Especialista dá dicas para evitar golpes nas compras online de Natal

Especialista dá dicas para evitar golpes nas compras online de Natal

Levantamento identificou mais de 17 mil sites suspeitos na Black Friday e cria alerta para o Natal

Há poucos dias do Natal, consumidores já começaram a fazer suas buscas e realizarem suas compras de fim de ano, seja para presentear a família ou a si mesmos. Após uma Black Friday frustrada para o varejo e para os consumidores, lojistas estão empenhados em resgatar consumidores que não compraram através de promoções e entregas mais rápidas, além de criar um ambiente mais seguro para diminuir a sensação de medo de golpes e fraudes na internet.

Um levantamento realizado pela plataforma de segurança ao consumidor, Site Confiável (www.siteconfiavel.com.br), entre os dias 23 a 25 de novembro durante a Black Friday, considerando o período de véspera até o dia seguinte da ação, monitorou 104.507 buscas de consumidores que buscaram por 27.270 sites únicos com objetivo de avaliarem se o site era confiável ou não. Desse total, 17.129 ou 62,81% dos sites foram avaliados como suspeitos pela plataforma, o que mostra um cenário preocupante, pois ainda não temos um ambiente seguro para os consumidores. No ano passado, esse mesmo levantamento identificou 7.485 sites considerados suspeitos, um aumento de 128,85%, criando um alerta para consumidores que pretendem realizar compras nesse período.

Alessandro Fontes, co-fundador do Site Confiável, listou 5 dicas que considera ser fundamental para que consumidores não caiam em golpes ao fazer compras na internet:

  1. Consulte o CNPJ de forma correta: assim como em uma rede social, qualquer pessoa pode fazer um site e escrever o que quiser nele, inclusive o CNPJ. Consultar o CNPJ que aparece no rodapé do site não é a melhor forma para saber se a empresa é realmente confiável, pois a pessoa que está por trás do site pode colocar qualquer CNPJ ali, inclusive de uma empresa grande, tradicional e confiável, levando você a acreditar que está comprando de uma empresa séria. Descubra através do Registro.br ou do Site Confiável quem é a empresa que realmente está por trás do site que você está prestes a comprar ou se cadastrar;
  2. HTTPS ou SSL não é garantia de segurança: diferentemente do que aprendemos durante muito tempo e da crença popular, é incorreto acreditar que um site que comece com HTTPS ou que possua o “cadeado de segurança” no browser seja um site confiável. Esse protocolo serve para criptografar os seus dados durante uma transação de informações, mas lembre-se que isso não é garantia nenhuma de segurança ou de confiabilidade. A maioria dos sites fraudulentos possuem o HTTPS;
  3. Atenção redobrada para promoções divulgadas em anúncios: infelizmente o principal canal para os criminosos chegarem às vítimas são os anúncios em buscadores e redes sociais. Por mais que essas plataformas façam uma filtragem para minimizar as fraudes, ainda há uma grande quantidade de anúncios para falsas promoções e até sites clonados. Antes de acessar, se cadastrar ou comprar em um site que você viu em um anúncio, pesquise para ter certeza que não se trata de um golpe. Isso também vale para ofertas e produtos divulgados por influenciadores;
  4. Evite pagar no pix: boleto bancário e pix são excelentes alternativas para conseguir um bom desconto à vista, mas também são mais arriscados, pois não possuem mecanismos seguros para reversão do pagamento, caso seja identificado um golpe. Já os cartões, além de possuírem tecnologias para identificar fraudes durante o pagamento, conseguem também fazer o estorno do pagamento nesses casos;

Busque produtos a partir de imagens: isso ajuda muito, principalmente para comprar em sites internacionais. Viu um produto na internet, não sabe o nome/marca e também onde comprar? Dê um print, abra o aplicativo Google Lens e faça a busca a partir da imagem. Dessa forma você consegue identificar se o produto está por um preço muito abaixo do preço praticado por lojas confiáveis.