Segurança mode on: 6 dicas para não ser a próxima vítima de hackers

Segurança mode on: 6 dicas para não ser a próxima vítima de hackers

*Por Marijus Briedis, CTO da NordVPN  

Com o avanço constante da tecnologia e a crescente integração da internet em nossas vidas, a segurança cibernética se tornou uma preocupação cada vez maior. Sem uma infraestrutura adequada estamos vulneráveis a uma variedade de ameaças, desde roubo de identidade e fraudes financeiras até espionagem corporativa e sabotagem digital. Portanto, hoje, proteger os nossos dados pessoais não é apenas uma responsabilidade individual, mas também necessidade coletiva para garantir a integridade e a confiança no universo on-line. 

Além disso, a divulgação irresponsável de informações confidenciais pode ter consequências graves. Afinal, cada detalhe revelado pode ser explorado por hackers em potencial. Quem não se lembra, por exemplo, que o Facebook, agora Meta, enfrentou um vazamento de dados em 2021, em que expôs informações de mais de 500 milhões de usuários. A ação incluía números de telefone, IDs, nomes e outras menções sensíveis, destacando os riscos associados à centralização e à coleta excessiva de dados pelas bigtechs. 

Sendo assim, praticar o princípio de enaltecer o mínimo necessário nas redes, ou em outras palavras, “do menos é mais”, compartilhando apenas informações essenciais e com fontes confiáveis, deveria ser um exemplo a ser seguido. Para evitar se tornar mais uma vítima de criminosos cibernéticos, é fundamental adotar medidas de segurança proativas. 

Senhas fortes em dia 

Uma senha robusta é a primeira linha de defesa contra invasores. Utilize combinações de letras maiúsculas e minúsculas, números e caracteres especiais. Evite senhas óbvias ou fáceis de adivinhar, como datas de nascimento ou sequências simples. Certifique-se também de atualizá-las regularmente e não usar os mesmos códigos em várias contas. 

Softwares atualizados 

Manter o sistema operacional, navegadores da web e aplicativos atualizados é fundamental para corrigir vulnerabilidades de segurança conhecidas. Configure as atualizações automáticas sempre que possível para garantir que tenha as últimas correções instaladas. 

Autenticação de dois fatores 

Trata-se de uma camada extra de segurança, exigindo uma segunda forma de verificação além da senha. Isso pode incluir um código enviado para o celular ou o uso de aplicativos de autenticação. Ative essa opção sempre que disponível para proteger contas mais sensíveis, como o WhatsApp, por exemplo. 

Links, anexos e phising: atenção redobrada 

Nunca clique em links suspeitos ou abra anexos de remetentes desconhecidos ou não confiáveis. Em meio ao phishing, técnica comum usada por hackers para roubar informações pessoais, verifique sempre a legitimidade do emissor antes de interagir com qualquer conteúdo suspeito. 

VPN 

Uma Virtual Private Network, ou Rede Privada Virtual protege a navegação na internet, fazendo uma criptografia do tráfego e roteando a conexão por meio de um servidor remoto. Dessa forma, dados como IP, localização geográfica, histórico de buscas e downloads são ocultados, protegendo as informações pessoais. É especialmente importante contar com uma VPN ao se conectar com redes wi-fi públicas. 

Backups regulares  

Em caso de violação de segurança ou ataque de ransomware, ter backups recentes dos dados é essencial para não sofrer perdas irreparáveis. Armazene essas ações em locais seguros e teste regularmente a capacidade de recuperação. 

Proteger-se contra hackers e evitar a divulgação desnecessária de dados na web requer vigilância constante e compromisso com a segurança cibernética. Ao adotar iniciativas inteligentes e estar sempre atento aos riscos potenciais, é possível manter informações pessoais protegidas em um mundo hiperconectado. 

*Marijus Briedis é CTO da NordVPN, empresa especializada em soluções de privacidade, segurança e rede privada virtual (VPN). – E-mail: nordvpn@nbpress.com.br