Qual o futuro da IoT no Brasil? 

Qual o futuro da IoT no Brasil? 

Devido ao avanço da tecnologia, surgiram diferentes soluções inovadoras no ambiente corporativo com o objetivo de automatizar processos, diminuir custos e melhorar a produtividade das empresas. Uma delas é a Internet das Coisas (IoT), que conecta vários dispositivos e permite a coleta e a troca de informações em tempo real. Dentre os principais exemplos de sistemas que utilizam essas inovações destacam-se carros conectados, residências conectadas, cidades inteligentes e edifícios inteligentes.

Devido ao alto número de dados que são gerados diariamente, o setor de conectividade e IoT no Brasil está em larga ascensão e esse cenário deve se manter nos próximos anos. De acordo com dados do Instituto de pesquisa McKinsey & Company, o mercado de IoT deve atingir pelo menos US$5,6 trilhões, podendo alcançar a marca de US$12 trilhões, dependendo das condições econômicas globais, até 2030.

Já um estudo da Gartner projeta que até 2032 o número de aparelhos conectados deve chegar a 20 bilhões em todo o mundo. No Brasil, terceiro país que mais cresce, esse número só aumenta, representando uma taxa de 13,5% ao ano, ficando atrás apenas da África Subsaariana e Ásia. 

Porém, mesmo com indicadores positivos, o setor de IoT e conectividade enfrenta diversos desafios relacionados à segurança e controle de privacidade/dados. Ao mesmo tempo em que a tecnologia traz inúmeros avanços, não podemos esquecer que eles também acabam “beneficiando” hackers e cibercriminosos. Portanto, um dos grandes obstáculos atuais é saber lidar com isto e entregar um serviço que atenda de fato as necessidades dos usuários. 

“Este é um mercado extremamente dinâmico, com inovações tecnológicas contínuas e um potencial de crescimento inimaginável. Através da IoT, as empresas têm a possibilidade de criar ecossistemas mais sustentáveis e eficientes e causar uma verdadeira revolução na forma como vivemos, trabalhamos e interagimos com o mundo. No entanto, este enorme potencial traz também muitos desafios e as empresas ágeis, nativas em nuvem e que consigam oferecer conectividade aliada à segurança e privacidade, com certeza estarão mais bem posicionadas para atuar no cenário atual e atender às demandas do futuro”, afirma Carlos Campos, diretor geral da emnify Brasil.

Além disso, a IoT reduz os gastos das empresas; aumenta a agilidade para acessar os dados, a produtividade e a eficiência; automatiza as tarefas; diminui o esforço dos colaboradores e pode ser aplicada em diferentes segmentos da economia, trazendo benefícios significativos para os negócios.

Quando trazemos a aplicabilidade da IoT para a construção civil, por exemplo, essa tecnologia tem sido considerada uma das grandes responsáveis por trazer resultados positivos nesse segmento. Segundo Vinicius Callegari, cofundador e CCO da GaussFleet, maior plataforma de gestão de máquinas móveis para siderúrgicas e construtoras, quando utilizamos essa inovação no canteiro de obras, por exemplo, ao realizar o monitoramento de máquinas móveis, conseguimos otimizar seu uso, reduzir sua ociosidade, controlar a temperatura e também o desgaste dos equipamentos. Além disso, por meio da IoT, é possível realizar o controle de todas as obras em tempo real e de maneira remota, proporcionando mais flexibilidade aos profissionais.

“Quando pensamos em como essa tecnologia irá beneficiar a construção civil nos próximos cinco anos, acredito que a gestão centralizada de máquinas móveis em múltiplas obras, online, na palma da mão,  considerando as peculiaridades de cada contrato, será um enorme potencializador de aumento de disponibilidade, utilização e produtividade”, explica Vinicius.

Diante desses insights é possível perceber que o setor de conectividade e IoT tem trazido inúmeros benefícios para os negócios e com certeza este é um segmento que tende a crescer ainda mais e será uma das grandes apostas das empresas nos próximos anos.