Thing or Two destaca o fim dos cookies de terceiros e novas estratégias para o Marketing Digital

Thing or Two destaca o fim dos cookies de terceiros e novas estratégias para o Marketing Digital

Segundo a consultoria global, o Privacy Sandbox do Google representa uma nova e dinâmica era na publicidade digital

Janeiro de 2024 – O mercado de marketing digital terá de se adaptar a uma nova realidade a partir deste ano, após o anúncio do Google de iniciar a desativação dos cookies de terceiros em seu navegador, o Chrome. Por outro lado, assim como outras grandes mudanças, esse fato pode se transformar em uma janela de oportunidade para as empresas e profissionais que souberem se adaptar.

Os cookies são arquivos criados por sites para coletar informações sobre a navegação do usuário na internet. Por meio deles, por exemplo, você pode receber anúncios de montadoras em sites e aplicativos após pesquisar sobre “carros” na internet. Com a desativação desse recurso, empresas e profissionais terão de buscar novos elementos para elaborar campanhas de marketing, que cada vez mais demandam personalização.

Para se preparar para essa mudança, o Google criou o Privacy Sandbox, um conjunto de soluções de rastreamento de dados digitais sem o uso de cookies de terceiros. Ele surge como uma força transformadora na paisagem da publicidade digital, respondendo ao desafio iminente da depreciação dos cookies de terceiros.

Segundo Jordi Martinez, Diretor Executivo da Thing or Two, uma consultoria global de tecnologia móvel comprometida em proporcionar crescimento significativo para marcas e seus especialistas, essa iniciativa se destaca como um testemunho do compromisso do Google em fomentar um ambiente web mais privado e seguro, garantindo a viabilidade contínua da publicidade online.

“O Privacy Sandbox do Google surge como uma força transformadora na paisagem da publicidade digital. Com um objetivo compartilhado entre as plataformas Chrome e Android, o Privacy Sandbox visa redefinir tecnologias de rastreamento e medição sem comprometer a privacidade do usuário.”

Um “retorno às origens”

Uma preocupação expressa por empresas e profissionais do Brasil é que o mercado ainda está se preparando para operar com a assistência de cookies. Martinez reconhece essas preocupações, mas sugere que um “retorno às origens” do marketing pode auxiliar nessa tarefa.

“Uma solução valiosa é a ênfase no direcionamento contextual, um retorno aos fundamentos do marketing. Adaptar nossas criações para se alinhar com o contexto ou conteúdo da plataforma pode fornecer uma alternativa prática ao direcionamento de usuários, garantindo que nossas mensagens ressoem dentro de ambientes específicos.”

Considerando o novo cenário à frente, os especialistas da Thing or Two sugerem três direções principais que os anunciantes podem tomar:

1 Direcionamento Contextual:
Na ausência de cookies de terceiros, o direcionamento contextual ganha destaque. Os anunciantes se voltam para entender o contexto de aplicativos ou sites, enfatizando os fundamentos do marketing. Alinhar as criações com contextos específicos garante relevância e ressonância com o público, fomentando um engajamento eficaz.

2 Aprimoramento de Dados Proprietários:
A depreciação dos cookies de terceiros eleva a importância dos dados proprietários. Líderes da indústria como Amazon e Walmart demonstram o poder de alavancar dados transacionais para publicidade direcionada. Os anunciantes devem investir e fortalecer fontes de dados proprietários, obtendo insights mais profundos sobre seu público sem depender exclusivamente de mecanismos de rastreamento externos.

3 Foco Criativo em um Ambiente Centrado na Privacidade:
À medida que a indústria adota modelos centrados na privacidade, elementos criativos desempenham um papel fundamental. Os anunciantes intensificam seu foco em criar criações atraentes e contextualmente relevantes. Entender o contexto e as preferências do público se torna primordial, com testes A/B e otimização criativa garantindo a eficácia da campanha na ausência de dados de usuário granulares.

Na verdade, a iniciativa do Google e a transição para o Privacy Sandbox não são apenas uma adaptação necessária, mas uma porta de entrada para uma era de publicidade digital mais inteligente e respeitosa à privacidade.

“Anunciantes devem navegar estrategicamente por essas mudanças, aproveitando ferramentas inovadoras para garantir publicidade personalizada, mas que respeite a privacidade, em um cenário em constante evolução. A resposta da indústria a esses desafios moldará o futuro da publicidade direcionada, enfatizando a privacidade, contexto e criatividade”, destacou Martinez.