Tendências para 2024: saiba o que esperar da inteligência artificial aplicada ao e-commerce

Tendências para 2024: saiba o que esperar da inteligência artificial aplicada ao e-commerce

Automação de tarefas e alta personalização das ofertas devem modificar o cenário das vendas online nos próximos meses

São Paulo, dezembro de 2023 — A frequência de quem compra online aumentou em 2023: 17% dos consumidores solicita algum produto ou serviço pela internet pelo menos uma vez por semana. Em 2022 esse número era de 12%. Os dados são do Relatório E-Commerce Trends, que também prevê o aumento da atividade no ano que vem, já que 54% dos respondentes disseram que pretendem aumentar o consumo online nos próximos 12 meses.

“Acredito que os principais resultados vindos da inteligência artificial para o ano que vem estejam relacionados à otimização de processos e automação de tarefas. Seja aplicar IA para criar experiências mais personalizadas, com foco em fidelização, ou usar para atendimentos com clientes, com melhorias em chatbots e desenvolvimento de linguagem natural em conversas automatizadas”, reflete Rafael Ataide, diretor de Data & Tech da agência full service Adtail.

Atualmente, o principal benefício que empresas dos mais variados setores já estão sentindo tem a ver com a redução dos custos operacionais. Processos repetitivos podem ser automatizados com eficácia. Além disso, a utilização das ferramentas tecnológicas diminui a frequência de erros humanos que podem impactar o negócio, reduzindo também desperdícios e colaborando para a saúde da instituição.

“Chatbots, automação de marketing, recomendação de produtos, precificação dinâmica, diminuição de fraudes, etc. Existem várias formas de usar inteligência artificial para aumentar vendas e eficiência no e-commerce. Mas o mais importante é começar agora. Implemente, teste, otimize e teste novamente. A IA é a realidade e seus concorrentes já estão utilizando”, destaca Rafael.

Desafios do cenário

Para funcionar corretamente e oferecer insights de valor, as ferramentas de inteligência artificial necessitam de um alto volume de dados. Para Leandro Furlan, gerente de Tech da agência full service Adtail, a qualidade dos dados corporativos ainda é um grande desafio. “Big data é um tema que todos conhecem há anos, mas organizar dados estruturados em uma linha histórica pode não ser tão simples. Sem dados de qualidade, o retorno da IA pode gerar percepções imprecisas e decisões equivocadas.”

Outra dificuldade quando se trata de um contexto muito novo é a qualificação do time para adoção da tecnologia. Em alguns casos, a contratação de especialistas é imprescindível. Já existem muitas ferramentas disponíveis no mercado, com objetivos diferentes. Cabe aos gestores encontrar as que mais se encaixam e que tragam os melhores resultados possíveis.

“Na Adtail, usamos IA preditiva para auxiliar nossos clientes a prever orçamentos e resultados de campanhas. Aplicamos também a IA generativa para auxiliar clientes a destravar estratégias de marketing e branding. Nas estratégias de Mídia e CRM, contamos com a IA para criar segmentos de público personalizados.”

“A melhor estratégia de marketing para impulsionar as vendas de um e-commerce com IA, é a personalização. Todo cliente é único e agora temos ferramentas para criar jornadas de compras que também sejam únicas. A tecnologia cria, para cada cliente, uma experiência singular. É isso que vai fazer a diferença e aumentar as chances de conversão”, conclui Furlan.