Startup otimiza consulta de dados processuais em todos os sistemas usados pelos Tribunais de Justiça

Startup otimiza consulta de dados processuais em todos os sistemas usados pelos Tribunais de Justiça

Motor de processamento de dados criado pela JudIT permite acesso aos dados em poucos segundos; lawtech projeta receita de até R$ 20 milhões já no seu segundo ano

São Paulo, 27 defevereiro de 2024 – A JudIT é uma startup que nasceu em 2023 com o objetivo de oferecer ao mercado acesso em tempo real a informações de processos judiciais que constam nos tribunais de justiça, inclusive os militares, trabalhistas e administrativos e em todas as instâncias.

Crescendo em ritmo acelerado, a lawtech projeta fechar este ano com 60 novos clientes e uma receita anual de até R$ 20 milhões. Só no mês de janeiro, a startup conquistou cinco novas empresas para sua carteira.

Para conquistar mais mercado, a principal aposta da JudIT é uma ferramenta desenvolvida internamente que facilita  o acesso aos tribunais. A tecnologia também permite o monitoramento em tempo real, ou seja: a qualquer nova movimentação em um processo já existente ou em um novo processo, o cliente da startup é notificado prontamente.

Para o CEO da JudIT, João Angelo, a rapidez e a capacidade da plataforma em acessar milhares de processos em diversos tribunais são o diferencial da startup. Em apenas 14 segundos, a JudIT acessa os tribunais e é capaz de mostrar 7 mil processos de uma só vez. “Queremos ser uma AWS de acesso aos dados jurídicos. Somos a infraestrutura mais rápida e eficiente disponível hoje no mercado”, destaca.

Segundo o executivo, o maior desafio da lawtech foi desenvolver um motor de acesso aos sistemas judiciários dos tribunais em tempo real, que, por sua vez, não possuem uma padronização de bases de dados, o que é um problema na hora de consolidar as informações. A ferramenta realiza consultas diretamente nos sistemas dos tribunais trazendo as informações atualizadas. “Diante de outras ferramentas disponíveis, isso é um diferencial da JudIT. Utilizamos a criatividade na forma de acessar e reunir os dados, mesmo com as restrições em várias bases”.

O mercado-alvo da JudIT é formado por legaltechs, fintechs, fundos de investimento, departamentos jurídicos de grandes empresas, seguradoras, escritórios de advocacia e advogados autônomos. Já no seu primeiro ano, conquistou 25 clientes, entre eles Uplexis, Jusfy, Omnijus, EasyCrédito, Fitbank, Ouro Preto Investimentos, SBK Capital, Bankap e Cronos Bank. Uma das maiores legaltechs do Brasil, com mais de 10 mil advogados ativos, a Jusfy, por exemplo, utiliza o motor da JudIT para otimizar a produtividade dos profissionais.

Atualmente, mais de 20 milhões de consultas a processos judiciais já passaram pela JudIT. Com uma simples consulta utilizando CPF, CNPJ ou a OAB do advogado, a ferramenta busca todos os processos que constam nos nomes dos profissionais ou das empresas, em todas as instâncias, incluindo os autos processuais. Outro recurso da plataforma é a Inteligência Artificial da JudIT, que lê e interpreta o conteúdo dos documentos permitindo ao cliente entender rapidamente a causa do processo.

Investimento Seed e nova rodada em vista

Além dos cofundadores Guilherme Silva, CIO, e João Angelo, CEO, a JudIT foi idealizada pelo empreendedor Leonardo Rebitte, fundador da idtech CAF, da fintech de crédito Mutual, além de investidor em outras diversas empresas que, juntas, valem mais de R$ 1 bilhão.

No ano passado, a lawtech recebeu um investimento seed no valor de R$ 1,2 milhão de Rebitte e Darryl Green, Ex-CEO da CAF e investidor no mercado financeiro com experiência em empresas globais de meios de pagamento.

A JudIT prevê para este ano um novo aporte financeiro para dar suporte ao crescimento da startup que já está aumentando a equipe para 30 pessoas. No final do ano passado, o time era formado por 10 pessoas.

Tipos de consultas e benefícios

O motor de consulta de processos da JudIT abrange os seguintes itens:

  1. Processos judiciais cíveis. Permite consultar, acompanhar e filtrar Processos Judiciais fazendo buscas por CPF, CNPJ, Número do Processo Judicial, Nome das partes ou Número OAB do Advogado. Todo o histórico é mostrado em segundos.
  2. Mandados de execução judicial (Dívida). Ideal para instituições financeiras de crédito que buscam aprimorar o Score e/ou, aprovar ou negar um pedido de empréstimo. Também é muito utilizado por advogados e escritórios de advocacia para renegociação de dívidas de seus clientes. 
  3. Mandado de Prisão e Processos Criminais. É um importante aliado nos processos de Due Diligence (Diligência e Auditoria). Antes de conceder um empréstimo, alugar uma casa, carro, permitir a entrada de um novo sócio na empresa ou até mesmo, contratar, é importante verificar a idoneidade do indivíduo, ou seja se ele(a) tem um mandado de prisão em aberto ou se já teve um mandado de prisão no passado.
  4. Processos cíveis onde o indivíduo figura como réu. Em algumas situações pode ser relevante para um empregador saber se alguém ou uma empresa foi processada e por qual motivo. Isso pode ajudar, por exemplo, na avaliação de entrada de novos sócios ou funcionários com cargo de confiança.
  5. Processos judiciais de precatórios. Ideal para fundos de investimento que possuem interesse na compra desses títulos. Como os pagamentos de precatórios por parte dos Governos Federal, Estadual e Municipal costumam demorar muito, os fundos  podem oferecer aos credores (pessoas ou empresas) o pagamento de parte do valor total e assumir a titularidade do precatório. Escritórios de Advocacia também se interessam por este tipo de processo, pois fazem a análise para os fundos, indicando se pode ser um bom negócio comprar ou não esses títulos.
  6. Processos de recuperação judicial ou falência. Esse tipo de informação é interessante para fundos de investimentos e escritórios de advocacia com o intuito de buscar diminuir o valor da dívida e o dano colateral aos sócios e acionistas.