Paghiper recebe autorização do Banco Central para operar como Instituição de Pagamento 

Paghiper recebe autorização do Banco Central para operar como Instituição de Pagamento 
 

Empresa pretende expandir sua atuação, oferecendo serviços como conta digital, cartão de crédito e débito, pagamentos de contas e funcionalidades do pix
 

A PagHiper, fintech especialista em PIX e boletos bancários para e-commerce, acaba de receber autorização do Banco Central para operar como Instituição de Pagamento, na modalidade emissor de moeda eletrônica (EMI). A concessão da licença foi publicada no Diário Oficial da União nesta terça-feira (27/02).


A PagHiper nasceu em 2014 com a proposta de oferecer serviços de intermediação de pagamento com tarifas mais competitivas e mais justas do que as oferecidas pelos grandes players do mercado. Em apenas dois anos, a empresa contava com cerca de mil clientes de e-commerce, que utilizavam sua solução de pagamento em suas plataformas. Atualmente, a empresa conta com milhares de clientes em todo o Brasil.


De acordo com Weslley Ribeiro da Silva, CEO e fundador da PagHiper, a licença obtida junto ao Banco Central permitirá à companhia aumentar o portfólio de serviços prestados. “A partir de agora, o objetivo é explorar todas as possibilidades que uma instituição de pagamento tem autorização para realizar. Entre elas, ser uma conta digital, emitir cartão de crédito e débito, permitir pagamentos de contas e incluir finalidades extras do pix[wr1] ”, afirma o executivo.


Além disso, Silva revela que pretende estabelecer parcerias estratégicas com instituições financeiras para oferecer aos clientes, produtos que somente as IFs podem disponibilizar, como concessão de crédito, por exemplo. “O incremento será gradual, sendo que a expectativa é dobrar nossas operações ainda em 2024”, salienta o CEO.


Para ele, embora a PagHiper tenha 10 anos [wr2] de atuação no mercado atuando como intermediadora de pagamento, a autorização do BC reforça a solidez da empresa e demonstra a seriedade do trabalho realizado até aqui.


“Agora, passaremos a disponibilizar novos serviços aos lojistas, tornando suas operações cada vez mais ágeis e por meio de tecnologias inovadoras”, finaliza Silva.