Setor pet no Brasil movimentou cerca de R$ 67,4 bilhões em 2023 e impulsiona negócios tanto em shoppings quanto no e-commerce

Setor pet no Brasil movimentou cerca de R$ 67,4 bilhões em 2023 e impulsiona negócios tanto em shoppings quanto no e-commerce

Empreendimentos em São Paulo ampliam atuação nesse mercado e, no universo on-line, desponta como grande oportunidade de faturamento se houver estratégia.

O mercado pet no Brasil tem se mostrado promissor, impulsionado pela crescente conscientização dos tutores sobre o bem-estar de seus animais de estimação. Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o número de animais domésticos supera 168 milhões de indivíduos. Desse modo, o país é o terceiro maior do mundo no quesito pet. O setor está se transformando em um ecossistema diversificado, abrangendo desde alimentação e cuidados de saúde até produtos de estilo de vida e espaços de lazer.

Seguindo essa tendência de mercado, os pets estão cada vez mais presentes no dia a dia e na rotina dos tutores, dentro e fora de casa. Pensando nisso, os shopping centers que já são Pet Friendly vêm ampliando sua participação no segmento, visando não somente atender à demanda, mas também proporcionar mais conforto e tranquilidade aos visitantes e seus filhos de quatro patas.

O Cantareira Norte Shopping, por exemplo, um dos principais centros de compras, lazer e serviços na zona Norte de São Paulo, expandiu seu mix de lojas com a chegada de diversas marcas de diferentes segmentos, incluindo o pet. O empreendimento inaugurou, no final de 2023, uma grande operação da Cobasi. A loja ocupa uma área de 840 metros quadrados no piso térreo, aberta diariamente, sendo de segunda-feira a sábado das 9h às 22h, domingo e feriado das 10h às 20h.

A Cobasi é uma das principais redes de pet shops e produtos para animais de estimação do Brasil, com 38 anos de história. É considerada um dos destinos preferidos para todas as necessidades relacionadas a pets, oferecendo mais de 20 mil produtos de qualidade, serviços e atendimento especializado. Sua missão é proporcionar aos animais de estimação e seus tutores aquilo que é essencial à vida, através de uma experiência mais próxima e facilitada de compras, além de um momento de lazer aos clientes.

“A chegada da Cobasi, além de ampliar o mix de lojas, também fortaleceu nossa atuação no segmento pet, fidelizando clientes que já nos visitam, por sermos um shopping pet friendly, e atraindo novos consumidores”, comenta Humberto Moreira, superintendente do Cantareira Norte Shopping.

O empreendimento também se prepara para, ainda este ano, inaugurar a praça de alimentação pet. Deixando o ambiente ainda mais completo para visitantes e seus animaizinhos.

Assim como fez o West Plaza, tradicional shopping da zona Oeste de São Paulo, que inaugurou recentemente a sua Praça de Alimentação Pet. O ambiente é exclusivo para as famílias com animais de estimação e, no local, além dos visitantes poderem fazer as refeições junto com seus cães e gatos, também há uma estrutura com água, saquinhos para higiene e recreação para os bichinhos brincarem e gastarem energia.

“Por questões da Vigilância Sanitária, não é permitida a entrada de pets na praça de alimentação convencional do shopping. E recebemos muitos tutores com seus animaizinhos no empreendimento, que é conhecido pelo ambiente familiar. Então, criamos um espaço exclusivo e confortável para este público”, comenta Geraldo Carvalho, superintendente do West Plaza.

O shopping já conta com Pet Stop no interior do empreendimento, com bebedouro, ração e saquinhos para a higiene no Boulevard. E algumas lojas, identificadas com adesivo Pet Friendly, permitem a entrada dos animaizinhos, assim como o restaurante Jeronimo, que aceita os bichinhos na área externa.

A Praça de Alimentação Pet no West Plaza é aberta ao público e funciona durante os horários de funcionamento do shopping, diariamente. Fica no 3º Piso do Bloco A.

E-commerce Pet registrou aumento de 130%

As vendas on-line no setor Pet também seguem a curva ascendente. No período de confinamento, em 2020, o faturamento on-line do setor saltou de 9% para 36,6% e, mesmo após a retomada das compras em lojas físicas, os consumidores continuaram adquirindo os produtos para seus animais de estimação através das plataformas digitais. Para se ter uma ideia, de acordo com dados do IPB (Instituto Pet Brasil), o aumento foi de 130% durante a crise sanitária, passando de R$ 1,44 bilhão para R$ 3,3 bilhões, entre janeiro de 2020 e março de 2022.

Rafael Jakubowski, especialista em marketing e gestão comercial on-line, ressalta que “o comércio virtual é uma tendência que se fortaleceu durante a pandemia, mas, veio para ficar. É uma das maiores oportunidades de faturamento para as micro, pequenas e médias empresas, inclusive no segmento pet. Porém, para alcançar altos patamares, é fundamental ter estratégia”, ressalta Jakubowski.

O executivo, que também é CEO da Sanders Digital e CMO as a Service em companhias, como Energy Group e BN Engenharia, além de responder pelas estratégias de e-commerce da Vitafor, explica que “independentemente do tamanho da empresa, para vender bem online, seja através do e-commerce, nas redes sociais ou pelo WhatsApp, é necessário entender o perfil do seu público-alvo e criar mecanismos para atraí-lo, fidelizá-lo”.

As vendas on-line, principalmente através do WhatsApp, podem aumentar o faturamento das empresas exponencialmente. “O empreendedor precisa ter dedicação às estratégias de divulgação para atingir o cliente pela oportunidade, ter a chance de cadastrá-lo em seu banco de dados e manter relacionamento através das ferramentas de comunicação, em especial o WhatsApp, aplicativo que está em 99% dos celulares no Brasil”, justifica Jakubowski.

O especialista elenca três dicas cruciais para potencializar as vendas online. São elas:

  1. O produto certo para a pessoa certa: não adianta enviar aquela mesma imagem de oferta para todos os clientes! Divida os perfis por grupos, por exemplo: perfil e raça do pet, tamanho, preferências por marcas, e assim por diante. Com isso, é possível oferecer opções que se encaixem melhor nas necessidades daquele grupo de clientes, o que faz a conversão em vendas aumentar.
  2. Foque na recompra: conquistar um cliente é um desafio e muitas vezes o atendente acaba não dando atenção para a recompra desse cliente. Portanto, sempre que um cliente comprar, é estratégico criar uma rotina para abordá-lo com novidades e ofertas que combinem com o perfil dele.
  3. Crie um cupom de desconto mais agressivo para atrair clientes antigos que não compraram mais: estabeleça uma base de clientes, isso vale ouro. Quanto mais se aprende a vender para essa base, mais lucrativo o negócio fica. É importante criar um cupom de desconto com uma vantagem que realmente faça os clientes que não compraram mais sentirem vontade de consumir, aproveitar a oportunidade. Isso vai reaquecer a chama das vendas com esses perfis. Além disso, mantenha a comunicação com ele depois, o atendimento pós-venda é fundamental para a fidelização.

“Atuo com mentoria, treinamentos e palestras para micro, pequenas, médias e grandes companhias de diferentes segmentos e, somente nos últimos 12 meses, com adequações nos processos de abordagem, geramos mais de R$ 50 milhões em faturamento para os clientes através de estratégias pelo WhatsApp”, enfatiza o especialista em gestão comercial.