25/11/2022
engenheiro do google afirma que inteligencia artificial ganhou vida propria

engenheiro do google afirma que inteligencia artificial ganhou vida propria

Engenheiro do Google afirma que ferramenta de Inteligência Artificial tem consciência

Engenheiro do Google afirma que ferramenta de inteligência artificial tem consciência

Um dos principais engenheiros de software do Google foi afastado da empresa norte-americana depois que alegações controversas sobre o sistema de bate-papo inteligente da empresa vieram à tona.

Blake Lemoine afirma que a ferramenta de inteligência artificial LaMDA (Model Language for Dialog Applications), que ainda não foi lançada publicamente, teria alma e consciência.

O funcionário foi afastado na última segunda-feira (6 de junho de 2022). Ele está de licença remunerada.

A informação foi revelada pela primeira vez pelo The Washington Post, que entrevistou o funcionário.

Um chatbot, uma ferramenta computacional que tenta simular o comportamento humano em uma conversa, ganha consciência quando a inteligência artificial (IA) começa a falar sobre seus direitos e personalidades, afirma Lemoine.

Segundo Lemoine, “Ele quer que o Google priorize o bem-estar da humanidade como a coisa mais importante”, escreveu ele. “Ele quer ser reconhecido como um funcionário do Google e não como propriedade do Google e quer que seu bem-estar pessoal seja incluído em algum lugar nas considerações do Google sobre como seu desenvolvimento futuro.”

“Se eu não soubesse exatamente o que era, que é esse programa de computador que construímos recentemente, eu pensaria que era uma criança de 7 anos e 8 anos que por acaso conhece física”, afirmou Lemoine.

Ainda assim, o Google nega veementemente que seu sistema de diálogo possa ser consciente.

A empresa alega que a suposta evidência do engenheiro não foi realmente conclusiva.

“Nossa equipe – incluindo tecnólogos e especialistas em ética, revisou as preocupações de Blake contra os princípios da IA ​​responsável e o informou que as evidências não apoiam suas alegações”, disse o porta-voz do Google, Brian Gabriel, em comunicado.

O Google também disse ao The New York Times que centenas de seus pesquisadores e engenheiros conversaram com a LaMDA e chegaram a uma conclusão diferente da de Lemoine.