5 passos para ganhar dinheiro fazendo vídeos nas férias

5 passos para ganhar dinheiro fazendo vídeos nas férias

Fundador da plataforma Bamboo Stock mostra dicas de gravação para o filmaker, mesmo sem experiência, licenciar o seu conteúdo em um banco especializado e ganhar até R$ 1,8 mil por produção

A popularização de plataformas de conteúdo – como YouTube, Instagram e TikTok -, assim como o maior investimento das marcas nessas mídias, tem tornado o mercado audiovisual cada vez mais aquecido. Com equipamentos que oferecem qualidade profissional mais acessíveis do que antigamente, incluindo smartphones com resolução 4k, a produção de vídeos pode ser mais que um mero hobby de férias, quando muitos procuram filmar vários lugares nas suas viagens. É o que indica Jorge Brivilati, CEO e fundador da Bamboo Stock, a primeira plataforma de banco de vídeos brasileiros.

“Temos uma alta demanda por conteúdos que representem com mais naturalidade toda a diversidade de cenários, pessoas e culturas que existem no Brasil, diferente do que vemos disponíveis nos grandes bancos de imagem internacionais. Pensando nisso, pode ser interessante aproveitar o período de férias para também fazer uma renda com a captação de imagens”, diz Brivilati.

Segundo ele, o filmaker consegue ganhar até R$ 1,8 mil ao licenciar um vídeo curto, de duração entre três e 30 segundos, em uma plataforma como a Bamboo Stock. “A composição desse valor depende basicamente da qualidade da resolução do conteúdo, o perfil da empresa que adquire a licença e do tipo do licenciamento escolhido, já que o material pode ser usado para tanto para a publicidade como para a área editorial”, explica o fundador da plataforma.

Para mostrar como qualquer pessoa interessada, mesmo sem um conhecimento prévio, pode fazer da captação de imagens uma atividade lucrativa, Brivilati dá cinco dicas para quem deseja comercializar suas gravações para bancos de imagens e vídeos. Confira:

O que filmar

Filmar paisagens naturais ou urbanas pode ser algo atrativo, mas a gravação de pessoas em alguma determinada ação sempre tem mais valor para um banco de vídeos. O filmaker precisa apenas ter a autorização do indivíduo filmado, que pode ser feita a partir de um simples Termo de Autorização, disponibilizado normalmente por essas plataformas.

“Como temos a brasilidade entre os pilares, citaria como opções interessantes a filmagem de um artesão fazendo o seu trabalho, uma pessoa colhendo açaí ou cocô e um pescador com a sua rede, por exemplo. São imagens cotidianas de um Brasil diverso,

que têm bastante procura nos bancos do segmento”, recomenda o fundador da Bamboo Stock.

Resolução

Mesmo que o formato Full HD ainda seja o mais popular e presente na maioria dos dispositivos e plataformas, boa parte das câmeras hoje já filmam em 4K (Ultra HD), que atende a uma gama muito maior de necessidades do mercado – por ter uma resolução de pixels duas vezes maior que o Full HD. Em função dessa qualidade superior, utilizada tanto para a televisão quanto no cinema e redes sociais, o filmmaker que entrega o seu conteúdo em 4K consegue ser mais bem remunerado. “Com o tempo, naturalmente essa vai ser a resolução dominante em todas as áreas”, aponta Brivilati.

Câmeras DSLR, aquelas que permitem a troca de lentes, mesmo que em modelos semiprofissionais, são uma boa opção para a captação de vídeos Ultra HD. No entanto, vários smartphones já disponibilização filmagens em 4K. “Um bom equipamento ajuda, mas um conteúdo legal tem muito mais a ver com a técnica e olhar que a pessoa utiliza na filmagem”, aconselha o CEO da Bamboo Stock.

Melhor enquadramento

O ideal é sempre estudar e trabalhar a composição, ou enquadramento. Um dos segredos é utilizar a regra dos terços, onde elementos importantes de uma fotografia são colocados ao longo de uma grade de 3 × 3 (um jogo da velha), que divide igualmente a imagem em nove partes. O foco de interesse deve estar na interseção das linhas, evitando o meio. Isso permite o equilíbrio das formas que tornam o vídeo mais atrativo. “Outro segredo é deixar a linha do horizonte no quadrante de baixo ou de cima para trazer uma dimensão de espaço mais interessante”, recomenda o CEO da Bamboo Stock.

Mais uma dica é manter a câmera estável, algo viável de ser feito mesmo sem um tripé. Para os celulares e câmeras que não têm estabilizadores internos, por exemplo, a recomendação é ficar parado e segurar o aparelho perto do corpo, tentando imobilizá-la para manter a estabilidade da gravação.

Iluminação

Durante as filmagens no período de férias, o mais comum é a pessoa não ter grandes recursos de iluminação. Por conta disso, outra questão para se ficar atento é: quanto menos luz tiver no ambiente, menor será a qualidade da sua imagem. Filmar com o sol no seu auge também é ruim. Assim, a dica é evitar horários escuros e aproveitar os melhores horários, que são próximos do nascer e pôr-do-sol. Esse cuidado básico, ajuda no registro de uma imagem melhor.

Edição e tempo

Depois de captar a imagem, a pessoa pode subir seu vídeo direto em alguma plataforma especializada. O único requisito, normalmente, é fazer um pequeno tratamento de cor no conteúdo com algum programa. Para quem não quiser fazer esse processo, na Bamboo Stock, por exemplo, é possível enviar a filmagem por WhatsApp para uma equipe de editores realizarem a edição no vídeo, que precisa ter entre três e 30 segundos de duração para ser disponibilizada para o licenciamento.