a concessão de multibenefícios flexíveis e a gestão de pagamentos corporativos para o dia a dia do trabalho moderno: vale transporte inteligente, geoprocessamento do transporte público, gestão de despesas e viagens corporativas, comunicação instantânea entre empresa e colaboradores, mural de avisos digital, sistema para gestão de férias e vale férias programadas. 

A startup está recebendo apoio da Microsoft e do Google no qual além de R$ 1 milhão em créditos somados, tem acesso à treinamentos e à rede de mentores e especialistas líderes em todo o mundo para utilizar as IAs Generativas ChatGPT e Bard, Machine Learning, Azure e Google Cloud, entre outras tecnologias de ponta. 

A startup atende desde corporações líderes mundiais até pequenos escritórios e outras startups em todas as regiões do Brasil.

Kronoos

A tecnologia também previne “dores de cabeça” com contratações equivocadas ou negociação com outras empresas de reputação duvidosa. O Kronoos, plataforma SaaS para compliance, realiza pesquisas em mais de 3.500 fontes para conferir a idoneidade de pessoas e empresas e produzir dossiês sobre seu passado em menos de 1 minuto.

Com tecnologia de ponta, o “detetive virtual” usa mineração de dados com o objetivo de confrontar grandes conjuntos de informações para identificar anomalias, padrões e relacionamentos.

Além de compliance, há soluções com foco em risco reputacional, monitoramento de PEP (pessoas expostas politicamente) e até ESG. Todas as práticas estão em conformidade com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), e os relatórios respeitam a privacidade e dados sensíveis.

Revizia

Especializada em auditoria e compliance fiscal, a Revizia realiza cruzamentos de informações encontradas em documentos fiscais e aponta inconsistências e oportunidades de recuperação tributária. Somente no primeiro semestre de 2023, a companhia ultrapassou a marca de R$1,2 bilhão em recuperação tributária para empresas.

Outra atuação é na recuperação de documentos.   Durante todo o primeiro semestre deste ano, a plataforma havia recuperado aproximadamente cinco milhões de Notas Fiscais Eletrônicas (NFe), por exemplo. A perda desse tipo de documento chamados de (XML’s) pode implicar em severas autuações em casos da não escrituração deles nos arquivos magnéticos.

Campo modernizado: saiba tudo sobre a revolução da conectividade nas áreas rurais do Brasil

Campo modernizado: saiba tudo sobre a revolução da conectividade nas áreas rurais do Brasil

Das órbitas espaciais aos lares rurais, entenda como provedores e fabricantes de equipamentos estão estendendo fronteiras digitais para cerca de 30 milhões de brasileiros

Apesar do contínuo avanço da conectividade no Brasil, que abrange tanto áreas urbanas quanto rurais, aproximadamente 30 milhões de cidadãos permanecem desconectados da Internet. Nesse contexto, os provedores de Internet têm desempenhado um papel essencial na redução dessa lacuna digital. À medida que o país intensifica seus esforços para ampliar o acesso à conectividade, especialmente nas áreas rurais, os provedores de Internet assumem um papel fundamental, permanecendo na vanguarda do esforço para conectar comunidades remotas e proporcionar oportunidades de inclusão digital. Este compromisso não apenas liga pessoas, mas também impulsiona o desenvolvimento econômico e social dessas regiões.
 

Quando a internet chega até essas localidades, muitas vezes ela é redistribuída por pequenos provedores que estão ampliando suas ofertas para incluir equipamentos de rede essenciais, como Access Points, Roteadores Mesh e Repetidores. Esta expansão visa atender às crescentes necessidades residenciais, assim como atender escolas, pequenos comércios e órgãos oficiais.
 

Ayrton Neves, Diretor Comercial da TP-Link, líder global em conectividade, conta como a TP-Link desenvolveu soluções para agilizar os processos que facilitam o gerenciamento desses pequenos provedores através de ferramentas, como a plataforma Aginet de Gestão Remota TR-069 que reduz custos com visitas técnicas. A fim de suprir a necessidade de estender essa conectividade em uma área maior ou em diferentes localidades, são essas entidades especializadas na fabricação e distribuição de produtos de rede que fornecem meios para cumprir esse propositivo e tornar as redes mais robustas.
 

A Solução Aginet ACS, por exemplo, permite checar a distância o status da rede, atualizar firmware e gerar diagnósticos, entre outras ações, conforme explica Neves. “Essa abordagem auxilia os provedores na redução de despesas relacionadas a deslocamentos para a residência ou local de trabalho dos assinantes, resultando em uma otimização dos ganhos e uma melhoria significativa no atendimento pós-venda. Além disso, elimina contratempos para os clientes, que frequentemente enfrentam a necessidade de aguardar a chegada de técnicos em áreas de acesso complicado.”, reforça.
 

Já o Aginet Config permite a configuração de Presets, personalizando todos os parâmetros individuais do roteador. “Assim, caso o assinante resete o aparelho, os equipamentos voltam para as configurações do provedor e não as de fábrica, facilitando o dia a dia do pequeno empresário. Alguns modelos de roteadores TP-Link ainda contam com uma função Anti-Furto, que impedem que essas configurações sejam alteradas por um terceiro, caso o equipamento seja desviado”, finaliza
 

Explorando as soluções 5G para essas áreas de difícil aceso, a TP-Link investe em testes no Brasil e no lançamento previsto do NX510v no primeiro quarter de 2024, roteador criado para oferecer soluções indoor e outdoor que facilitarão a disseminação da digitalização no Brasil, representando um salto significativo na conectividade rural. O NX510v, se destaca pela inovação, sendo um roteador Wi-Fi 6 AX3000 5G com processador Qualcomm para otimização de performance. Este dispositivo proporciona velocidades de download de até 3.4 Gbps, sendo 23,6 vezes mais rápido que o 4G LTE, representando um avanço significativo na conectividade rural. Além disso, oferece uma cobertura Wi-Fi em toda a casa com a tecnologia EasyMeshn padrão e uma estratégia de backup failover para WAN e 4G/5G, garantindo uma conexão à internet contínua. A funcionalidade VoLTE/CSFB Telephony do NX510v assegura comunicação confiável e contínua, fundamental para áreas remotas onde a conectividade é crucial tanto para a comunicação pessoal quanto para o desenvolvimento econômico.​
 

No contexto de provedores rurais e a expansão da conectividade, se faz presente também o uso de produtos GPON (Gigabit Passive Optical Network) em residências rurais como uma solução eficaz. Os produtos GPON são sistemas de fibra óptica que oferecem alta velocidade de conexão à Internet, particularmente úteis em áreas rurais, onde as opções tradicionais de banda larga podem ser limitadas ou inexistentes. Com a capacidade de fornecer velocidades de gigabit e suportar uma variedade de serviços como VoIP, IPTV e dados de alta velocidade, o GPON é ideal para atender às demandas crescentes de conectividade em áreas rurais e regiões mais remotas.
 

No panorama da conectividade rural, empresas como a TP-Link estão liderando o caminho com soluções inovadoras.

Ayrton explica que frentes da conectividade juntas estão não apenas melhorando o acesso global, mas também preparando grandes clientes para receber serviços de internet com alto desempenho, aumentando também o ticket médio em relação à procura e demanda de roteadores. “E assim, conforme o cabeamento e o acesso por satélite se expande a essas áreas remotas, os negócios já estarão equipados com infraestrutura de rede de última geração. Isso é economia, alimentação, acesso à informação para mais de 30% da população brasileira”, completa.
  Pensando nessa propagação, a TP-Link expandiu sua equipe comercial para ter especialistas atendendo em cada região do Brasil. Agora, a empresa conta com executivos comerciais que atendem todas as regiões do país e executivos exclusivos para estados, fortalecendo ainda mais sua presença e eficiência no atendimento aos provedores, assim, preparando grandes clientes para receber serviços de internet com alto desempenho. Isso representa um avanço significativo na economia, na alimentação e no acesso à informação para mais de 30% da população brasileira.

Provedor de internet mineiro constrói anel ótico de 200 gigabit por segundo que interliga MG, SP e RJ

Provedor de internet mineiro constrói anel ótico de 200 gigabit por segundo que interliga MG, SP e RJ

Investimentos da Ibi, que incluem anel ótico, tecnologia de ponta e equipamentos de distribuição, ultrapassam R$ 10 milhões

Em meio à expressividade que os provedores de internet de pequeno e médio portes têm ganhado no Brasil, onde já somam mais de 20 mil e respondem por 50% do mercado de banda larga fixa, de acordo com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), empresas estão desenvolvendo estratégias com foco em visibilidade e ampliação da participação no setor. 

A ibi – Internet brasileira incrível, é um dos exemplos. Em constante processo de inovação, a empresa dá um grande salto e anuncia investimentos acima de R$ 10 milhões na criação de sua rede própria de internet em fibra ótica em Minas Gerais, São Paulo e Rio Janeiro. O anel ótico, que fará a interligação entre os três estados, possui extensão de 2.000 quilômetros. A conclusão das obras de infraestrutura está prevista até o final de 2023. 

“Nós não tínhamos anel ótico próprio. Até o final de 2022 nós utilizávamos contratos que chamamos de transporte. Ou seja, a gente contratava uma capacidade de velocidade em circuitos de terceiros. O que não é o link em si, o link é quando conecta você ao mundo”, explica Pedro Figueredo Matias, diretor técnico e operacional da empresa. 

Segundo o executivo, uma das metas da Ibi é sempre se atualizar e estar à frente da concorrência por meio da utilização de tecnologias, novas e de ponta. “Elas são necessárias para que a qualidade da prestação do serviço seja a melhor possível. Normalmente, nossos custos são maiores que os dos concorrentes porque a gente preza por investimentos de longo prazo”, diz. 

Desde o início da fase de expansão orgânica de fibra ótica, o investimento da Ibi sempre foi direcionado para aquisição de equipamentos que estivessem prontos para poder entregar a melhor tecnologia. “Um equipamento que foi instalado, por exemplo, em 2017, continua atual, pois suporta as novas tecnologias e atende as necessidades, de hoje, do mercado. essa tecnologia de rede interna faz com que os dados escoem da nossa região, Leste de Minas, para o restante do mundo”, ressalta Matias. Para a comunicação entre as estações estão sendo implantados equipamentos da marca Nokia que possibilitarão trafegar dados em alta velocidade. 

De acordo com o diretor, a capacidade inicial do anel ótico é de 200 gigabit por segundo, mas a meta é dobrar para 400 giga, alcançando até 6 tera por segundo, no futuro, dentro do processo de expansão gradual. “Nossos equipamentos de distribuição estão a um passo à frente da concorrência”. Pedro Matias salienta que a rede de fibra ótica da Ibi tem uma extensão total de 3 mil quilômetros de cabos nas cidades atendidas pela provedora no Leste Mineiro, é o caso do Vale do Aço e Governador Valadares, onde fica a sede da empresa. Somente desta última cidade até Belo Horizonte são mais de 500 km. Já de BH a SP mais 550 km, de SP ao Rio cerca de 600 e do Rio a BH também quase 600 quilômetros. 

“Nesses casos, os cabos nem sempre são nossos. Fazemos parcerias para utilizar fibras em cabos de outras operadoras. É o chamado contrato de swap, que é o compartilhamento de fibra. A gente utiliza a fibra do cabo deles e entregamos para eles parte da capacidade e vice e versa”, afirma Pedro Matias.

Flamengo é campeão de vendas em camisas de futebol em plataforma online

Flamengo é campeão de vendas em camisas de futebol em plataforma online

  • Além do rubro-negro carioca, Corinthians e Palmeiras lideram as vendas por meio da OLX entre junho e outubro deste ano
  • Preços variam entre R 85 a R 230
     

Dezembro de 2023 – Um torcedor que se preze precisa ter pelo menos uma camisa de seu time de futebol de coração, ainda mais às vésperas da decisão da principal competição do país. E, segundo um estudo da OLX, uma das maiores plataformas de compra e venda online de itens usados e seminovos do país, é possível encontrá-laspor até 52% de economia em relação às suas versões novas. O levantamento avaliou a procura, a comercialização, os anúncios e o preço médio entre junho e outubro dos uniformes dos times da série A do Campeonato Brasileiro. Flamengo, Corinthians e Palmeiras são as equipes campeãs de vendas por meio da plataforma.

“Por meio da OLX, é possível adquirir uma camisa usada do seu time de futebol do coração por um bom custo-benefício. Além disso, com a força da cultura do futebol no país, há oportunidades para colecionadores reforçarem o seu acervo ou comercializarem itens que desejam desapegar”, afirma a Diretora Geral da OLX, Regina Botter.

Na plataforma, os preços médios variam entre R$85, valor das camisas do Bahia, a R$230, caso do Red Bull Bragantino. As do Botafogo, que custam, em média, R$130, tem o maior percentual de economia em relação a um novo, 52%.

Já para quem gosta de vender camisas usadas via e-commerce, como colecionadores, o estudo aponta que as do América são as que mais se valorizaram na plataforma, com preço médio de R$399, um aumento de 101%.

Por falar em comercializações, os dois times mais populares do país, Flamengo e Corinthians, representam, juntos, mais de 40% das vendas. O Palmeiras é o terceiro com mais camisas vendidas, com 9,3% de share.

Procura e anúncios

As camisas do Flamengo lideram o ranking das mais procuradas na plataforma no período, seguidas de São Paulo e Corinthians, dentre os times avaliados. O rubro-negro carioca é o primeiro dentre os mais anunciados. O Timão é o segundo e o Verdão vem em terceiro.

Como fazer uma compra online com segurança

  • Tire todas as dúvidas pelo chat e canais oficiais das plataformas, evitando levar a conversa para aplicativos de mensagem, que são ambientes menos controlados;
  • Preste atenção na etapa de conclusão da compra e não siga caso identifique alguma atitude suspeita;
  • Não divulgue seus dados pessoais nem seu número de celular;
  • Desconfie de preços ou ofertas muito abaixo do mercado;
  • Verifique na plataforma informações sobre o vendedor, como tempo de conta;
  • A OLX oferece o Compra Segura, serviço pelo qual é possível pagar uma compra pela plataforma, sem precisar efetuar transferências para terceiros. Assim que o pagamento é confirmado pela OLX, o comprador recebe uma mensagem de confirmação diretamente no chat do anúncio;
  • Sempre peça a nota fiscal do item que está negociando. Desta forma, há certeza da legalidade da procedência do produto e, caso ainda esteja na garantia, é possível ter acesso à assistência técnica oficial;
  • No caso de uma compra ou entrega presencial, escolha lugares públicos e movimentados, como praças, shoppings ou estações de metrô. E, se possível, sempre vá acompanhado de outro adulto;
  • A OLX não possui parcerias com aplicativos externos de entrega, como Uber, Rappi, 99, Loggi e afins. Para vendas e compras com a OLX Pay, as entregas funcionam para todo o Brasil via Correios;
  • A OLX nunca solicita códigos de confirmação ou de segurança. Seja por telefone, e-mail, chat ou aplicativos de mensagens. Se você receber algum contato em nome da OLX solicitando qualquer código ou senha, denuncie na plataforma;
  • A OLX não envia e-mails com anexos ou links que redirecionam para fora da plataforma. Caso você receba alguma comunicação do tipo, não baixe nenhum tipo de documento e não clique nos links.

5 dicas para criar uma landing page de alta conversão  

5 dicas para criar uma landing page de alta conversão  

*Por Lívia Barreto, diretora de Marketing da Dinamize   

Nos dias de hoje, ter presença on-line eficiente e estratégica é essencial para impulsionar vendas e, consequentemente, o sucesso de qualquer negócio. Assim como o e-commerce, as redes sociais e o marketplace, a página de vendas de uma marca, ou landing page, é um dos canais que favorecem esse processo. Na verdade, essa ferramenta é capaz de persuadir os visitantes e transformá-los em clientes, desde que seja criada de maneira assertiva, com as melhores práticas do mercado.   

Em outras palavras, uma landing page deve ser projetada estrategicamente para levar os consumidores de um ponto ao outro no funil de vendas, textos persuasivos, imagens de alta qualidade, depoimentos, garantias e o clássico call to action (CTAs) são características típicas.  

 Há muitas técnicas, estratégias e caminhos para alcançar bons resultados. Por isso, a seguir, listo cinco dicas principais para que uma landing page gere alta taxa de conversão.  

Avalie o que será vendido   

Mesmo que uma marca tenha amplo catálogo de produtos e/ou soluções, a página de vendas deve ser limitada a apenas um item. Portanto, os usuários só seguirão focados se estiverem realmente interessados o. Se quiser vender um curso de oratória, por exemplo, a landing page deve se concentrar nas dores e dúvidas de quem está querendo saber mais sobre o tema. Não adianta querer vender também aulas de tecnologia ou atendimento ao cliente.  

Conheça o público-alvo  

Faça uma pesquisa detalhada sobre o público do seu negócio, avaliando os pontos em comum entre essas pessoas e o que vai chamar a atenção delas. Assim, é possível produzir conteúdo qualificado e que faça sentido para os usuários. Para isso, não foque apenas em dados demográficos, considere também gostos pessoais, lugares frequentados, materiais consumidos, influenciadores preferidos etc. Tudo isso trará mais naturalidade na hora de se comunicar.  

Crie conteúdo persuasivo  

O ponto-chave das landing pages é justamente o conteúdo persuasivo, com uso de gatilhos mentais inteligentes. O ideal é mostrar que o seu negócio conhece o segmento e entende os desafios pelos quais passa já no título. Portanto, seja específico e direto, como por exemplo: Na hora de falar em público, você começa a suar? Já perdeu oportunidades por não conseguir expressar suas vontades? Logo depois, traga soluções diretas: Com esse curso, você conseguirá manter uma postura adequada durante toda a apresentação, ou: Vai expor seus pensamentos com confiança e eficiência. Outra boa pedida é o uso de depoimentos. Procure utilizar falas que instiguem a curiosidade do público-alvo.  

Invista em design atrativo e responsivo  

Não adianta contar com um bom conteúdo e deixar tudo visualmente bagunçado, com excesso de informações e fotos sem apelo. A página de vendas deve incluir cores institucionais, elementos gráficos e fotos que gerem reconhecimento entre os usuários. Mostre o produto ou serviço em funcionamento, use vídeos e separe blocos por tonalidade e formato. Além disso, é fundamental pensar na usabilidade em aparelhos mobile. Utilize fontes, tamanhos e imagens que sejam compatíveis com telas de dimensões variadas.  

Tenha mais de um ponto de conversão  

Lembre-se é preciso contar com alternativas para garantir que os usuários se cadastrem na página. O formulário de cadastro é tradicional e efetivo para garantir conversões; o botão de WhatsApp gera interação com atendimento ou vendedores; pop-up de saída oferece a última chance para o lead manter contato com a marca; e CTAs poderosos devem estar presentes para indicar ao usuário o fazer.  

“Aceita todos os cookies desta página?” Entenda o que são os cookies em sites e como cibercriminosos têm usado essa brecha para ataques

“Aceita todos os cookies desta página?” Entenda o que são os cookies em sites e como cibercriminosos têm usado essa brecha para ataques

Especialista da Apura S/A aponta prática comum que poder deixar sistemas vulneráveis e conta como criminosos cibernéticos utilizam cookies como porta de entrada para ataques

“Aceita todos os cookies desta página?” Essa é uma mensagem bem comum que todos recebemos diariamente ao acessar sites, seja pelo celular ou pelo computador, e que normalmente “aceitamos” sem ao menos entender o que são cookies.

Não estamos falando dos deliciosos biscoitos americanos com pingos de chocolate. Os cookies são pequenos arquivos criados pelo navegador e armazenados no dispositivo do usuário enquanto ele navega por uma página da web. São usados para guardar informações sobre as preferências do usuário, histórico de navegação, dados de login e outras informações relevantes para melhorar a navegação em um website.

Os cookies são importantes para os servidores web porque permitem aos sites personalizarem a experiência do usuário, lembrando informações como as preferências de idioma, itens do carrinho de compras, configurações de conta e até mesmo fornecendo anúncios direcionados com base no comportamento de navegação do usuário.

Há vários tipos de cookies: cookies de sessão são temporários, desaparecem quando você fecha o navegador e guardam informações momentâneas, como o conteúdo de um carrinho de compras; os cookies persistentes ficam no dispositivo por mais tempo, mantendo informações a longo prazo, como as preferências do usuário; os cookies de terceiros são criados por sites diferentes do que está sendo acessado e são geralmente usados para publicidade e análise.

Infelizmente, os cookies também podem ser usados por criminosos cibernéticos para realizar ataques. Cookies são um dos alvos preferenciais dos malwares do tipo “stealer”, especializados no roubo de arquivos e informações dos dispositivos das vítimas, que posteriormente são enviados para um servidor sob o controle dos criminosos. Dentre os “stealers” mais ativos atualmente destacam-se o Raccoon, o RedLine Stealer e o Mars Stealer.

Em posse de um cookie de sessão, o criminoso consegue, com a ajuda de ferramentas especializadas, restabelecer  a sessão em um website da mesma forma em que ela foi aberta no computador da vítima. Isto quer dizer, por exemplo, que se o cookie tiver sido roubado enquanto o usuário acessava uma conta de e-mail, o criminoso consegue retomar exatamente deste ponto e acessar os e-mails da vítima. Isso torna desnecessário que o ator malicioso saiba a senha da conta, e mesmo métodos auxiliares de proteção podem ser momentaneamente contornados, uma vez que a autenticação não será solicitada de imediato.

“Um cookie de sessão é gerado quando o usuário realiza login em um serviço online, fornecendo sua senha e, se for o caso, a e autenticação de múltiplo fator (MFA). Esse cookie permite que o usuário seja autenticado automaticamente nas próximas vezes que acessar o mesmo serviço, sem a necessidade de inserir novamente as credenciais de login”, explica Anchises Moraes, expert em cibersegurança e Threat Líder na Apura Cyber Security.

Anchises Moraes, expert em cibersegurança e Threat Líder na Apura Cyber Security Cyber Intelligence

Os cookies roubados do computador infectado normalmente são anunciados ou distribuídos em mercados maliciosos, fóruns underground ou grupos de aplicativos de mensagens focados em fraudes. Muitos cibercriminosos se interessam por obter cookies válidos como uma forma de contornar os métodos e autenticação e assim conseguirem acesso às informações das vítimas, e, posteriormente, ao próprio sistema delas, o que pode permitir a instalação de outros tipos de malwares, como ransomware, por exemplo.

“Felizmente, os cookies de sessão possuem um tempo de expiração limitado, dificultando o acesso aos sistemas das vítimas por longo tempo. No entanto, é importante estar atento a boas práticas de segurança, como evitar clicar em links suspeitos, manter o sistema operacional e o navegador atualizados e utilizar soluções de segurança confiáveis para proteger contra ataques cibernéticos”, reforça o especialista.

Ataques via cookies apenas no último ano

Além dos cookies de sessão, outros alvos dos malware “stealers” são os dados de cartões de crédito e as informações digitadas em formulários web em geral. Muitos usuários habilitam o salvamento automático dessas informações em seus navegadores, aproveitando o recurso de autopreenchimento a fim de facilitar acessos futuros, mas isso acaba facilitando também a obtenção desses dados pelos criminosos.

Recentemente, foi realizada a operação Cookie Monster pela polícia federal americana, o FBI, em parceria com forças policiais de vários países. Dela resultou o fechamento do site criminoso Gênesis, conhecido por vender credenciais de acessos e outros produtos ilícitos na dark web. Estima-se que o fórum possuía cerca de 80 milhões de credenciais e outras informações roubadas de mais de 2 milhões de pessoas.

Outro site utilizado por ciber criminosos para a venda de informações roubadas, entre elas os cookies, é o Russian Market. Nesse site, também é possível encontrar informações de cartões de crédito, credenciais para acesso RDP e ferramentas maliciosas. Pagando a partir de 50 dólares, os usuários têm acesso ao conteúdo do fórum.

“Estes sites também permitem a busca por informações específicas. É possível, por exemplo, realizar buscas pelo e-mail de uma empresa ou seu nome de domínio, o que é muito desejado por hackers que pretendem realizar ataques direcionados a funcionários ou clientes de uma empresa em particular”, explica Moraes.

O roubo de cookies não só coloca em risco a segurança e privacidade dos usuários, mas também pode resultar em prejuízos financeiros e até mesmo comprometer a reputação das vítimas. Portanto, é essencial que os usuários estejam sempre atentos à proteção de seus dados e que evitem salvar informações sensíveis em navegadores.

Além disso, é importante que mantenham as melhores práticas de segurança, evitando abrir e-mails de origem desconhecida; clicar em links suspeitos; manter o sistema operacional, navegadores e antivírus sempre atualizados; ter cuidado com golpes de engenharia social, no qual os criminosos tentam ludibriar os usuários a baixar aplicações de origem indeterminada ou realizar ações duvidosas; entre outras.

Dos 10 sites mais acessados no Brasil, metade é redes sociais, aponta Semrush

Dos 10 sites mais acessados no Brasil, metade é redes sociais, aponta Semrush

Em âmbito mundial, os brasileiros estão no top 5 de populações que mais acessam Youtube, Facebook, Instagram, WhatsApp e X (Twitter)

São Paulo, novembro de 2023 – Nos últimos anos, as redes sociais se tornaram uma parte integral da vida da população. Segundo a Electronics Hub, os brasileiros passam, em média, nove horas olhando para telas de celulares e computadores, sendo que quatro são dedicadas apenas a essas mídias. Um estudo recente divulgado pela Semrush, plataforma de marketing digital especializada em visibilidade online, revela que, dos dez sites mais acessados no Brasil, metade é redes sociais. 

Ranking dos sites mais acessados pelos brasileiros em outubro de 2023:

  1. Google – 9,175,518,145 
  2. Youtube – 7,680,982,774 
  3. Globo.com – 1,213,378,822 
  4. UOL – 873,220,323 
  5. Facebook – 846,017,643 
  6. Instagram – 762,650,907 
  7. WhatsApp – 486,707,100
  8. Google Brasil – 395,550,723
  9. X (Twitter) – 349,456,144 
  10. G1 – 338,963,650 

Quando comparado ao ranking mundial, o Brasil é o terceiro país que mais acessa o Youtube, representado 6.8% de todo o tráfego mundial e ficando atrás apenas dos Estados Unidos (19.05%) e Índia (9.56%). O Instagram segue na mesma posição, com os brasileiros totalizando 10.26% dos acessos, EUA 19.8% e Índia 11.6%. Já as demais redes sociais possuem alterações na colocação. Em relação ao Facebook, o país está em quarto lugar (4.49%), perdendo para EUA (19.54%), Índia (8.53%) e Indonésia (4.5%). No Twitter, registra-se em quinto (4.14%), atrás dos EUA (22.61%), Japão (21.49%), Indonésia (7.19%) e Índia (4.99%). Já no WhatsApp, a nação se destaca em segundo lugar no ranking (15.93%), perdendo apenas para a Índia (17.4%). 

Ranking dos sites mais acessados pela população mundial em outubro de 2023:

  1. Google – 180,268,314,699
  2. Youtube – 112,896,025,610
  3. Facebook – 18,860,980,478
  4. Wikipedia – 8,516,040,547
  5. X (Twitter) – 8,441,886,457
  6. Instagram – 7,434,693,865
  7. Reddit – 7,236,599,380
  8. Facebook M – 7,099,591,170
  9. DuckDuckGo – 4,729,551,449
  10. Asuratoon – 4,398,439,608

“Comparando as redes sociais que estão presentes no ranking nacional com os demais países do mundo, conseguimos analisar que o Brasil permanece pelo menos entre as cinco populações que mais acessam esses portais. É interessante observar também que o WhatsApp, por exemplo, que é muito forte no país, não está entre os 20 sites mais acessados mundialmente”, explica Erich Casagrande, Líder de Marketing da Semrush Brasil.

Além do ranking dos principais sites de cada país, a plataforma também permite o monitoramento dos endereços segmentados em diversas categorias, incluindo: 1. Hospitalidade, 2. Publicidade e Marketing, 3. Companhias Aéreas, 4. Bancos, 5. Beleza e Cosméticos, 6. Software e Desenvolvimento de Computador, 7. Ensino à Distância, 8. Varejo, 9. Educação, 10. Entretenimento, 11. Vestuário e Moda, 12. Finanças, 13. Alimentos e Bebidas, 14. Computador e Videogames, 15. Saúde, 16. Tecnologia da Informação, 17. Seguros, 18. Investimentos, 19. RH, 20. Pesquisa de Mercado, 21. Jornais, 22. Serviços Online, 23. Imobiliário, 24. Restaurantes, 25. Ciência, 26. Telecomunicações, 27. Viagens e Turismo, 28 Automotivo e 29. Bem-Estar.

Mais detalhes sobre os monitoramentos da plataforma podem ser conferidos no link: https://pt.semrush.com/website/

Brasil lidera acesso mobile na Internet

Brasil lidera acesso mobile na Internet

Novo levantamento da Comscore aponta que 68% dos usuários digitais brasileiros usam exclusivamente dispositivos móveis (celular ou tablet) para acessar a rede. Inteligência artificial despontou como tendência de palavra-chave, impulsionada pela popularidade do ChatGPT

O consumo de conteúdo no ambiente digital tem mudado a dinâmica entre marcas e consumidores. Além de ter um impacto econômico significativo, essa transformação requer estratégias diferenciadas de engajamento.  A Comscore realizou um levantamento sobre os mais recentes hábitos de navegação do consumidor, que traz em um resumo dados de consumo em sites e aplicativos relacionados a varejo, entretenimento, notícias, streaming e redes sociais.

Segundo a análise, 68% dos usuários digitais brasileiros utilizam exclusivamente dispositivos móveis (celulares e tablets) para acessar a internet. Com um mercado maduro, a população digital vem crescendo moderadamente no Brasil – aumentou 0,6% entre os meses de junho de 2022 e 2023, totalizando 133 milhões de visitantes únicos no período. No mundo, esse aumento foi de 3%.

Em âmbito global, os usuários preferem o desktop para assuntos de navegação e pesquisa e o mobile para consumir conteúdos relacionados a serviços financeiros. Já o brasileiro se destaca por consumir no desktop conteúdos de informações e notícias e prefere o mobile para assuntos relacionados a varejo e finanças. Localmente, as categorias de entretenimento e redes sociais alcançam mais de 90% em ambas as plataformas (desktop e mobile).

Cenário global

Ao redor do mundo, as marcas indianas estão entre os destaques globais de crescimento. JioCinema, Paytm e EaseMyTrip cresceram significativamente em suas categorias (entretenimento, serviços financeiros e viagem, respectivamente). No disputado setor de vídeos, o aplicativo Moj teve um aumento ano após ano de 329 milhões de horas visualizadas por seus usuários mobile

Entre todos os setores, a varejista chinesa TEMU se destaca como a de maior crescimento, com 147 milhões de usuários únicos. Já streaming Twich é a marca que mais cresce no setor de gaming (jogos) globalmente, com mais de 116 milhões de usuários únicos ano após ano. E no mesmo período, em social media, o maior crescimento, de mais de 59 milhões de usuários únicos,  foi da plataforma Google Messages.

No Brasil, o Google Sites ainda lidera o mercado de notícias e pesquisa em todas as faixas etárias e em ambos os sexos, seguido de perto pela Meta.  Já o UOL tem também um alcance significativo, com uma leve vantagem na faixa dos 35+ e no sexo feminino.

O ano da inteligência artificial

O termo “inteligência artificial” se destacou como palavra-chave em tendência em janeiro de 2023, resultado da popularidade da ferramenta ChatGPT, que, neste período, foi líder em conversas ao redor do mundo sobre essa tecnologia.

Sua relevância se tornou notável nas redes sociais no início do ano, registrando 9,2 milhões de interações nas redes. A empresa OpenAI, dona da plataforma, também se destacou com 1,2 milhões de interações no total.

Redes sociais

A análise da Comscore indica, ainda, que as atividades relacionadas a social media tornaram-se mobile-first. Em média, o uso diário das mídias sociais em dispositivos como celulares e tablets é de 51 minutos contra 2 minutos em desktop. Além disso, o tempo gasto em redes sociais diversas é 32% maior do que em serviços de mensagens instantâneas.

Entre os destaques da categoria a está o crescimento de menções da marca Fenty Beauty e de sua criadora, a cantora Rihanna, após o anúncio de seu show no Half Time do Superbowl. Houve um impacto de 5,5 milhões de ações no Facebook, Twitter, Instagram e TikTok mencionando o programa.

“As redes sociais desempenham um papel essencial no aprimoramento de campanhas de marketing”, analisa Ingrid Veronesi, diretora sênior da Comscore para o Brasil, “por isso é importante assumir riscos em suas estratégias em Social Media”, complementa. Um exemplo de tal estratégia é um vídeo de 10 minutos do grupo Hilton no TikTok, rede conhecida por seus vídeos curtos, que teve 86x mais views do que a média da marca naquela plataforma.

Para conferir o levantamento completo, acesse aqui.

Especialista responde as três maiores dúvidas sobre assinaturas eletrônicas 

Especialista responde as três maiores dúvidas sobre assinaturas eletrônicas 

Veja quais são as principais diferenças, aplicações, benefícios e como realizar as assinaturas 

São Paulo, 31 de outubro de 2023 – Na busca pelo ganho de agilidade, organização e diminuição de custos, as assinaturas eletrônicas, ou digitais, aparecem cada vez mais como fatores essenciais para empresas e escritórios. Isso porque elas eliminam a necessidade de impressões e armazenamento físico de documentos, viabilizando assim processos mais rápidos e seguros. De ponta a ponta, da redação ao envio do documento tudo pode ser feito on-line.

Por todos esses motivos, é esperado que o mercado global de assinatura digital deva atingir US$ 20,4 bilhões até 2027, segundo pesquisa da Global Industry Analysts divulgada pela Market Research. com em dezembro de 2022. No Brasil, o cenário de assinaturas eletrônicas também vem crescendo. Exemplo disso é que, conforme dados do Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI), divulgados em setembro, essa modalidade disponibilizada pelo governo cresceu 203% em 2023.

Para explicar de forma mais aprofundada sobre quais são os benefícios dessas assinaturas, Márcio D’Avila, consultor técnico e especialista em identificação e segurança digital da CertiSign – a maior autoridade certificadora do país -, responde as três principais dúvidas sobre o tema.

1 – O que é assinatura eletrônica e quais são os seus tipos? 

“De maneira bastante abrangente, a assinatura eletrônica é uma forma prática e segura de atestar um ato no meio digital”, diz o especialista. A partir da Lei nº 14.063, criada em setembro de 2020, com finalidade de proteger as informações pessoais de todos os cidadãos, as assinaturas passaram a ser classificadas em três categorias: simples, avançada e qualificada.

A assinatura eletrônica simples pode ser a rubrica numa tela, um login ou o simples ato de clicar em um botão “Assinar”. Por confirmar a identidade de maneira mais simples, ela indicada para contratos e documentos de baixo risco, como a solicitação de serviços essenciais (água, luz e internet). Além desses, atas de reuniões, propostas comerciais, entre outros.

Já a assinatura eletrônica avançada é bastante comum nas empresas, segundo o especialista. Neste caso, por exemplo, ela é gerada a partir de um certificado digital emitido pela própria companhia, validando, assim, a identidade do colaborador/signatário, que pode usá-la em documentos e atos pré-estabelecidos entre as partes. “Ela também pode gerada a partir de outras tecnologias, desde que a identidade do signatário seja comprovada de maneira inequívoca.”

Por fim, a assinatura eletrônica qualificada é feita a partir do uso de um certificado digital no padrão Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira (ICP-Brasil). “É o método mais seguro por conta, principalmente, do processo rigoroso de validação da identidade para a disponibilização do certificado aliado ao uso da criptografia, que protege os dados e garante a autenticidade do documento”, afirma.

Essa opção é indicada para contratos e documentos de alta criticidade, como venda e compra de móveis, prontuários médicos, laudos. Outras indicações são: notas fiscais, relatórios empresariais e operações bancárias.

2 – As assinaturas eletrônicas têm validade jurídica? 

Sim, mas em contextos diferentes, segundo o especialista. “A validade jurídica da assinatura qualificada está prevista na legislação (MP 2.200-2), e, portanto, tudo o que é assinado usando um certificado digital ICP-Brasil tem validade jurídica”.

Já nos casos das assinaturas eletrônicas simples e avançada, a validade jurídica é configurada conforme as evidências colhidas no momento da formalização da transação, como a geolocalização, endereço IP do dispositivo, apresentação de documentos oficiais e, até mesmo, a assinatura manuscrita.

3 – Onde e como assinar documentos eletrônicos? 

“É necessário inserir o documento em questão em um portal de assinaturas, escolher o tipo de assinatura, assinar ou indicar signatários e pronto! Hoje, existem plataformas completas que permitem a criação de fluxos de assinaturas, acompanhamento de todas as etapas em tempo real e, também, a assinatura em lote de documentos. Na hora de pesquisar a melhor opção, considere tempo de mercado da empresa que oferece o serviço e funcionalidades da plataforma”. Outra opção é assinar o documento diretamente de programas.

Para Huawei, conexão fiber to the home deve crescer em toda a América Latina

Para Huawei, conexão fiber to the home deve crescer em toda a América Latina

São Paulo, 20 de outubro de 2023 – Com a crescente demanda por melhores serviços de banda larga, as redes de fibra óptica estão se tornando uma das mais importantes formas de conexão na América Latina. Até 2023, o alcance chegará a 30% e o número de usuários ultrapassará 60 milhões em toda a região.

Esses foram os principais dados apresentados no LATAM Fiber Broadband Leaders Summit, realizado em São Paulo no início do mês, com organização da Huawei,apoio da União Internacional de Telecomunicações (UIT) e da Informa Markets. Líderes da indústria, parceiros e operadores da América Latina se reuniram para discutir tendências, melhores práticas e aplicações inovadoras.

Atualmente, no entanto, 40% das residências ainda não têm acesso à internet. Com o intuito de fomentar a conectividade inclusiva, a Huawei implantou mais de oito mil quilômetros de fibra óptica na Amazônia, permitindo que 3,7 milhões de pessoas acessem à internet. “A Huawei continuará a trabalhar para não deixar ninguém ficar para trás no mundo digital”, disse Cai.

A banda larga de fibra óptica tornou-se uma das principais forças para o crescimento econômico e para a melhoria da competitividade. Enriquece a vida das pessoas e traz um novo impulso à transformação digital em todos os setores.

De acordo com pesquisas da UIT, a cada aumento de 10% no uso da fibra, o PIB pode aumentar em 1,9%.

Muitos países latino-americanos, como Brasil, Chile e México, lançaram políticas para acelerar o seu alcance.

Por exemplo, de acordo com a Estratégia de Banda Larga do Brasil, a taxa de backhaul de fibra óptica atingirá 100% em áreas com mais de 600 pessoas e a largura de banda média de acesso doméstico será superior a 1 Gbit/s até 2027. Governos de todo o mundo concluíram que a conectividade é prioridade fundamental.

Além dos benefícios sociais e econômicos, a fibra óptica também gera valor comercial para as operadoras. Nos últimos anos, as 10 principais operadoras da América Latina com o maior número de usuários de FTTH (do inglês fiber to the home, ou fibra para casa) tiveram retorno positivo e continuarão a investir na solução nos próximos anos. A migração de usuários dos antigos cabos de cobre para o FTTH é uma tendência generalizada.

De acordo com a consultoria Omdia, cerca de 36 milhões de usuários migram para o FTTH a cada ano.

No futuro, com a implementação contínua de novas tecnologias como a nuvem e a inteligência artificial (IA), a aceleração dos serviços de banda ultralarga 4K/8K/VR e a transformação digital da indústria, novas oportunidades de negócios serão fornecidas às operadoras. “A fibra óptica é o presente e o futuro”, disse o executivo.

“A Huawei está comprometida em fornecer uma solução de fibra digital simplificada, inteligente e econômica, ajudando as operadoras a implantar redes FTTH de forma eficiente, fornecer experiência de usuário premium, implementar operação e manutenção inteligentes e fornecer vários serviços inovadores para residências e empresas”, continuou. Ao final, conclamou governos, reguladores, operadoras e parceiros da indústria a trabalharem juntos de modo a acelerar o desenvolvimento da banda larga de fibra na região.

Orys faz parceria para oferta e adoção de Google Workspace entre seus clientes

Orys faz parceria para oferta e adoção de Google Workspace entre seus clientes

Como tornar uma atividade profissional descomplicada e mais produtiva?
Como agregar valor ao core business e extrair dele resultados ainda mais eficazes?
É o que promete, e entrega, o Google Workspace.
E diante dessa plataforma sólida e eficiente, a consultoria brasileira Orys – que traz em seu DNA uma nova maneira de pensar a tecnologia e a inovação –, buscou uma parceria com o Google para levar aos seus clientes os benefícios cada vez mais completos do uso de Inteligência Artificial (IA).
A aplicação correta, adequada e integrada das ferramentas do Google Workspace coloca a IA na prática em várias frentes dos negócios.
O objetivo da Orys é consolidar uma oferta que transmite segurança e está em linha com os fatores de inovação que os negócios de seus clientes exigem e os mantém na vanguarda tecnológica.
Com o conjunto de aplicativos e serviços de produtividade do Google Workspace, que podem auxiliar as empresas a aumentarem a produtividade, a segurança e a inovação.

No quesito aumento de produtividade, a IA pode ser usada de várias maneiras, incluindo:

  • Automatização de tarefas: ao automatizar tarefas repetitivas, é possível liberar os funcionários para se concentrarem em tarefas mais estratégicas.
  • Melhoria da comunicação: A IA pode contribuir significativamente na melhoria da comunicação entre funcionários, clientes e parceiros.
  • Personalização: A IA pode ser usada para personalizar a experiência do usuário, tornando os aplicativos e serviços mais úteis e relevantes.

A IA pode aumentar a produtividade no Google Workspace com o acesso ao Google Docs, por exemplo, com correções ortográficas e gramaticais, ou para gerar resumos de documentos.
Já com o Google Sheets, é possível identificar padrões em dados, ou para gerar previsões. O Google Slides permite a criação de apresentações personalizadas, ou para gerar legendas para vídeos.

Na segurança, a IA também pode ser aplicada para melhorar a confiança das empresas em aspectos cruciais em suas operações:

  • Prevenção de ameaças: Para detectar e bloquear ameaças cibernéticas.
  • Detecção de fraudes: Na identificação de fraudes financeiras e outras atividades fraudulentas.
  • Avaliação de riscos: Ao avaliar os riscos de segurança de uma empresa.

Entre os principais exemplos de como a IA pode ser estar presente na questão da segurança no Google Workspace está o uso do Google Drive, onde a IA detecta malware e outros arquivos maliciosos; com o Google Authenticator, a IA tem a capacidade de gerar códigos de segurança de dois fatores; e com o Google Cloud Armor, a IA bloqueia ataques DDoS.

A IA também pode impulsionar a inovação nas empresas, contemplando:

  • Desenvolvimento de novos produtos e serviços: que atendam às necessidades dos clientes.
  • Melhoria dos processos de negócios: tornando-os mais eficientes e eficazes.
  • Descoberta de insights: que podem ajudar as empresas a tomar melhores decisões.

Aqui, o Google Workspace pode oferecer, por exemplo, por meio do Google AI, uma variedade de ferramentas e recursos que podem ser usados para desenvolver novos produtos e serviços; já com o Google Cloud Platform, a plataforma de nuvem pode ser usada para desenvolver aplicativos e serviços inovadores.
E com o Google Workspace, IA pode auxiliar na coleta e análise de dados que podem ser usados para descobrir insights.

“Sem dúvida, o Google Workspace oferece uma gama de ferramentas que podem ajudar os funcionários a trabalharem de forma mais eficiente e colaborativa.
Além disso, a plataforma pode ser utilizada, de forma eficaz, na criação de um centro de colaboração onde os profissionais podem compartilhar arquivos, colaborar em projetos e comunicar-se uns com os outros, melhorando significativamente a eficiência e a produtividade dos funcionários”, afirma Fabio Iamada, vice-presidente Financeiro e de Marketing da consultoria Orys.

A adoção do Google Workspace inclui a vantagem da automatização tarefas, como o Google Apps Script e o Google Cloud Functions, possibilitando a economiza de tempo e foco em tarefas mais estratégicas e complementares que o negócio exige, sem contar no aspecto primordial relacionado à segurança e proteção dos dados, culminando com a prevenção de futuras ameaças e na tomada de decisões”, finaliza Iamada.

Com nova experiência a bordo, voos da Qatar Airways vão oferecer internet gratuita de alta velocidade da Starlink a passageiros

Com nova experiência a bordo, voos da Qatar Airways vão oferecer internet gratuita de alta velocidade da Starlink a passageiros

Starlink permitirá que os usuários utilizem velocidade Wi-Fi de até 350 megabits por segundo para jogos, acesso VPN, streaming de esportes e muito mais

DOHA, Catar – A Qatar Airways acaba de se tornar a maior companhia aérea a colaborar com a Starlink e lança uma experiência gratuita de conectividade de internet de alta velocidade e baixa latência a bordo de aeronaves e rotas específicas. O serviço da Starlink será mais um aprimoramento da experiência a bordo cinco estrelas da companhia aérea. Assim que o serviço estiver ativo, os passageiros poderão desfrutar de velocidades Wi-Fi ultrarrápidas de até 350 megabits por segundo, que podem ser usadas para uma variedade de serviços, como streaming de vídeo para assistir seus filmes e esportes favoritos, jogos, e muito mais.

O acordo com a Starlink permitirá que os passageiros tenham uma experiência rica e contínua de conectividade Wi-Fi a bordo com um simples clique. A rede é alimentada pelo sistema de comunicações por satélite Starlink – a maior constelação de Internet via satélite do mundo, projetada e operada pela SpaceX. A Qatar Airways e a Starlink estão atualmente na fase de pré-lançamento da estratégia de implementação em toda a frota da companhia aérea.

“A Qatar Airways tem o orgulho de anunciar seu acordo com a Starlink para fornecer Wi-Fi contínuo e gratuito aos seus passageiros globais. Esta colaboração não está apenas alinhada com a nossa abordagem líder do setor para a adoção tecnológica, mas também serve como uma oportunidade imperdível para conectar a Starlink aos nossos passageiros globais. Esperamos que nossos passageiros se beneficiem desta adição de última geração à experiência de voo da Qatar Airways”, afirma o CEO do Grupo Qatar Airways, Akbar Al Baker.

Para o vice-presidente de vendas comerciais da Starlink da SpaceX, Jonathan Hofeller, a parceria mostra o compromisso da Qatar Airways em garantir boas experiências aos passageiros durante o voo. “Com a Starlink preparada para oferecer suporte a toda a frota da Qatar Airways, os passageiros que viajam entre mais de 160 destinos ao redor do mundo poderão ficar conectados com o serviço de internet de alta velocidade mais avançado do espaço. Na verdade, assim que os passageiros embarcam no avião, a internet funciona perfeitamente durante todo o voo, de portão a portão, e tudo pode ser acessado no conforto dos seus assentos”, destaca Hofeller.

SKY FIBRA chega a regiões metropolitanas com rede neutra da I-Systems

SKY FIBRA chega a regiões metropolitanas com rede neutra da I-Systems

Graças à infraestrutura da I-Systems, SKY oferecerá seus serviços em 27 importantes cidades, a começar por Brasília

São Paulo, 17 de outubro de 2023 – Dando continuidade ao projeto de expansão da cobertura do produto SKY FIBRA, a SKY dá um importante passo ao começar a oferecer seu serviço de internet banda larga por fibra ótica em algumas importantes capitais e regiões metropolitanas do Brasil, iniciando em Brasília e com previsão de expandir para outras 26 novas cidades. A iniciativa se tornou possível graças à ampla presença nessas cidades da infraestrutura da I-Systems, empresa especialista em rede neutra de fibra ótica, que pode ser usada simultaneamente por diversos ISPs e operadoras.

“A parceria com a I-System faz parte da estratégia da SKY e da VRIO, holding da operadora, de avançar com a cobertura de oferta do serviço de fibra ótica, o que aumenta a proposta de valor dos produtos oferecidos aos clientes e visa diminuir a brecha digital no Brasil e na América Latina.”, afirma Rodrigo Fernandes, diretor de Banda Larga da SKY. A operação em novas cidades já começam por Brasília, com novos HPs da I-Systems.

Por meio da parceria, a SKY FIBRA também poderá atender a algumas cidades da Região Metropolitana de São Paulo (capital, Guarulhos, Diadema, Poá, Francisco Morato, Franco da Rocha, Mauá, Taboão da Serra e Suzano) e o município de Limeira. A I-Systems é a única rede neutra de fibra ótica que cobre praticamente toda região da Grande São Paulo. “Ofertar os nossos serviços de internet nas grandes metrópoles reforça o compromisso da SKY e do Grupo Werthein, dono da Vrio, em fazer investimentos no Brasil para nos posicionar como operadora nacional também no produto de conectividade. A infraestrutura compartilhada pela I-Systems é ideal para que possamos oferecer ao consumidor final uma conexão segura, com alta velocidade e estabilidade.”, afirma Gustavo Fonseca, Presidente da SKY.

Esta é a maior expansão da SKY no mercado brasileiro de acesso por fibra, pois estas 27 novas cidades cobertas pela rede da I-Systems contemplam uma população de mais de 40 milhões de pessoas. “É com muito orgulho que contribuímos para essa franca expansão da SKY FIBRA, que permitirá que as grandes populações das mais importantes capitais e regiões metropolitanas brasileiras, onde estamos presentes, possam contar com a sua excelência em atendimento, tecnologia e soluções de conectividade.”, afirma Daniel Cardoso, CEO da I-Systems.

Ao utilizar a rede de fibra ótica da I-Systems, a SKY ganha em agilidade na expansão, uma vez que não precisa investir em rede própria, e rapidez na ativação de cada cidade, graças à filosofia API-first da I-Systems. Os planos serão de 200 Mbps, 400 Mbps e 600 Mbps, com valores promocionais iniciais de R$ 79,90, R$ 89,90 e R$ 119,90, respectivamente. SKY FIBRA também poderá ser adquirido com a DGO, plataforma online de TV ao vivo e streaming, por R$ 139,80 (400 Mbps) e R$ 159,80 (600 Mbps) nos 12 primeiros meses. O aplicativo, que pertence à Vrio Corp., mesma controladora da SKY, possui mais de 70 canais com 10 mil conteúdos on demand. Toda a instalação na casa dos clientes será feita pela equipe da SKY, do drop da fibra (conexão do poste à casa) à caixa dentro da residência.


Sobre a SKY A SKY é uma plataforma digital de conteúdo. Além de ser a maior operadora de TV por assinatura via satélite do País, oferece streaming, serviço de Internet banda larga por fibra ótica, seguros e muito mais. Com a missão de ofertar e democratizar a diversão a todos os brasileiros, investe continuamente na oferta de produtos e serviços que sejam mais adequados para cada região e suas necessidades de consumo de conteúdo e entretenimento. Distribui programação 100% digital para todo o Brasil e busca, cada vez mais, ampliar e otimizar os serviços prestados e a experiência para seus mais de 4 milhões de clientes. Pertence a Vrio Corp., controladora também das marcas DGO e DIRECTV Latin America.

A I-Systems é uma empresa especialista em rede neutra de fibra ótica, que pode ser usada simultaneamente por diversos ISPs e operadoras, permitindo práticas sustentáveis, com mais agilidade, menor custo, evitando sobreposição de estruturas e ampliando o acesso à Internet. Resultado de uma joint venture entre a IHS Towers e a TIM, na qual a IHS é a principal acionista, a I-Systems opera em nove estados brasileiros e principais capitais do país, inclusive Grande São Paulo, com cerca de 8 milhões de domicílios passados.

Para leigos: 10 termos que você precisa conhecer na hora de comprar seu roteador

Para leigos: 10 termos que você precisa conhecer na hora de comprar seu roteador

Descubra os principais termos técnicos na hora de escolher o melhor Wi-Fi para sua casa e garanta uma conexão eficiente, segura e de qualidade.
 

Para quem tem dificuldade em acompanhar a rapidez da evolução da tecnologia, é comum não entender novos jargões e termos técnicos que parecem bem complicados. Ao pensar em melhorar o Wi-Fi da sua casa, por exemplo, você pode se deparar com algumas expressões e nomenclaturas que parecem um tanto estranhas. Mas, não se preocupe! Os especialistas da Mercusys prepararam um guia simplificado para ajudar a entender o básico e ainda facilitar a escolha do melhor roteador para você.
 

1MU-MIMO: Vamos começar por uma tecnologia com nome bem fofo. Traduzindo para o nosso dia a dia, é como se os roteadores, que possuem essa função, conseguissem conversar com vários dispositivos ao mesmo tempo, tornando a conexão mais rápida e estável. Os dispositivos MU-MIMO usam várias antenas para entregar essa conexão simultânea, enquanto os roteadores tradicionais criam uma fila para distribuir a conexão entre os dispositivos.
 

2 – 2.4GHz e 5GHz: Agora vamos para algo que só parece complexo, principalmente porque une números e letras. Mas é mais simples do que você pensa, estas são as frequências de rádio presentes nos roteadores modernos. A conexão 2.4 tem um maior alcance e é mais eficaz em penetrar paredes, porém uma velocidade reduzida comparada a 5G, que é mais rápida, mas é indicada para ambientes sem muitos obstáculos, como paredes, espelhos e etc.
 

3 – Wi-Fi 6: Essa é uma boa para você ficar atualizado nas rodas de conversa. Se você busca mais desempenho e segurança, esse é o padrão de Wi-Fi do momento e o que você que vai querer ter em casa. Imagine uma avenida mais larga e segura para os dados viajarem, Wi-Fi 6 oferece velocidades de conexão até 40% mais rápidas em comparação com a geração anterior o Wi-Fi 5. Permitindo que mais dispositivos operem na mesma rede sem reduzir a velocidade da conexão.
 

4OFDMA: Quanta letra agora, né! Bora simplificar. Essa é uma tecnologia que faz seu roteador conectar mais dispositivos ao mesmo tempo sem perder qualidade. Ou seja, com OFDMA, vários dispositivos podem transmitir e receber dados simultaneamente, reduzindo o tempo de espera e melhorando a eficiência geral da rede. Para você que ficou curioso, OFDMA significa “Orthogonal Frequency Division Multiple Access” (Acesso Múltiplo por Divisão Ortogonal de Frequência, em português). E é simplesmente uma técnica de modulação e acesso múltiplo usada em comunicações sem fio.
 

5 – Beamforming: Imagine uma lanterna apontando diretamente para onde você precisa. Esse é o papel do Beamforming, levando o sinal do Wi-Fi diretamente para o aparelho conectado. Ao direcionar o sinal, há menos probabilidade de interferência com outros dispositivos eletrônicos e redes próximas. Isso é feito ajustando a fase dos sinais em várias antenas para concentrar o sinal na direção desejada, resultando em uma conexão mais forte, menos interferência e maior eficiência na comunicação sem fio, incluindo radares e celulares.
 


6 – Porta Gigabit vs. Porta Fast Ethernet: Simplificando, a primeira é para quem busca velocidades maiores na internet (acima de 100Megas e até 1.000 Mbps), ideal para redes de alta velocidade e para suportar múltiplas conexões. E a segunda, mais antiga, para velocidades menores, compatível com aparelhos mais antigos.
 

7 – Criptografias (WPA3 vs WPA2): Bom, esses são os soldados que protegem o seu Wi-Fi. A WPA3 é a mais moderna e segura, evitando invasões indesejadas. Como você parece estar já bem familiarizado vamos aprofundar um pouco mais. Essa segurança introduz criptografia mais forte, proteção contra senhas fracas e dificulta consideravelmente os ataques de força bruta reduzindo as chances de um hacker invadir a rede.
 

8 e 9 – Halo Mesh e EasyMesh: Essa é para você que busca uma solução para aquela área da casa que o Wi-Fi não chega. Os roteadores Mesh permitem expandir o Wi-Fi para todos os ambientes da casa usando dois ou mais roteadores espalhados por diferentes cômodos. A diferença é que o EasyMesh segue um padrão internacional e é compatível com diversas marcas. Ou seja, você só precisa adquirir um novo dispositivo e aproveitar melhor o pacote de internet contratado.
 

10Controle de Pais: É uma ferramenta oferecida todos roteadores da Mercusys, que permitem aos pais ou administradores da rede monitorar e restringir o acesso à internet de dispositivos específicos. Muito além de garantir a segurança dos pequenos, permite controlar e monitorar o que é acessado na sua rede Wi-Fi, definindo horários e limites e até mesmo como segurança, pois permite acompanhar os pequenos que estiverem conectados fora de casa servindo como ferramenta de rastreio e localização.
 

E, uma dica extra: Muitos dispositivos da Mercusys, uma das principais fabricantes mundiais de dispositivos de rede, contam com os aplicativos que garantem que a instalação do novo roteador seja feita em minutos, ou seja, caso você só queira simplicidade, essa e outras muitas funções facilitam as configurações e te auxiliam no dia a dia. Consulte os modelos compatíveis em no Site.

Saiba mais através do QR Code:

Whatsapp com novo recurso que permite enviar mensagens sem estar conectado à Internet

enviar mensagem whatsapp

Whatsapp com novo recurso que permite enviar mensagens sem estar conectado à Internet

Para enviar mensagens no WhatsApp sem estar conectado à internet, agora é possível utilizar um servidor proxy compartilhado. No entanto, o recurso deve ser usado somente em situações de extrema necessidade e as redes devem ser criadas por organizações ou voluntários que promovam o acesso à informação.

O uso do servidor proxy não afeta a segurança e privacidade dos usuários, já que as conversas continuam sendo protegidas pela criptografia de ponta a ponta da plataforma.

Para utilizar o novo recurso, é necessário conectar-se a uma rede compartilhada por um servidor proxy. Isso pode ser útil em casos de falhas no serviço de dados móveis, como em apagões. O WhatsApp é o aplicativo de mensagens mais utilizado no Brasil, tanto para uso pessoal quanto profissional, portanto, a falta de acesso à plataforma pode causar diversos prejuízos aos usuários.

Lembrando que o recurso deve ser usado com cautela e apenas em momentos de necessidade extrema.

Android
Certifique-se que você está usando a versão mais recente do WhatsApp;
Na aba ”Conversas”, toque em ”Mais opções” e vá em ”Configurações”;
Toque em ”Armazenamento e dados” e, em seguida, em ”Servidor proxy”;
Toque em ”Usar servidor proxy”;
Toque em ”Definir servidor proxy” e insira o endereço do servidor;
Toque em ”Salvar”;
Um tique será exibido se for possível estabelecer a conexão.

iOS (iPhone)
Certifique-se que você está usando a versão mais recente do WhatsApp;
No WhatsApp, toque em ”Configurações”;
Toque em ”Armazenamento e dados” e, em seguida, em ”Servidor proxy”;
Toque em ”Usar servidor proxy”;
Insira o endereço do servidor proxy e, em seguida, toque em ”Salvar” para se conectar ao WhatsApp.
Um tique será exibido se for possível estabelecer a conexão.

Hotmart lança primeiro serviço de Inteligência Artificial

hotmart inteligencia artificial

Hotmart lança primeiro serviço de Inteligência Artificial para otimizar a criação de cursos online

Gratuito, Hotmart AI utiliza tecnologia do ChatGPT e ajuda a estruturar cursos online e decidir estratégia de vendas

A Hotmart, empresa global de tecnologia e líder na Creator Economy lança o Hotmart AI, o primeiro serviço gratuito baseado em inteligência artificial que auxilia na criação de cursos online. O Hotmart AI é especializado na Creator Economy, e sua função é buscar e apresentar informações públicas, específicas e inusitadas sobre o mercado de produtos digitais. Disponível no site hotmart.ai esta é uma solução para quem deseja lançar seu próprio curso online, mas precisa de ajuda para estruturar aulas e módulos.
 

A novidade da Hotmart acompanha uma tendência do mercado global, que deve investir US$ 154 bilhões em inteligência artificial até o final de 2023, segundo dados da pesquisa IDC Worldwide Artificial Intelligence Spending Guide. “Além de dar ideias das possibilidade de estrutura do curso, a IA dá dicas de precificação e estratégia de vendas”, comenta Renato Sacramento, Chief Product Officer (CPO) da Hotmart.

Renato ainda destaca que o Hotmart AI não vai criar o produto para o usuário, mas oferecer informações que facilitem a tomada de decisão, para que ele chegue ao mercado mais rapidamente e otimizado. “ É como uma sessão de brainstorming entre o criador de conteúdo e a inteligência artificial. O resultado dessa sessão deve servir de insumo para a elaboração do conteúdo de acordo com a autoridade do criador de conteúdo e as expectativas da sua audiência ”, afirma o executivo.

 Entenda o Hotmart AI

 O Hotmart AI é baseado na tecnologia do ChatGPT, mas trabalha com uma camada a mais de programação, desenvolvida pela equipe da Hotmart. A inteligência artificial utiliza informações públicas, para analisar o que foi enviado pelo usuário e entregar o resultado mais relevante possível e de forma que o usuário possa compreender.

Desta forma, o sistema analisa as informações enviadas e já propõe uma sugestão de módulos e aulas para um curso online, em um processo linear para o aprendizado do comprador final. A partir de cada tema específico, a plataforma permite indicar quais as melhores etapas para cada criador.

Cabe ao usuário apenas indicar sua área de interesse como Saúde, Educação, Finanças ou Pets, ou o que gostaria de criar, como aulas de inglês ou de piano, por exemplo.
 


Além da estruturação do curso, o Hotmart AI traz informações para estratégia de mercado do produto, como canais de comunicação que podem ser utilizados, público interessado no curso e até sugestões de precificação. As sugestões são baseadas em informações de bancos de dados públicos da internet.


O Hotmart AI está disponível em português, espanhol e inglês. Os interessados em usar a solução não precisam estar logados na plataforma da Hotmart.

Especialistas revelam como as empresas devem adotar o 5G 

5g internet tecnologia

Especialistas revelam como as empresas devem adotar o 5G 

Mercado corporativo não possui o entendimento das oportunidades de negócios que podem gerar em diversas verticais de mercado. Em contrapartida, este ano serão lançados novos serviços em 30 países. 

Pouco mais de um ano depois do leilão do 5G, realizado em novembro de 2021, o 5G já está disponível em todas as capitais brasileiras, mas muitas empresas ainda estão com dificuldades de compreender todo o potencial que a nova tecnologia tem a oferecer para seus negócios.  

Em sua primeira edição, o 5G Summit, que acontece online nos dias 08 e 09 de março, irá reunir algumas das principais lideranças do setor para debater este cenário e como as organizações podem se beneficiar da tecnologia e como traçar um roadmap para sua adoção.

O evento preparou um painel especial com a participação de alguns dos líderes do setor no Brasil para abordar temas importantes para o entendimento dos diferentes padrões como 5G SA (também chamada de 5G puro), 5G NSA (o primeiro a ser implementado e ativado pelas operadoras), 5G DSS (dynamic spectrum sharing, ou “compartilhamento dinâmico do espectro”, em português), fatiamento de rede, edge, latência, interoperabilidade, IoT, tendências e modelos de negócios inovadores de negócios.

Para este painel foram convidados José Felipe Otero, Vice-presidente para a América Latina e Caribe da 5G Americas; Paulo José Spaccaquerche, Presidente da ABINC — Associação Brasileira de Internet das Coisa; Euclides Chuma, membro sênior do IEEE e pesquisador de pós-doutorado na Universidade de linkoping na Suécia pelo programa CNPq CISB Saab; e Vicente Bandeira de Aquino Neto, membro do Conselho Diretor da Anatel e Presidente do GAPE.

Os pioneiros na adoção de 5G – Para apresentar os resultados das primeiras implementações do 5G no Brasil, o evento convidou Augusto Nellessen, superintendente de Tecnologia do Itaú Unibanco; Marco Bego, Diretor Executivo do InovaHC e do Instituto de Radiologia do HCFMUSP; Marcelo Duarte Preto, Gerente Executivo de Telecom na TecBan.

O painel também vai tratar dos desafios encontrados nesta jornada e relevar como as empresas estão se preparando para o futuro da conectividade para os negócios com foco no cliente.

Proteção crítica contra as ameaças cibernéticas na utilização do 5G – Quanto maior é utilização das redes de conectividade, mais atuantes estão os criminosos cibernéticos em busca de porta de entrada a sistemas de dados empresariais.

Foram convidados para tratar deste assunto os especialistas Yanis Stoyannis, Customer Security Director da ERICSSON para a América Latina; e Raul Colcher, Presidente da Questera Consulting, Life Senior Member do IEEE. Ambos irão apresentar ações práticas para impulsionar a proteção da rede em 5G e as demais interligadas a ela.

Na pauta estão como utilizará as ferramentas tecnológicas já disponíveis e como repensar os processos utilizados para transformar e fortalecer soluções de segurança para proteção de ativos, sistemas de controle industrial (ICS), tecnologia operacional (OT), Internet das Coisas, entre outros recursos.

5G fortalecendo a 4ª Revolução Industrial – A indústria se apresenta como um dos setores que serão mais beneficiados com a nova rede de conectividade, integrada à Internet das Coisas Industrial (IIoT) e a Inteligência Artificial, que deverão impulsionar os processo de hiper automação no setor visando aumentar a eficiência operacional e melhores resultados nos negócios.

Para abordar estes assuntos,o 5G Summit contará com a participação de Leandro Carrion, gerente de Inovação, Geração de Valor e Experiência do Cliente da John Deere; Prof. Dr. Rodrigo Vieira dos Santos, Coordenador do Centro de Conectividade — SENAI-SP; Sergio Souza, Vice-presidente KORE — Brasil.Novos serviços deverão ser lançados em 30 países – Durante o Mobile World Congress, realizado em Barcelona, a GSMA Intelligence divulgou um estudo apontando um cenário de forte crescimento das redes 5G em todo mundo, incluído na América Latina.

Estão previstos lançamentos de novos serviços em 30 países, o que contribuirá com este crescimento e com o maior entendimento sobre a utilização da tecnologia em vários segmentos. Mais informações sobre a programação e inscrições podem ser encontradas na página do evento AQUI.

My AI o chatbot do SnapChat baseado no ChatGPT

snap chat

My AI o chatbot do SnapChat baseado no ChatGPT

A Snap lançará um chatbot desenvolvido com a tecnologia ChatGPT da OpenAI, segundo a Reuters.

O chatbot, chamado “My AI”, será disponibilizado para assinantes premium do Snapchat+ e foi treinado para ter um tom divertido e alegre, além de oferecer ideias criativas como possíveis presentes para aniversários e escrever poemas sobre determinados tópicos.

A Snap alertou que o chatbot é “propenso a alucinações” e os usuários não devem confiar nele para obter conselhos.

A tecnologia ChatGPT tem a capacidade de gerar textos em resposta a solicitações e tem sido um campo de interesse crescente na indústria de tecnologia, com a Microsoft e o Google também anunciando seus próprios chatbots de inteligência artificial recentemente.

Telegram para de crescer e Instagram mantém tendência de alta

redes sociais

Telegram para de crescer e Instagram mantém tendência de alta

Pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box sobre mensageria móvel no Brasil também aponta que o envio de SPAM no WhatsApp é elevado  

A pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box sobre Mensageria Móvel no Brasil revela que, depois de três anos de um aumento rápido e contínuo em sua base de usuários no Brasil, o Telegram parou de crescer entre os usuários brasileiros de smartphone e agora mantém os mesmos 65% registrados em agosto do ano passado, no último levantamento. 

Desde janeiro de 2019, quando estava instalado em 13% dos smartphones nacionais, o app vinha registrando, semestre a semestre, a cada edição da pesquisa, crescimento acima da margem de erro, até atingir o ponto máximo de instalações registradas, um pico de 65% em agosto de 2022. Agora, nesta nova edição, manteve o mesmo patamar e é a primeira vez em três anos que isso acontece.  

Segundo a pesquisa, em agosto de 2022, 50% dos seus usuários declararam abrir o app todo dia ou quase todo dia. Agora, são 43%, uma queda de 7 pontos percentuais. Nesse período, houve uma queda na proporção de usuários de várias das suas ferramentas de comunicação. O percentual de usuários do Telegram no Brasil que participam de canais no app diminuiu de 66% para 61%. Outro exemplo: o percentual dos que trocam mensagens de áudio caiu de 42% para 37%.
 
Outra expectativa dos organizadores da pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box sobre Mensageria Móvel no Brasil é que o Telegram terá que disputar as comunidades com o WhatsApp, o que poderá impactar a influência do app neste perfil de usuários que assinam os canais temáticos ou de empresas. O novo recurso do WhatsApp foi liberado no Brasil no final de janeiro deste ano. 

WhatsApp disputando voz com operadoras 
O WhatsApp ganhou a atenção do usuário brasileiro de telefonia móvel pelo fato de permitir realizar chamadas de voz diretamente no aplicativo, sem que houvesse o consumo do seu plano de voz contratado com as operadoras.

Isso fez com que o aplicativo chegasse a esta última pesquisa mantendo a sua hegemonia no Brasil, estando instalado agora em 99% dos smartphones nacionais desde, índice conquistado a partir de agosto de 2021.

O que chama a atenção na pesquisa é a utilização do WhatsApp para chamadas de voz, com 78% dos usuários do mensageiro utilizam esse recurso. Desse grupo, 46% realizam chamadas de voz pelo app todo dia ou quase todo dia, e 30%, algumas vezes por semana. Outros 65% afirmam que fazem mais ligações pelo WhatsApp que pelo plano de minutos da sua operadora móvel. Isso representa 50% de toda a base de usuários do WhatsApp. Ou seja, é possível dizer que metade dos brasileiros com smartphone faz mais ligações pelo WhatsApp que pela rede de voz de sua operadora móvel. Na prática, portanto, o app virou o maior serviço de telefonia móvel do Brasil, já que os outros 50% de brasileiros que usam mais a rede de voz estão divididos entre Claro, TIM e Vivo.

Instagram: para o alto e além…. 
O Instagram segue em curva ascendente no Brasil, segundo a pesquisa pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box sobre Mensageria Móvel no Brasil. Em um ano, o app teve aumento de 82% para 87% na proporção de smartphones nacionais com o serviço instalado. Na comparação com seis meses atrás, o avanço foi de um ponto percentual, dentro da margem de erro da pesquisa. Esta tendência de alta pode ser justificada pelo fato da capacidade de publicação de vídeos curtos e efêmeros, recurso conhecido como Stories, adotado por 76% dos usuários do Instagram. Dentre os apps pesquisados, essa funcionalidade é a que possui maior popularidade. Embora seja originalmente uma rede social de imagens, o Instagram conta com um recurso de envio de mensagens privadas, o Direct, que é utilizado por 71% dos seus usuários, razão para o seu monitoramento nesta pesquisa de mensageria. 

A proporção de usuários que abre o Instagram todo dia ou quase todo dia permanece estável em 83% — bem acima de Telegram, Messenger e Signal, aplicativo que está em queda na taxa de engajamento entre os brasileiros.  

Nos últimos seis meses, diminuiu de 52% para 41% a proporção de usuários do Signal que trocam mensagens de texto; de 48% para 39% os que enviam mensagens de áudio; e de 48% para 43% os que trocam imagens. A proporção de usuários do Signal que abrem o app todo dia ou quase todo dia caiu de 31% para 28% em seis meses. O único ponto positivo foi o aumento de 1 ponto percentual na proporção de smartphones com o aplicativo instalado, que passou de 12% para 13%, variação dentro da margem de erro.

Outras descobertas da pesquisa de mensageria móvel no Brasil 
WhatsApp e Instagram se firmam como canais de comunicação para empresas – Entre os apps de mensageria monitorados pela pesquisa, o WhatsApp e o Instagram são os mais utilizados para a comunicação entre marcas e consumidores, com 80% dos usuários do WhatsApp e 65% do Instagram tendo o costume de conversar com empresas nesses aplicativos. No caso do WhatsApp, as principais finalidades apontadas são tirar dúvidas/receber informações (83%) e receber suporte técnico (75%). No Instagram, são tirar dúvidas/receber informações (79%) e comprar produtos e serviços (67%).Assinatura para mensageria pode ser alternativa para a monetização – O Telegram está experimentando essa alternativa desde o ano passado.

No Brasil, apenas 6% da sua base de usuários aderiu e 10% pretende assinar a versão paga, que oferece mais recursos e capacidade ampliada. No WhatsApp, 40% dos usuários têm interesse em assinar uma versão premium que trouxesse “funcionalidades exclusivas e melhor performance”. Neste grupo, mais da metade informa que estaria disposta a pagar até R$ 5 por mês, ou seja, um quarto do valor da assinatura premium do Telegram, que serve como referência para esse mercado. Até onde se sabe o WhatsApp não tem planos de criar uma versão paga.SPAM no WhatsApp é alto: 82% dos entrevistados afirmam ter recebido este tipo de mensagem no aplicativo.

A pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box sobre Mensageria Móvel no Brasil entrevistou 2.086 brasileiros que acessam a Internet e possuem smartphone, entre os dias 11 e 23 de janeiro. A amostra tem validade estatística, respeitando as proporções por gênero, faixa etária, renda familiar mensal e distribuição regional no País. A margem de erro é de 2,1 pontos percentuais. O relatório completo da pesquisa pode ser baixado gratuitamente AQUI.

Giga+ Fibra disponibiliza Internet Wi-Fi gratuita em pontos de apoio do Litoral Norte de São Paulo

giga mais fibra

Giga+ Fibra disponibiliza Internet Wi-Fi gratuita em pontos de apoio do Litoral Norte de São Paulo
 
São Paulo, 24 de fevereiro de 2023 — A Giga+ Fibra, maior provedora de internet fibra óptica do Litoral Norte de São Paulo — e que integra o Polo Sumicity, do Grupo Alloha Fibra — disponibilizou Internet gratuita nos principais pontos de apoio à população de São Sebastião e Caraguatatuba, como abrigos, unidades de saúde e bases da Polícia Militar.
 
Para isso, a Giga+ Fibra mobilizou fornecedores estratégicos, como Nokia e também a FiberX, que forneceram equipamentos sem custos em caráter de urgência para aumentar a capacidade da internet via Wi-Fi nas localidades.”
 
Desde o primeiro momento dos impactos da chuva, a provedora acionou sua equipe técnica e de atendimento para identificar os locais mais afetados, conseguindo restaurar grande parte da conectividade em menos de 72 horas.
 
Pontos de apoio com Internet Wi-Fi gratuita da Giga+ Fibra:
 
Instituto Verdescola: Av. Marginal, 44 – Praia Barra do Sahy, São Sebastião

EM Prof.ª Patricia Viviani Santana: Av. Prof. José Machado Rosa, 899 — Caraguatatuba

EM Prof. Antonio Luiz Monteiro: Estr. do Cascalho, 1409 — Boiçucanga, São Sebastião

EM Cambury — R. Olímpio Faustino, 155 – Praia de Camburi, São Sebastião

EM Maria Virginia Silva — R. Valinhos, 136 – Barra do Una, São Sebastião

Unidade de Saúde na Secretaria da Educação Sra. Marta: Av. Adelino Tavares, 301 – Praia do Sahy, São Sebastião

Base avançada de apoio aéreo da Polícia Militar: Centro Esportivo Gringão, Topo Varadouro, São Sebastião 
Além da disponibilização do Wi-Fi gratuito, a base da Giga+ Fibra, em Caraguatatuba, localizada na Avenida Ministro Dilson Funaro, 225, está recebendo doações de água mineral, alimentos não perecíveis e produtos de higiene pessoal para distribuição no litoral.
 
“Todos nós da Giga+ Fibra lamentamos profundamente e nos solidarizamos com as famílias atingidas pela tragédia ocorrida no fim de semana.

Não mediremos esforços para continuar levando uma Internet de qualidade, serviço essencial na vida de todos”, comenta Alexandre Lovecchio, CEO do Polo Sumicity.

A internet de alta velocidade da Starlink está sendo vendida a garimpeiros ilegais

destruição desmatamento amazonia garimpo ilegal

A internet de alta velocidade da Starlink está sendo vendida a garimpeiros ilegais

A internet de alta velocidade da Starlink, empresa de Elon Musk, está sendo vendida a garimpeiros ilegais que atuam na Terra Indígena Yanomami, em Roraima.

O serviço é fornecido via satélite e oferece uma das velocidades de conexão mais altas do Brasil, mesmo em áreas remotas.

Em um grupo de WhatsApp que reúne garimpeiros, a antena da Starlink é revendida por quase quatro vezes o preço cobrado no site da empresa.

Além disso, a mensalidade oferecida aos mineradores chega a ser dez vezes mais cara do que o valor do plano básico da companhia.

Especialistas afirmam que a internet de alta velocidade foi vital para que o garimpo ganhasse a escala atual no território.

No entanto, a revenda do serviço fere as regras da empresa de Elon Musk, que não prevê punições a quem infringe a regra.

A internet também dificulta o êxito de operações policiais contra a mineração ilegal e contribui para a cadeia ilegal de comercialização de minérios.

A chegada da Starlink ao Brasil foi marcada por irregularidades, com o governo de Jair Bolsonaro interferindo na Anatel pela autorização da operação dos satélites da empresa em território brasileiro.

Um ano depois, guerra híbrida entre Rússia e Ucrânia mostra mudança na direção dos ciberataques

hacker guerra hacktivismo

Um ano depois, guerra híbrida entre Rússia e Ucrânia mostra mudança na direção dos ciberataques
 
A Check Point Research observou o conflito russo-ucraniano afetar as táticas cibernéticas em vários campos e que ciberataques semanais contra a Ucrânia diminuíram 44%, enquanto os ataques cibernéticos contra países da OTAN aumentaram quase 57% em alguns casos
 
São Paulo, 23 de fevereiro de 2023 – A Check Point Research (CPR), divisão de Inteligência em Ameaças da Check Point® Software Technologies Ltd. (NASDAQ: CHKP), uma fornecedora líder de soluções de cibersegurança global, analisou o cenário dos ciberataques relativos à guerra entre Rússia e Ucrânia, um ano
após o seu início em 24 de fevereiro de 2022.
 
Os pesquisadores da CPR citam o mês de setembro de 2022 como um ponto de virada para ataques cibernéticos relacionados a essa guerra. Ao olhar para trás, a CPR notou uma diferença nos ciberataques ao comparar os períodos de março a setembro de 2022 e outubro de 2022 a fevereiro de 2023.

Desde então, os ciberataques semanais contra a Ucrânia diminuíram, enquanto os ataques cibernéticos contra países da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte) se intensificaram. A CPR lista wipers (limpadores), ataques multifacetados e hacktivismo como principais tendências e forças nesse cenário.
 
Os números resultantes da análise da Check Point Research apontaram uma redução de 44% no número médio de ataques semanais por organização contra a Ucrânia, de 1.555 ataques para 877.

No caso da Rússia, houve aumento de 9% no número médio de ataques semanais por organização contra o país, de 1.505 para 1.635 ataques. E, em relação aos países da OTAN, a Estônia, Polônia e Dinamarca tiveram aumentos de 57%, 31% e 31%, respectivamente, enquanto o Reino Unido e os Estados Unidos obtiveram crescimento de 11% e 6%, nesta ordem.
 
 

Figura 1 – Média semanal de ataques cibernéticos por organização


Guerra híbrida
A invasão russa na Ucrânia em fevereiro de 2022 foi o evento geopolítico mais influente do ano passado. Além de ser o conflito militar mais sangrento na Europa em décadas, essa guerra lança uma nova luz sobre várias questões, incluindo o poder militar real da Rússia e sua posição na liderança mundial, o equilíbrio de poder entre a Rússia e o Ocidente, a dependência europeia de fontes de energia e o efeito nos preços globais da energia e na economia mundial.
 
Outras ramificações foram vistas também no campo da segurança cibernética, pois esta é a primeira grande guerra híbrida que envolve o ciberespaço como frente de batalha.

Há várias lições aprendidas sobre danos colaterais cibernéticos, como eficácia de malware destrutivo, atribuição de atividades cibernéticas em tempo de guerra, diferenciação entre estado-nação, hacktivismo e atividade ofensiva de cibercrime, hostilidades cibernéticas e seus efeitos em pactos de defesa, capacidade de operações cibernéticas para contribuir para a guerra tática e os preparativos necessários.

Em algumas áreas, os efeitos na arena cibernética global já são visíveis.
 
A ascensão dos limpadores
A CPR também viu a percepção do malware wiper, que interrompe as operações dos sistemas visados, passar por uma grande transformação por causa da guerra. Anteriormente, os limpadores raramente eram utilizados.

No entanto, no ano passado, os limpadores se tornaram um mecanismo implementado com muito mais frequência como parte de conflitos crescentes, e não apenas na Europa Oriental.
 
O início da guerra russo-ucraniana trouxe um aumento massivo de ataques cibernéticos perturbadores realizados por agentes de ameaças afiliados à Rússia contra a Ucrânia. Na véspera da invasão terrestre em fevereiro, três limpadores foram implementados: HermeticWiper, HermeticWizard e HermeticRansom. Outro ataque foi direcionado à rede elétrica ucraniana em abril, usando uma nova versão do Industroyer, o malware que foi usado em um ataque semelhante em 2016. No total, pelo menos nove limpadores diferentes foram implementados na Ucrânia em menos de um ano. Muitos deles foram desenvolvidos separadamente por vários serviços de inteligência russos e empregavam diferentes mecanismos de limpeza e evasão.
 
O grupo hacktivista afiliado à Rússia From Russia With Love (FRwL) executou o Somnia contra alvos ucranianos. O malware CryWiper foi implementado contra municípios e tribunais na Rússia. Inspirada por esses eventos, a atividade dos limpadores se espalhou para outras regiões.

Grupos afiliados iranianos atacaram alvos na Albânia, e um misterioso ransomware Azov, que na verdade é um limpador de dados destrutivo, se espalhou pelo mundo.
 
Esforços cibernéticos multifacetados
Ao rever os ataques contra a Ucrânia, algumas das ações cibernéticas ofensivas tiveram como objetivo causar danos gerais e perturbar a vida cotidiana e moral dos civis, enquanto outros ataques foram direcionados com mais precisão e destinados a atingir objetivos táticos e foram coordenados com a batalha. O ataque Viasat, executado horas antes da invasão terrestre na Ucrânia, foi projetado para interferir nas comunicações via satélite que prestam serviços a entidades
militares e civis na Ucrânia.

O ataque usou um limpador chamado AcidRain e foi adaptado para destruir modems e roteadores e cortar o acesso à Internet para dezenas de milhares de sistemas. Outro exemplo de ataque coordenado tático ocorreu em 1º de março. Além disso, quando a torre de TV de Kiev foi atingida por mísseis russos que interromperam as transmissões de televisão da cidade, um ataque cibernético foi lançado para intensificar os efeitos.
 
Ciberataques táticos de alta precisão exigem preparação e planejamento. Os pré-requisitos incluem obter acesso às redes visadas e, muitas vezes, a criação de ferramentas personalizadas para diferentes estágios do ataque. As evidências sugerem que os russos não se prepararam para uma longa campanha. As características das operações cibernéticas, que nas fases iniciais incluíam ataques precisos com objetivos táticos claros, como o ataque à Viasat que mudou desde abril. A implantação de várias novas ferramentas e wipers (limpadores) que eram característicos dos estágios iniciais da campanha foi posteriormente substituída principalmente por explorações rápidas de oportunidades detectadas, usando ferramentas e táticas de ataque já conhecidas, como Caddywiper e FoxBlade. Esses ataques não pretendiam atuar em conjunto com os esforços de combate tático, mas sim infligir danos físicos e psicológicos à população civil ucraniana em todo o país.
 
Surge o hacktivismo
A criação e gestão do “Exército de TI da Ucrânia” naquele país, um exército de especialistas em TI voluntários, transformou o hacktivismo. Anteriormente caracterizados por uma cooperação frouxa entre indivíduos em colaboração ad hoc, os novos grupos hacktivistas aumentaram seu nível de organização e controle e agora conduzem operações militares. Esse novo modo de operação inclui recrutamento e treinamento, compartilhamento de ferramentas, inteligência e alocação de alvos e muito mais. A atividade hacktivista anti-russa continuou ao longo do ano, afetando infraestrutura, entidades financeiras e governamentais.
 
Os dados da Check Point Research mostram que o ataque contra organizações na Rússia aumentou significativamente desde setembro de 2022, especialmente contra o governo e os setores militares na Rússia.
 
 

Figura 2 – Média semanal de ciberataques por organização para os setores do governo e militar


“Observamos uma mudança na direção dos ataques cibernéticos em um ponto específico durante a guerra. A partir do terceiro trimestre de 2022, vemos um declínio nos ataques contra a Ucrânia, ao mesmo tempo em que houve aumento nos ataques contra certos países da OTAN. Assistimos aos esforços implantados especialmente contra países específicos da OTAN que são mais hostis à Rússia. Alguns desses ataques são de malware, e alguns deles têm foco em operações de
informação em torno de eventos políticos, geopolíticos e militares específicos”, relata Sergey Shykevich, gerente do grupo de inteligência de ameaças da Check Point Software.

MCom e Telebras disponibilizam 10 antenas para garantir internet em São Sebastião (SP)

antena internet telebras

MCom e Telebras disponibilizam 10 antenas para garantir internet em São Sebastião (SP)

O Ministério das Comunicações (MCom) e a Telebras estão trabalhando juntos para ajudar a população afetada pelas fortes chuvas na região de São Sebastião (SP), no litoral paulista.

Para auxiliar na comunicação via satélite na localidade, foram disponibilizadas 10 antenas portáteis, além de dois engenheiros que darão suporte e treinamento.

Quatro dessas antenas chegarão ao município ainda nesta terça-feira (21). Cada equipamento tem a capacidade de garantir 20 Mbps de conexão.

Esses equipamentos são os mesmos que foram repassados para apoiar o atendimento no Território Yanomami.

O ministro das Comunicações, Juscelino Filho, enfatizou a importância do esforço conjunto entre o governo federal, estadual e municipal para atender a população neste momento de dificuldade.

Ele explicou que as antenas possibilitarão a comunicação das equipes que atuam nas áreas mais isoladas e na desobstrução de estradas. Comunicação, especialmente pela internet, é um direito que deve ser assegurado.

Os equipamentos funcionam como Terminais Transportáveis Telebras por Satélite (T3SAT), que se conectam à internet por meio do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC).

Cada equipamento vem em uma maleta de 97 cm de altura e 82 cm de largura, com espessura de 32 cm, possibilitando uma conexão com taxa de transmissão de 20 Mbps de download e 2 Mbps de upload.

A antena que acompanha tem 76 cm de diâmetro. O dispositivo possui bateria para uso em períodos de falta de energia, com duração de até oito horas.

O modem que equipa a T3SAT possui Wi-Fi embarcado e pode ser conectado a aparelhos celulares e computadores.

Jarbas Valente, da Telebras, destacou a importância dos equipamentos para auxiliar os diversos órgãos que trabalham no resgate e salvamento, além de atender à comunidade da região.

Mais uma vez, o Ministério das Comunicações e a Telebras se mobilizam para auxiliar o Governo Federal e viabilizar comunicações emergenciais via satélite.

Falso 0800 envia SMS para roubar dados de cartão de crédito

call center fake golpe

Falso 0800 envia SMS para roubar dados de cartão de crédito

Clientes do Banco Itaú estão sendo alvo de uma nova onda de golpes do falso 0800.

Os golpistas enviam mensagens SMS informando sobre uma transferência de alto valor agendada e fornecendo um número de telefone falso para dúvidas.

Quando contatados, tentam obter dados financeiros e números de cartões de crédito dos correntistas.

Os SMSs fraudulentos mencionam um valor de transferência de R$ 3.300 e são enviados por diferentes números de celular, mas a falsa central de atendimento é a mesma, com música de espera semelhante a serviços do tipo, porém sem especificar o banco.

Ao ser contatado, o suposto atendente só se identifica como funcionário do Itaú após ser informado sobre a transferência, e solicita informações como números de agência e conta, além de dados do cartão de crédito para bloqueio.

O golpe é semelhante a outros que circulam desde janeiro do ano passado e aposta na pressa dos clientes para solucionar uma operação não autorizada, levando a grande perda de dinheiro.

Chama a atenção o uso de um número 0800, que normalmente é restrito a empresas reconhecidas e mostra o refinamento das fraudes.

Para se proteger, o Itaú recomenda ignorar contatos suspeitos e entrar em contato com a central de atendimento oficial em caso de dúvida.

Não se deve fornecer dados pessoais e financeiros por mensagem ou ligação, nem realizar transferências ou alterações nas contas com base em indicações recebidas por estes meios, a menos que se tenha certeza de estar falando com a central legítima do banco.

Caso receba um contato suspeito, é ideal desligar e buscar o atendimento oficial de outro número.

Em 40 dias, MCom instala 282 pontos de internet do Wi-Fi Brasil por meio do Programa Internet Brasil

mcom ministerio comunicações brasil

Em 40 dias, MCom instala 282 pontos de internet do Wi-Fi Brasil por meio do Programa Internet Brasil


Desse total, 93% foram encaminhadas para escolas. Nordeste foi a região mais beneficiada, com 216 instalações

Brasília-DF, 15/02/2023 — Alunos de 265 escolas públicas espalhadas pelo país retornam às aulas, em fevereiro, com internet gratuita banda larga via satélite e por conexões terrestres disponível.

É que o Ministério das Comunicações (MCom), por meio do Programa Internet Brasil, instalou pontos de acesso nestas instituições de ensino no início deste ano.

No total, nos primeiros 40 dias de governo, foram entregues 282 conexões de internet em 19 estados. A grande maioria foi encaminhada para municípios na região Nordeste (216). 

“Possibilitar que as escolas públicas tenham internet nas regiões em que têm os menores índices de desenvolvimento do nosso país é um dos objetivos do Wi-Fi Brasil. Queremos cada vez mais promover a inclusão digital e social da nossa população, a começar pelas crianças, para que tenham uma educação de qualidade, promovendo desenvolvimento e garantindo oportunidades”, destacou o ministro das Comunicações, Juscelino Filho.

Além do atendimento a escolas, o Wi-Fi Brasil instala gratuitamente antenas e roteadores em locais como assentamentos, Unidades Básicas de Saúde (UBS), comunidades indígenas, quilombolas ou ribeirinhas, além de telecentros comunitários, por exemplo.

Um exemplo disso foi a disponibilização de 17 antenas para apoiar o atendimento humanitário nas Terras Yanomamis.

São todos pontos de acesso com velocidade de conexão via satélite de 20 megabits por segundo.
 
As antenas recebem o sinal enviado pelo Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC), primeiro satélite brasileiro concebido exclusivamente para a transmissão de dados com alta velocidade na banda Ka cobrindo todo o Território Nacional e a Amazônia Azul.

O satélite foi desenvolvido pelo Ministério das Comunicações com apoio da Telebras e fica em órbita sobre o Equador a 36 mil quilômetros de altitude.
 
ATENDIMENTO — O estado com a maior quantidade de pontos de internet instalados em 2023 é o Piauí, com 60 unidades. Na sequência está o Maranhão (44), Pernambuco (32), Ceará (31) e Bahia (30).

A região é prioritária para a política pública de conectividade porque possui os indicadores mais baixos de uso da internet no país, de acordo com dados da pesquisa TIC Domicílios 2021, do Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br), e da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD).
 
COMO SOLICITAR O SERVIÇO — Para solicitar o serviço, basta acessar o link “obter conexão de internet GESAC” e preencher o formulário.

O atendimento às solicitações depende de análise técnica, além de disponibilidade contratual e financeira. Caso o pedido seja aprovado, o tempo estimado para prestação do serviço é de 60 dias a 90 dias.

Para informações ou dúvidas, o contato pode ser feito pelo telefone (61) 2027.6403, ou pelo e-mail: conectividade@mcom.gov.br.

A tecnologia 5G e as cidades inteligentes 

rede tecnologia 5G

A tecnologia 5G e as cidades inteligentes 

*Por Luiz Fernando Machado

Os municípios brasileiros começam a avançar com o uso mais intensivo da tecnologia, permitindo conectar as pessoas e os equipamentos urbanos – oferecendo serviços públicos eficientes e de qualidade -, bem como facilitando e democratizando o seu acesso pela população.

A chegada da tecnologia 5G começa a ser instalada no país e vai promover a expansão dessas ferramentas de forma exponencial.  

Uma Cidade Inteligente tem como um dos pilares uma forte gestão de dados, que vai garantir o sucesso de políticas públicas.

Um dos exemplos é o Observatório Jundiaí, um portal que criamos com 300 indicadores vinculados aos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODSs), formulados pela ONU (Organização das Nações Unidas).

Nele, o morador tem acesso a informações das áreas de Saúde, Educação, Transporte, Segurança, Economia, obras em tempo real, entre outras.

Fizemos ainda uma atualização, agregando 100 indicadores voltados à primeira infância, incluindo dados sobre a cobertura de vacinas, saúde bucal, internações e matrículas escolares.  

Os munícipes têm ainda uma ferramenta de gerenciamento inteligente do Plano Plurianual (PPA) da cidade e podem observar os avanços dos programas e dos investimentos previstos para o município de forma mais transparente.

Além disso, o App Jundiaí traz mais de 130 funcionalidades nas mais variadas áreas como segurança, cultura e saúde, bem como 45 opções de serviços da prefeitura.  

O investimento em tecnologia, ao contrário do que pode parecer, humaniza o atendimento à população. Uma gestão mais eficiente, capaz de diagnosticar eventuais gargalos e rotas a serem corrigidas, oferece serviços de melhor qualidade.

Na economia, uma pesquisa internacional mostra que as cidades inteligentes serão responsáveis por 60% do Produto Interno Bruto (PIB) até 2025. Mas esse é apenas o começo de um desafio fascinante para as administrações municipais.  

A tecnologia 5G prevê a implantação de sensores de Internet das Coisas (também conhecida como IoT).

Se na tecnologia 4G vivenciamos a jornada da “internet dos aplicativos” com a conectividade de celulares mais rápida, agora, as portas se abrem para uma rede de alta velocidade e baixa latência, garantindo uma conexão muito mais rápida dos dispositivos.

O poder disruptivo do 5G está apenas engatinhando e traz oportunidades de gestão e negócios ainda sequer imaginados.  

Para o administrador público, é a oportunidade de utilizar ferramentas que ajudarão no planejamento urbano. Já é possível entender como a população se movimenta e os horários de picos do transporte público.

Com isso, podemos ampliar a oferta de ônibus, estimular o uso de bicicletas e colocar na mão do munícipe a melhor alternativa para locomoção, utilizando inclusive mais de um modal.

De acordo com pesquisas internacionais, será possível reduzir fatalidade no trânsito e de violência entre 8% e 10% e queda de 30% na criminalidade com o uso de dispositivos conectados à rede 5G.  

Na área da saúde, as soluções devem garantir um atendimento transversal dos cidadãos.

Com os dados, podemos analisar as informações da população de um determinado bairro e quais os serviços públicos mais adequados.

Por exemplo: em uma localidade com um grande número de pessoas com diabetes, a prefeitura poderá instalar equipamentos para estimular atividades físicas e a implantação de empresas de produtos saudáveis, bem como treinar equipes de saúde para atendimentos específicos.  

Já os bairros com um maior número de jovens, a administração municipal pode adotar políticas públicas de estímulo a leitura, com bibliotecas, incentivo às atividades esportivas, com quadras, entre outros equipamentos.  

Esse é o momento que começamos a descortinar um futuro de muitas possibilidades para uma administração pública com serviços de qualidade e transparência.

É um desafio estimulante, que acontecerá com uma rapidez surpreendente e que precisamos estar preparados para esse momento.  

* Luiz Fernando Machado é prefeito de Jundiaí (SP).

Navegador Opera está criando uma barra lateral com o ChatGPT

navegador opera resumo texto chatgpt

Navegador Opera está criando uma barra lateral com o ChatGPT

Opera está incorporando uma nova ferramenta baseada em ChatGPT à sua barra lateral.

O recurso, chamado de “Encurtar”, gerará resumos concisos de páginas da web e artigos.

Esta adição faz parte do plano amplo da empresa de integrar tecnologias de IA em seu navegador, similar à Microsoft com o Edge.

Ao selecionar o botão “Encurtar” na barra de endereços, uma barra lateral com o ChatGPT aparecerá, oferecendo um resumo organizado com marcadores do conteúdo que você está visualizando.

O recurso “Encurtar” ainda não está disponível para todos, mas a Opera planeja lançá-lo em breve, juntamente com outros recursos baseados em IA que melhorarão a navegação.

A empresa também planeja adicionar “serviços populares de conteúdo gerados por IA à barra lateral”.

Rede social Reddit foi hackeada

reddit

Rede social Reddit foi hackeada

10 de Fevereiro de 2023. O Reddit, uma rede social onde os usuários compartilham conteúdo, foi hackeado recentemente.

Um funcionário da empresa foi vítima de um ataque de phishing, que permitiu que os invasores tivessem acesso a informações da empresa.

Apesar do acesso a documentos internos, códigos, sistemas de negócios e contatos de contratos, a rede social afirma que os dados dos usuários não foram afetados.

O ataque de phishing ocorreu quando o funcionário clicou em um prompt falso, que o levou a um site que parecia ser da plataforma interna do Reddit, mas na verdade era uma fraude projetada para roubar informações sensíveis.

Após o alerta, a equipe de segurança e TI do Reddit bloqueou a invasão, mas os invasores conseguiram acessar parte das informações da empresa.

Este não é o primeiro ataque de phishing que o Reddit sofreu.

Em 2018, o site enfrentou um ataque semelhante, que resultou na perda de dados dos usuários e senhas.

Desde então, a empresa afirma ter aprendido muito sobre ameaças cibernéticas e segurança da informação, e acredita que seus esforços de proteção foram bem-sucedidos neste último ataque, já que os dados dos usuários não foram afetados.

Hackers estão usando o ChatGPT para criar malware

hacker

Os criminosos cibernéticos estão explorando a tecnologia do ChatGPT da OpenAI para cometer seus crimes na internet.

Estes indivíduos compartilham malware codificado pelo chatbot de inteligência artificial e criam ferramentas de hacking para atrair vítimas de golpes.

De acordo com a empresa de segurança israelense Check Point, um golpista exibiu um código que usava o ChatGPT para roubar arquivos valiosos dos usuários.

Outra ferramenta criada com a ajuda do ChatGPT instalava uma porta de acesso (backdoor) em um computador, permitindo que o malware fosse enviado para um PC infectado.

Além disso, um usuário compartilhou um código Python que poderia criptografar arquivos, alegando que o aplicativo da OpenAI o ajudou a criá-lo.

Este mesmo usuário já havia vendido acesso a servidores hackeados da empresa e dados roubados, de acordo com a Check Point.

Segundo Alex Holden, fundador da Hold Security, criminosos estão usando o ChatGPT para criar identidades falsas e cometer golpes de namoro.

Eles estão automatizando conversas para representar principalmente mulheres com o objetivo de se aproximar de suas vítimas.

A OpenAI não comentou sobre o assunto.

Golpe digital: sites fakes confundem consumidores

sites fraudulentos


87% dos brasileiros já foram vítimas de roubo de dados ou conhecem alguém próximo que passou por esta situação

São Paulo, Fevereiro de 2023 – Uma das armadilhas que podem pegar os consumidores em compras online são os “sites semelhantes” ou “Lookalike Sites”.

Esses sites simulam portais idôneos para roubar dados e informações dos usuários com o método de phishing.

Este tipo de fraude online vem ganhando espaço, acompanhando o crescimento do e-commerce e a maior adesão dos consumidores às compras pela internet.

Segundo pesquisa da Signifyd — empresa global de combate a fraudes no e-commerce — 87% dos consumidores já foram vítimas de roubo de dados ou conhecem alguém que passou por tal situação.
 
Ao criar um site semelhante, os criminosos desenvolvem um ambiente que promove credibilidade e confiança, com distintos objetivos.

Os fraudadores podem vender produtos falsificados, roubar dinheiro, se apropriar de dados, comercializar produtos inexistentes, e até espalhar malware.

Ficar refém de uma situação como essa é um grande temor dos consumidores brasileiros.

A segurança e o medo de que seus dados sejam roubados são apontados como preocupantes por 60% e 49% dos brasileiros, respectivamente segundo estudo da multinacional, e os sites falsos alimentam ambos temores.
 
O intuito do site falso sempre será levar o consumidor a concretizar um objetivo — seja o fornecimento de dados sensíveis (cartão de crédito, contas bancárias, documentos pessoais) ou uma transação que leva o consumidor ao prejuízo.

O portal é desenvolvido tal e qual o original incluindo o uso indevido de logotipos, imagens e selos de autenticidade, o que confunde as pessoas, especialmente aquelas que não têm tanto o hábito nem grande conhecimento do mundo digital.
 
“Em um espaço virtual com capacidade para milhões de domínios de sites registrados, os consumidores podem acreditar em sites fraudulentos que são aparentemente seguros.

Como os e-commerces verdadeiros muitas das vezes não podem controlar e não conseguem evitar que esse tipo de golpe aconteça na internet, o ideal é criar uma comunicação assertiva e informar, assim como fazem os bancos, quais são os processos de compra do site para, dessa forma, respaldar seus consumidores.

O educacional é de extrema importância neste setor”, afirma Gabriel Vecchia, Diretor Comercial da Signifyd.
 
Como identificar sites fakes de compras?

Confira abaixo três dicas importantes da Signifyd para prevenção de golpes digitais
 
Nem tudo que reluz é ouro
Sites com ofertas de produtos com preços muito abaixo dos praticados no mercado: desconfie e verifique. Geralmente os sites fakes copiam todas as características das lojas oficiais, mas podem divergir
nos preços, por isso, acesse via portal de busca os valores dos produtos selecionados.

Uma das metas dos fraudadores é gerar uma transação rapidamente.

Para causar o senso de imediatismo, uma das estratégias é atrair os compradores apresentando preços irresistíveis, muito abaixo do mercado.
 
Antes de clicar, atenção!

Sempre que receber um link para acessar promoções, leia atentamente cada detalhe do informativo. No caso de fraude, se clicado, o usuário será direcionado para um site falso e, no caso de sites semelhantes, toda a identidade visual simulará um portal real.

Entretanto, características como os preços ofertados, um erro de grafia na URL ou o tipo de dado sensível solicitado em momentos inadequados podem ser um sinal de alerta. 


Redes sociais e e-mails personalizados não garantem autenticidade
Quando dizemos que os fraudadores vão criar toda uma atmosfera de segurança para que o consumidor seja atraído, sabemos que eles não medem esforços.

Sendo assim, podem enviar links de sites similares em e-mails de phishing originários de um endereço personalizado e muito parecido com o que seria o e-mail real, fazer postagens em redes sociais e investir em anúncios digitais.

Observe os links terminados em “.net” ou outros personalizados. Eles podem ser um indicativo de sites clonados e parecidos com os reais.
 
“Em caso de fraude digital, os consumidores devem procurar a delegacia de crimes cibernéticos.

Para o e-commerce que teve um site clonado, é importante manter a comunicação com sua base de
consumidores, enviar e-mails e comunicados de alertas, informar em redes sociais sobre as práticas ocorridas e, jamais, apontar o consumidor como culpado por ter sido enganado”, completa Gabriel Vecchia.
 
Sobre a Signifyd

A Signifyd oferece uma plataforma completa de proteção anti-fraudes para o e-commerce.

Com o uso de machine learning e inteligência artificial, analisa dados, rastreia transações fraudulentas e
falsos positivos em tempo real e maximiza as taxas de conversão de transações, gerando ganho de receitas.

Com a tecnologia da empresa, o comércio eletrônico pode evitar possíveis abusos por parte dos consumidores, como as fraudes contrárias às políticas pós-vendas.  

A empresa foi fundada por Michael Liberty – Co-Founder e Chief Product Officer (CPO); e Rajesh Ramanand – Co-Founder e CEO, ambos ex-executivos da Paypal, e está expandindo as suas
operações no Brasil, considerado um dos maiores mercados de e-commerce da América Latina e um dos líderes de fraudes em transações online. Entre seus clientes estão empresas listadas na Fortune 1000 e na Internet Top 500.

Tormento cibernético: 5 dicas para evitar ataques Zero-Day 

segurança cibernética cibersegurança

Diego Nunes de Araújo* 


A cada dia, a segurança cibernética está se tornando mais importante, já que a vida dos cidadãos e dos negócios está ligada ao mundo virtual.

Diego Nunes de Araújo

Por isso, os termos malware, ciberguerra e brute force attack estão mais frequentes e os especialistas em cibersegurança atuam como se estivessem na linha de frente de um campo de batalha.  

E esse cenário deve se intensificar. De acordo com a Statista, plataforma on-line especializada em dados de mercado e consumidores, o custo anual dos crimes cibernéticos vai crescer 40% e atingir US$ 11,5 trilhões em 2023, ou seja, R$ 59 trilhões. 

Logo, é possível imaginar que, neste período, ocorrerá um ataque Zero-Day, ou seja, uma invasão em função de uma vulnerabilidade não conhecida de software que ainda não foi identificada pelo fornecedor ou público.

Para efeitos de analogia, imagine que uma fechadura da sua casa está quebrada, mas você não sabe e, até que descubra e conserte, os malfeitores tiram proveito dessa situação. Ocorre o mesmo num ataque Zero-Day.

Mas, é possível proteger o ambiente de um evento desse nível e manter os dados íntegros. Para isso, devemos seguir as boas práticas de segurança listadas abaixo:  

  1. Sempre manter os firmwares, hardwares, softwares e sistemas operacionais atualizados. Os fornecedores estão sempre incluindo correções de segurança recém identificadas em novas versões. Isso garante mais segurança; 
  2. Utilizar equipamentos de segurança, como firewall e VPN, entre outros, que tem como foco proporcionar a proteção essencial contra ameaças, sempre atualizados e configurados para permitir somente transações necessárias.  
  3. Conscientizar os colaboradores com treinamentos, palestras e políticas de segurança. Com os bons hábitos, os colaboradores estarão seguros no ambiente on-line, apoiando a organização na proteção de ameaças digitais;  
  4. Utilizar somente softwares necessários, o que reduzirá as vulnerabilidades e os riscos à rede;  
  5. Tenha uma rotina de backup do seu ambiente. É importante procurar mantê-lo armazenado em outro local além da empresa, reforçando a segurança em caso de acidentes que o comprometa fisicamente.
    Um ataque Zero-Day é um risco enorme para as empresas, causando prejuízos incalculáveis. E hoje, mais do que nunca, é fundamental que as organizações invistam em Segurança da Informação para garantir os princípios básicos
    de confidencialidade, integridade e disponibilidade de ambientes, bem como para se fortalecerem no mercado. 

*Diego Nunes de Araújo é analista de Segurança da Informação da Protiviti, empresa especializada em soluções para gestão de riscos, compliance, ESG, auditoria interna, investigação, proteção e privacidade de dados.

Agua Azul se consolida no e-commerce de moda fitness e projeta abertura de franquias

agua azul e-commerce

Natural da Praia da Costa, bairro de Vila Velha, localizado no Estado do Espírito Santo, a  empresária Rayssa Thebaldi, de apenas 33 anos, é formada em Química e trabalhou por sete anos em uma mineradora, mas por amar praticar esportes e perceber que as pessoas malhavam de abadá de show ela viu ali um mercado a ser explorado.

E foi então que surgiu a Agua Azul – e-commerce de roupas fitness femininas em outubro de 2017, investindo o único dinheiro que tinha, cerca de R$ 800,00. 

Durante a pandemia a loja teve um boom de vendas e hoje, a marca está consolidada no e-commerce, com faturamento de R$5 milhões por ano e com projeções de faturar R$ 8 milhões em 2023, iniciar as vendas no atacado e abrir sua primeira loja física em Vitória (ES), no segundo semestre deste ano.

No começo, Rayssa desenhava as peças, comprava os tecidos e levava para uma costureira conhecida colocar a ideia em prática. Após o processo de produção, ela colocava as peças de roupas em uma mala e batia de porta em porta para mostrar o seu produto.

Hoje a Agua Azul é composta por 21 funcionários e 20 prestadores de serviço, incluindo uma equipe de estilo, que estuda todos os tecidos, estampas diferenciadas para causar conforto e design único, transformando a marca em uma essência para as clientes apaixonadas.

Toda a parte inicial da confecção é criada na fábrica, a pilotagem, modelagem e cortes, apenas a costura ainda é terceirizada.

Com o passar do tempo, a marca começou a ganhar clientes também no exterior como Estados Unidos, Argentina, Austrália, e Portugal, recebendo cerca de 20 pedidos mensais.

A marca também se juntou recentemente com a Capricho para lançar uma coleção cheia de cores que são tendência para o verão, além de trazer novas modelagens que se encaixam em vários tipos de corpos e de exercícios. 

“O modelo padrão é ultrapassado e cada vez mais precisamos entender que a diferença de corpos, cores, cabelos e traços é infinita, e é isso que torna cada pessoa única.

Não existe moda hoje, sem respeitar a diversidade de corpos que existem, para que todas possam se sentir bonitas e confortáveis”. Outra super novidade são as etiquetas das peças, que são feitas de matéria-prima biodegradável, com sementes secas na composição e que quando colocadas em contato com a terra e a umidade, germinam e viram uma planta, essa é uma ação para reforçar o compromisso da marca com a sustentabilidade.

A empresária revela que a rede de influenciadoras parceiras é um ponto chave para o faturamento da marca, 200 meninas foram selecionadas por meio de um concurso para alavancar as vendas na internet e criar credibilidade e para 2023 a previsão é de atingir 500 micros influenciadoras ativas, vendendo aproximadamente 2 mil reais por mês.

No Brasil, atualmente, os estados com maior concentração de vendas e receita estão Rio de Janeiro, São Paulo, Espírito Santo, Rio Grande do Sul e Minas Gerais.

Entre os planos de expansão está também a abertura de franquias em 2024. Rayssa ainda ressalta que o empreendedorismo feminino é um grande incentivo à liderança das mulheres independente se é com o seu próprio negócio ou ocupando um cargo de liderança em uma empresa.

“Empreender não é só criar seu negócio. É uma liberdade criativa. Para criar produtos, ações, liderar pessoas, desenvolver soluções, inovar e aguçar os olhos para as oportunidades onde os outros não enxergam”, diz

Serviço:

Agua Azul

Insta: @useaguaazul

Site: Link

Pesquisa da Nuvemshop indica que a cada 10 PMEs, 6 são administradas por mulheres

mulher loja virtual

De acordo com uma pesquisa feita pela Nuvemshop, plataforma de e-commerce líder na América Latina, 67% das mulheres entrevistadas são empreendedoras digitais dedicadas exclusivamente a seus negócios.

Cerca de 6 em cada 10 PMEs online são gerenciadas por mulheres.

A pesquisa também mostrou que as mulheres empreendedoras sentem-se mais desafiadas e satisfeitas com sua carreira ao empreender online e que os benefícios incluem aumento na renda, mais tempo livre e cuidado com a saúde.

A Nuvemshop desenvolveu a pesquisa para compreender o perfil do empreendedorismo feminino no comércio online e criar soluções melhores para as empreendedoras.

Algumas empreendedoras de sucesso incluem Camila Lopes e Aline Djanikian, que têm histórias inspiradoras de crescimento e sucesso em seus negócios online.

A pesquisa também aponta que ser uma influenciadora digital da própria marca é uma tendência para 2023.

Os benefícios do empreendedorismo no e-commerce para as mulheres incluem aumento na renda mensal, mais tempo para atividades pessoais e cuidados com a saúde mental e física.

Algumas mulheres decidiram empreender online com o objetivo de expandir seus negócios e aumentar suas vendas, enquanto outras buscaram liberdade e flexibilidade.

A Microsoft planeja adicionar o ChatGPT aos seu buscador Bing

microsoft bing chatgpt

A Microsoft planeja adicionar o ChatGPT, um chatbot da OpenAI, ao seu mecanismo de busca Bing com o objetivo de atrair usuários do Google, segundo uma fonte familiarizada com os planos.
A Microsoft espera que as respostas mais conversacionais e contextuais fornecidas pelo chatbot possam atrair usuários e fornecer respostas de melhor qualidade além de simplesmente links, disse a fonte.
A Microsoft ainda está avaliando a precisão do chatbot e a velocidade com que ele pode ser integrado ao mecanismo de busca, e a versão inicial pode ser limitada a um grupo seleto de usuários, acrescentou a fonte.
A OpenAI, que é financiada por um investimento de US$ 1 bilhão da Microsoft, lançou o ChatGPT para testes com usuários em novembro.
Alguns analistas e especialistas sugerem que a capacidade do chatbot de resumir dados disponíveis publicamente pode torná-lo uma alternativa viável ao mecanismo de busca do Google e a uma lista de links gerados por pesquisa.
Apesar de às vezes fornecer informações incorretas, o CEO da OpenAI, Sam Altman, escreveu no Twitter no mês passado que o ChatGPT ainda não é confiável para “qualquer coisa importante no momento”.
No entanto, o Google tem trabalhado em tecnologia semelhante em seu sistema LaMDA, ou modelo de linguagem para aplicativos de diálogo, mas enfrenta riscos à sua reputação com possíveis erros, de acordo com o CEO Sundar Pichai e o chefe de pesquisa de IA da empresa, Jeff Dean.
Desde então, a administração do Google e Pichai mobilizaram equipes de pesquisadores para responder ao ChatGPT, declarando a situação como uma ameaça de “código vermelho”, de acordo com o New York Times.
A Microsoft não quis comentar e a OpenAI não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

Retorno do Orkut? Fundador reativa site e promete novidades

Rede Social Orkut

O engenheiro de software turco Orkut Büyükkökten, criador da rede social Orkut, que fez grande sucesso no Brasil e foi desativada em 2014, reativou o domínio orkut.com nesta quarta feira, 27 de abril de 2022.

Em texto publicado no site do Orkut, o engenheiro critica a desinformação e ódio presentes hoje nas redes sociais, ingredientes que não eram tolerados no Orkut. “O mundo precisa de bondade agora mais do que nunca. Há tanto ódio online hoje em dia, e nossas opções para encontrar e construir conexões reais são poucas e distantes entre si“, diz ele em parte do texto publicado no site.

O restante da informação publicada no site informa aos usuários que esperem novidades para breve, o que lança esperanças da volta desta rede social, que foi criada em 2004, durou 10 anos, e possuía mais de 29 milhões de usuários no Brasil.

Mesmo que a volta do Orkut se confirme, com certeza os usuários não devem esperar recuperar textos e fotos publicadas na antiga rede social, e ao que tudo indica, deve passar por uma atualização e modernização de visual e recursos.

Opção de grupo com milhares de usuários será lançada pelo Whatsapp

grupo de whasapp

O WhatsApp noticiou nesta quinta-feira (14/04/2022) o lançamento de um novo recurso chamado comunidades, onde poderão ser agrupados vários grupos com milhares de usuários.

Trata-se de um grande grupo de grupos, que comporta milhares de membros, sendo sua comunicação criptografada. Hoje, cada grupo de WhatsApp tem 256 participantes como número máximo.

A funcionalidade estará em teste com alguns beta usuários nos próximos meses.

O novo recurso permitirá a criação de grupos internos dentro das comunidades criadas. A rede social informou que a intenção da atualização é ser um facilitar na comunicação entre colaboradores de empresas, membros de clubes, entre pais de alunos de uma mesma escola, por exemplo.

Oficialmente o WhatsApp informou que o número de usuários das comunidades aumentará sucessivamente, conforme a implantação das ferramentas de controle dos administradores.

Estes, por sua vez, são parte fundamental para o sucesso da nova função.

Os administradores serão os únicos que podem enviar mensagens para todos os usuários de uma mesma comunidade e também podem excluir as mensagens enviadas por outros usuários, além de dar aprovação ou não para a criação de subgrupos.

Contrariando outras redes sociais, como Slack, Discord e Telegram, as comunidades não poderão ser encontradas de forma individual pelos usuários do WhatsApp. Devido a isso, os novos participantes deverão ser convidados ou adicionados diretamente por um dos administradores.

Como destaque, outros recursos serão o envio de arquivos com até 2 GB, chamadas de voz com até 32 usuários e e utilização de emojis como reações rápidas para mensagens.

Snapchat e Facebook concordam que o futuro das redes sociais é o TikTok

Snapchat criou o formato Stories de compartilhamento de videos e imagens que desaparecem. Agora a empresa está afirmando, junto com o Facebook, que o futuro das redes sociais é o TikTok.

Evan Spiegel, CEO da Snapchat, afirmou em comentários para investidores no seu relatório trimestral, que diminuiu o tempo de ver stories de amigos na aplicação, apesar de a empresa esperar que o compromisso com as stories aumentasse à medida que os confinamentos da pandemia diminuíssem e as pessoas começassem a sair mais de suas casas. Em vez disso, os usuários do Snapchat estão cada vez mais a juntar-se para ver vídeos em Spotlight, o TikTok do Snapchat, que rivaliza para ver vídeos virais colocados por criadores aleatórios.

“Esta é uma o segmento do costume que temos observado ao longo da pandemia, e a publicação e visualização de stories de amigos por usuários ativos diários não voltaram aos níveis pré-pandêmicos”, falou Spiegel nos seus comentários para os investidores. “Embora esperamos que a nossa comunidade volte a tempo aos comportamentos da stories de amigos que observamos antes da pandemia, estamos focados em inovações nas nossas ofertas de conteúdo para servirmos melhor a nossa comunidade hoje”.

Embora o Snap ainda não tenha detalhado como serão as atualizações na sua seção de conteúdo, é fácil imaginar a aba mais parecida com o TikTok abrindo para vídeos em tela cheia de criadores Spotlight, capazes de mergulhar mais profundamente em espetáculos mais longos Discover. Spiegel sublinhou que alguns criadores de Spotlight já têm os seus próprios espetáculos na aplicação, com apoio “a nossa visão de Spotlight como uma plataforma onde os usuários podem descobrir novos Criadores, tópicos e comunidades, e depois envolver-se mais a fundo com eles na Discover”.

Por parte da empresa Meta do Facebook, o Ceo, Mark Zuckerberg, identificou a TikTok como uma grande ameaça esta semana. “As pessoas podem escolher como querem gastar o seu tempo, e aplicações como TikTok estão crescendo rapidamente”, disse Zuckerberg durante o evento de lucros do quarto trimestre da Meta, na quarta-feira. Ao oposto do Snap, que ainda está aumentando a sua base de usuários e mostrando um crescimento de receitas melhor do que o esperado, a Meta desapontou os investidores com o seu relatório de ganhos esta semana, perdendo mais de 200 bilhões de dólares do seu valor de mercado num dia, quebrando o recorde anterior de 2018.

Assim, enquanto o desempenho empresarial da Snap e da Meta está a ser divulgado, é notável que ambos vêem a TikTok como concorrência. Novos formatos convincentes, quer se trate de Stories ou do vídeo feed do TikTok, têm o potencial de desviar rapidamente a atenção dos utilizadores. Snap inventou um formato que agora é omnipresente, mas agora ele e Meta estão a jogar em dia.

Videoconferências no Whatsapp liberadas para oito pessoas

whatsapp telefone

Disponível agora no iOS, com uma atualização do Android prevista para breve libera Videoconferências no Whatsapp para oito pessoas.

As videoconferências no WhatsApp podem agora incluir até oito pessoas em vez de apenas quatro. Para atingir o novo limite superior, todos os intervenientes na chamada terão de executar a versão atualizada da aplicação. Para iniciar uma videochamada em grupo, pode iniciar a chamada diretamente a partir de uma conversa em grupo ou adicionar manualmente pessoas extra após iniciar uma chamada um-a-um. O site da WhatsApp assinala que as suas videochamadas são encriptadas de ponta a ponta.

Para quem se mantém a par, o novo limite do WhatsApp é comparável ao limite de 12 pessoas que foi recentemente introduzido para o Google Duo. Entretanto, o FaceTime da Apple suporta 32, o Houseparty suporta oito, o novo serviço de Messenger Rooms do Skype e Facebook suporta 50 e o tier gratuito do Zoom suporta 100.

O novo limite superior está agora disponível no iOS, mas ainda não parece estar disponível na Google Play Store. Se é um utilizador impaciente do Android, então o MSPowerUser reporta que pode obter a APK actualizada directamente do site da WhatsApp.

A videoconferência Google Meet gratuita para qualquer pessoa

google meet

A Google está a abrir o seu serviço de videoconferência Google Meet a qualquer pessoa que o queira utilizar, em vez de o oferecer apenas a clientes empresariais e educacionais através da G Suite. A empresa diz que qualquer pessoa com uma conta Google poderá agora criar reuniões gratuitas de até 100 pessoas que podem durar qualquer quantidade de tempo – embora depois de 30 de Setembro possa restringir a duração das reuniões a 60 minutos.

No entanto, esse requisito da conta Google é difícil. As pessoas não poderão simplesmente clicar num link e juntar-se a uma reunião – terão de fazer o seu login. Isto para que as reuniões possam ser melhor controladas pelos seus anfitriões, eliminando, assim se espera, a possibilidade de Zoombombing. O Google irá também introduzir outras medidas de segurança: as pessoas que não forem explicitamente adicionadas a uma reunião através de um convite de calendário serão automaticamente introduzidas numa sala verde quando tentarem juntar-se a uma reunião, e só serão deixadas entrar quando aprovadas pelo anfitrião. A versão gratuita também não oferecerá números de telefone fixo para as reuniões.

Fonte: Google

O GOOGLE MEET ESTÁ AGORA ABERTO A QUALQUER PESSOA COM UMA CONTA GOOGLE
Essas advertências centradas na segurança são a forma da Google diferenciar o seu produto Meet do Zoom, que teve um aumento meteórico que nos últimos meses e apanhou tanto a Google como a Microsoft de pés chatos. A crescente atenção ao Zoom revelou uma ladainha de problemas de segurança, que a empresa, em rápido crescimento, se esforçou por resolver. Mas a Google espera, aparentemente, que ainda haja uma abertura para pessoas que desconfiam do Zoom.

A Google tem problemas de confiança próprios quando se trata de produtos de conferência e de mensagens. O Google Meet só se tornou “Google Meet” no início deste mês – antes disso o serviço chamava-se Hangouts Meet. Este é um legado da história fracturada e complicada das aplicações de mensagens e vídeo da Google que a empresa ainda está a tentar escapar. O Hangouts Chat, o concorrente do Google Slack and Teams, também foi recentemente rebaptizado para Google Chat.

Alguns utilizadores do Google podem lembrar-se (ou ainda estar a usar) do Hangouts Video chat, outro desses produtos antigos. O Google diz que esse produto será transitado para o Google Meet ao longo do tempo, para que haja apenas uma plataforma tanto para consumidores como para clientes empresariais. O progresso lento e estável da Google é louvável para os utilizadores empresariais que procuram a estabilidade de uma empresa outrora famosa pelas suas limpezas de Primavera, mas neste momento já é passado o tempo de pôr completamente a marca Hangouts ao sol.

O Google Meet foi recentemente actualizado para suportar a “Vista da Galeria”, o estilo Brady Bunch de colocar todos os participantes numa única grelha que o Zoom amplamente popularizou. O novo modo está disponível em aplicações em plataformas móveis e dentro de browsers no ambiente de trabalho.

O GOOGLE ESTÁ A TENTAR CAPITALIZAR AS CONTROVÉRSIAS DE SEGURANÇA DO ZOOM
É pouco provável que isso mude em breve – ao contrário dos seus concorrentes, a Google está a manter o G Suite e o seu produto relacionado como aplicações web-first. Isso permite que estejam sempre actualizados e sejam mais fáceis de gerir do que as aplicações nativas do Windows ou MacOS, mas a abordagem pode introduzir complicações como perder a sua reunião num mar de separadores ou sair acidentalmente de lá.

A par da disponibilidade do Meet para o consumidor, a Google está a revelar um novo nível para o G Suite a que chama “G Suite Essentials”, que inclui o Meet e também o Google Drive, mas não o Gmail. Todos os clientes actuais da G Suite terão ainda acesso gratuito ao Meet até 30 de Setembro.

Por último, o Meet está também a ser integrado no Gmail – tanto nas versões G Suite como nos endereços Gmail dos consumidores regulares. Da mesma forma que a Microsoft aproveitou o seu domínio do Office para levar as pessoas às Equipas, a Google está a utilizar plenamente o poder do Gmail para impulsionar a sua aplicação de videoconferência integrada.

O Zoom pode ter capturado o zeitgeist, mas a Google e a Microsoft vão fazer o seu melhor para garantir que ele não capture mais o mercado.

Chatbot Facebook afirma ser o melhor do mundo

facebook chatbot

O sistema de open-source do Chatbot Facebook tem também uma fonte aberta para impulsionar a investigação.

Por todos os progressos que os chatbots e os assistentes virtuais fizeram, eles continuam a ser péssimos conversadores. A maioria é altamente orientada para as tarefas: você faz uma exigência e eles cumprem. Alguns são altamente frustrantes: parecem nunca conseguir o que se procura. Outros são terrivelmente aborrecidos: falta-lhes o encanto de um companheiro humano. Tudo bem quando se pretende apenas definir um temporizador. Mas à medida que estes robôs se tornam cada vez mais populares como interfaces para tudo, desde o retalho aos cuidados de saúde e aos serviços financeiros, as insuficiências só se tornam mais evidentes.

Agora o Facebook tem um novo chatbot aberto que, segundo ele, pode falar de quase tudo de uma forma cativante e interessante. O misturador poderia não só ajudar os assistentes virtuais a resolver muitas das suas deficiências, mas também assinalar progressos no sentido de uma maior ambição que impulsiona grande parte da investigação sobre a gripe aviária: replicar a inteligência. “O diálogo é uma espécie de problema de ‘inteligência artificial completa'”, diz Stephen Roller, um engenheiro de investigação no Facebook que co-liderou o projecto. “Teria de resolver toda a IA para resolver o diálogo, e se resolver o diálogo, já resolveu toda a IA”.

A capacidade do misturador vem da imensa escala dos seus dados de formação. Foi treinada pela primeira vez em 1,5 mil milhões de conversas Reddit disponíveis publicamente, para lhe dar uma base para gerar respostas num diálogo. Foi depois aperfeiçoado com conjuntos de dados adicionais para cada uma de três competências: conversas que continham algum tipo de emoção, para lhe ensinar empatia (se um utilizador disser “Fui promovido”, por exemplo, pode dizer “Parabéns!”); conversas densas de informação com um especialista, para lhe ensinar conhecimentos; e conversas entre pessoas com personalidades distintas, para lhe ensinar personalidade. O modelo resultante é 3,6 vezes maior do que o chatbot Meena do Google, que foi anunciado em Janeiro – tão grande que não cabe num único dispositivo e deve, em vez disso, correr sobre dois chips informáticos.

Na altura, o Google proclamou que Meena era o melhor chatbot do mundo. Nos próprios testes do Facebook, no entanto, 75% dos avaliadores humanos acharam o Blender mais envolvente do que a Meena, e 67% acharam-no mais parecido com um humano. O chatbot também enganou os avaliadores humanos 49% das vezes ao pensar que os seus registos de conversação eram mais humanos do que os registos de conversação entre pessoas reais, o que significa que não havia muita diferença qualitativa entre os dois. O Google ainda não tinha respondido a um pedido de comentários quando esta história estava para ser publicada.

Apesar destes resultados impressionantes, no entanto, as habilidades do Blender ainda não estão nem perto das de um humano. Até agora, a equipa avaliou o chatbot apenas em conversas curtas com 14 voltas. Se continuasse a conversar durante mais tempo, os investigadores suspeitam, em breve deixaria de fazer sentido. “Estes modelos não são capazes de ir super a fundo”, diz Emily Dinan, a outra líder do projecto. “Eles não são capazes de se lembrar da história das conversas para além de algumas voltas”.

O misturador também tem tendência para “alucinar” os conhecimentos, ou para inventar factos – uma limitação directa das técnicas de aprendizagem profunda utilizadas para a sua construção. Em última análise, está a gerar as suas frases a partir de correlações estatísticas e não de uma base de dados de conhecimentos. Como resultado disso, pode juntar uma descrição detalhada e coerente de uma celebridade famosa, por exemplo, mas com informação completamente falsa. A equipa planeia experimentar a integração de uma base de dados de conhecimentos na geração de respostas do chatbot.

Avaliação do Facebook Blender

Os avaliadores humanos compararam conversas multi-voltas com diferentes chatbots.

Outro grande desafio com qualquer sistema de chatbot aberto é impedi-lo de dizer coisas tóxicas ou tendenciosas. Uma vez que tais sistemas acabam por ser treinados nas redes sociais, podem acabar por regurgitar o vitríolo da Internet. (Isto aconteceu infamemente com o chatbot Tay da Microsoft em 2016). A equipa tentou resolver esta questão pedindo aos trabalhadores da multidão que filtrassem a linguagem nociva dos três conjuntos de dados que utilizava para afinar, mas não fez o mesmo com o conjunto de dados Reddit devido à sua dimensão. (Qualquer pessoa que tenha passado muito tempo na Reddit saberá por que razão isso poderá ser problemático).

A equipa espera experimentar melhores mecanismos de segurança, incluindo um classificador de linguagem tóxica que possa verificar duas vezes a resposta do chatbot. Os investigadores admitem, no entanto, que esta abordagem não será abrangente. Por vezes, uma frase como “Sim, isso é óptimo” pode parecer bem, mas dentro de um contexto sensível, como em resposta a um comentário racista, pode assumir significados prejudiciais.

A longo prazo a equipa de IA do Facebook também está interessada em desenvolver agentes de conversação mais sofisticados que possam responder a sugestões visuais, assim como apenas palavras. Um projecto está a desenvolver um sistema chamado Image Chat, por exemplo, que pode conversar de forma sensata e com personalidade sobre as fotos que um utilizador pode enviar.

Reddit está lançando salas de bate-papo embutidas de subreddit

reddit


É uma nova forma de os utilizadores se unirem sobre interesses comuns

A Reddit está a introduzir uma nova ferramenta de chat room , num regresso aos velhos tempos da Internet, quando isso era uma coisa. A funcionalidade, chamada “Start Chatting”, irá classificar aleatoriamente os utilizadores de subreddits populares em pequenas conversas de grupo privadas. Reddit diz que a funcionalidade está a ser lançada esta semana para cerca de 16.000 subreddits SFW.

Para usar a funcionalidade, vai querer visitar um subredito popular que tenha a funcionalidade activada. Vais ver um botão com o nome “Start Chatting” por baixo da descrição da comunidade.

Clique nesse botão e será correspondido aleatoriamente com um pequeno grupo de até sete outros utilizadores que também se encontram no subredito. O grupo será inserido numa sala de chat para discussão privada e meme-ing.

Reddit
Reddit não é a única plataforma que aumenta o seu foco no chat. O Facebook revelou no início deste ano que a sua visão mudou para dar prioridade aos seus serviços de mensagens, incluindo o WhatsApp e o Messenger, uma vez que a maioria dos novos utilizadores mostram pouco interesse no site tradicional e na aplicação móvel do Facebook. Na semana passada, a empresa lançou o Messenger Rooms, um serviço de vídeo-chat para grupos de até 50 pessoas. Também duplicou a capacidade das videochamadas do WhatsApp e acrescentou a funcionalidade ao Facebook Dating. Mark Zuckerberg escreveu num blog recente que o Facebook espera tornar o Instagram Direct, o WhatsApp e o Messenger interoperáveis com SMS.

No entanto, estas são ferramentas para o ajudar a manter-se em contacto; o que é único no serviço da Reddit é o facto de se concentrar na formação de novas ligações. Parece uma ideia inteligente – muita gente provavelmente adoraria desenvolver ligações próximas com outros utilizadores da Reddit, mas pode ter receio de se estender a si própria. E enquanto as salas de chat aleatórias de internets passadas muitas vezes levaram a experiências embaraçosas (ou assustadoras), o facto de o Start Chatting ter lugar num subreddit significa que os participantes já têm um interesse partilhado e um tópico de conversa fácil. Numa altura em que as oportunidades presenciais de fazer amigos são limitadas, esta pode ser uma forma divertida de formar contactos virtuais.

A Reddit já fez experiências com mensagens de grupo privadas no passado. A plataforma testou salas de chat em toda a comunidade em 2018, mas não foi um enorme sucesso; a maioria delas não era particularmente activa e muitas tinham a sua quota-parte de idiotas e spammers que seria de esperar de uma comunidade online quase anónima. Se esta nova iteração tem maior sucesso pode depender do facto de a Reddit conseguir efectivamente moderar o conteúdo das salas de conversação, ao mesmo tempo que deixa os utilizadores sentirem-se à vontade para se exprimirem.

Numa declaração ao The Verge, um porta-voz da Reddit afirmou que os chats serão moderados pelos administradores da Reddit. “Temos uma série de ferramentas de segurança integradas nesta funcionalidade e integrámos o nosso fluxo geral de relatórios, para que os utilizadores possam comunicar quaisquer mensagens ou conteúdos violadores da política no chat do grupo”, afirmou o porta-voz.