Dois meses após lançamento, Mundo Abacus revoluciona a relação de 15 mil estudantes com a educação

Dois meses após lançamento, Mundo Abacus revoluciona a relação de 15 mil estudantes com a educação

Por meio de uma interface baseada no Roblox e de uma estratégia de tecnologia bilíngue, o jogo permite que estudantes ganhem recompensas enquanto aprendem de forma lúdica

Com apenas dois meses de lançamento, o primeiro jogo pedagógico da América Latina que une a tecnologia com um sistema de recompensas reais para o aprendizado, conquistou 15 mil estudantes e mais de 40 escolas parceiras.

Criado pela edtech Abacus, Mundo Abacus tem como objetivo ensinar crianças e adolescentes por meio de tecnologias de engajamento, como no Duolingo. Por meio de uma interface inspirada  no Roblox, jogo muito popular entre os jovens, e de uma estratégia de tecnologia bilíngue, que introduz, simultaneamente, conteúdos em dois idiomas, o Mundo Abacus permite que os estudantes aprendam, de forma lúdica, os conceitos de pensamento computacional, segurança digital e cyberbullying.

Conforme os jovens avançam no jogo, a plataforma oferece um sistema de recompensas que funciona como uma mesada inteligente, convertendo o dinheiro da assinatura nos gift cards mais usados entre a faixa etária, como iFood, Outback, Google Play, Uber, Roblox, Minecraft, entre outros. Assim, os pais podem cadastrar os seus filhos no Mundo Abacus com segurança, sabendo que o investimento resultará em conhecimento para os estudantes.

“Essa é uma estratégia de gamificação. Nós fizemos uma pesquisa interna e descobrimos que 40% dos pais entrevistados já compram gift cards de jogos eletrônicos para seus filhos. Então, se essa já é uma tendência, por que não investir em um jogo que proporciona os mesmos gift cards, desde que os estudantes aprendam algo importante para o futuro deles? Além de ser uma oportunidade para os pais, os estudantes podem se sentir muito mais incentivados a aprender para ganhar recursos novos”, explica Filipe Gouveia, especialista em administração de empresas e cofundador da Abacus.

Até hoje, existe apenas uma startup com a mesma proposta de ensino do que a Abacus. Trata-se da Prickly Bear, localizada na Inglaterra. Portanto, inédita nas Américas, a expectativa é que 50 mil alunos se registrem no jogo até o final de 2023. Todo o alcance que a startup conseguiu, até hoje, foi resultado de uma parceria com mais de 40 escolas públicas e particulares, que, em troca da divulgação do Mundo Abacus, ganham uma nova ferramenta para engajar os estudantes na sala de aula com pensamento computacional, letramento e cidadania digital, conceitos que já fazem parte da Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Tecnologia é uma tendência na educação

Além do alinhamento com a BNCC, muitos estudos apontam que o uso das Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) já é uma realidade para a aprendizagem no Brasil. Segundo a Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais, a internet já é utilizada para os estudos de mais de 70% dos estudantes brasileiros. E, conforme a digitalização se torna comum para a nova geração, é essencial que as escolas adaptem as suas metodologias de ensino com inovação.

“Todos nós já fomos alunos um dia, portanto, sabemos como o modelo de ensino tradicional, muitas vezes, pode ser maçante. Então, professores, pais e escolas precisam se unir para aproveitar a chegada da tecnologia e pensar em como fazer, dela, a sua melhor ferramenta. Hoje em dia, é preciso se comunicar com os alunos com a mesma linguagem que eles utilizam. E a melhor forma de incentivo é promover essa imersão que os fazem aprender, criar uma competitividade saudável em troca de recompensas e se empoderar”, destaca o cofundador.