Aplicativo criado para mapear casos de covid na pandemia ajuda prefeituras no combate à dengue

Aplicativo criado para mapear casos de covid na pandemia ajuda prefeituras no combate à dengue

AvisaSaúde conecta população e unidades de saúde no enfrentamento da doença

Com a marca de 113 mortos somente este ano e 438 ainda sob investigação, a dengue segue em crescimento no Brasil com números expressivos e até então inéditos: em relação ao mesmo período de 2023, houve uma alta de 294% dos casos, segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde na segunda quinzena de fevereiro. 

Tendo como único transmissor o mosquito aedes aegypti – que pode transmitir também a chikungunya, zika e a febre amarela urbana – a dengue desafia o país no trabalho de conscientização da população para o único método eficaz para a sua erradicação: a prevenção. Porém, tendo como ambiente ideal para pôr os seus ovos em todo e qualquer lugar que possa armazenar água parada, o seu combate passa a ser uma verdadeira força-tarefa envolvendo população e poder público.

Criado para auxiliar a população na pandemia da covid-19, com funcionalidades que permitiam aos usuários indicar para as secretarias de saúde casos suspeitos da doença, e usado com êxito pela prefeitura de Guaratinguetá, no interior de São Paulo, o aplicativo AvisaSaúde está sendo aplicado também para o enfrentamento da epidemia da dengue que estamos atravessando.

A ferramenta, que tem como principal função estreitar a comunicação entre população e órgãos municipais de saúde de forma simples e barata para as prefeituras, possui funcionalidades importantes como orientações de acessos aos serviços de saúde, mapeamento de diagnósticos, mapeamento via GPS das denúncias dos usuários e a telemedicina, grande aliada na redução de filas de atendimento e otimização do tempo de profissionais e usuários. O sistema de GPS, por exemplo, possibilita ao munícipe informar os locais com possíveis criadouros do mosquito à unidade de saúde que está vinculado, assim como se alguém da família ou da vizinhança apresenta algum dos sintomas da doença.

“Condições sensíveis à atenção primária, tanto em casos epidemiológicos como a dengue e a covid-19, quanto questões crônicas de saúde, como o diabetes e a hipertensão, precisam de acompanhamento próximo para que haja controle do quadro e prevenção do agravamento da doença”, afirma Erico Vasconcelos, cirurgião-dentista, sanitarista e criador do aplicativo.

Apesar da multifuncionalidade do AvisaSaúde, que foi desenvolvido pela Univertech, o aplicativo usa pouco espaço no celular e multiplataforma, o que democratiza o acesso à população, podendo ser usado em diferentes aparelhos. “A solução conecta os governos com as pessoas em tempo real para apoiar a produção do cuidado de forma mais ágil e eficiente”, finaliza Erico.

Com planos para aquisição baseados em números de habitantes, o AvisaSaúde está disponível para os sistemas operacionais Android, iOS e versão web. Além disso, é 100% personalizável e flexível dentro da necessidade de cada município, sendo possível também colocá-lo em totens em lugares de grande circulação, como terminais de ônibus, por exemplo.