Novas soluções de marketing digital despontam em um cenário sem cookies de terceiros, aponta estudo

Novas soluções de marketing digital despontam em um cenário sem cookies de terceiros, aponta estudo

Relatório da RTB House aponta quais oportunidades e estratégias devem guiar o setor publicitário após o fim dos third-party cookies no Chrome

São Paulo, fevereiro de 2024 – O ano de 2024 começa com mudanças significativas para o mercado de marketing e publicidade. Em janeiro, o Google iniciou a desabilitação dos third-party cookies dentro do seu navegador, o Chrome, uma medida que inicialmente atinge 1% do tráfego de pessoas conectadas, mas que deve se estender a todos os usuários do navegador até o final do ano.  Anunciantes, publishers e agências precisarão se adaptar à nova realidade, cada um à sua forma.

Frente às mudanças em andamento, a RTB House, empresa global que fornece tecnologias de marketing digital para as principais marcas e agências do mundo, desenvolveu o estudo “Planejamento de Mídia 2024: Tendências & Oportunidades em um Mundo sem Third-Party Cookies”. No material, a martech elenca soluções e estratégias que ganham maior relevância dentro do novo cenário que se desenha para a mídia programática, mais complexo e restritivo no que diz respeito a informações individuais dos usuários e, portanto, mais desafiador para a elaboração de campanhas publicitárias personalizadas.

“Desde 2020, quando o Google anunciou o fim dos cookies de terceiros, temos contribuído ativamente para a criação de um ecossistema propício à mídia programática e que ainda mantenha a privacidade do usuário. Em testes realizados no decorrer do último ano simulando o mundo sem third-party cookies, registramos 94,5% de eficácia na recomendação de produtos”, comenta André Dylewski, diretor de Desenvolvimento de Negócios da RTB House para a América Latina. 

Segundo o estudo, dentre as soluções que ganham maior tração no novo cenário, destacam-se:

  • Algoritmos de deep learning e IA generativa, por serem mais precisos e assertivos em tomadas de decisão e por terem maior capacidade de interpretar e correlacionar dados, mesmo em um ambiente mais restrito e complexo no que diz respeito à disponibilidade de dados – sendo 50% mais eficiente para a mídia programática;
  • Maior compreensão sobre a jornada do usuário, o que demanda maiores esforços em ferramentas de atribuição e que permitam compreender o lifetime value de cada usuário – indo além do seu potencial de retorno, mas essencialmente identificando a sua posição dentro do funil de vendas e onde potenciais consumidores estão “escapando”;
  • Foco redobrado em abordagens full funnel que permitam acompanhar a evolução do usuário dentro do funil de vendas, possibilitando a entrega de anúncios direcionados para cada etapa e perfil de usuário: awareness, consideração (engajamento e/ou reativação de usuários dormentes) e conversão.   

“Em média, um usuário necessita de quatro interações com a sua marca antes de realizar uma primeira compra, sendo que campanhas tradicionais de retargeting tendem a cobrir até 20% da base de potenciais compradores. Ou seja, é preciso investir em um mix completo que não somente lhe permita chegar a novos usuários, mas que também que lhe forneça mais insumos sobre as diferentes audiências interagindo com a sua marca”, explica Dylewski.

E-commerce se fortalece na América Latina

Enquanto o volume de compras pela internet no mundo retraiu 6% no segundo trimestre de 2023 em comparação ao mesmo período do ano anterior, na América Latina o total de compras realizadas cresceu 5%, segundo dados da Salesforce compilados no estudo. A mesma diferença é notada quando avaliado o tráfego de usuários em plataformas de e-commerce: crescimento de 19% na América Latina frente um crescimento tímido de 3% no restante do mundo.

Segundo análise da RTB House, os números apontam para uma nova fase do e-commerce na América Latina, com mais consumidores tendo acesso às plataformas online de compra e optando pelo modelo online, o que consequentemente tem forçado a entrada de novos players no modelo de negócio.

Para mais informações, acesse o estudo completo realizado pela RTB House.