Biohacking, o que são os implantes que os seres humanos estão colocando no corpo

Biohacking, o que são os implantes que os seres humanos estão colocando no corpo

Biohacking refere-se ao uso de técnicas digitais para alterar a biologia humana, muitas vezes envolvendo a implantação de microchips no corpo para armazenar informações e facilitar tarefas diárias.

Essa prática visa melhorar ou expandir as capacidades humanas em diversas atividades, incluindo o armazenamento de dados, ampliação da sensibilidade corporal e facilitação de ações cotidianas, como pagamentos.

O biohacking pode incluir tecnologias não invasivas, como óculos inteligentes para pessoas com deficiência visual, além de envolver implantes de microchips.

Esses dispositivos possuem circuitos eletrônicos e permitem a comunicação com outros aparelhos por meio de ondas de rádio.

Na Holanda, por exemplo, algumas pessoas usam implantes de chips para efetuar pagamentos, aproximando a mão do leitor de cartão.

Além disso, o biohacking envolve o armazenamento de dados, como informações médicas ou crachás de trabalho, por meio desses microchips.

Outras aplicações incluem a implantação de pequenas pastilhas de ímãs nos dedos para proporcionar sensibilidade extra, permitindo que as pessoas sintam campos magnéticos ao seu redor.

Essas práticas, no entanto, geram debates sobre segurança digital, uma vez que não há legislação específica sobre o biohacking no Brasil.

O risco de clonagem de dados é uma preocupação, mas a disponibilidade limitada dos microchips torna sua obtenção comparável à compra de anabolizantes, não sendo facilmente encontrados.