Low-Code e IA: unindo forças para impulsionar os negócios em 2024

Low-Code e IA: unindo forças para impulsionar os negócios em 2024

A utilização de uma estratégia de desenvolvimento low-code assistida por IA e baseada em nuvem garante uma aceleração no time-to-market das aplicações, aponta estudo

Por Leandro Torres, CEO da BePRO Institute e Smart Coding Lab

Os investimentos em tecnologia já fazem parte da estratégia de negócios das empresas e seus desdobramentos seguem em expansão para todas as áreas, seja na integração dos departamentos administrativos, no aumento de produtividade, na consolidação eficiente de todas as atividades (da cadeia de suprimentos aos clientes finais) ou no apoio às frentes de inteligência de dados. 

Contudo, para que as empresas possam acelerar sua jornada digital, é fundamental contar com uma boa infraestrutura tecnológica. Fornecer velocidade, escalabilidade, flexibilidade e resiliência para os sistemas e aplicações que vão atender as mais variadas necessidades do negócio é primordial. 

Juntamente com a utilização eficiente de recursos, a redução de custos e a simplificação na gestão, a utilização de uma estratégia de desenvolvimento low-code assistida por IA e baseada em uma infraestrutura cloud-native garante uma aceleração no time-to-market das aplicações. É isso que aponta o mais recente estudo “The State of Application Development”, conduzido pela OutSystems com mais de 1.200 gestores de TI em empresas de todos os segmentos e tamanhos espalhadas pelo mundo. Nele, quase 2/3 dos gestores de TI têm como alta prioridade nas suas organizações os projetos que envolvam o desenvolvimento de aplicações cloud-native, em substituição às tradicionais soluções on-promise. 

Simplificando o desenvolvimento e acelerando os resultados

Os sistemas e aplicativos desenvolvidos sobre uma infraestrutura cloud-native permitem a criação de experiências novas e aprimoradas para os consumidores finais. Eles aceleram a velocidade de desenvolvimento, permitindo atualizações modulares e também o uso mais eficiente dos recursos de TI, mesmo diante de mudanças constantes.

No entanto, montar uma infraestrutura cloud-native também possui desafios.. Entre os maiores obstáculos estão o aumento no tempo necessário para a codificação manual, a complexidade da construção de microsserviços e contêineres, e o conhecimento adicional que é necessário para gerenciar os recursos da nuvem. 

É por isso que 74% das organizações pesquisadas dizem que a utilização de plataformas low-code construídas em cima de uma infraestrutura cloud-native, como a da OutSystems, imprime um impacto positivo nas suas habilidades de desenvolver e implantar sistemas e aplicações nativas na nuvem. 

A automação do provisionamento dos recursos de TI (27%), a integração simplificada com serviços em nuvem (25%), a prototipagem rápida e o desenvolvimento iterativo (24%), além do gerenciamento simplificado da infraestrutura cloud-native de microsserviços e de contêineres (24%) são alguns dos benefícios percebidos. 

Sem falar que o uso de uma estratégia alinhada ao low-code faz muito sentido, dado que a lacuna de conhecimentos e competências atuais é apontada como o obstáculo número 1 à adoção e uso de uma infraestrutura cloud-native. O low-code requer habilidades técnicas menos especializadas do que os métodos de desenvolvimento tradicionais, fornecendo uma curva de aprendizado muito menor e uma formação muito mais rápida de novos talentos neste tipo de tecnologia. 

A Inteligência Artificial como impulsionadora do  desenvolvimento Low-Code

Também o uso de um desenvolvimento assistido por inteligência artificial, em conjunto com as plataformas low-code, pode acelerar ainda mais o time-to-market de sistemas e aplicações nativas na nuvem – pelo menos é o que dizem 3 em cada 4 empresas pesquisadas. É por isso que não é surpresa descobrir que 86% das organizações têm planos de adotar a IA nas suas práticas de desenvolvimento de software nos próximos dois anos. 

O desenvolvimento cloud-native representa uma mudança fundamental na estratégia de desenvolvimento de sistemas e aplicações nas empresas e, embora suscite preocupações a respeito da falta de talentos, sobre a reformulação dos processos DevOps, do refinamento das equipes de arquitetura e dos altos custos para se montar uma infraestrutura para dar suporte ao desenvolvimento nativo na nuvem, ela já pode ser adotada hoje e de forma muito rápida. 

De fato, quase um terço das organizações (32%) já fazem o desenvolvimento de seus sistemas e aplicações cloud-native através de uma plataforma low-code, e outros 43% estão experimentando. Os especialistas em low-code estão ainda mais entusiasmados, com mais da metade (55%) usando low-code para desenvolver aplicativos nativos da nuvem.

O low-code tem provado ser um acelerador chave para tornar o desenvolvimento mais rápido, ágil e inovador. Na verdade, não demorará muito para que a maior parte do desenvolvimento de novos aplicativos seja conduzido por low-code, com as previsões apontando para uma adoção de 63% até final de 2024, e elevando este índice a 80% das organizações em 2025. 

Com tantos benefícios advindos da adoção de uma plataforma cloud-native de desenvolvimento de aplicativos low-code de alto desempenho, como a OutSystems, fica difícil imaginar qualquer empresa que queira ficar de fora do grupo que irá acelerar o time-to-market das suas aplicações e o crescimento do seu negócio. Dito isso, é importante lembrarmos que a evolução não dá saltos, mas não é proibido correr.