Mais de 57% das clínicas médicas particulares usam aplicativos de mensagem para agendar consultas, aponta pesquisa

Mais de 57% das clínicas médicas particulares usam aplicativos de mensagem para agendar consultas, aponta pesquisa
 

Estudo Panorama Clínicas e Consultórios 2024 indica ainda que mais de 48% dos médicos em clínicas, consultórios e policlínicas particulares aderiram em definitivo ao teleatendimento
 

Nova Lima, 28 de março de 2024 – O Research Center, núcleo de pesquisa da Afya, maior hub de educação e soluções digitais para médicos no Brasil, apresenta os resultados da pesquisa Panorama Clínicas e Consultórios 2024. O levantamento quantitativo ouviu 969 profissionais de saúde, gestores, equipe administrativa, financeira e recepção de consultórios, clínicas e policlínicas de atendimento ambulatorial no Brasil e traz informações relevantes sobre a forma como a digitalização têm influenciado desde os canais de agendamento de pacientes até o atendimento médico.
 

A pesquisa aponta que o WhatsApp é a principal ferramenta utilizada para contato com os pacientes, de forma geral. Nos consultórios, clínicas e policlínicas particulares, a taxa de contato via aplicativo de mensagens é em média de 62,3%. O segundo canal de contato mais comum ainda é a ligação via telefone, que representa 37,5%.
 

O estudo indica que a digitalização de clínicas e consultórios médicos emerge como uma transformação fundamental no cenário da saúde, proporcionando avanços significativos na gestão e prestação de serviços.

“A integração de tecnologias na prática médica proporciona um meio seguro de prestação de cuidados médicos e traz benefícios significativos em termos de acessibilidade, eficácia no atendimento e gestão otimizada das informações do paciente”, Eduardo Moura, Médico e Diretor do Research Center.
 

A pesquisa revela, ainda, que o teleatendimento veio para ficar em consultas realizadas nas clínicas, policlínicas e consultórios particulares. A média deste formato de atendimento ficou em 48,7%. O atendimento remoto costuma ocorrer por aplicativos de chamada ou softwares especializados no serviço, como iClinic.
 

As ferramentas digitais também chegaram ao prontuário eletrônico do paciente (PEP), um sistema que armazena todas as informações sobre o histórico médico e importante para a prestação de cuidados de saúde de alta qualidade, pois permite que os profissionais de saúde tenham acesso rápido e fácil às informações necessárias para tomar as melhores decisões clínicas.
 

De acordo com o estudo, aproximadamente 79% dos consultórios, clínicas e policlínicas particulares fazem uso de softwares, que apresentam segurança por criptografia de ponta e segurança de nível bancário, para oferecer proteção aos pacientes e suporte ao médico.
  “Os prontuários eletrônicos são essenciais na relação médico-paciente e trazem segurança a respeito do histórico de saúde de cada pessoa. Já vemos um cenário em que o áudio das consultas serão transcritos automaticamente para o documento deixando o médico mais livre para interagir com o paciente e melhorar ainda mais a qualidade do atendimento “, explica Moura.